TIO VALTER, A HORTA, O NABO E MEU RABO

Se tem uma coisa que me deixa radiante, são minhas merecidas férias do trabalho. Geralmente na segunda quinzena, vou para a fazenda de vovô e me acabo na putaria com meus tios.

Ano passado foi demais. Trepei com quase todos eles e não sei se seduzi, ou se fui seduzido por Tio Valter, que não só me apresentou, como também me ensinou direitinho, como preparar e degustar um “NABO”.

Tio Valter é casado e pai de duas lindas meninas. Tia Bete, sua esposa vive transitando entre as religiões e não se realiza em nenhuma, agora está convencida que é bruxa e está estudando, seguindo os princípios, e faz parte dos rituais, de uma religião xamânica moderna, chamada Wicca. O mesmo que bruxaria.

Mas Tia Bete tinha um desejo, que a acompanhava há anos e que depois de lutar bravamente para conseguir realizar, finalmente, conseguiu. Estava em Machu Picchu. Embarcara há poucos dias, com as filhas para a Colômbia.

Para minha sorte, justamente no mesmo período em que eu estava de férias e na fazenda, onde deixou o marido se recuperando de um forte stress.

Segundo vovó, Tia Bete tinha viajado tranquila e sossegada, depois de praticamente obrigar o marido a ficar na fazenda até seu retorno, pois certamente naquele fim de mundo ( era como se referia a fazenda), seu marido não teria nenhuma chance de trai-la com nenhuma vagabunda.

E não é que a “bruxinha” tinha razão !!! Posso garantir, que com vagabunda ele realmente não a traiu e como sou homem e não sou nenhum desocupado, preciso reconhecer que ela estava coberta de razão. Tia Bete era uma “ESTRATEGISTA NATA E BRILHANTE “. Como ela, nunca conheci.

Assim que cheguei na fazenda e fiz um lanche, vovô me disse que vovô recomendou demais que eu ficasse no quarto com Tio Valter, que também estava de férias.

Inicialmente não simpatizei muito com a ideia, pois além de muito interessado em ficar “NA CAMA E ENTRE DOIS TIOS”. Tio Edilson e Tio Jorge, eu e tio Valter não tínhamos quase intimidade nenhuma, mas como conheço vovô muito bem, com certeza não conseguiria convencê-lo a mudar de ideia. Quando ele enfiava uma coisa na cabeça, ninguém tirava.

Para não contrariá-lo, conformei-me com sua decisão, sem reclamar e me encaminhei para o quarto que eu e meu tio iríamos dividir por uns dias.

Assim que entrei no quarto, Tio Valter muito simpático, recebeu-me muito bem, me abraçou e começou a conversar comigo, o que me fez acalmar e sentir-me melhor.

Depois de batermos um papinho, e quebrarmos o gelo, fui tomar banho no banheiro de nosso quarto e ele continuou lendo uma revista sobre hortifrutigranjeiros que lia antes de minha chegada.

Depois que terminei de me refrescar e retornar ao quarto, Tio Valter me falou dos planos que tinha de colher alguns vegetais, legumes e raízes que estavam passando da hora de serem colhidos e de dar um jeito na horta de vovó, que estava bem desleixada e convidou-me a ajudá-lo.

- Vou ser franco com o senhor, Tio Valter. Não entendo nadinha de nada de plantações e hortas colheitas, Com certeza devem existir muitos vegetais, que nem conheço. Se eu puder ajudar mais que atrapalhar, pode contar comigo. Quando pretende começar?

- Amanhã bem cedinho. E conhecimento nunca é demais meu rapaz. Além de me ajudar, e deixar seus avós muito satisfeitos, ainda já vai ganhar uma aula completa do titio Agrônomo aqui, combinado?

_ Se é assim, pode contar comigo, Tio Valter. Agora se me der licença, estou muito cansado e com bastante sono. Preciso dormir e descansar para dar conta de nossa tarefa de amanhã. A sua benção, tio.

- Deus te abençoe, Rubinho. Boa Noite!!! Vou ter acordar as 6:00, certo?

