Ponto de Vista

Um conto erótico de Dom Monteiro
Categoria: Heterossexual
Data: 30/04/2018 21:13:40
Nota 10.00

A PROFESSORA

É um dos fetiches mais conhecidos e admirados pelos homens, pelo simples motivo de que ver uma garota "fantasiada" de professora lhes passa uma imagem de dominação e respeito que certos tipos de machos gostam de lidar, embora não represente de fato uma submissão explícita. Na maioria das vezes, até mesmo pela simples questão de que "pegar" sua professora (gostosa) da faculdade não seja lá tão fácil quanto pegar a coleguinha de classe.

A AMIGUINHA

Claro, aqui não estão incluídas todas as amigas de um homem, e por incrível que pareça, não são apenas as "simpáticas" que são deixadas de lado, nem todas as amigas "gatas" estão na lista também. Sempre existe aquela garota que a gente chama de amiga, vai junto ao cinema, desabafa de vez em quando e no fim das contas acaba pensando demais, inclusive nas horas mais "íntimas". Apesar de não ser uma regra para todos os momentos, se um homem não pensa em "traçar" uma boa amiga dele (sem trocadilhos), com certeza já pensou alguma vez.

A EMPREGADA

"Tara" preferida de homens que gostam de ver a mulher totalmente submissa a eles. Ter autoridade nela e ter a sensação (por mais falsa que seja) de que ela está fazendo de tudo para lhe agradar é o que alimenta a parte mais sádica de alguns machos. Nunca cheguei a pensar se seria ou não um dos meus favoritos, mas certamente é um fetiche muito usado entre grande parte da galera que faz um "lanchinho". Má idéia é que não seria!

A COLEGIAL

Não conheço nenhum cara que nunca tenha comentado como seria bom ver a gostosinha da festa, da faculdade ou até mesmo do grupinho de amizades com aquela mini-saia, tipo "garotas nipônicas" de desenho animado japonês (obviamente) e caracterizadas como se fossem "colegiais inocentes". É algo que simplesmente mexe com qualquer homem normal e não é difícil imaginar por que a testosterona sobe tanto... Nenêmm!!

A ENFERMEIRA

É para os homens mais ou menos o que um "bombeiro" é para as mulheres. A enfermeira é aquele fetiche clássico do "Deixa que eu cuido de você" unido ao uniforme estilizado mesclado à cinta-liga (e ao corpo de uma bela mulher) que coloca a maioria dos cuecas em ponto de bala...

A QUIEITINHA

É incrível como o gosto do homem para fetiches e taras não têm limite e nem as quietinhas estão fora da lista de um boa parte deles. Porém, a preferência neste caso se dá com certos limites, um deles é que se a garota é quietinha e timida demais, que pelo menos ela seja "pegável". Nesses termos o fetiche conta a partir da idéia de que ela pode ser na cama, alguém totalmente diferente do que é no dia a dia. Claro, pode não ser... Mas o fetiche é algo que já parte da idéia de realizar algo que nem sempre condiz com a realidade. Apenas com o intituito da satisfação.

"Ela me olhou, seu olhar atravessou minhas roupas, me puxou pra junto dela com uma pegada que fez minhas pernas bambearem. Quando eu estava pronto para ser beijado por ela,ela encostou os lábios em meu ouvido e apenas disse: “vadio, já volto”.

Engoli seco, meu membro pulsou, apertei as coxas e vi Sophia entrando no banheiro. Sem fazer a mínima ideia do que estava por vir, Lívia resolveu se vestir com as roupas que tinha ali, colocou um shorts doll preto bem sensual, com uma micro calcinha de renda preta, e uma blusinha preta transparente, que deixava os bicos rijos dos seus seios saltados, seu corpo já estava queimando, quando ouviu uma voz de comando: “liga o som”.

O som a entorpeceu e, sem pensar, subiu na cama. Foi sentindo a música e dançando ( wanna use you, And abuse you, I wanna know whats inside...), prensava seu corpo contra a parede, rebolava, adorava rebolar, sentir o movimento provocante de seu quadril. Durante aquela manifestação corporal de sua libido, Sophia entra, vestindo chapéu preto, camisa branca, gravata e uma calcinha box.

Lívia, dançando em pé na cama, passando suas mãos pelo corpo, olhou profundamente para aquela mulher e sentiu-se inteiramente dela, um êxtase mental. Sophia, ao ver sua mulher expondo-se, sobe na cama, ajoelha-se, passa a lingerie que estava em sua mão pelo rosto. Lívia deixa-se totalmente domada, e enquanto Sophia a instiga, provoca, a fode, come, Lívia permanece vestida.

