Eu, meu Concunhado e meu Filho

Um conto erótico de Otávio Leão
Categoria: Homossexual
Data: 25/04/2018 16:06:17
Nota 10.00

Tudo que vou agora relatar aqui está acontecendo em minha vida desde o ano passado quando um cara casado com a irmã de minha mulher (meu concunhado - Márcio nome Fictício) veio morar na capital do estado onde moro (segunda maior cidade do estado). Esse meu concunhado é sedento por sexo e sem perceber entrei no mundo dele.

Sou um homem de 46 anos, 26 anos de casado, tenho 1,82 de altura, 88 kg, corpo bem proporcional, moreno bem claro. Meu concunhado, não sei exatamente as medidas dele, mas ele é um pouco menor do que eu acho que deve ter uns 1,78 e uns 82kg, corpo bonito, moreno médio e 38 anos.

Com a vinda deles logo ficamos amigos, eu e Márcio, já que não nos conhecíamos muito devido a distância que eles moravam, tínhamos em comum gostar de tomar umas geladas, de futebol, de jogar conversa fora e por aí vai e como constantemente vamos a capital sempre passamos na casa deles já que as irmãs fazem questão de ficarem um pouco juntas e nós aproveitamos sempre para beber, às vezes muito pouco, mas sempre bebemos.

Depois de poucos meses de convivência estávamos lá, em um final de semana. Nossas esposas resolveram ir ao comércio e ficamos, em casa, eu e ele tomando umas, já que era sábado e eu só viajaria no domingo.

Durante nosso papo encaminhou-se assuntos sobre sexo e depois de muito putaria conversada ele me perguntou se eu já tinha tido experiência com homens, e eu, já bem alto, disse que a única coisa que me excitou em ralação a sexo entre homens eu não tinha participado e que apenas fui um mero observador.

Depois disso não tive mais sossego e ele insistia constantemente para eu falar o que eu tinha visto e eu sempre dizendo que não podia contar. Quando eu já tinha tomado muitas e estava meio alto e com a insistência ele eu resolvi contar pedindo muito segredo já que essa História que vivenciei quando eu era muito novo envolvia uma pessoa de minha família.

Essa é o fato que vivenciei:

“Isso aconteceu quando eu ainda morava na cidade onde nasci. Eu estava, em um dia de domingo, na casa de minha avô quando vi meu tio e um amigo dele, que era bancário em nossa cidade, entrarem na farmácia do meu tio que ficava no outro lado da rua que eu estava, fiquei curioso não pelo fato de entrarem lá, pois embora estivesse fechada (ele não abria dia de domingo) poderiam ter ido pegar algum medicamento, mas sim porque achei eles nervosos olhando para os lado antes de entrarem.

E de lá de onde eu estava fiquei observando e via ora meu tio hora o amigo dele abrirem a porta e olharem para os dois lados até que, para piorar minha cisma, veio o filho do amigo dele também olhando para os lados e bateu na porta, eles abriram e o rapaz entrou.

Meu tio era casado e mulherengo era um homem bonito, na época tinha uns 35 anos, estatura média, corpo normal. O bancário era alto e um pouco forte era mais velho que meu tio acho que tinha uns 45 anos e o filho dele uns 23 anos pouco menor que o pai e corpo mais pra magro.

Nesse hora desconfiei que podia acontecer algo e, imediatamente arrodeei o quarteirão, entrei no quintal da farmácia e subi em uma cisterna que dava pra ver através de uma telha quebrada boa parte do cômodo de trás da farmácia. Por um bom tempo fiquei muito apreensivo, pois eles estavam conversando muito baixo na parte da frente e essa parte era forrada não tinha como ver nada.

Quando eu menos esperava eles começaram a entrar no cômodo que estava sobre minha mira. E para aumentar a tensão meu tio parou no meio do salão e o rapaz começou a agarrar ele por trás, nessa hora meu coração quase sai pela boca, o rapaz parecia querer meter nele através da roupa, mas não demorou muito e o pai do rapaz chegou na frente de meu tio o começou a despi-lo, lembro quando o pau do meu tio pulou pra fora e o coroa olhou bem espantado, segurou com as duas mãos e falou: - Eita! Que pauzão! Quando ele soltou vi que realmente era um pau grande (acho que puxei a ele). Nesse momento o rapaz também se despia vi o pau dele muito rapidamente pois ele começou imediatamente a forçar o cu de meu tio, mas tinha o pau normal e torto para um lado.

