Algumas aventuras já passadas

Um conto erótico de jorlin
Categoria: Grupal
Data: 24/04/2018 00:42:28
Nota 9.67
Assuntos: Esposa, Corno, Grupal

Olá, somos um casal maduro, então não vou descrever que mina esposa usa micro saia, ou algo do tipo, algumas vezes veste uns shortinhos mas condizente a nossas idades cinquentões, mas por gostarmos de sermos jovens, aparentamos ser, é uma consequência dos que se escolhe, gostamos de viajar, passear está em locais de características jovens, como shows, teatros, cinemas, bares, festas. Não digo que pessoas de nossas idades não façam ou frequentem. Bem posso até dizer ser um corno, mas não é isso, defino como corno ou corna aqueles que são traídos.

Na verdade gosto muito mais de ver e perceber os homens atraídos por ela, alguém paquerando ela, do que o finalmente ou as aventuras que já tivemos. Algumas aventuras foram casuais de momentos outras geralmente sondo bem antes os locais e como iremos proceder. Algumas vezes gosto de leva-la a algum bar que conheço por aí, não barzinhos como se conhece, onde vão casais, mas bar ou boteco, geralmente nesses locais ninguém se atreve a mexer o ir mais além mas é notório homens olhando disfarçadamente mas alisando ou apertando seus paus enquanto olham, e isso nos excita e muito, algumas vezes gosto de leva-la a esses salões de danças os chamados bregas, ou forrós ou samba são os melhores, geralmente há grande quantidade de homens desacompanhados, louco para dançar e eu a deixo dançar com quem a convidar e ela aceitar, quando ela retorna a mesa e me conta o que aconteceu, se apertaram, se estavam de paus duros, se falaram alguma coisa se a cantaram, é normal ela retornar a mesa com papelzinho com numeros de telefones, alguns são mais ousados bolinam ela, beijam a boca ou beijinho no pescoço, ela me conta tudo direitinho. Gostamos de aventuras em salas de cinemas, já segurou paus de muitos machos, já melou muito a mão, coxas, seios, rosto, já levou muitas dedadas, umas duas vezes quando a oportunidade dava levou pica na buceta. Algumas vezes vamos ao clube de casais preferimos aqueles onde podem entrar homens desacompanhados, preferimos os labirintos e as chamadas salas coletivas, pois nestes locais alguns ambientes são reservados apenas para casais, os labirintos são ideias, por teer muito esfrega, passadas de mãos, e quando se para em um determinado ponto, geralmente sai-se com as coxas esporrada ate mesmo o vestido que gostamos de ver quando chegamos em nossa casa, muitas vezes ela já foi penetrada por um, dois e vários paus, camisinha nestes locais é uma regra, então é tranquilo. Já aconteceu dela sentar e levar varias esporrada nos seios, ou mesmo vestida é demais ver sua roupa coberta de porra. As vezes rosto e cabelo. Quando vamos a praia, gostamos de ir para ficar alguns dias ficamos observando mas os casados e com familas, já tivemos aventuras com alguns, geralmente no primeiro dias procuramos um meio de apenas conversar normalidades, deixando claro que no dia seguinte estaremos de volta ao local, no dia seguinte quando nos vemos, cumprimentar sempre acontece , conversar, tomar uma cerveja ou outra coisa juntos, se tem crianças o horário de almoço é o ideal geralmente a família volta para casa e o cara sentido que pode acontecer alguma coisa diz que irá ficar, já levamos alguns ao local onde estamos nestas situações, e geralmente a foda é natural, com porra na buceta e na boca, nunca a chupei com outro a penetrando mas chupei varias vezes sua buceta depois que tiram o pau, e já beijei-a muitas vezes quando termina o boquete. Não é mentira nem bravata mais aconteceu de uma vez passarmos um final de semana com cinco garotos que conhecemos na praia e garotada não dar descanso, goza, cinco minutos de descanso querem gozar mais. O quarto e a cama exalava sexo e porra. Outra oportunidade aconteceu com três coroas que conheci em um boteco, os três casados, todos mulatos, experientes foi muitos sexo e safadeza mesmo dessas de levar tapas na bunda e rosto, apanhar de picas na cara. Ficar ajoelhada e receber porra na boca e rosto, até banho de urina aconteceu. Em outra oportunidade fomos com eles a um bar afastado da orla que eles conheciam, beijavam ela na frente de outros clientes e todos sabiam que o corno era eu, levaram ela até o final do balcão próximo a porta do banheiro onde fizeram uma muvuca em volta dela, encoxavam, passavam as mãos fizeram-na pegar e punhetar paus já que a maioria estava de bermudas ou calções. Tem outras aventuras que posso contar depois.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/04/2018 12:39:49
Muito bom conta mais, como seria deliciosa nos encontrar nessas aventuras da vida, parabens ao casal, sejam felizes.
24/04/2018 05:36:38
Conta mais, gostei da tática de arrumar casados na praia. Pra nós é tão difícil (e olha que ela é MUITO gostosa, com tudo em cima, mas não sabemos nem como começar na praia. Não tinha me atinado com a história de caras casados com crianças. Passa mais umas dicas e detalhes. se quiser por email o meu é bimwmike@yahoo.com. Diga que foi daqui, geralmente vamos para Camburi no Lit Norte de SP.
24/04/2018 01:05:17
Que delícia, tua gata é o máximo. Ser corninho é bom demais !!!!!!!!!