Sem “permissão” para tocá-la, o que aumenta sua excitação. Nua na cama, é devorada por aquela a quem entregou todo seu corpo, de quatro, em pé, de lado, deitada com as pernas profanamente abertas. Enquanto vai ouvindo Sophia liberar o êxtase do comando, com adjetivos dos mais maliciosos e imorais (“vadia, vagabunda, cadela, puta, você é minha, é gostoso te fuder”) a única coisa que Lívia consegue falar é: “não tira a gravata...” Eu, bom; eu sentado pau duro na mão olhando tudo e imaginando. isso vai dar um bom conto. kkkk

Determinadas roupas podem fazer um ‘estrago’ imenso. Às vezes, a libido é tão visual que o simples fato de ver aquela vestimenta, composta numa atitude condizente, causa um orgasmo mental.

No entanto, uma mulher vestindo uma roupa militar camuflada, de coturno, totalmente “agressiva”, não combina com uma postura de lady passiva. Da mesma forma que uma roupa de colegial não suporta uma conduta de sadomasoquismo.

Imagine uma mulher de calça de couro agarrada, sandália longa de salto, blusa justa curta de couro, usando máscara e um chicote, que se comporte com delicadeza... quebra o fetice!

Uma mulher deliciosamente vestida de corpete preto de renda, cinta liga, meias 7/8, sandália de salto, unhas cumpridas, brincos longos, batom vermelho nos lábios, gargantilha no pescoço, se comportando com uma ‘virgem’... destrói a imagem.

Por isso, não basta o visual. Você tem que encarar o ‘teatro’ que ele representa, tem que se entregar à fantasia, seja a sua ou de sua parceira(o). Já dizia o ditado: quem esta na chuva... Se molhe por inteira, literalmente, deixe a imaginação fluir, o instinto florescer, deixe o botão do seu id no comando e se entregue ao momento, sem barreiras, moralismo e nunca se sinta constrangida(o) ou idiota, porque esse tipo de fantasia só funciona se estiver completamente doada(o), nada pior que um look ofuscado pelo bloqueio.

Muitas pessoas acham errado, ou até mesmo ridículo, esse tipo de fantasia. Eu acho o máximo! Na cama, a criatividade é fundamental, deixar o imaginário, o improvável, o elemento surpresa invadir e entrar nos lençóis é uma ótima pedida para evitar ou tentar diminuir o desgaste de anos de relacionamento. Nada melhor que experimentar a mesma pessoa de várias formas e se deliciar com orgasmos diferentes.

Se a imaginação existe, por que não dividir isso com a parceira(o)? Quem aqui nunca pensou em transar loucamente com a Tomb Raider? Atenção: esqueçam a Angelina Jolie, senão é sacanagem! Pensem só na imagem, no que ela representa. Quem aqui nunca pensou em ser devorado por uma mulher largada, carente e safada? Quem nunca quis uma intensa pegada de Shane?”

Que tal pegar sua mulher ou você pegar seu homem e comer com ‘10 talheres’, de todos os jeitos, uma mulher como a Carmem (também do seriado The L World) ou passar horas na cama com uma deliciosa esportista como a Dana? Sabe aquele trecho de uma música interpretada pela Ana Carolina: fui eu quem bebi e comi a Madonna... Madonna, meu sonho de “consumo” declarado! Quem nunca teve algum pensamento erótico, despudorado com ela, a mulher camaleoa, poderosa e que exala sexualidade.

Quem já não quis uns momentos calientes com a Xena, jogar na parede e transar com a Lindsay Lohan, passar uma noite com a Evelyn Renée O’Connor, jogar na cama e virar e ser virada do avesso pela Natalie Portman... Enfim, existem mulheres bem melhores que essas que citei. Não sou bom com celebridades, prefiro mulheres “reais” e fantasias tocáveis. Atitude é melhor que tela de cinema e palco de shows, com exceção da Madonna!

Se essas imagens existem e provocam excitação, por que então não dividir esses fetices com a companheira? Por que não curtir um momento diferente? Não estou falando para a parceira fingir ser uma dessas pessoas, estou falando de estilo e atitudes. Invista no elemento surpresa, vista algo diferente, teste limites, use a criatividade e o bom humor. Leve para o motel aquela roupa ousada, encare uma mulher de boate e faça um strip!

Tatuagens.

por si só, causam um estrago delicioso para muitas. Se você tem tatuagens e sua mulher gosta, abuse delas, encare um tipo motoqueiro, roqueiro. Se sabe tocar algum instrumento, como violão, “transforme-se” no cantor de MPB (o que tem tudo haver!) e a instigue.

Eu, particularmente, tenho teso por mulheres que tocam violão. Se tocar guitarra ou for vocalista de banda... surto

Sabe aquelas fantasias secretas que você usa no seu momento íntimo de masturbação? Ponha em prática! Compartilhe com a parceira, o bom sexo também precisa de um diálogo franco, direto, sem pudor.

Já se olhou nua? Se olhe, se goste, se deseje, se coma, se reinvente a cada momento e tenha sempre a liberdade de ter prazer com tudo que lhe excita, sem pensar em dogmas ou valores não escolhidos por você. Gozo mental é tão bom quanto orgasmo físico. Até porque, se a mente não funcionar, o sexo não corresponde.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
01/05/2018 04:07:29
Muito bom