A Chacara 2 Putinha de 2

Um conto erótico de Faggot17
Categoria: Homossexual
Data: 03/04/2018 03:40:03
Nota 10.00

Olá gente, voltei, vou contar o que aconteceu nos dias após o primeiro na Fazenda do pai do Ri, se voce nao lembra o que aconteceu no primeiro dia, sugiro que leia o conto anterior, se voce já leu, deve estar esperando por isso... HAHAHA

Antes como de costume vou responder os comentários. Primeiramente obrigado a todos por comentar, peço que continuem acompanhando os fatos da minha adolescência e embora estejam acabando, ainda tem algumas coisas pra acontecer.

LuHenrique: Agradeço por comentar, fico feliz que esteja gostando, e concordo totalmente com voce! Continue lendo e comentando! Obrigado!

VALTERSÓ: Não precisa agrader, eu que agradeço por comentar, como eu disse no final de cada conto, qualquer critica e sugestão é bem vinda, e fico feliz que continue lendo, obrigado por acompanhar, e é bem o que você disse, Ri sabe o que é e ele me trata como sabe que eu quero ser quando dou pra ele Hahahaha Avante

Mangu: Obrigado amigo, continue comentando por favor!

VeriPassiva: Obrigado, e pode deixar que eu vou me jogar mesmo! Hahaha

Agora vamos a o conto! Haha

Bom acordei no outro dia enquanto Ri e o Rafa ainda dormiam, resolvi ir tomar banho então. Na casa já tinha algumas pessoas acordadas, então fui direto pro banheiro sem que ninguém me visse e tomei meu banho tranquilamente, fiquei até de pipi duro quando lembrei do que aconteceu no dia anterior, mas sai rapidinho pra não dar bandeira. Sai do banho de cueca com a toalha enrolada, entrei no quarto, Ricardo e o Rafa ainda estavam dormindo. Bom tirei a toalha e fiquei só de cueca, como ainda era cedo e eu não queria sair do quarto antes que os outros acordassem, resolvi deitar na cama e esperar, passados alguns minutos percebi que o sono ia me vencendo e acabei dormindo novamente. Acordei, porem dessa vez quando abri os olhos vi logo de cara duas rolas moles bem na minha frente, batendo em meu rosto, passando nos meus lábios, sentindo aquele cheiro de pau. Dei um pulinho pra trás e vi que era o Ri e o Rafa com seu pintinhos pra fora, me vendo assim, eles começaram a rir e disseram:

Ri: Aeee Acordou nossa putinha.

Rafa: Até que fim.

Ri: Toma putinha vem chupar os pintos dos seus machos. (Retruquei)

Eu: Voces estão loucos, alguém pode ver aqui, tua mãe tava acordada já Ri e se ela entra aqui? E outra se quiserem que eu chupe, vocês terão que me chupar também, sabem disso.

Ri: Não, não, você é a nossa putinha, e vai ser o final de semana toda sem reclamar!

Eu: Não vou não, se quiserem brincar de novo vai ser igual ontem.

Ri: Mas ontem você disse que se a gente deixasse você nos comer e gozar em um de nós, você seria nossa putinha pelo tempo que quiséssemos, e nós queremos pelo final de semana todo, não é não primo? (risos)

Rafa: Eu quero as férias toda. (e riu)

Ri: Boa. (riu também)

Eu: Não, mas aquilo só valia pra ontem, eu falei ate vocês gozarem, e vocês gozaram e hoje é outro dia. (Ri retrucou)

Ri: Voce é furão, não cumpre o que fala!

Eu estava rejeitando aquilo tudo, mas na verdade estava gostando demais, mas não queria entregar facil…

Ri foi pegar as coisas dele e Rafa ficou me olhando, daí falei

Eu: Voces querem uma putinha pro final de semana todo não é?

Rafa: Sim.

Eu: E o que vcs vão fazer com ela?

Ri: O que eu vou fazer com a putinha? Vou Comer o cuzinho com força, mandar ela chupar e mamar nossas rolas, vou gozar no cuzinho dela e mijar também porque ela gosta, vou bater na bunda dela e chamá-la de puta e vadia, viadinho, tratá-la feito prostituta varias e varias vezes.

Rafa: É isso ai.

Eu: Nossa... tudo isso é?

Rafa: É, queremos uma puta safada!

Eu: Querem Rafa? Mas então, vocês não acham que já que vocês querem tanto uma putinha, uma putinha safada como o Rafa disse, vocês não devem dar algo em troca pra ela poder deixar vocês fazerem tudo isso e muito mais com ela?