O Pai do rapaz ainda vestido veio e ficou na frente de meu tio que segurou nos ombros dele enquanto o rapaz continuava tentando a penetração e nisso ficou um bom tempo cuspia, tentava, cuspia, tentava, até que entrou de vez. Digo isso porque o rapaz deu uma estocada forte e meu tio deu um urro abafado jogando o corpo pra frente segurando forte os ombros do pai do rapaz e imediatamente a meu tio começou a se contorcer e fazer uma cara de que o negócio doía e que era bom ao mesmo tempo, mas não demorou muito, acho que o rapaz estava com tesão demais e começou a gozar, parecia que queria entrar todo em meu tio devido a força e os gemidos que fazia, nisso o pai lançou um abraço que envolvia meu tio e o filho dele ao mesmo tempo, nesse momento achei que iria acontecer um beijo entre eles pois ficaram cara a cara um olhando para o outro, mas não aconteceu.

Depois de gozar o rapaz desapareceu, acho que foi ao banheiro, e nesse momento ficou só meu tio e o amigo dele que imediatamente tirou a roupa, o pau do coroa tinha o tamanho parecida com a do filho, mas bem mais grosso e como o filho também era torta para um lado. Em seguida o coroa foi pra trás de meu tio e já foi metendo pau e, dessa vez, entrou fácil, acho que estava lubrificado com a porra do filho dele, mas o mais excitante foi o efeito que esse pau fez no meu tio. Ele começou a balançar a cabeça e, quanto mais o cara metia com força mais ele gemia. Como o amigo dele era mais alto que ele isso dava a impressão que ele estava dependurado no pau do cara. As estocadas eram tão fortes que meu tio começou a ir pra frente até colocar as mãos numa pia que tinha lá, o pauzão de meu tio balançava que parecia que ia voar. Foi quando começaram a gozar pois eram gemidos pra todo lado, então gozaram os dois e eu também.

Depois disso sai de lá imediatamente. Durante outros domingos ainda pastorei para ver se eles iam repetir, mas isso a não aconteceu mais.”

Quando terminei de contar a história Márcio ficou em pé e segurou o pau bem duro por cima da bermuda e falou:

- Puta que pariu! Essa sua experiência foi excitante demais, cara olha como fiquei e, aproximou-se de mim de disse: - Pega aqui pra ver como tá duraço.

Eu imediatamente empurrei ele e disse que não gostava de homem não. Ele só fez ir.

Alguns meses se passaram e fomos convidados pra o aniversário da filhinha dele.

E durante a festa ficamos bebendo eu, ele, um primo dele que mora na mesma cidade e meu filho que também veio para o aniversário junto com sua esposa.

Já era mais de 22h, todos tinham ido embora até mesmo o primo dele, quando resolveram se ajeitarem para irem dormir, foi quando perceberam que a casa não caberia os familiares que vieram de fora.

Márcio se antecipa e diz que os homens poderiam ir dormir em um motel já que ficaria mais fácil se acomodarem só as mulheres em uma casa. (lá estavam além de minha mulher e da mulher de meu filho, a mãe dele, duas irmãs e dois sobrinhos e outras que não lembro)

Chegamos no motel umas 23h e fomos para um mesmo apartamento já que Márcio preferia do isso do que pagarmos dois ou três pernoites além de que ele se comprometeu dormir no banco do carro dizendo que do jeito que estava meio bêbado não seria problema.

Entramos os três e, imediatamente Márcio abriu uma latinha de cerveja pra cada um de nós, em seguida, ficou só de cueca e ligou a tv em um filme pornô e sentou na ponta da cama. Eu e Ramon fizemos o mesmo ficamos só de cueca e deitamos um de cada lado da cama.

