Vizinha gostosa medrosa

Um conto erótico de Victor costa
Categoria: Heterossexual
Data: 27/04/2018 23:24:27
Nota 9.67
Assuntos: Heterossexual

Vizinha gostosa medrosa

Conto Enviado… me chamo luis e moro num edifício a 6 anos, tenho 22 anos. a 2 meses vieram morar aqui um casal com 2 filhas, uma com 12 e a outra com 14 anos, q não será modelo se não quiser. este casal tem uns 34 ou 35 anos. o marido trabalha e a mulher só cuida das filhas e da casa. do nada comecei a notar a bunda da esposa, q era bem feita, ela só não tinha peito, agora a bunda chegava ao absurdo de gostosa. ela sempre se vestia discretamente com uma camisetinha e abrigo de vergonha da bunda. um dia subi no elevador com ela e sua filha mais nova, morávamos no mesmo andar e distraído olhando sua bunda e quase já endurecendo o pau, não notei o espelho do elevador e ela me olhava cuidando aquele monumento de bunda, saímos e fingi q nada tinha acontecido. de manhã ela ficava sozinha e duas vezes por semana caminhava no parque pra manter a forma e também ocupar seu dia. um dia destes encontrei ela indo caminhar e falei com ela q era saudável caminhar e respirar aquele ar puro da manhã, ela concordou e perguntou se também não caminhava, respondi q fazia outros exercícios mas q um dia iria caminhar. um dia me fazendo de sonso esperando ela pra acompanha-la, eis q ela surge e me convida pra caminhar junto, respondi q sim, já q não estava fazendo nada e fomos. conversa vai conversa vem ela me contou q só caminhava porque não conhecia ninguém do prédio para conversar já q ficava sozinha todas as manhãs. respondi q agora já conhecia um vizinho. como faço um estágio a tarde, tenho as manhãs livres pra conversar e caminhar com ela. ela riu e disse: estes homens ! sempre desconfiei q seu marido dava pouco pra ela na cama, parecia muito apático. sugeri para nos começarmos a correr um pouco e ela disse q não conseguiria, e eu disse q devemos tentar um pouco e começamos a correr e a uns 200 metros ela quis parar e eu coloquei as mãos na cintura dela e empurrei ela mais uns metros até q quis sentar num banco e me contou mais sobre sua vida e voltamos caminhando e cada um foi pra sua casa já combinando de caminhar de novo. dois dias depois fomos pra caminhada e ela disse q se eu ajudasse ela, ela iria correr hoje, peguei na cintura e fui empurrando e do nada ela parrou e colei na bunda dela e segurei pela barriga e não soltei, e perguntei o q ouve pra ela parar de repente, ela rindo me disse q só quis parar e voltei a empurrar ela pra correr não demorou muito e ela parou de novo e repeti a colada na bunda dela e não sei de onde tirei coragem e beijei suas costas, perto do pescoço, ela deu um gemidinho e me avisou q é casada, falei q era só um beijinho de carinho e rimos e nos dirigimos pra casa. na segurança do elevador peguei ela pela cintura encoxando e beijei muito seu pescoço, soltando só com a porta abrindo. passou uma hora ela veio até minha porta e disse pra eu ir ao seu apartamento pra tomar um suco energético q tinha preparado, entrei e perguntei por suas filhas, q me disse q chegariam só depois das 15 horas, na cozinha me grudei nela de novo, só q agora minhas mãos já dentro da blusinha e massageando seus peitos, ela estava gostando e ao mesmo tempo pedindo pra parar, pois nunca tinha se quer pensado em trair seu marido. envergonhado parei e tomei meu suco, pensando q tinha perdido sua amizade, já na porta ela me lembra q daqui a 2 dias teremos nossa caminhada e fui pra casa feliz. no parque ela me confessa q seu marido transa com ela raramente e ela vai dormir querendo mais, eu disse q cheguei a pensar q era isso mesmo. ela disse q tinha medo de trair seu marido porque amava ele. e eu disse q amava sua bunda e não estava mais aguentando, e ela disse q deveria aguentar. de volta pra casa, no elevador agarrei ela de novo, agora com menos resistência da parte dela, quando ela quis se virar dei um beijo na boca dela e coloquei minhas mãos dentro do abrigo e apertei bem forte sua bunda, e ela disse q já chegava, q a porta já ia abrir. na saída perguntei se não tinha suco na sua casa, e ela disse q iria ver se tinha alguém em casa. na minha casa já não aguentava mais a demora dela pra me chamar. demorou mas me chamou e agora me recebeu de short de algodão, quando entrei dei um assovio de elogio caminhando atrás dela. na cozinha ela disse q hoje não tinha suco, fui pra cima dela como um raio e já fui beijando e segurando a bunda, levantei a camisa e chupei os 2 peitinhos e baixei seu short deixando só de calcinha, beijei, lambi e mordi sua bunda, ela pediu pra eu parar e levantou o short e deixando só os peitos e boca pra eu explorar e depois pediu pra eu ir em bora, tive q me aliviar no banho. outro dia ela bem séria me chamou pra uma conversa definitiva, pela aparência vi q era o fim, e ficamos só no desejo, mas foi a melhor bunda q tive o prazer de tocar, ficou a saudade e a admiração por ela.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
28/04/2018 19:24:45
Caramba sacaninha, vc fraqueijou, parceiro. A casada puta já tava na sua mão e vc deixou escapar. Se fosse eu, na cozinha mesmo eu tinha bagaçado ela. Vai fundo garanhão, essa safada ta doida pra te dar a buceta. Larga ela só o bagaço.
28/04/2018 12:30:30
Muito gostoso de ler tesao
28/04/2018 08:31:53
Continue a contar ..pois ela será toda sua..
28/04/2018 03:48:14
Muito bom