MINHA INESQUECÍVEL TIA – continuação

Um conto erótico de Astrogildo
Categoria: Heterossexual
Data: 03/04/2018 16:21:40
Nota 10.00

MINHA INESQUECÍVEL TIA – continuação

Em 2 momentos distintos da minha vida, eu pude viver intensamente uma experiência sexual com a minha tia e que foram muito importantes na minha vida. Relatei estes dois momentos em MINHA TIA PATRÍCIA (https://www.casadoscontos.com.br/texto/ e em MINHA INESQUECÍVEL TIA (https://www.casadoscontos.com.br/texto/ Recomendo que leiam.

Evidentemente não deu para contar todos os momentos que vivemos nestas 2 publicações. Por isso, estou agora narrando um dos diversos momentos que vivemos. Será rápido.

Como poderão ver em um dos contos acima, a minha tia fazia questão que o meu tratamento para com ela fosse o formal – como o de costume na família -, tinha que chamá-la de tia e de senhora. A iniciativa do sexo, entre nós, tinha que ser dela. Nas vezes que tentei tomar a iniciativa, levei bronca.

A primeira vez deste fato foi muito especial. Porque ela me chamou e me deu uma aula.

Ela estava no banho, quando me chamou. Pediu que eu fosse para baixo do chuveiro com ela. Fique surpreso e tesudo: na hora o meu pau já ficou duro como pedra. A me ver nesta situação, ela me disse para ficar calma, “baixar o facho” (era impossível!), porque ela que ri a prolongar aquele momento o máximo possível.

Pediu que eu a ensaboasse, da ponta do pé ao pescoço, mas bem devagar. Conforme eu ia ensaboando, ia passando a mão naquele corpão gostoso. Chegando às coxas, ela pediu para ser mais rápido e pular para a barriga. A ensaboei os na barriga nos seios, na costa, no pescoço. Beijava seu corpo, sua orelha (era um ponto que a deixava muito excitada). Ela virou-se e me deu um longo beijo na boca. Pegou no meu pinto e – num relance – se agachou e deu-lhe uma chupada. Foi rápida aquela chupada, porque ela me disse que queria aquelea pinto bem duro em outro lugar. Neste momento, percebi que coisa especial estava por vir.

Virou-se de costas para mim, encostou o seu corpo na parede e pediu que –agora, bem devagarzinho – ensaboasse a sua bunda, sentindo cada pedacinho dela (como ela me disse, naquele momento). Enquanto eu ia ensaboando aquela bunda gostosa, ela fazia movimentos indicando que ali tinha um cu que queria carinho. Fui lavando aquele cu gostoso bem devagarzinho, massageando o dedo na entrada e com o outro dedo acariciando a sua buceta. Ela começou a gemer de prazer e dizia para não parar. Pediu para que eu ficasse de joelhos e – neste momento – ela puxou o meu rosto para a sua bunda, de tal forma que a minha boca ficasse junto ao seu cu. Aí ela me falou: dê um beijo nele porque hoje ele será seu. Beijava as nádegas, passava a língua em sua buceta, sentido o seu clitóris excitado, lambia a portinha do cu, acariciava aquela entrada que estava pulsando de tesão.

Em um dado momento, ela pegou o sabonete, passou no meu pinto, passou no seu cu e me disse para ir colocando bem devagarzinho. Assim foi: com as duas mãos, uma em cada um de seus peitos, sentindo os bicos bem salientes (indicando o tesão que ela estava sentindo), beijando sua nuca, suas orelhas, fui enfiando o meu pinto em seu cu, ela fazendo um movimento com ele que levava a excitação ao máximo.

Quando terminamos, ela me disse: aprendeu como comer o cu da sua tia? Pois teremos outras vezes. E assim foi, mas sempre quando ela queria.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.