- No dia seguinte no horário combinado meu tio me acordou e enquanto eu me trocava para irmos para a tal horta e foi para a cozinha preparar um lanche para levarmos, pois a horta não ficava muito pertinho da sede da fazenda, e depois de tomarmos café e pegarmos a cesta de lanches, partimos rumo ao nosso destino.

Como ainda era quarta-feira, nenhum de meus outros tios lá estavam.

Na fazenda, só estávamos nós dois, meus avós e alguns empregados que já chegando e pegando batente, em locais relativamente distantes à horta de vovó.

Tio Valter era um homes, alto como os irmãos, bem magro, meio calvo, barbudo e bigodudo, bastante peludo e usava uns óculos que lhe davam um charme á parte. Tinhas pernas bem grandes, um bundinha bem minúscula e um cacete grande, fino e bem grandinho. Era também um homem bem sério e muito metódico.

Bem de frente parar a horta e antes de entrar , Tio Valter me passou as orientações de como seria nosso trabalho e disse que começaríamos colhendo os vegetais, depois limparíamos a área, fofaríamos a terra e só no final é que replantaríamos a mesma.

Depois disso, entramos, pegamos umas cestas enormes que lá se encontravam e antes de começarmos de mais nada, desceu sua calça jeans, tirou sua camisa, ficando apenas, com um calção que tinha vestido por baixo e um par de botas bem esgarçado, que tinha guardado na fazenda para momento s como este.

- Acho melhor ficar mais a vontade, rapaz porque com certeza, ficará bem sujo se terra. Acho melhor, tirar essa camisa e ficar só de calção, como eu.

- O senhor deveria ter me falado, sobre isso, tio, pois não estou trouxe e nem vesti nenhum calção por baixo. Só vou poder tirar a camisa. Amanhã venho mais preparado, ok?

- Mas que besteiro, garoto. Só estamos nós dois aqui e somos homens, ou não somos? Essas cuecas de hoje em dia, mais parecem shorts que cuecas. Tire logo essa calça pra começarmos. Vestido desse jeito não poderá me ajudar. Deixe de bobagem e ande logo com isso.

_ Na verdade tio, realmente minha cueca, apesar de muito justa, parece mesmo um short, e já que não se importa e não tem outro jeito, não vou atrasar nossos trabalhos. Assim está melhor?

- Por ser com Tio Valter, homem sério, recatado e meio sistemático, não coloquei nenhuma maldade, apenas me virei de costas pra ele e desci tirei minha calça, ficando quase como ele, de cuecas, sem camisa e descalço. Mas para minha surpresa percebi que assim que ele bateu o olho em minha bunda vestida apenas naquela cueca apertadíssima, deu uma leve patolada e engoliu seco.

Voltar atrás e me vestir não seria uma opção. Então resolvi ligar o botão de foda-se , ignorar o fato e dar inicio ao trabalho. Tirei seu foco de minha bunda, chamando a responsabilidade:

- Tioooo???? Tio Vaaallllterr??? Vamos? Vamos começar a colher os vegetais?

- Hã..., hã..., ahhh, simmmm... . Venha Rubinho, por aqui !!!! Vamos começar pelas cenouras, certo?

Em frente ao canteiro das cenouras nos abaixamos, lado a lado, e começamos a retirá-las da terra e a encher os cestos, quando titio meio aflito, resolveu se afastar um pouco de mim.

- Se tiver alguma dúvida, ou quiser qualquer orientação sobre qualquer legume, raiz ou verdura é só falar, que terei o maior prazer em explicar o que for necessário sobre o vegetal, combinado sobrinho? Continue apanhando as cenouras que preciso tirar a água do joelho e esticar a “mangueira”, precisaremos dela já, já. Volto num instante, ok?

- Puxa tio!!! Sabe que estou achando esta colheita muito divertida? Pode ir tranquilo, que nessa tarefa garanto ser eficiente.

Continuei a fazer, o que estava fazendo, até que segundos depois, senti que alguém me observava a uma certa distância. Como eu estava de quatro, exibindo meu bundão tranquilamente só estávamos nos dois por ali, com certeza era ele que me filmava de longe. Nessa hora percebi que meu Tio Valter estava me desejando e não teve jeito, na hora meu botãozinho se pôs a piscar sem parar e meu cacete começou a ganhar forma dentro daquela indecente cueca. Decidi provocar o safado e dei uma bela, caprichada e demorada coçada no cu, que só não permitiu que meus dedos ficassem totalmente atolados nele, porque o tecido da cueca os impediu.

