Casa dos Contos Eróticos

FUDÉRIA – PARTE 3

- Segundo o curandeiro, o senhor deve se despir por completo, bem na minha frente, enquanto faço o mesmo. Por isso não pude ficar peladão, antes de sua chegada. Mas como agora, estamos sós e prontos para iniciarmos os procedimentos que vão me curar, devemos ficar pelados e dar prosseguimento aos mesmos, pois para que seu seja definitivamente curado, precisaremos seguir a risca as recomendações do curandeiro, que certamente, tomarão bastante de nosso tempo.

Rei Rufino, estranhando a situação e todo duro com a mesma, tentou argumentar e achar outra forma para resolver a situação, pois do jeito que estava necessitado e pelo tempo que estava sem sexo, com certeza acabaria com o cu do filho, numa imensa e suja trepada.

- Filho, quem sabe não procuramos nosso astrólogo ou nossos médicos para encontrarem outra solução, menos... menos....

- Procurar pelos que tanto falharam com mamãe. È isso que quer para mim papai? Pois prefiro ficar adoecido até partir dessa para melhor, que confiar novamente em quem tanto falhou. Se não quiser me ajudar, entenderei perfeitamente e me conformarei com meu destino até o dia de minha morte, que chegará pouco depois que eu ficar completamente louco. Minha enfermidade é raríssima e segundo Ervius, nosso curandeiro a ardência profunda em meu ânus está tão latente que no estágio em que se encontra só órgãos paternos podem contê-la.

- A notícia boa papai, é que a cura é imediata e só precisa de manutenções semanais. Depois que meu cabacinho, for pelo senhor retirado, já estarei curado e até encontrar outro macho viril e que me cause tanto desejo, só precisaremos repetir tudo algumas vezes na semana, para que a doença não volte a deixar meu corpo febril e doente novamente.

Se Rei Rufino, já estava duro antes, de ouvir o que teria que fazer, depois então, nem se fala e arfando de tesão pala bunda virgem do Príncipe, aproximou-se dele, tomou-o em seus braços e garantiu que faria um excelente serviço, em seu buraco, que com certeza não só lhe curaria, mas que também o transformaria em seu amante. Também não daria uma manutenção semanal em seu cu, mas sim diária, para garantir de vez que a rara enfermidade desaparecesse por completo. Em seguida encostou seus lábios, nos do príncipe, enfiou-lhe a língua na boca e começou a degustar os mais íntimos sabores do filho, que retribuía a tudo na mesma intensidade.

- Nossa, pai!!! Huuuuummmm !!!! Que saliva gostosa, você tem!!! Delicia, Sr. Rei !!!!! Agora segure a garrafada preparada por Ervius. Deverá aplica-la em meu reto, na maior profundidade alcançada por seus dedos, antes da retirada de minhas pregas. Venha vamos entrar primeiro na banheira e nos banhar antes do remédio.

E dentro da banheira, assim que o Rei sentou-se, Rosângelo também entrou e virou-se de costas para o pai. Abaixou seu corpo e deixou sua bunda na altura do rosto paterno, que num só movimento, abriu-a por inteiro, expondo seu fresco botãozinho, que antes de ser lambido e chupado, piscava incansavelmente, pedindo rola.

- IschhhSSSSSSSSSSSS!!! Uschhhhhhssshhhhh!!!!! Que caverninha mais tenra e inexplorada é essa filho!!! Será uma grande honra desbravá-la e toma-la para mim, pois farei dela o local preferido para a visitação diária de meu membro carente. Esfregue-a na baba do papai!!! Esfregue-a meu príncipe!!!! Hummmmm !!!! Ischssshhh !!!!!

- Nossa pai!!! Sua língua real está faminta!!!! Hummmm !!! Ela está fazendo um excelente trabalho. Ischhhssss !!!!! Hummm !!!!! Vejo, que mesmo depois de anos sem meter, não perdeu a prática, papai. AAAIIIIIII!!!! Lambe, pai !!!! Lambe tudo, tesudo!!!!! Hummm !!!!!