Sim, Ramon (meu filho) é um homem bem bonito tem 25 anos, 1,74, uns 77kg, branco, corpo com alguns músculos sem exageros.

Passados alguns minutos assistindo filme pornô Márcio se levanta para pegar mais cerveja e, enquanto ia ao refrigerador, fazia questão de mostrar que estava de pau duro, para quebrar o clima comentei:

- Eita! Assim você vai furar a cueca. (E todos rimos).

Ele sem pudor nenhum veio ficou se joelho na cama entre eu e meu filho e disse: - Peguem aqui pra vocês verem que está parecendo um ferro.

Ficamos eu e Ramon imóvel e ele escroto como é, levou cada uma de suas mãos para cima de nossos cacetes, meu coração foi a mil, olhei para o lado e meu filho estava olhando pra mim e fazendo sinal de positivo, esse sinal parece que me acendeu total e com uma coragem que não sabia que tinha, segurei o pau de Márcio ainda por cima da cueca. Márcio por sua vez pegou a mão de Ramon e colocou em cima do meu pau e ele começou a alisar, a partir daí, iniciamos a maior pegação era mão e pau pra todo lado. Resolvi então baixar a cueca de Márcio e o pauzão apontou pra gente. Era uma pau mais ou menos do tamanho do meu (20 cm), um pouco mais fino, meio cabeçuda e reta.

Ele baixou também a cueca de meu filho mostrando um pau que eu já tinha visto muito, mas que depois de adulto não tinha visto mais, estava muito mudado embora não tenha crescido muito como os homens de minha família era um pau bonito tenho uns 17 cm, branco, meio fino e apontado para cima.

Quando eu tirei a minha cueca Márcio olhou e riu dizendo: - Que pau grosso é esse? Tem certeza que Ramon é seu filho e começou a rir. Em seguida baixou-se e deu uma chupada bem rápido no meu pau, virou-se e deu outra em meu filho, depois veio mais pra cima da cama e colocou o pau pra Ramon chupar. Ramon ficou olhando pra mim com o pau de Márcio bem perto da cara dele e, nessa hora, mais uma vez, criei coragem e fiz como se tudo fosse muito natural me levantei e foi em direção ao pau de Ramon e comecei a chupar, nessa hora eu me tremia todo de tanto tesão, era uma sensação muito gostosa ter o pau de meu filho dentro da minha boca o que eu nunca, em toda minha vida, tinha imaginado.

Estava lá chupando o pau de Ramon quando olho para cima e vejo ele de olhos fechado chupando o pau de Márcio com muita vontade. Nessa hora quase gozei de tanto tesão. Parei e fiquei observando até que Márcio olhou pra mim e me chamou e eu foi até ele que imediatamente me beijou na boca em um beijo muito molhado e muito gostoso. Em seguida ele segura minha cabeça e faz eu me baixar para chupar o pau dele junto com meu filho, nisso me baixei e fiquei com a cara quase em cima do pau dele, mas sem coragem porque meu filho não parava de chupá-lo, fiquei uns instantes olhando aquilo quando o meu filho me surpreendeu, pegou minha cabeça e colocou no pau de Márcio e eu rapidamente comecei a chupa-lo começando pela cabeça do pau e quando abri olhos vi que Ramon estava em baixo lambendo os ovos dele e assim ficamos por um tempo.

Em seguida Márcio que ainda estava de joelho na cama se levantou e fica em pé ao lado da cama nos puxa para ficarmos ao seu lado e assim ficamos até que começamos a nos beijar, era um beijo a três, com muito tesão, só faltávamos nos comer com tenta volúpia, Márcio foi saindo de fininho deixando eu e Ramon atracados em um beijo.

