Mais uma aventura, esta no pesqueiro

Um conto erótico de jorlin
Categoria: Grupal
Data: 26/04/2018 01:37:07
Nota 10.00
Assuntos: PORRA., Esposa, Grupal

Boa noite, pessoal da casa dos contos, dando sequencia, quero dizer que neste relato é também um tipo de resposta e a uma pessoa que comentou o conto anterior, gostei do comentário sobre os casados na praia, faça a verificação e saberá se tenho razão ou não.

Mas aqui vou relatar mais algumas aventuras. Gostamos muito eu e ela de passear, entre uns dos bons passeios e uma pousada, falando sobre elas as chamadas pousadas pesqueiros são ideais, por em sua maioria seus frequentadores em sua maioria homens casados, geralmente não estão acompanhados de esposas. Fazer amizades nesses locais é inevitável e uma mulher no meio conversar sempre acontece e observar é tranquilo minha esposa sabe observar, uma que geralmente quando calor e sol, estão sempre de bermudas ou shorts. E por estar quente ele geralmente está de shortinho, não muito indecente claro, deste tipo ela veste depois no chalé e se algum for por lá para conversar irá vela de shortinho mesmo. Como nestes pesqueiros além de bar e restaurante tem os banheiros, masculino e feminino, se o alvo for ao banheiro procuro ir em seguida, se estou com a câmera fotográfica quatro terço, pequena e tranquilo bater uma foto dele mijando, mostro a ela, conforme a decisão dela, está tranquilo. Pode dar inicio a aventura. Procuramos conversar bastante com a pessoa, se estiverem e mais pessoas o que é mais comum, geralmente que vai pescar vai com um ou mais dois amigos.

Agora vou contar uma aventura ocorrida em um pesqueiro. Já tinha travado conhecimento com três amigos que lá estavam, e durante a pescaria ficaram de olhos nela, disfarçadamente mais ficaram conversamos muito, almoçamos juntos tomamos umas juntos, perto do final da tarde ela se dirigiu ao chalé, mas já tínhamos combinado um lance, um tempo depois eu chamei um deles se poderia ir comigo até um super mercado para compras umas cervejas para tomarmos a noite iriamos economizar muito do que comprar lá, na volta ele me ajudou a levar as cervejas para dentro, minha esposa já sabendo entrou no banheiro tomou um banho rápido saindo do banheiro nua, fingimos de assustados ela e eu , ele olhando ela dar um tempinho meia parada de susto retorna ao banheiro e volta usando um roupão meio curto, meio atônito, digo, desculpa ela também pede, ele praticamente mudo, eu disse você não viu nada que já tenha visto, essas coisas acontece, peguei duas latas de cerveja e saídos do chalé, claro que não toco mais no assunto ocorrido, falo de outra coisas e ele também, ai disse, já que compramos cervejas, vamos jogar um baralho ou um dominó mais tarde, ele topou, claro. Com certeza ele disse aos outros dois e deve ter batido uma punheta com certeza. Mais tarde eles chegam, obvio que minha esposa não está nua mas sim vestido um shortinho, este um pouco mais shortinho do que ela vestia durante o dia, e uma camiseta fresquinha tipo regata sem soutien, percebi a reação deles e um pouco do que despertavam em suas bermudas, como estavamos em cinco decidimos fazer duplas e a dupla que perdesse tirariam na sorte para um sair e ela entrar para jogar, na primeira rodada eu e meu parceiro ganhamos e ela entrou o que saiu ficou por ali tentando olhar para lateral da camiseta dela para ver seus seios, na segunda rodada perdemos tirei na sorte já tinha observado a pedra menor e sai disse a elas que iria para fora para fumar, como todos já tínhamos tomados algumas cervejas e uns drinks olhando pela fresta vi umas passadas de mão no ombro e nos braços dela o que estava abaixo não dava para ver mas pelas posições dos braços dava para perceber que havia mãos onde não podia ver, e já vi chupadas nos bicos de seus seios, como tinha falado a eles quando acabasse a partida que me chamasse iria ficar la fora fumando, tomando minha cerveja. A partida foi mais longo que a primeira, quando levantaram para me chamar, sentei na cadeira, fingindo olhar para o céu, retorno e ela fala amor você via ter de jogar comigo, eu até digo, pô perdemos, e perdemos mesmo eu como azarado tiro a pedra menor e saio do jogo novamente, mas antes ela vai ao banheiro eu vou com ela, ela dirige minha mão a buceta esta úmida, a safada estava de shortinho tipo fitness este folgadinho e sem calcinha, pergunto baixinho em seu ouvido, deram dedadas, ela fala, e como deram. Voltamos ao jogo coloquei mais umas doses para cada um e lata de cerveja, fiquei por lá um pouco, enchi meu copo com bastante wisky, peguei duas latas de cerveja e sai para fora, antes ela diz, amor você não acha que esta bebendo muito, eu disse estou de boa, e vou caminhar um pouco, pela fresta, bom esta famosa fresta eu ajudei antes deles chegara a abri um pouco mais na janela, sim sei foi um dano ao patrimônio que não é meu, mas não estragou muito só o suficiente. Um deles ficou em pé como vigiando a porta e os outros dois de paus para fora e ela chupando, e tendo os seios apertados e chupados e tomando dedadas o primeiro a gozar na boca dela vai substituir o vigilante da porta e os dois gozam em sua boca. Retorno para porta fazendo barulho no pisar, entro estão todos sentados, vou e dou um beijo em sua boca, fingindo que estava meio alegre e fingido que não senti nada, dou um tempo e digo amor seu beijo esta muito gostoso safada e a beijos novamente desta vez mais apaixonado alisando os seios dela, praticamente triando para fora da camiseta, levanto ela da cadeira e a levo para um sofazinho, coloco ela em meu colo beijando bastante e digo, amor você está um tesão sou até capaz de te fuder aqui na frente deles, o que tinha ido comigo buscar as bebidas diz, se quiser a gente vai, mas se quiser podem se amar ai em paz faz de conta que nem estamos aqui. Com meus dedos em sua buceta pedi para ela me chupar na situação que estava gozei rápido, ao terminar disse amor desculpa nem a fudi, e digo você poderia fuder com eles, um deles já a viu pelada hoje a tarde agora acabara de ter ver chupando meu pau e sua buceta, ela apenas disse eu quero, levantamos e disse vai amor fode bastante depois iremos namorar bastante. Sua buceta terminou a madrugada com muita porra, escorrendo, seus rosto era muita porra seca, seus seios, sua boca exalava porra quase pela manha pedi para eles irem que iriamos namorar um pouco, abraçado e a beijando na frente deles era obvio que eles sabiam que iria limpar sua buceta vermelha arregaçada e saindo muita porra, isto foi na noite de sexta para o sábado que veio repetir novamente sábado a noite, e durante o dia também mais neste caso individualmente para não chamar muita atenção e outra com seu pescoço todo chupado coxas e bunda era impossível ela ficar de short durante o dia pescando, no sábado a noite não tínhamos mais puderes todos a beijavam com porra na boca e eu a limpei algumas vezes e um deles também.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/04/2018 01:56:00
Excelente conto continue