Enquanto Rei Rufino, enfiava a boca na bunda do filho, sem tocar em seu cacete, foi surpreendido por um forte e espesso jato de gala, expelido por ele, que além de muito grossa expeliu um forte odor de macho, que incendiou por completo os aposentos do príncipe, que enlouquecido de tesão, apanhou com as mãos uma porção que boiava na banheira e dividiu-a entre os dois, que assim que as receberam em suas bocas e sentiram bem seu sabor, engoliram-nas com suavidade e desejo intenso.

- Nossa papai!!! Que porra grossa esporrou!!! Só espero que sua gozada não prejudique meu tratamento, pois na grossura e quantidade que ela saiu, parece que ficou liquidado por horas. Deseja parar e esperar para que mais dessa delícia seja fabricada?

_ Está redondamente enganado filho!!! Meus ovos continuam doendo de tão lotados e não pararão de produzir seu leitinho, com certeza. E quanto a esperar devido a esse ínfimo incidente, nem pensar, pois tenho muita bala acumulada no gatilho, pronta para ser disparada. Que tal se desse o primeiro tiro em seu intocado alvo, nesse momento. Filhão? Vire-o para o papai fazer a mira.

_ É pra já meu rei !!! Mas antes precisa passar o remédio, fabricado por Ervius. Vamos para a cama.

Rosângelo, mesmo assustado com o tamanho da jeba do pai, que pela primeira vez exibia-a ao filho de pé, deitou-se de barriga para cima, abriu bem as pernas, segurou-as com suas mãos e todo arreganhado, pediu rola ao pai, que depois de lubrificar bem a bunda filial, começou atolar sua enorme piroca sem dó nem piedade.

_ Tome pai!!! Abra o vidro e aplique o remédio, dentro e fora de meu rabo, em seguida penetre-me com seu mastro real, curando-me de vez dessa terrível enfermidade que a tempos me consome.

- Assim está bom, filho? Ou acha que aplico mais remédio nessa bundinha sedenta?

_ Está pra lá de bom, papai. Sinto que minha bunda por fora, está bem deslizante e pro dentro bem, besuntada. Pode começar o serviço, agora mesmo.

Depois de autorizado por Rosângelo, Rei Rufino, encostou a cabeça de sua verga duríssima na entradinha do cu do filho e aos poucos foi abrindo caminho reto adentro.

_ Hummm !!!! Que cuzinho mais apertadinho, fikhão!!! Hummm !!! que delicia!!!! E essa mastigadinha que seu rabinho está dando em minha rola!!!! Nossa Senhora!!! Está me matando de tesão!!! Hummm !!!!! Está doendo, filho? Doí muito tomar no cu? Eu estou adorando saborear seu buraquinho, que já não é mais virgem. Huuuumm !!! AAAAAIIII !!!! Tesão !!!!!

- Ischhhhsss!!! Hummmm !!!! Doendo está, papai!!! Mas que dorzinha boa!!!! Pode continuar a espalhar o remédio, que já estou me sentindo bem melhor. Hummm !!!! Que delícia, que é tomar na bunda. Devia experimentar, papai!!! Noooossaaa !!! Hummm !!! É bom demais !!!!! Bombe mais rápido, paizão. Bombe !!!!

- Fiquei curioso para saber como é tomar na bunda filho. Quem sabe depois não dou a minha para você, heim!!!! Mas adora, já que pediu, TOMMMMAAAAAA NESSEE CU, PRÍNICIPE, TOOOMMMAAAAA!!!!!

E depois de algum tempo engatados, Rei Rufino, finalmente, alaga o rego loiro e peludo do príncipe, som seu leite grosso e quente, que todo encharcado de porra paterna, gozou antes da retirada do pau do pai de seu recém descabaçado toba, saciando assim seu desejo incestuoso, que o consumia anos.

Naquele mesmo dia, repetiram a foda por mais duas vezes, antes de adormecerem lado a lado e sem saber que do lado de fora, alguém tinha ouvido e visto tido pelo buraco da fechadura. Dos aposentos do príncip....

CONTINUA ....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
25/04/2018 20:22:51
Gostei
25/04/2018 17:23:18
😎😎😎✌