Depois de muito tempo assim Márcio começou a querer penetrar agente ora em mim, hora em Ramon, mas resistimos e não deixamos. Passado algum tempo e com o tesão que impregnava o ambiente, ele, na insistência, aproveitou-se de um momento que estávamos mais uma vez em um beijo a três, em que, meu filho estava por trás de mim mordiscando meu pescoço, e ele pela frente abraçando os dois ao mesmo tempo, foi baixando a mão e segurou o cacete de Ramon e começou a esfregar na minha bunda foi quando nessa hora senti um enorme tesão e fiquei esperando o que ia acontecer. Meu concunhado simplesmente começou a ter o comando da foda e me fez ficar em pé com as mãos sobre a cama, em seguida, segurou o pau de meu filho e encostou em meu cu, nesse momento me tremi todo cheguei a ter vergonha, mas o tesão era muito maior.

Meu filho começou a forçar a entrada em meu cu, mas começou a doer e eu disse: Tá seco e tá doendo. Meu concunhado imediatamente afastou meu filho e meteu a língua no meu cu, parecia até que ia me penetrar com ela. Foi meu primeiro gemido alto, pois não me controlei enfiei a cara nos travesseiros gemendo enquanto e meu filho alisava minha cabeça, sempre em silêncio, pois desde o começo agente quase não se falou só trocávamos olhares.

Meu concunhado tirou a boca de meu cu e puxou o meu filho mais uma vez. Mirou o pau dele em meu cu e disse:

- Taí, mete no coroa, coma ele e faça ele gozar, pois veja como seu pai dá afim de dá pra você.

Não sei porque, mas fiquei com mais tesão quando escutei isso ao mesmo tempo que o pau de Ramon começou entrar em mim parecia que estava duro como ferro. Nesse momento me deu um tesão desesperador meti a mão por baixo e senti que o pau dele tinha entrado todo em mim, meu Deus, que tesão era aquele minhas pernas tremiam muito e não pude evitar de começar gemer.

Eram gemidos e fungados que não paravam mais, até que, depois de algumas poucas estocadas senti como se o pau dele ficasse ainda mais duro dentro de mim, ele aumentou fortemente as bombadas e me segurou forte pelos meus ombros e começou a gozar. Foi um barulho danado e nesse momento senti cada crescida que o pau dele dava quanto ia dar uma jorrada de porra. Vendo isso, meu concunhado correu se segurou meu pau começando uma punheta, com uma mão ele me masturbava e com a outra se masturbava. Gozamos os três, parecíamos até bichos. Logo em seguida meu filho tirou o pau de dentro de mim e eu, já sem forças, cai na cama, lembro que ainda senti minhas nádegas toda lambuzada de porra, mas não resisti e acabei dormindo.

No dia seguinte eu acordei primeiro que eles e, quando olhei estava meu filho no outro lado da cama e meu concunhado no meio com o braço por cima dele e pensei: “o que será que eles ficaram fazendo quando dormi?”, mas deixei pra lá preferi não pensar mais nisso. Logo em seguida acordei os dois pra irmos embora e, pra minha surpresa, eles acordaram e parecia que não tinha acontecido nada para meu alívio.

Uns dois meses já tinham se passado depois desse episódio e no dia da padroeira de minha cidade, vieram os dois casais pra minha casa. Meu filho e esposa e Márcio e minha cunhada. Foi um dia muito agradável fomos a missa e a festa de rua e voltamos para casa e ao chegarmos ainda conversamos um pouco tomamos algumas cervejas em seguida fomos dormir. (Só estávamos os três casais, pois a filhinha deles estava dormindo no quarto de minha filha)

No dia seguinte, feriado aqui, Márcio inventou de irmos beber na rua e saímos eu, ele e meu filho. Bebemos até umas 17h quando resolvemos parar. Quando fomos sair Márcio disse que ia dirigindo, pois tinha bebido menos que nós dois, entramos no carro e saímos, mas pra minha surpresa ele tirou rumo ao motel. Me deu um gelo, pois eu já sabia o que ia acontecer e falei: - Tás indo pra onde?

E, pra minha surpresa meu filho respondeu: - Meter pica no senhor. E, do banco de traz, bateu no meu ombro e deu uma aperto. Nesse momento fiquei ainda mais apreensivo, mas com muito tesão.

Quando entramos no quarto Márcio foi logo dando um beijo na boca de Ramon e depois bateu na bunda dele e disse: - Hoje eu como essa danada. E meu filho: - Aqui ninguém entra não. E demos risadas com isso.

