Realizei um sonho 5.0

Um conto erótico de luquinha69
Categoria: Homossexual
Data: 25/04/2018 21:24:17
Nota 10.00

Estava sentado na cama do meu pai, aflito enquanto aguardava por seu retorno e quando menos espero, ele surge pela porta (apenas passagem agora), ele não estava com uma expressão facial boa, o que já adiantava notícias ruins.

[eu] – o que houve?

[pai] – nada ele não quis negociar, mesmo me oferecendo, ele disse que queria você.

[eu] – mas qual o motivo.

Meu pai baixou a cabeça e ficou hesitante em falar, mas depois de alguns segundos com os olhos lacrimejando ele es respondeu:

[pai] – ele disse que queria que eu assistisse enquanto ele te...

Meu pai desviou o olhar de mim e ficou encarando a parede, eu também não sabia o que falar até que....

[eu] – ele disse que quer que o senhor assista né?

[pai] – sim, mas você não está pensando em...

[eu] –vamos dar a ele o que ele quer, mas preciso que confie em mim e esteja preparado, vou precisar da sua ajuda.

Mandei que meu pai chamasse meu tio e que ele posicionasse uma cadeira em frente a cama, afastada o suficiente para que pudesse me ver e tivesse espaço entre a cama e a cadeira.

Meu tio chegou todo animado, e fracamente sua fala me fez desanimar totalmente, o que não poderia acontecer, por tanto tratei de fazer o menino assustado e inocente para ganhar a confiança do meu tio e deixa-lo bem relaxado.

[tio] – e então veado está pronto pra levar rola de um macho de verdade.

Não falei nada apenas sorri para ele, meu tio percebeu a cadeira e fez questão de colocá-la o mais próximo da cama possível.

[tio] – quero meu mano de camarote pra ver o que vou fazer com o cuzinho do veado dele, opa quero dizer filho hahaha

Meu pai fechou a cara e preparou o punho, percebendo isso tratei de lançar olhares para que ele se acalmasse do contrário tudo daria errado. Meu tio já chegou votando o pau para fora, odeio admitir mas era uma delícia, arriscaria dizer que tinha de 18 a 19 cm, cheio de veias e numa grossura boa, era grande porém nada monstruoso.

Tratei de colocar logo na boca, confesso que aproveitei para tirar uma casquinha, mas como não era o objetivo e eu estava com um pouco de raiva, entre boas mamadas eu deixava que meus dentes ACIDENTALMENTE batessem na cabeça do pau dele. Até tirei da boca para me desculpar, mas antes que eu pudesse falar meu tio meteu sua rola de volta na minha boca com uma estocada tão forte que me fez ter ânsia, e percebendo que eu estava tentando me livra dele, ele fez questão de me pressionar contra sua cintura. Meu tio me segurou por quase um minuto nessa posição, e involuntariamente comecei a chorar até que ele tirou seu pau da minha boca e e empurrou para que ficasse deitado na cama.

[tio] – fica de frango veado, presta atenção Pedro.

Enquanto falava isso levantou minhas pernas e as separou ao máximo fazendo minha bunda ficar totalmente aberta e meu cuzinho exposto.

[tio] – olha só Pedro esse cuzinho pequeno agora vai ser meu, vou fazer o cuzinho do luquinha virar cuzão no meu pau.

Meu pai estava tremulo se controlando para não atacar meu tio, enquanto isso ele vai para o meu das minhas pernas e senti a cabeça do seu pau forçando a entrada em meu cuzinho, e embora tudo tivesse acontecendo como eu queria, o pau do meu tio estava começando a me machucar.

[eu] – tio vai com calma você está me machucando...

[tio] – shhh luquinha ta gostoso assim, ficaa calado vai...

Após dizer isso meu tio investiu tudo em uma única estocada que fez seu pau entrar no meu cuzinho, eu dei gemidos de dor e vi a cara de felicidade do meu tio, feito isso ele começou a bombar com força. Eu ainda não estava acostumado com o pau do meu tio na minha bunda e aquilo estava doendo, até que tratei de controlar a respiração e tentar relaxar. Ele veio até meu ouvido:

[tio] – ta gostoso luquinha ser veado de um macho de verdade?