Em seguida, apanhei no cesto uma enorme cenoura que lá estava, sentei em meus calcanhares, e comecei a limpá-la como se estivesse punhetando-a por uns segundos e voltei ao trabalho.

Minutinhos depois, tio Valter retornou e rapidamente se abaixou ao meu lado, tentando esconder o enorme volume que se formava dentro de seu calção. E assim que se agachou, fingindo que estava brincando comigo, passou sua mão de cima abaixo em minhas costas, chegando a encostar em meu cofrinho peludo e a puxar um tufinho de pelos que lá estavam, fazendo até minha alma se arrepiar e um gemido escapar de minha boca;

- ICSSSSSSSSSSSSHHHHHHH!!!!!!!!

- Gostou do carinho do tio, Rubinho? BRINCADEIRINNNAAA VIU, SOBRINHO ??? Foi só pra te animar, afinal temos muito o que fazer por aqui ainda, rapaz!!!

_ Fez muito bem tio. Afinal quem não gosta de carinho?? Não é mesmo???? Pode brincar a vontade, que brincadeira como essa. É comigo mesmo??? Aliás, gostaria até que o senhor repetisse a travessura, Tem jeito, titio?

- Com o maior prazer, Rubens!!! Vou até fazer melhor. Vou estender o carinho. Assim ôôôôhhhh;

Desta vez, o safadinho, começou em meu pescoço e terminou em cima de mingas bolas e demonstrei minha gratidão, gemendo mais um pouquinho:

- HUMMMM !!!!! Issccchhhhh !!!!!! Hummmm !!!

Como a coisa estava esquentando demais e eu queria aproveitar mais um pouco antes de partirmos para o finalmente, interrompi a preliminares e disse:

- Tio gostaria de mudar de canteiro. Naquela placa está escrito NABO. Que vegetal é esse?

- Não conhece NABO, Rubinho??? Vamos até lá que vou apresentá-los a você. Me acompanhe rapaz!!!

Quando chegamos em frente ao canteiro de Nabos, Tio Valter, arrancou um bem desenvolvido e entregando-me o vegetal, começou a sua aula:

_ Isso é um Nabo, sobrinho. Trata-se de uma raiz tuberosa, como as batatas. Suas folhas também são comestíveis e apesar de serem nativos da Eurásia, são muito cultivados em nosso país. Eu os acho uma deliciosa iguaria. Quer experimentar um, Rubinho?

- Fiquei impressionado com a beleza da tal raiz. Branquinha meio cilíndrica, brilhante e enorme. Na mesma hora, tive uma ideia para apimentar nossa putaria, que pelo estado de Tio Valter era mais certa que dois mais dois, igual a quatro e aproveitei sua aula para tesá-lo até conseguir o que queria.

- AAAAAHHHHHH !! Acabo de me lembrar de uma reportagem que li sobre esta raiz. Os especialistas estavam elogiando-a e muito devido ao seu alto teor de fibra e reduz os níveis de colesterol Afirmavam ainda que elas possuem componentes chaves que auxiliam nosso processo digestivo, ajudando e muito a combater doenças gastrointestinais.

-Muito bem rapaz. É isso mesmo. Para o intestino, não á raiz tuberosa mais eficiente.

- Então me tire uma dúvida tio Valter. Apenas a nível de aprendizado e quem sabe de teste.

_ Como estão tão ligadas ao nosso intestino, será que não existe uma maneira mais eficiente de digeri-las, que pela boca? Não faz sentido minha dúvida Titio? Quem sabe não testamos outra forma de ingestão desses apetitosos NABOS?

