Chegou o dia tão esperado e ele foi supreendente parte 2

Um conto erótico de Por aí conhecendo
Categoria: Heterossexual
Data: 21/04/2018 01:59:57
Nota 10.00

AINDA QUE CONTINUAR LENDO ?

TEM CERTEZA DISSO?

ABSOLUTA ?

A PARTIR DAQUI AS COISAS COMEÇAM A ESQUENTAR, QUEM AVISA AMIGO É.

TUDO BEM, VOCÊ QUE QUIS CONTINUAR, HAHAHA

Olho para sua calcinha, o pano ainda está seco, “ainda bem pois odiaria que ela gozasse antes de eu colocar a minha boca, você sabe muito bem onde”, respiro aliviado, me abaixo e encosto meus lábios entre seu umbigo e a calcinha, seu corpo se mexe, me alegro e continuo a provocá-la, vou subindo a boca pelo meio do seu abdômen, e passo as minhas mãos na lateral do seu corpo, pesando elas um pouco, até minhas mão chegarem a lateral do seu sutiã e a boca no meio dele paro ali, apoio meu queixo no seu sutiã para não machucá-la, olho no seu olho e sorrio, ela sorri de volta entendendo o que vou fazer, percebendo que dessa vez não vou bobear como na última vez, beijo seu seio um pouco acima do sutiã, vem outro arrepio.

Paro de provoca-la com seus seios e volto a sua boca, começo a beijá-la e dedico um tempo interessante a sua boca e a tentar arrancar aquele batom, após alguns intensos e demorados beijos, levo minhas mãos as suas costas e abro seu sutiã, retiro ele e bem não tem mais nenhuma peça de roupa que passe pelos seus braços, eles estão livres agora.

Me levanto, e fico ajoelhado, ela me olha como sem entender nada, um olhar de preocupação, como se tivesse feito algo errado, levo minha mão no cinto, começo a abrir ele e retiro do meu short, volto a olha-la, tudo muda e ela volta a entender o que vai acontecer, sorri para mim.

- Me dá suas mãos – Falo com um tom suave

Prontamente ela estica seus braços para mim, passo o cinto nos seus pulsos e os prende de modo que ela não consiga se soltar.

- Coloca eles para cima – Falo com autoridade

Ela coloca, olho no seu olho:

- Não me importa como você vai se mexer, mas enquanto seus pulsos estiverem amarrados não podem encostar em mim ou me atrapalhar, se isso acontecer eu paro o eu estiver fazendo, você me entendeu ?

Ela balança o rosto concordando e sorrindo.

Coloco seus braços para cima, e ataco seu pescoço um dos seus pontos fracos, mordo de leve, mas aumentando a força e tomando cuidado para não deixar marcas, intercalando as mordidas com alguns beijos mais demorados, indo da orelha até a base do pescoço, ela se arrepia novamente e começa a se mexer e gemer no meu ouvido. Vou no canto da sua boca, dou um beijo, ela tenta me beijar e não deixo, sigo descendo pelo seu corpo, sempre pelo meio dele.

Chego entre seus seios, passo a língua, ela se mexe novamente, o que me dá um ótimo motivo para sorrir, resolvo finalmente brincar com seus seios, começo a passar a língua pela lateral do seio direto, continuo em aproximação da minha língua ao bico do seu seio, meu objetivo principal no momento, chego nele e ele está muito duro.

- Parece que alguém está excitada, parece – Brinco com ela

- Também acho – Responde ela rindo

Enquanto passo a língua no seu seio direito, minha mão esquerda vai até o outro seio. Começo a excitá-la e provocá-la, quanto mais me prolongo mais ela geme, mais excitada ela fica, os gemidos vão ficando mais altos e demorados. Paro de brincar com a boca no seio direito e passo para o esquerdo e nesse processo ela traz o corpo na minha direção como quem não queria que eu parasse, como quem que mais, quando coloco a boca em seu seio e a mão no outro ela encosta na cama e relaxa.

- Isso tá muito bom, não para – Ela fala enquanto geme

Meu tesão volta a aumentar e minha mão que estava livre, começa a passar pela sua barriga indo até sua calcinha, passo a mão ali por cima e sinto ela um pouco molhada e tenho a certeza que tô no caminho certo.

Continuo a provoca-la, desço a boca pela sua barriga, passo pelo seu umbigo e chego na sua calcinha, paro a boca ali e olho para ela, sorrindo

- Me chupa – ela pede levando a mão até mim

- Se se sua mão encostar em mim eu paro – Repreendo ela

Ela volta suas mãos para cima

- Me chupa – Ela pede novamente

- Agora não, minha menina – Respondo balançando a cabeça de um lado para o outro

Imediatamente depois de dar a resposta mordo sua coxa, ela geme alto e joga sua cabeça para trás, se contorcendo de prazer, continuo a morder um pouco mais forte e a cada mordida, um gemido ela soltava, para ajuda-la fui descendo na sua perna indo da coxa até seu pé, e mudando de mordidas na coxa para alguns beijos na panturrilha até chegar a uma quase massagem no seu pé.

Troco de lado, da direita para a esquerda, e faço o ciclo contrário, começo tocando seus pés, subo beijando sua panturrilha, chego no seu joelho e os beijos passam a se tornar mordidas que quanto mais próximas da sua virilha, mais forte a mordida fica e ela volta a se contorcer e gemer de prazer, os gemidos vão ficando mais intensos e demorados novamente.

Chego na sua virilha, puxo a calcinha para o lado e passo a língua bem devagar e levanto a língua um pouco, ela levanta seu corpo buscando minha língua, tamanha é sua excitação e seu prazer, passo para o outro lado, repito a minha ação e ela repete a dela.

Com as duas mãos junto a calcinha sobre sua buceta, passo a língua do lado dela, nesse momento ela geme alto novamente, trás as duas mãos até o meu rosto, pega no meu cabelo, me força a olhar para ela

- ME CHUPA AGORA, ME FAZ GOZAR NÃO AGUENTO MAIS – Ela pede quase implorando para que aquilo aconteça

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.