Ganhei como prêmio a amiga da minha esposa II

Um conto erótico de Professor!
Categoria: Heterossexual
Data: 22/04/2018 01:13:35
Nota 10.00
Assuntos: Menage, Heterossexual

Essa história começou quando eu fui buscar minha esposa no interior de Pernambuco e ela decidiu passar o fim de semana na casa de uma amiga médica. Eu já morria de vontade de comer Andrea, mas não sabia que minha mulher também estava afim de chupar aquela buceta.

Se quer ler essa história do começo, acesse: https://www.casadoscontos.com.br/texto/Minha esposa é bem mais nova que eu. Tinha pouca experiência profissional. Teve essa proposta para trabalhar no interior de Pernambuco. Finalmente, estava voltando para nossa cidade, mas ela tinha uma missão de dar prazer e dividir o marido com a mulher que tinha ajudado nos momentos mais duros de solidão no interior. Eu só pude aproveitar, mas depois da primeira gozada sabia que tinha uma missão.

Se eu deixasse minha esposa muito satisfeita aquela noite não seria a nossa única experiência de putaria. Depois de chupar muita buceta das duas, fazer as duas gozarem na minha boca e gozar no cuzinho de Andrea eu decidi que estava na hora de um banho. Se tivesse um viagra tenho certeza que teria tomado naquela hora, mas a verdade é que estava com duas mulheres ainda querendo muito sexo e sabia que não seria legal parar por ali.

Deixei a água batendo nas minhas costas. Não demorou e Marina entrou no banheiro. Ela foi passando a mão na minha bunda. E perguntou se eu precisava de ajuda? "Sempre!" Minha mulher pegou o sabonete e foi passando no meu corpo todo. Nisso, Andrea entrou também e sentou-se para assistir no balcão de granito.

O banho virou quase um ritual. Cada pedacinho do meu corpo era tratado com carinho por Marina. Que queria mostrar o macho dela em todas a sua virilidade para a amiga, que acabara de ter o seu cuzinho comido por ele. Ela começou pelo peito, passou pela minha barriga, virou para as costas, meteu um dedinho pela minha bunda, depois abaixou para lavar minhas pernas e quando eu virei não conseguiu continuar a passar o sabonete e engoliu meu pau com a boca.

- Esse banho vai ficar incompleto assim! Brincou Andrea ainda do lado de fora.

- Está incompleto sem você... respondi.

- Pensei que não iam me convidar.

Enquanto minha esposa tratava de me chupar, fui passando sabonete na amiga dela. Pela primeira vez prestava atenção no corpo dela. Apesar de gordinha, era toda no lugar. E pra dizer a verdade morro de tesão numa barriguinha, então estava melhor do que a encomenda.

Meu pau já estava duro e Marina louca para dar, afinal só tinha gozado na minha boca até ali. Ela logo arrebitou o bumbum e ficou de costas pedindo para ser comida por trás. Eu continuei com dois dedos na buceta de Marina, mas logo encaixei o pau no reguinho da minha gostosa, sem tocar nele fui deixando passar pelo cuzinho dela e encontrei a racha molhada, onde fui metendo com carinho.

- Eu quero ver essa puta perder o cabaço do cu hoje. Andrea atiçou.

- De hoje não passa! Confirmei.

Minha mulher não conseguiu nem reclamar. Ela sempre dizia que era dolorido, que meu pau era grosso e por mais que tivessemos tentado várias vezes sempre a dor era tremenda e Marina acabava me fazendo desistir de come-la pelo cuzinho. Mas todos sabíamos que aquela situação não podia durar muito e aquela noite era a ideal.

Não tive pressa. Continuei metendo por trás na buceta da minha mulher, depois fiz Andrea ficar na mesma posição e coloquei na buceta dela, que ainda estava afolozada por eu ter metido minha mão quase toda para masturba-la. Marina ficou chupando meus ovos, mas logo levantou, se enxugou e foi para o quarto.

Sabendo que ela precisava de atenção, disse a Andrea que era hora de comer o cuzinho da amiga dela. A médica por incrível que pareça ficou louca de tesão. Ela aparentemente gostava de ver a gente fudendo tanto quando de ser fudida por mim. Então, paramos ali pouco antes de eu gozar e fomos para o quarto.

- Já pararam?

- A gente decidiu que você precisa de muita rola hoje. Andrea disse.

Eu sei que minha mulher precisa de muito carinho. Então fui me posicionando para chupá-la mais uma vez. Andrea fez uma cara de quem não sabia o que fazer... E eu resolvi entrar debaixo das pernas da minha mulher e deixar aquele rabão à vista da amiga dela.

Ela beijou o bumbum da minha esposa. Mas não pareceu disposta a dar uma chupada. Eu tentei achar a língua dela, deixando um pouco de lado a buceta, Andrea me beijou, mas acabou saindo e eu pensei que íamos ficar sós eu e minha esposa naquele momento.

Vida de mulher solteira tem suas vantagens. Ela voltou em menos de um minuto com um clip anal. Minha mulher reclamou, disse que não estava pronta, mas eu garanti que teríamos sucesso começando a chupar o cuzinho dela até ela querer sentir algo dentro do cuzinho.