Astuto e inteligente como ele era, foi só eu dar a deixa, que ele não só demonstrou interesse em testar outro método para a ingestão do vegetal, como me pediu pra ser sua cobaia. “Tudo em nome da ciência”, é claro. E parolando sem parar a montanha erquida entre suas pernas, me disse:

- Parabéns!!! Está pensando como um verdadeiro cientista rapaz. Talvez se os NABOS, pudessem, sem ingeridos como supositórios, fariam efeitos mais rápidos. Se você se dispusesse a me emprestar seu ânus, para nossa pesquisa, por alguns dias quem sabe não chegaríamos a um resultado revolucionário, Rubinho? Posso começar os testes imediatamente, se estiver disposto a se sacrificar pela ciência. O que acha, rapaz?

- Será com muito prazer, que coloco-me não só a “serviço da ciência”, como em suas mãos para o experimento. Onde e como acha que devo me posicionar, para receber o NABO, de baixo pra cima, tio Valter?

- Acho que não devemos nos preocupar com estes pequenos detalhes. Deite-se aqui mesmo de ponta cabeça, com a bunda bem arregaçada que só vou ali na mangueira dar uma boa lavada na raiz, para começarmos nossa experiência. Acha que a aguenta desse tamanho. Ou quer que a divida no meio para não machucar seu buraquinho? Lembre-se que precisarei penetrar-lhe o vegetal por vários dias, até chegarmos a uma conclusão, heim!!!

- Com certeza este tamanho, não ira me machucar, nem um pouquinho. Pode enfiá-lo sem medo e sem piedade. Já aguentei coisas muito maiores, dentro de mim.

Nessa hora, Tio Valter tirou, sua jeba pra fora e me perguntou:

- E deste tamanho, já aguentou? Já que está disposto a ficar com um Nabo enfiado nessa bundona cabeluda, que tal se ficasse com dois? Está vendo, também tenho um NABÂO, prontinho para ser degustado. Desta forma não só ajudaria a ciência, como também daria uma forçinha pro titio, aqui, que já faz anos que não come um cuzinho de homem e que há tempos, anda doidinho para se acabar dentro de um.

- Isso sim, seria perfeito tio. Gosto muito de fartura. Vou comer os dois muito satisfeito. E estou com água na boca para conhecer o sabor dos dois pela boca e pelo cu. Vá logo lavar o nabo da horta, mas não lave o seu, para não retirar esse odor de macho que ele está exalando . Adoro cheiro e gosto de macho taludo, como o senhor, titio.

Tio Valter saiu feito um foguete, para lavar o NABO, enquanto, me despi todinho e fiquei sentadinho, de boquinha aberta esperando por ele, que já chegou enfiado sua vara fina e grande em minha boquinha, que a recebeu feliz, não só a degustando, como fazendo biquinhos em sua cabecinha e dando beijinhos estridentes em toda sua extensão.

- HUMMMMM !!!! ISCHHHHHHHH!!! Porra Rubens!!! Se seu cuzinho, for gostoso igual, a essa sua boquinha.... Hummmm !!!!! Hummmm !!! É hoje que descobrirei o paraíso !!! Chupa, neném!! Chupa o rolão do tio!!! Chupa safadinho !!!! HUmmm !!!!

- Isscchhhhhhh!!! Tá gostando titio??? Do meu boquete??? Estou caprichando heim, macho!!!!

- Esse nabo na boca, está muito bom. Vamos ver se no rabo também é. E o da horta, está limpinho e pronto para entrar em ação? Que tal, se me socasse o danado e me comesse com ele, enquanto minha boca continua fazendo o serviço dela?

- Seu desejo é uma ordem, sobrinho. TOOOMMMAAAAAAAAAAA!!!! TOMMMAAAA O NABO, NO RABO, SAFADO !!!! TOOOOMMMAA!!!!

Hummmmmmmmm!!!! E aí? Fala pro tio? O que está mais gostoso o nabo da boa ou o NABO DO RABO?

- Hummmm !!! Agora o titio pegou direitinho. Não sei responder. Estou adorando tudinho, titio!!! Soca mais um pouco do Nabo, no meu cu !!! Estou sentindo que ainda tem muito nabo de fora. Ischhhhhhhhhhh!!! Enfia tudo e fode titio. !!! Isssooo!!! Assssimmm mesmo !!! Sem dó !!!! Isssooo !!! Hummmm !!!!