Rafa: Muito mais? Que mais da pra fazer?

Ri: É O que mais poderíamos fazer?

Eu: Ah sei lá, eu conheço uma putinha sabe, que adora beber leitinho dos machos, gosta tanto que deixa eles gozarem na cara dela, e ainda bebe tudo o leite do rosto, sei que ela rebola e geme bem gostoso, é um menino sabe, mas geme e fala feito puta, sabe, tipo assim. (Eu comecei a fazer voz de putinha) E ela gosta de sentar nas rolas, gosta de apanhar... Mas antes de ela deixar que tudo isso aconteça, ela gosta que seus machos chupem a rolinha dela e deem o cuzinho pra ela por alguns minutos, bem rapidinho, uma vez so, só ate ela gozar, e depois ela se torna a putinha pro resto da semana!

Rafa me olhava boquiaberto, Ri olhava desconfiado...

Ri: Serio mesmo? E depois ela não vai querer mais nada? E vai ser nossa putinha por todo o final de semana?

Eu: Sim! Serio mesmo! Depois a única coisa que ela vai querer é que você afunde sua rola no cuzinho dela até o fim, e bata nela, e xingue ela, e goze nela!

Rafa: Eu gostei disso, eu topo!

Ri ficou me olhando com cara de quem duvidava, mas como se já tinha decidido. E Nesse meio tempo eu punha o dedo na boca tentava fazer cara de puta safada e ficava virando e rebolando, como eu estava só de cueca, cheguei até a puxar a cueca e encaixá-la no meu cu, fiquei de quatro de costas pra eles enquanto o Ri pensava, abaixei a cabeça na cama e empinei a bunda e fiquei passando a Mao nela.

Rafa: Vai logo Ricardo!

Ri: Ta bom... eu topo!

Me virei e disse:

Eu: Bom, assim que é bom. Entao, faremos o seguinte, vamos tomar café e sair pra brincar no pasto, lá vocês vão me chupar e dar pra mim, depois a gente volta, joga uns jogos que sua mãe trouxe Ricardo, almoçamos e ai depois do almoço eu irei apresentar vocês a putinha que vocês querem!

Eles concordaram e assim foi, comemos e fomos brincar, não irei detalhar o sexo que ocorreu em que eu os comi, porque não foi muito bom e eu prefiro falar do que começou a acontecer a tarde, mas posso dizer que gozei na bunda do Ricardo e o Rafa ainda quis sentir o gosto da porra e chegou a me chupar depois que gozei, mas fora isso não foi muito bom.

Almoçamos e no almoço todo Ri e Rafa não tiravam os olhos de mim, pareciam que estavam famintos olhando pra putinha deles.

Terminamos o almoço e Ri já sugeriu que fossemos empinar pipa no pasto, lugar distante da chácara e de todos, perfeito pra matar sua fome, sua outra fome. Rafa concordou na hora, eu porem, queria nadar antes, mas não pude negar né, tinha feito o acordo e sabia que quando eles quisessem a putinha deles eu teria que estar La.

Fomos escovar os dentes e no banheiro eu fiquei passando a mão por cima do pinto dos dois, eu estava adorando tudo isso, sou safado demais, ou melhor, safada demais, e não via a hora de sentir aquelas rolas no meu cu. Eles não paravam de rir e passar a mão na minha bunda, Ri punha a Mao dentro do meu short e acariciava meu cuzinho, era uma delicia.

Fomos pro quarto pegar as coisas e La eles continuaram a passar a mão na minha bunda, chegaram ate a me encoxar, e eu claro, tentando ser uma boa putinha, rebolava minha bunda em cada encoxada deles, e gemia com um gemidinho fino de puta. Pegamos tudo, avisamos a mae do Ri e fomos pro pasto. Felizmente o vento estava contra a gente dessa vez, então quando nós empinássemos nossas pipas, elas ficaram em direção a chácara, ou seja bem perto das pessoas, assim elas veriam nossas pipas e não desconfiariam de nada. Corremos pro final do pasto, perto de umas cercas de madeira que fizeram para as vacas passarem entre eles, tipo aquelas de matadouro sabe, era um zig zag. Entramos nelas e como elas não tinha teto, era perfeito, pois ficávamos escondidos de todos que tentasse nos ver, mas ainda sim podíamos ficar com nossas pipas no alto e dava pra ver o pasto todo entre algumas das madeiras da cerca.

