Chuva de Prazer

Um conto erótico de Silvia
Categoria: Homossexual
Data: 23/04/2018 00:28:56
Nota 10.00

Chovia bastante naquele final de tarde do domingo, clima perfeito para um chamego.

Bia me fazia provocações pelo WhatsApp, descrevendo quão tesuda estava. Hesitei num primeiro momento, porém não resisti quando me mandou uma foto onde mostrava sua bunda deliciosa.

Tomei aquele banho, me perfumei toda, passei creminho no corpo inteiro, vesti minha melhor lingerie e fui ao seu encontro. Chegando na sua casa, mal Bia abre a porta e já lhe dou um abraço aconchegante e lhe beijo cheia de malícia. Bia estava vestindo apenas uma lingerie preta rendada, onde o sutiã deixava aparecer seus seios rosados e com os bicos entumescidos. Fechamos a porta e continuamos os beijos ardentes e amassos ainda de pé, encostadas nela. Desço minha mão e sinto, por cima da calcinha, sua buceta quente e úmida. Bia me conduz até o sofá, onde começa a tirar a minha roupa, me deixando apenas de calcinha. Me jogo por cima dela e lhe beijo os seios com muito desejo, sugando-os com cuidado e passeando a língua nos seus biquinhos. Desço beijando por sua barriga e passo direto às suas pernas, mordendo-lhe as coxas. Bia tenta conduzir minha cabeça até a sua buceta e eu, entendendo o que ela queria, falo:

- Você quer que eu te chupe?

Bia confirma com a cabeça que sim e digo:

- Então pede. Pede que eu chupo.

- Me chupa, Silvia. Me lambe, me morde e fode essa buceta com seus dedos.

Eu lambia e chupava sua buceta com muita sede, como alguém que estava há dias num deserto, um deserto dos desejos. Meus dedos passeavam a entrada do seu cuzinho onde, vez ou outra eu lambia, preparando-o para penetrar. E quanto mais eu chupava, mais sua bucetinha molhava, mais ainda eu salivava com a maravilha de sentir aquela delícia na minha boca. Sentir prazer é delicioso, mas proporcionar prazer, para mim, é algo sublime.

Meus dedos enfim penetravam seu cuzinho enquanto Bia se contorcia de tesão. Continuei chupando e penetrando quando senti em minha boca seu gozo delicioso. Ficamos ali abraçadas por um tempo, dei-lhe muitos cheiros e beijos carinhosos. Seus cabelos tinham um cheiro dos céus.

Não demora muito e já estávamos novamente numa pegada super quente, mas desta vez invertemos os papéis: Bia me colocava de bruços no sofá e me beijava as costas, começando pela nuca em direção à minha bunda. Ela não fazia ideia do quanto isso me deixava louca. Beijos na bunda realmente me tiravam de mim. Percebendo suas intenções, a ajudei levantando o quadril e colocando uma almofada por baixo, deixando assim meu cuzinho bem à mostra pra que ela fizesse o que quisesse. E ela, me tendo ali, totalmente entregue, penetrava meu cu com a língua, com seus dedos e mexia no meu clitóris me deixando louca.

- Me fode toda, me deixa gozar como há muito não gozo, numa boca gostosa assim como a sua. - eu dizia.

Parecia que eu estava jogando gasolina onde já havia uma labareda. Bia correu até o seu quarto onde apanhou um pênis de silicone, muito gostoso e logo o enterrou na minha buceta. Continuou penetrando meu cu com os dedos e não demorou muito pra que eu explodisse num gozo delicioso.

Tomamos juntas um banho bem demorado, regado a muito carinho e carícias e então, iniciamos a tão esperada sessão de Netflix com pipoca doce pra um finalzinho de domingo chuvoso muito mais gostoso.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/04/2018 16:23:23
Adoro esse casal
23/04/2018 07:51:51
Coube a mim o delicioso prazer de ser o primeiro a postar minha homenagem aqui. Muito bem narrado e nos fazendo presentes a tão tesuda cena. Delícia !! duas amigas se curtinho com carinho !!! nora dez com louvor e, desde já aguardando a continuação e add aos meus favoritos. (fantasiasocial@bol.com.br )