- Poxa vida, rapaz. Que cuzão é esse heim !!! Quanto mais NABO ENTRA NESSA RABO, MAIS NABO SEU RABO, quer. Mas já que ele pede: TOMMMMAAAAAAAAAAA !!!! Tommmmaaaaaaa nesse cuzão guloso !!!!

Depois de ser comido de quatro pelo vegetal da horta, fiquei de ponta cabeça, arreganhei bastante o toba e antes de levar o nabo humano de tio Valter, ele enfiava o legume em meu cu e o via entrar e sair gostoso, por um tempo, até que arfando de tesão, mandou o mesmo longe e em seguida me socou sua vara que apesar de fina era muito longa e custou a entrar toda dentro de mim. Era como se uma canetona estive me estriando o reto. Como a vara de tio Valter era estreita, ela não conseguia preencher o diâmetro de meu cu, mas ia tão fundo na cravada, que quase atravessou meu reto. Eu gemia e urrava de prazer:

- Huuummm !!! AAAAIIII TIOOO !!! Hummmm!!! Fundo desse jeito, nenhua rola consegui chegar !!!! Isso não é uma jeba, é uma sonda exploradora de cu. Nossa QUE DELÍCINHA!!!! HUMMM !!!!! Põe tudo, tio !!! Soca, macho!! SOCA !!! HUMMMM !!!

- Está louco, rapaz. AAAAIIIIIIIIIIIIII !!!!! HUUUUMMM !!!! Tesão de cu!!!!!!!!Um terço da verga, ainda esta de fora e não posso mais forçar. ISCHHHHHHHHHHHHHsss !!! Se a cabeça da bicha ultrapassar esse limite, te arranco as tripas, garoto!! HUMMMM Rebola , no pau do tio !!! REBOLA, benzinho !!!!!! Vamos devagar, Rubinho !!! Se eu te machucar, amanhã fico sem foder !!! Hummmm !!!!! Nem pensar, SAFADINHO!!!!! Prometo, aprofundar a jeba um pouquinho mais a cada dia!!! Mas por hoje a úica coisa q-y-e ... que---- roooo ... É ... É.... GGOOOZZZZZZZZZAAAAAAAAAAAAAR. !!!! IIIIISSSSO!!!!!!!ASSSIMMMMM MESMO!!!!! Hummm !!!!! BEBE A PORRRA TODINHA DO TIO PELO CU, BENZINHO !!!!! Quer gozar com o pau no cu, Rubens?

- HUMMMMMM !!!! Q-e-r-r-o-o-o—oooooo. AAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII TITIO !!!!!!!!! Estou GO....ZAAANNNNNNN.....DDDDOOOOOOOO!!!!! Que trepada MARAVILHOSA FOI ESSA, MEU DEUS !!!!! Hummmmmmm !!!!!

Gostou, sobrinho??? Então se prepare, porque estas serão as férias DO NABO NO SEU RABO!!!

- E tudo em nome da “Ciência”, não é mesmo titio?

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/05/2018 13:33:02
Ontem a noite comi uma fruta gogoia, Healer 😎😎😎😎😎😎
03/05/2018 22:16:30
Túlio_Goulart, gogoia é aquela fruta que o gostoso se labusa e come até o caroço kkk.
02/05/2018 19:28:42
Huahuahuahuahuahuahua olha aonde encontrei Wanderson e Healer 😆😆😆😆😆😆😆😆😆 Então Wanderson curte Gal Costa. E você Healer, que parada de fruta gogoia é essa??? 😂😂😂😂😂😂😂😂😂
02/05/2018 00:09:09
Com certeza Wanderson16 kkk, é para a gente sambar na cara da sociedade kkk.
01/05/2018 13:16:41
~Healer ~gatah, a sra ñ éh #Gal mas eh um ~fruta_gogoia. Realmente ~comer_fruta eh bom. Kikiki. Por isso tb #sou_fruta
01/05/2018 00:01:44
Huuumm, sempre dizem que é bom comer muitos legumes, frutas e hortaliças para saúde, kkkk.
30/04/2018 23:41:55
AINDA BEM QUE VALTER TRATOU O SOBRINHO COM CARINHO. NADA DE PALAVRAS DEPRECIATIVAS E NEM NO FEMININO.