Como deixar ela louca na cavalgada

Um conto erótico de Lord Tenório
Categoria: Heterossexual
Data: 22/04/2018 13:38:24
Nota 10.00

A safada adorava uma cavalgada e dessa vez eu iria deixá-la louca. Só nos víamos nos fins de semana, pois morávamos em cidade distante e durante a semana trabalhávamos os dois.

No sábado fui pegar a safada na casa dos pais dela. Ela estava linda com um vestido curto decotado. Quando ela entrou no carro fui logo beijando sua boca enquanto acariciava sua bunda. No caminho conversamos sobre nossa semana. Mas eu queria era chegar logo e fuder aquela safada. Não resisti e coloquei a mão por baixo do seu vestido. Cuidado no trânsito! Disse ela. Ela estava de fio dental de renda e isso me deixou louco. Acariciei aquela buceta gostosa e já estava molhadinha. Ela dizia pra parar mas a buceta dizia o contrário. E eu enchia a mão. Alisava o grelinho que já estava enorme. Apalpava ela toda e sentia ela toda molhada doida pra ser penetrada.

Chegamos em casa. Assim que entramos fui logo beijando ela. Queria enlouquecer aquela safada de tesão.

Fomos pra o quarto. No quarto , sob a cama já tinha uma blusinha transparente e um fio dental vermelho. Comprei pra ela exclusivamente pra trepar. Eu adoro fuder com ela vestida. Isso me excita. E a blusa transparente colada nela me deixava doido. Era um paninho fino que destacava aqueles seios durinhos, grandes e de biquinho rosados.

Fiquei nu e comecei a abraçar ela já com a roupa que eu tinha comprado. Beijei o pescoço. Fui bem no seu ouvido e disse:

Gostosa! Safada!

E fui descendo a mão até sua buceta. Acariciei por cima do fio dental mesmo.

Que buceta Gostosa! Essa buceta quer o que hein? Quer meu pau?

Ela já estava toda molhadinha. Enquanto eu acariciava ela mexia a buceta doida por minha vara.

Eu queria torturar mais aquela puta. Beijei os seios da safada por cima da blusinha. Cheirei. Acariciei só os biquinhos. Brinquei com eles. Acariciei com os indicador e polegar. Só os biquinhos.ja estavam inchados. Tesudos. E ela doida pra fuder me levou em direção a cama. Deitei.

Ela veio pra cima já querendo enfiar minha rola dentro. Mas eu me controlei.ah como foi difícil! Queria torturar aquela cachorra o máximo que pudesse.

Espera safada. Espera.

Ela em cima de mim comecei a roçar aquela buceta gulosa por pica no meu pau. Rocei enquanto segurava a vadia pela cintura. Depois afastei o fio dental e só encostei minha rola na portinha. Minha rola já pulsava. Fiz entrar só a cabecinha. A safada se abria toda. Já gemia. A buceta já gritava por rola. Puxei a vagabundo pela cintura e entrou tudo. Quando entrou ela gemeu. Fez um "aaai" que me deixou maluco.

Ela agora subia e descia. Subia e descia. Nossa! Que buceta era aquela! Apertada, Gostosa, macia, molhada, latejava. Ela continuou subindo e descendo.

Eu sabia o ponto fraco dela. Eram os seios. Bastava acariciar e a safada enlouquecida. Pois fiz isso. Alisei por sobre a blusinha fina. Decidi subir a blusinha. Peguei neles diretamente. Os biquinhos duros. Alisei os dois com a palma da mão como se estivesse fazendo uma massagem. Suguei eles. Lambi os biquinhos. Notei que a safada cavalgava mais rápido depois dessa excitação.A respiração mais forte. Já falava putaria:

Que pau enorme. Tas me fudendo toda. Tá coçando a minha buceta aai.

Eu falei: coça com meu pau, safada. Tá coçando essa buceta safada Tá? Tá coçando por rola né sua puta?

Um detalhe. Uma dica para os homens saberem quando a safada tá perto de gozar: ela não consegue "encarar" a rola. A rola começa a fazer cócegas e ela "foge "da rola. Vou explicar: na cavalgada ela começa no vai e vem. No vai e vem bem reto. Quando ela tá perto de gozar não vai reto. Ela fica "fugindo " da rola. Ora cavalga indo mais pra esquerda ou mais pra direita. Não vai mais reto no mesmo movimento. A cintura remexe e a safada não consegue ir reta. Sem se mexer em movimentos serpenciais. É nessa hora que o homem tem que agir. Torturar a safada até ela gozar. Foi o que fiz...

A safada estava louca com as caricias no seio. Fugia da minha rola rebolando pra um lado e pra o outro. Gritando e gemendo que estava com a buceta coçando. E Eu sentia ela tremendo.

Peguei na cintura dela firme (eis o truque. Quando ela tá em ponto de bala faça isso). Peguei firme e obrigue ela a "não fugir da rola pra direita nem pra esquerda. " A safada queria remexer e eu segurando , fazendo ela comer muita rola, subindo e descendo. A puta gemia. Tentava de novo remexer toda e se libertar e eu segurando na cintura (Eu já estava quase gozando com isso). Segurava e fazia ela subir e descer. A cachorra gemia:

Ai que rola grossa!ai eu vou gozar! Que pica! Para com isso por favor! Não aguento mais para! Aaaaaai! Ui! A puta gozou e eu também. Quando a safada gozou soltei sua cintura. Outra dica agora: antes do gozo a safada "foge da rola " por isso o bom amante deve fazer esse truque de quando ela tá em ponto de bala, fugindo do pau, segurar pela cintura. Já quando a puta goza ela fica toda arreganhada, toda aberta ansiando por rola. Por isso o homem deve soltar a cintura dela pra ela comer a vontade até o talo. E foi o que aquela cachorra fez.

Assim que gozou soltei a cintura. A safada se contorcia toda, sugava a minha rola com aquela buceta gulosa. Gemia e sugava:

Aaai! Aaai! Que gostoso!

Meu pau todo gozado dentro daquela buceta quente e gostosa. Nossos gozos se misturaram. E assim adormecemos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/04/2018 15:15:25
Caralho parça, acordei de uma noitada de foda misturado com raio mas essa putaria aí nem respeitou minha dor de cabeça. Foda gostosa do caralho, pivete.