Brincamos um pouco com as pipas para ninguém achar estranho elas paradas, mas logo o Ri que estava sentado numa espécie de engradado, desesperado disse:

Ri: Chega de pipa, eu quero minha putinha( e riu)

Nisso, sem pensar, eu cheguei do lado dele, puis minha mão dentro da calça dele e comecei a brincar com o pinto dele, tava molhinho, gostosinho, ele olhou para mim riu e disse:

Ri: Quem é você?

Eu tirei minha Mao do short dele, lambi meus dedos olhando pra ele e sentei no colo dele e comecei a rebolar, daí disse:

Eu: Sou uma putinha.

Ri: E o que você quer?

Peguei nas bolas dele e disse olhando pro Rafa, fazendo mo cara de vadia:

Eu: Rola, pinto, leite!

Ri: A é, então ajoelha ai putinha!

Obviamente eu obedeci, então ele amarrou nossas pipas na madeira, se aproximou de mim, junto com o Rafa, passou a mão por cima do seu short e disse:

Ri: O que vc quer esta aqui vem pegar.

Me aproximei dele, passei minha mão por cima do shots dele lentamente, abri o velcro e fui puxando para baixo, juntamente com a cueca. Seu pinto saltou pra fora, todo duro e apontando pra mim, que mesmo eu não gostando muito de chupar, não resisti nem 5 segundos, peguei naquela rola, alisei com minha mão e o abocanhei todinho de uma vez só, segurei na coxa dele e rapidamente eu Estava chupando feito cadela, sulgando feito prostituta, olhando pra cima, nos olhos dele fazendo cara de vadia, ele ficava louco, segurava minha cabeça contra o pinto dele e fica dizendo besteiras do tipo, “Chupa sua vadia, chupa putinha, chupa a rola do seu macho” e eu gemia quando ele falava isso e chupava mais ainda. Enquanto chupava o Ri, fiquei passando a mão na rola do Rafa, ate que ele disse:

Rafa: poxa eu também quero!

Então eu parei de chupar o Ri, fui em direção ao Rafa, gatinhando, cheguei perto dele, fiz a mesma coisa que fiz com o Ri, e quando eu vi aquela rola branquinha pra fora, aquela cabeça rosadinha, durinha, cai de boca chupando como se fosse profissional, como se minha vida dependesse daquilo, com mais vontade do que já chupei uma rola na vida. Nesse momento eles já haviam esquecido que eu era menino, só se referiam a mim como putinha, no feminino mesmo e me tratavam feito uma, era o que eles queriam, e era o que eu queria também, não quis nem saber se eu ia dar a semana toda, tudo que eu queria era rola e ali eu tinha duas, enquanto chupava uma, tinha outra pra brincar... Depois de muito chupar os dois, revezando entre um e outro, Ri foi pra trás de mim e eu já sabia o que ia acontecer, e não via a hora de acontecer...

Ri: ta na hora de meter nesse cuzinho!

Rafa: Isso primo, mete gostoso nessa puta, hoje ela é toda nossa.

Ri: É isso ai.

Eu: Hummm, que delicia de rola Rafa! Ri meu cuzinho ta piscando, querendo rola logo!

Ri: Olha só como ela ta safada!

Rafa: Né, ta toda assanhadinha!

Nisso Ri já tinha abaixado meu shorts e minha cueca, e foi uma delicia eu ficar de quatro de perninha junta enquanto ele tirava minha roupa e alisava minha bunda!

Ai ele começou a passar o dedo na entradinha do meu cu que ficava piscando querendo logo que ele enfiasse, eu me arrepiei todo. Ele passou a Mao na boca e no pinto dele, voltou pro meu cuzinho, senti o dedo dele molhadinho, geladinho, ele forçou o dedo um pouco, eu empinei a bunda claro, e ele saltou pra dentro do meu cu, entrando até o final...

Ri começou a mexer o dedo de pouco em pouco La dentro e eu delirava, comecei a rebolar e com isso a gemer mais, ai ele ficou louco, me deu um tapa forte na bunda e disse:

Ri: Rebola puta, rebola pra mim! (E começou a fazer o vai e vem com o Dedo no meu cu, enquanto o Rafa segurava minha cabeça chupando a rola dele)

E eu só rebolava muito, gemia muito mais também!

Continua…

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/04/2018 01:24:52
Ameioiii!!!
03/04/2018 10:38:41
continua. esse foi extraordinario. Minha imaginaçao foi no ceu e voltou
03/04/2018 10:38:09
por favor meu amigo