Depois de muitos beijos e de muito sexo oral, todos chupando todos, lembro que, eu quem primeiro colocou a boca na pica de Márcio e que estava com um gostinho diferente, pois tinha tomado banho apenas pela manhã, mesmo assim me deu um baita tesão. Tentamos de toda forma enrabar meu filho, mas não obtivemos sucesso, o máximo que se conseguiu foi Márcio passar a língua no cu dele, mesmo assim foi muito rápido.

No fim, depois de muita putaria, terminei mais uma vez sendo enrabado. Fiquei de quatro na cama e Márcio ensopou de gel o meu cu, em seguida veio pra cima de mim. Depois de várias tentativas ele consegui enfiar quase toda dentro de mim, mas não era fácil aguentar aqueles 20 cm, se pelo menos fosse fino, mas não era. Pedi, embora com muito tesão, pra ele sair e ele disse que ia sair, mas que eu ficasse na mesma posição. Fiquei sim, e foi a vez de meu filho que veio em seguida e encostou a cabeça do pau em meu cu e foi entrando até encostar os ovos. O pau dele entrou fácil, já que meu cu estava alargado pelo pau de Márcio que era maior e mais grosso. Sentei um tesão enorme, cada metida dele eu me arrepiava todo, ele começou a tirar o pau quase todo de mim e depois enfiava de vez e cada enterrada eu dava um urro. Acho que por causa da bebida não tinha vergonha de nada e comecei a gemer alto pois o tesão era enorme. Levantei a cabeça e vi por um espelho que tinha na parede que Márcio hora beijava na boca de Ramon hora colocava o pau na boca dele. Nessa hora o meu tesão foi ao pico, eu ainda estava de quatro, segurei a bunda de Ramon contra a minha para o pau dele não sair de dentro de mim e subi meu corpo e comecei a participar dos beijos. Com os beijos e as estocas de Ramon não aguentei e gozei feito doido.

Os dois ainda não tinham gozado, eu sentei na cama e eles continuaram. Ficaram por um bom tempo se beijando e deitados, Márcio em cima de Ramon roçando pica com pica. Gozaram que pareciam um homem e uma mulher fazendo amor foi muito excitante ver aquilo. Os dois ficaram com as barrigas todas esporras era gala pra todo lado. Em seguida tomamos banho e fomos embora.

Passaram-se dias, cada um em sua cidade, até que um dia Márcio me telefonou dizendo que estava, ele e um amigo dele, na cidade que Ramon morava tomando umas geladas com ele. Isso me deu o maior arrepio na coluna e fiquei imaginando o que eles poderiam fazer depois, mas ao mesmo tempo pensei que talvez não acontecesse nada já que ele estava com um amigo.

No outro dia Márcio ligou pra mim na maior euforia e perguntei o que se tratava e ele me disse que só pessoalmente me mostraria o que tinha em mãos, nisso fiquei um vulcão de curiosidade e insisti pra ele me falar, mas ele foi incisivo que só pessoalmente. Minha cabeça foi a mil e já que tinha quase certeza que era alguma coisa relacionada à sexo já que Márcio era doutor nisso.

Tentei ir a capital para saber o que era que ele tinha pra me mostrar, mas não achei desculpa pra isso e foi o jeito esperar.

Mais ou menos depois de um mês Márcio telefona pra mim dizendo que ia até Fortaleza resolver alguma coisa que não sei exatamente o que era e já que ai passar por minha cidade resolvi ir fazendo companhia a ele (foi isso que disse a minha mulher). Na sexta bem cedo ele passou por minha casa e partimos rumo a Fortaleza e, no meio do caminho, ele perguntou se eu queria saber o que ele tinha pra me e respondi que estava curioso. Ele sorrindo disse: - vou te mostra, mas se você ficar de pau duro vai chupar meu pau enquanto eu dirijo, eu aceitei.

