Putinha do entregador de gás (parte 2)

Um conto erótico de CacaSilva
Categoria: Homossexual
Data: 25/04/2018 21:12:21
Nota 10.00
Assuntos: Gay, Homossexual

Putinha do entregador de gás (parte 2)

Como escrevi no conto anterior, quando menos se espera, as coisas acontecem!

Eu estava ali, com a bermuda arriada, exposto, contra a parede, e aquele negro ajoelhado atrás de mim. Colocou minha calcinha de lado, abriu meu rego e começou a passar a língua no meu cuzinho o que me fazia sentir mais tesão ainda. Em determinados momentos ele até fodia meu buraquinho com a língua, eu gemia, me arrepiava todo de tesão. Ai chegou o fatídico momento, antes de se levantar, deixou uma quantidade enorme de saliva depositada na entrada do meu rabo. Levantou-se, posicionou-se atrás de mim, e pediu que eu abrisse meu rego, assim eu o fiz, ele encaixou a cabeça da rola na entrada do meu cu e começou a forçar a entrada, como eu estava brincando com o consolo antes de ele chegar, meu cuzinho estava um pouco relaxado, por isso, de um todo não foi tão difícil a invasão daquela cabeçorra dentro do meu buraco. Após a entrada, ele recuava e empurrava, e cada vez que fazia, empurrava um pouco mais fundo. Dizer que não estava doendo eu estaria mentido, mas o tesão que sentia superava qualquer nível de dor sentida. Não demorou muito para que ele fizesse uma penetração mais profunda encostando, literalmente, suas bolas na minha bunda. Ficou ali parado por alguns segundos até eu me acostumar com tudo aquilo enterrado dentro de mim. Depois de algum tempo ele começou a puxar e empurrar, no inicio de maneira mais carinhosa, mas depois que percebeu que eu estava bem relaxado, começou a socar forte batendo a cabeça da rola lá no fundo, no ossinho do meu coquis, doía, eu gemia, fechei um pouco as pernas para evitar uma penetração mais profunda, ai o safado que até então usava as mãos para me puxar contra ele, passou a usar para abrir o meu rego e socar fundo. Em um determinado momento ele pegou uma das minhas pernas e apoiou sobre o vaso sanitário, pensei eu, agora estou fodido, ou melhor, mais fodido, mas ao contrario, aquela posição me trouxe mais conforto e pude começar a sentir tesão e não dor com a penetração. Já sentido um pouco de cansaço pela posição, sugeri a ele irmos para a minha cama, fomos para o quarto e quando apoiei meus joelhos para subir na cama, ele me posicionou de quatro na borda e socou a rola dele cu a dentro, fez com que eu apoiasse meu peito no colchão, de maneira que ficasse bem arregaçado para ele. O filho da puta voltou a socar forte no meu cu, eu urrava, gemia, quase chegando a gritar, de dor, não, de tesão, de prazer por estar levando aquela tora enorme no cu. Conforme ele entrava e saia, aquela cabeçorra, que mais parecia uma bola de bilhar, massageava a parte interna do meu cu, me fazendo sentir um tesão enorme. Depois disso, foram varias outras posições, sentei na rola dele, levando socadas de baixo para cima, nesta posição cheguei a mijar na cama, de tanto tesão. Outra posição, que inclusive, foi a que mais gostei, quando deitei de bruços e ele deitou sobre mim, a penetração era profunda mas não tão dolorida. No tradicional frango assado, ele colocou dois travesseiros sob o meu quadril, me deixando completamente arreganhado para ele. Nesta posição, só faltou ele enterrar as bolas dentro do meu cu, penetração extremamente profunda, um pouco dolorida, mas com muito tesão. Foi com esta posição que, depois de mais de uma hora sendo abusado por aquele macho, ele gozou litros de porra, a impressão era que ele estava mijando dentro de mim. Tirou o pau todo molinho, caiu de lado para recuperar o folego da gozada. Ele levantou-se foi ao banheiro mijar e se lavar, voltou dizendo que já estava indo, fui levantar para pegar o cartão para pagar o gás, ele me disse que não precisava, que já estava mais do que pago, ele confessou também que seu sonho era comer um cu de verdade, pois devido ao tamanho e grossura, nunca havia encontrado alguém que o aguentasse como eu o aguentei. Perguntei se isso seria motivo para que nos encontrássemos novamente e ai sorrindo ele me disse que ficaria atento, todas as vezes que tivesse um pedido para aquele endereço ele iria fazer questão de atender, ambos sorrimos e ele saiu. Só depois que ele foi embora, quando me levantei, senti sua porra escorrendo pelas minhas pernas, tentei fechar o cuzinho para conseguir chegar ao banheiro sem fazer sujeira pela casa, que percebi o rombo que ele havia feito no meu cu, os lábios do meu cuzinho estavam inchados, mais parecidos com os de uma boceta que acabara de ser muito fodida. Nos encontramos varias outras vezes depois, infelizmente devido a um problema de saúde na família ele teve que voltar para o nordeste e nunca mais nos vimos. Com homem de verdade esta foi a minha primeira experiência, pois até então só brincava com meu consolo. Comprei consolos maiores para poder preencher o espaço que ele havia deixado e até sai com um advogado que conheci em uma sala de bate papo, italiano, quase dois metros de altura, mãos e pés enormes, imagina o resto, kkkkk..... Talvez eu conte em outra oportunidade, se tiver interesse em saber mais ou quem sabe, constituir uma amizade, deixa seu e-mail nos comentários, entro em contato.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
02/05/2018 00:23:36
Uaau! Dlc!!!
26/04/2018 01:51:50
Que delícia de conto queria também comer um homem como você mais é difícil em rs Meu e-mail lucasmuitoshow93@gmail.com
26/04/2018 00:29:38
Muito bom o conto. Rapaz tu queria um pênis ou achar petróleo nesse cu!? Kkkk, uma pena ele ter ido embora, mas a fila anda, pode contar o do italiano tudo grandão.