Eu metia a língua e a vontade era meter o pau logo. Mas sabia que o processo era complicado. Meti mais fundo com a língua, fiquei lambendo o cuzinho enquanto metia três dedos na buceta dela. Até que Andrea veio por trás e disse que a primeira a comer minha mulher seria ela. Colocou o clip devagarinho e minha mulher não reclamou. Enquanto isso, eu comecei a come-la pela buceta.

- Meu amor... Eu também quero sentir você gozar no meu cuzinho.

Aquele pedido foi uma ordem. Andrea me ajudou a deixar minha mulher com o cuzinho todo arrebitado, eu meti devagar, ela reclamou muito. Esperei só com a cabeça dentro até ela ir se acostumando. Fui metendo lentamente depois.

- Para, eu não vou aguentar.

- Amiga, hoje você vai aguentar sim.

- Você vai se acostumar, relaxa.

Disse isso e dei uma parada. Enquanto isso, Andrea já estava chupando os peitos da minha mulher. Ela logo desceria para a buceta. De repente, ela já tinha esquecido completamente o preconceito que tinha com sexo entre mulheres. Aliás, parecia estar curtindo o corpo da minha mulher como se fosse o mais desejado do mundo.

Com a ajuda da amiga dela, minha mulher relaxou e logo eu estava com o pau todo dentro daquele cuzinho. Ainda deixei um tempinho para aquele buraquinho dilatar. Mas não demorou e minha mulher estava querendo que eu metesse cada vez mais forte. Enquanto a amiga dela mostrava destreza chupando sua buceta, eu me maravilhava com aquele cuzinho que nunca tinha sido comido direito.

Como sempre, minha esposa morria de prazer pelo cu. Mas agora finalmente ela conseguia aguentar minha rola inteira. Ela gozou uma vez, duas, três, com o pau no cu e recebendo a chupada da amiga e logo eu avisei que ia gozar. Por incrível que pareça, soltei praticamente tanta porra quanto na camisinha que tinha comido Andrea, mas dessa vez tirei o pau e fui espalhando o gozo pela bunda da minha esposa.

Andrea fez questão de limpar tudo. Logo as duas estavam se chupando. Eu parei um pouco para ficar observando. Como era bom saber que as duas finalmente estavam realizando aquele tesão reprimido. Passamos o domingo fudendo, tive que voltar para minha cidade só na segunda. Mas não me arrependi. Foi um dos melhores fins de semana da minha vida. O sertão certamente tem seus encantos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
11/02/2019 21:29:41
sensacional
11/02/2019 21:15:34
A continuação ficou ainda melhor, professor. Só mesmo com a libido bem em alta que temos coragem de experimentar o anal. Como fez a tua esposa, aproveitando bem esse momento a três. Nota máxima com louvor. Beijos.
16/07/2018 11:20:37
Parabéns, querido, ótimo conto. Quem não apreciaria os encantos do sertão com essa amiga? Adorei a narrativa sexy, erótica...carregada. Especialmente no anal da esposinha. Fica aqui meu comentário e nota. Sem dúvida dez. Visite meus contos quando quiser. Bjs babados.
02/05/2018 05:01:24
Excelente conto, enredo excitante narrado com primor. A esposa finalmente descobrindo o prazer do anal. Igual a mim, que também só realizei isso depois de muitos anos de casada. Parabéns e nota máxima com louvor. Me visite quando quiser. Beijos.
27/04/2018 08:52:48
Professor!... Que máximo!... Foi muito, muito...gostoso ganhar um pouco desta tua excitação contagiante com as duas. Putz, o ponto alto foi a iniciação anal da esposinha, que pelo jeito gostou. RsrSrs. Dez pra você... Tenho contos aqui e se você comentar, eu vou ficar bem feliz. Bjs*-*
25/04/2018 08:44:19
A continuação ficou ainda melhor, bem mais explícito e erótico. Cuide bem da esposinha que ela vale ouro. Com tanta cumplicidade, muitas outras aventuras gostosas hão de vir. Agradeço teu gentil comentário no meu. Tenho um onde transei com um vizinho podólatra. Adoraria tua opinião nele. Bjs.
24/04/2018 00:46:30
Conto delicioso, querido. Tua esposa arrumou uma boa amiga mesmo. Rs. Até a ajuda para inicial anal foi mesmo providencial. Ótima narrativa. Se não tiveres preconceitos com sexo pago, leia os meus. Nota dez e beijocas.
22/04/2018 18:11:37
excelente conto continue
22/04/2018 15:34:47
Porra parça, depois de passar a noite raiando e bebendo, só uma putaria dessa pra tirar minha dor de cabeça pivete. Gostoso pra porra.
22/04/2018 10:13:28
Muito bom e prazeroso conto.
22/04/2018 09:24:13
Perfeito ! E que situação invejável....
22/04/2018 05:54:46
Amei o conto e quero ler todos outro. Adoro filmar esses melhores momentos. Caso interessar é só retornar: fotografoliberal@ahoo.com.br