Primeiro ele me fez jurar que não ia falar a ninguém o que ia me mostra, pegou o celular e disse para eu escutar alguns áudios, pois, disse ele, que quis gravar em vídeos mas não deu certo. Gelei e perguntei do que se tratava e ele disse: - É o seu filho ativão escute aí gravei sem ele saber.

E liguei o primeiro áudio e nesse só escutei beijos e cochichados, mas percebi que tinha mais um na jogada e perguntei: - Seu amigo também participou? E ele disse que claro que participou porque putaria só presta grande.

Eram vários áudios e vou resumir aqui:

Teve um que Márcio perguntava a Ramon e ele respondia:

- Tá gostando do pauzão do meu amigo?

- Tôooo! Respondeu Ramon com uma voz abafada de quem estava gozando.

Parei o áudio e perguntei o que era aquilo e Márcio disse que era Ramon sentado no pau do amigo dele e disse ainda: - Seu filho, todo machão, deu uma de ativo pra gente naquele dia, mas nunca vi o macho gostar e aguentar rola como ele. Nisso eu já estava de pau duraço e continuei com o áudio.

Como sempre Márcio provocava pra que ele falasse e ele respondia como se tivesse sentindo dor e tesão:

- Tá gostando?

- Tô!

- Porquê?

- Porque esse pauzão tá todo dentro de mim. (essa resposta de meu filho quase me fez gozar)

- Porque não deu a mim e a seu pai naqueles dias?

- Porque tive vergonha e o pau de papai é muito grosso. (acho que o cara nesse momento deu uma estocada forte porque ouvi um “pá” de corpos se batendo e um “ai” bem alto de meu filho).

No último áudio era eles gozando. Márcio me falou que foi Ramon mesmo que que pediu pra ele gozar dentro dele, pois queria sentir o gozo dele. Nisso eu quase gozei quando escutei aquela voz de macho másculo gemendo e dizendo:

- Vai! Vai tá bom demais! ai! ufa! Bota toda! E por ai foi...

Márcio, durante o gozo não falava mais só fazia urrar feito bicho. E comecei a escutar o barulhos dos gozos. Meu pau parecia que ia explodir e minha barriga doía de tanto tesão.

Depois de muitos comentários sobre os áudios tipo, a posição que ele comeu meu filho (ele falou que na hora da gozada estava em pé na frente do espelho ele enrabando e o amigo dele de joelhos chupando Ramon. Perguntei sobre o tamanho do pau do amigo dele e ele falou que era menor que a dele, mas bem grosso que apesar do cara ser claro o pau era bem escuro e que Ramon fez comentários sobre a cor do pau do cara dizendo que dava tesão nele. Perguntei se Ramon tinha sofrido pra aguentar o pau deles e ele deu uma gaitada e disse que achava que ele era já arrombado, pois sentou no pau do amigo dele que entrou que parecia faca em melancia.

Quanto a chupada que fiquei devendo a Márcio ele deixou dizendo que eu pagava depois.

Chegamos em Fortaleza umas 12h e quando Márcio resolveu o que tinha de resolver já era mais de 17h. Ele lançou a ideia pra gente telefonar pra nossas esposas dizendo que só voltaríamos no outro dia pra não viajar à noite, e assim fizemos. Eu já imaginava o que ele estava pretendendo, mas ele mais uma vez me surpreendeu. Lá pelas 21h ele me levou a uma sauna que fica no centro da cidade e que funciona 24h. Fiquei muito nervoso ao entrar, mas lá dentro o tesão estava no ar. Eram vários homens enrolados em toalhas ou de cuecas circulando pelo ambiente. Na entrada Márcio pego uma chave de um cômodo que era tipo um quarto bem pequeno e lá dentro tiramos a roupa de saímos enrolado com as toalhas.

Márcio sugeriu pra gente fingir que éramos namorados e assim fizemos. Ele falou também que ia arrumar um cara para transarmos os três. Fiquei no maior tesão com isso. Ficamos como namorados ora agente se beijava ora saia de mãos dadas e ficamos assim até aparecer um rapaz, muito bonito por sinal, esse rapaz ficou paquerando com agente durante um bom tempo até que Márcio, como sempre, na maior cara de pau, foi falar com o cara, conversaram um pouco e, em seguida foram caminhando em direção da nossa cabine, Márcio olhou pra trás e fez um sinal com a mão (dizendo para eu esperar) entraram e fecharam a porta.