[eu] – a sim tio, ta muito bom....(sqn né?)

[tio] – então relaxa esse cu e deixa eu te fuder de verdade..

Meu tio começou a gemer sem se importar com que alguém pudesse ouvir, e percebendo que seu prazer estava quase chegando ao ápice tratei de agir, comecei a tocar meu tio, como ele era mais alto que ele foi fácil de começar a amar seus peitos, e vi que ele reagia a isso com cara de prazer, com as mãos livres comecei a apertar sua bunda, ficava brincando com ela até que com uma mão tentava abrir e com a outra massageava o cuzinho virgem do meu tio, e novamente ele reagia com gemidos de prazer.

Meu tio devia estar a uns 10 min me comendo naquela posição e confesso que fiquem impressionado com o vigor que ele tinha por não reclamar de dor ou cansaço, enquanto bolinava o cuzinho do meu tio fiz sinal com a mal chamando meu pai, francamente não sei coo ele entendeu a deixa e nem vi sua reação por motivos óbvios.

Em poucos instantes meu tio levanta o seu corpo e apenas olha para trás:

[tio] – mas que porra é essa?

Eu pai estava abrindo a bunda do meu tio e pude ver o sorriso sacana em sua expressão, nunca vi um sorriso de tanta satisfação na vida como aquele. No mesmo momento prendi meu tio com as pernas e o abracei prendendo seu corpo ao meu:

[eu] – anda logo pai, não vou segurar ele muito tempo.

[tio] – que porra vc ta fazendo seu veado, me solta logo, Pedro calma não faça nada de errado.

[pai] – você não queria gozar? Agora vai gozar igual ao MEU FILHO Lucas, apesar de você não merecer, ideia dele.

[tio] – então foi você seu veado que pensou nisso tudo, vai ver o que é bom.

Meu tio começou a me fuder com mais força ainda, e meu pai com toda a raiva concentrada de um único movimento saiu rasgando caminho pelo cu do meu tio que já não era mais virgem, mesmo diante da dor insuportável (imagino eu), até que senti suas metidas ganharem mais força e de repente senti vários jatos quentes invadindo meu cuzinho. Meu pai estava ali apenas por vingança então tratou de gozar logo enchendo o cu do meu tio de porra, tirou ele de cima de mim e disse:

[pai] – vem cá filhão goza na cara desse puto.

Obedeci e em poucos segundo jorrei vários jatos de porra na cara do eu tio, ainda passei meu pau semiduro espalhando a porra em seu rosto, fui até seu ouvido e disse:

[eu] – bem-vindo ao meu mundo veadinho.

Sai da cama e fomos juntos tomar banho, enquanto íamos para o banheiro meu pai indagou:

[pai] - e ai RODRIGÃO vem também?

Meu tio se levantou limpando o rosto com o lençol da cama:

[tio] – vão a merda seus veados, eu vou sozinho.

[pai] – é ele gostou hahah.

Continua...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/04/2019 23:11:18
Bem feito para o tio
08/03/2019 00:02:17
Gostei fizeram com ele e ele gostou...
17/01/2019 21:44:20
Ameeeeeeeeeeeiiiiiiii!
29/11/2018 20:06:11
kkkkkkkkkkkkkk super bem escrito e q reviravolta deliciosa
26/04/2018 15:47:07
NÃO GOSTO DE SURUBAS. PARA MIM RELAÇÃO É A DOIS. MAS ESSA VINGANÇA... FOI BOA. VAMOS VER SE ESSE IDIOTA, BABACA DESSE TIO TOMA VERGONHA NA CARA E DEIXA PAI E FILHO SEREM FELIZES.
26/04/2018 01:18:41
Kkkkk muito, adorei a ideia do filho e do pai, chorei de rir com o pai entrando com tudo no tio, e a frase de efeito do sobrinho no final, gostei de tudo.