Passados alguns minutos, não resisti e fui escutar através da porta o que estava rolando por lá. No ambiente havia uma música meio alta, mas dava pra escutar os gemidos que eram bem altos e fiquei lá, de pau duro, escutando no maior tesão. Teve um momento que tive quase certeza que o carinha estava metendo em Márcio porque escutei uns “pare, pare, pare, tira, tira, tira” e depois um “ufa” de alívio, era a voz dele.

Com um bom tempo o carinha saiu e eu aproveitei e entrei. Ele estava todo suado e me disse: - Que boy pra aguentar rola e disse também que ainda não tinha gozado disse também que não deixou eu entrar porque o cara não curtia a três.

Mas eu resolvi ser direto e abraçando ele passei a mão no seu rabo e notei que estava todo lambuzado e falei:

- Deu pra o cara não foi safado?

E ele: - Dei, dei sim cara, foi massa demais.

- Escutei você pedindo pra ele tirar.

- Foi! Mas depois aguentei toda, pena que o cara gozou logo. (pegou o preservativo que estava no chão cheio de porra e me mostrou)

Aí soltei a tolha e mostrei a ele o meu pau super duro ele sem pudor nenhum subiu na cama e ficou de quatro. Eu quase não acreditei no que ele fez e sem resistência nenhuma e foi dizendo: - Continua vai, tô com tesão ainda. Imediatamente fui logo pra cima dele, isso sem colocar camisinha já que eu, ele e meu filho sempre trepamos sem preservativos. Quando comecei a enfiar meu pau vi o nego doido só coloquei a metade e ele pediu pra parar, eu parei e ele ficou me beijando e se punhetando o que fez ele, em poucos minutos, começar a gozar, nesse momento eu aproveitei e enfiei o que ainda estava de fora e ele soltou um grito abafado agarrando o travesseio com muita força e começou a soltar grande quantidade de porra soltando gemidos bem altos.

Fomos tomar banho, que aliás era muito excitante, em um local com vários chuveiros o que dava pra ver muitos homens tomando banho também. Voltamos para o quarto ficamos um pedaço por lá e ele resolveu ir procurar alguém (como eu sempre digo ele é doente por sexo). Ele saiu e eu fiquei ainda dentro do quarto, mas como ele estava demorando resolvi sair e, quando abri a porta, vi um cara de mais ou menos uns 35 anos encostado na parede do corredor com a mão no peito (gostei da aliança no dedo dele - era casado também) o cara levanta a cabeça e fica olhando pra mim em seguida começou a alisar o pau por cima da toalha. Nesse momento fiquei um pouco nervoso e ao mesmo tempo com muito tesão no cara, mas com a aguda do tesão e da cerveja fiz um movimento com a cabeça pra ele entrar e foi o que ele fez. Ele entrou e eu fechei a porta ele veio até mim e começou a me abraçar e com pouco tempo agente já estava no maior beijo de boca. O cara era menor que eu um pouco cheinho, mas não era gordo. Na verdade nem sei tanto o que a gente fez, nos chupamos todo, pescoço, peito, axilas, barriga fizemos também um meia nove... Depois de um bom tempo Márcio entra no quarto juntamente com um rapaz bem novo, nesse momento eu estava sentado no pau do cara, eu estava imóvel sentindo o pau dentro de mim, pois tinha pedido pra ele ficar parado dizendo que estava doendo muito (o cara tinha o pau bem grosso).

Pois é, estava doendo um pouco mas não tinha a pretensão de sair dali pois estava muito, muito gostoso, me arrepiava todo sem dar a importância a Márcio e ao rapaz que entrou. Márcio vendo a situação disse: - Massa demais, é assim que gosto de ver. Acendeu a luz e levantou meus ovos pra ver o pau do cara dentro de mim. Ele me perguntou se eu estava gostando mas nesse momento nem conseguia falar era muito tesão, só trinquei os dentes e olhei pra ele. O cara não aguentando mais e começou em um movimento bem leve, fui a loucura e agarrei Márcio pelo pescoço e na hora ele começou a beijar minha boca quando também senti uma boca do rapaz em meu pau.

O cara começou a aumentar o movimento e socar com mais força. Nesse momento perdi a noção e comecei a gemer dizer coisas tipo “como é bom”, “não tenha pena de mim”, “vai, vai” e ele começou a querer mudar a posição e o pau saiu de dentro de mim, logo Márcio segurou o pau do cara de disse: - Porra! Você agora mostrou que é macho mesmo, aguenta pau como o seu filho aguenta e deu uma risadinha (se referia ao pau do cara que era grosso, embora ara fosse muito grande).

Depois que o pau saiu de dentro de mim eu fiquei em pé, mas cara não desistiu, veio por trás de mim e socou mais uma vez. Fiquei desorientado querendo segurar em algo para me firmar, mas ele não parava de bobar e depois de muita pica, eu já gostado muito, abri mais as pernas para facilitar a penetração em mim já que ele era ‘mais baixo que eu. Márcio e o carinha começaram a chupar meu pau os dois ao mesmo tempo e quando o meu pau estava bem duro ele pegou um preservativo e colocou em mim em seguida pegou o rapazote e colocou pra eu meter nele. Vou confessar que o rapaz gostava muito de pau pois ele mesmo pegou meu pau e enfiou no rabo nele. Fui a loucura, eu comia o garoto e o cara me comia imaginem os gemidos e as pegadas.

Márcio não aguentando mais veio e meteu o pau entre eu e o garoto e começou a gozar. Só senti a porra quente entre nós dois e comecei a gozar também o cara que me comia a mesma coisa. Só o rapaz não gozou junto mas pediu pra eu deixar o pau dentro pra ele bater um punheta e assim fiz e ele terminou gozando.

Terminada essa orgia tomamos banho e fomos para um hotel dormir, pois pegaríamos a estrada logo cedo.

Pois é pessoal vivo agora nesse mundo. O negócio é tão bom que invento treinamentos de trabalho em Fortaleza para ir a esse local. Quanto a Márcio, ele não ver a hora de poder ir também, mas só fala em trazer Ramon com ele.

hemo2015mo@gmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/03/2019 02:32:43
Ulals q gostosura
30/04/2018 20:20:52
Nada ~gata, se #seguro_a_língua fico sem usá-la nas <rolas da vida. Hihiihh
29/04/2018 13:36:29
Huahuahuahuahuahuahua esse Wanderson é foda, velho. Segura esa lingua aí na boca novinha. Huahuahauhauhaua
26/04/2018 13:25:15
A Túlio_Goulart adora um ~incesto e já comeu o próprio pai. ~Safadona ~cadela ~vagabunda ~viçosa q ela eh. Mas <adorei o conão ~gatah. Esta ~mega_delicioso
26/04/2018 00:13:39
Nossa, tu é que virou Doutor em sacanagem. Excelente. Socorro kkk eu ri com esse comentário do Túlio Goulart, rapaz que louco deve ter sido isso, kkkkk. Um abraço.
25/04/2018 19:17:32
Muito bom
25/04/2018 18:42:51
FOI MUITO BOM, APESAR DE NÃO CURTIR SURUBA. RELAÇÃO PRA MIM É A DOIS. POXA, PENSEI QUE RAMON IA TER UM ROMANCE COM O PAI. QUE PENA.
25/04/2018 16:42:49
Já peguei meu coroa também mas não acabou legal não. Eu parei no hospital depois de uma baita surra e ele parou no psiquiatra. Mas não me arrependo de ter pego meu coroa enquanto ele estava chapado, não. Foi gostoso pra caralho.
25/04/2018 16:41:28
Caralho, parça, tesão da porra. Eu não curto contos muuuuito longo não mas esse aí me prendeu, sacana. Primeiramente por envolver pai e filho, segundo porque um parágrafo provocava ansiedade para o próximo. Sacangem gostosa da disgraça.