Puta do Cavalão

...ainda estávamos dando a foda de despedida daquela noite; o cafetão estava deitado de caralho em riste para o alto, e não perdi tempo, sentei de frente para ele e fui deslizando com meu bumbum naquele mastro como se estivesse num escorrega. Comecei a cavalgar lentamente, acelerava um pouquinho, voltava ao lentamente, gemia de tesão pelo macho e paixão por aquele cacete magistral até minha CUcetinha gozar como deve gozar um viado fêmea, pelo cu. Suspirei fundo, me recompus e, sem tirar seu caralho do bumbum, aproximei meu rosto do rosto do negão, e perguntei languidamente como uma puta deve se dirigir ao seu fudedor nessas horas: – Qual o nome que coloco na coleira? Cavalão. Eu sou do Cavalão... Tinha tudo a ver com aquele piçalho enfiado até o talo no meu bumbum... Mas eu disse que iria bordar 'Sou puta do Cavalão'... Ele era conhecido como Cavalão por seu dote mas principalmente pelo jeito marrento de proteger suas putas e viados. Seu nome mesmo era Rômulo do Estácio. Todo seu harém - duas mulheres e três travecos - era do morro. Soube por elas que Cavalão as colocou na vida para trabalhar por ele graças ao seu piçalho. Foi amor de pica. E um sabordalhão igual ao de Cavalão não tem preço. Então vou escrever na coleira "Sou puta do Cavalão"... vi escapar um sorriso contido e convencido de machão, como se pensasse com suas bolas - Sentou nesse caralho vira minha puta, mesmo!...– Cavalão me puxou pelo pescoço e colou minha boca na dele. Estava mostrando porque as suas cinco putas tinham motivos para se entregar para ele, dar tudo para ele e fazer tudo por ele. Foi uma beijo demorado... depois ele afastou meu rosto e enfiou uma porrada firme, que estalou como se fosse uma garrafa cerveja que tivesse caído e não se quebrado. Presta atenção, falou, olha pra mim porra! Nos meus olhos... não falha comigo se não eu te encho de porrada seu koroa viado! Agora Vc é "Puta do Cavalão"! Cavalão me ajudou a sair de cima do caralho dele para irmos embora...eu queria mais....aproveitei que seu caralho ainda estava esperto e abocanhei mais uma vez com volúpia... agradecida por Cavalão ter aceitado ser meu cafetão.

Entremos juntos no banheiro. Cavalão mijava um jato forte depois da metida sempre é farto e forte. Entrei no box para tomar uma chuveirada. Depois, enquanto se vestia, Cavalão falou: Na terça, aparece aqui que vou trazer um parceiro para te fuder... as outras ele paga, você vai ter que pagar ele e o meu capilé... Hoje também não vai ser cortesia, não. Eu não desvalorizo meu caralho fudendo viado de graça... Quarta e quinta tu descansa esse cu que vai ficar alargado. Sexta terá outro negão... e no domingo, armo uma gang-bang com eles dois e mais leke. Quero ver como Vc vai se comportar, no cumprimento do nosso trato. Prepara esse cu para os caras. Os picões gostam de cu, de socar com vontade e gozar muito...Você vai ter o que pediu... Ouvi com atenção e Me senti uma puta prestigiada...

Não quero ser convencida...Tô podendo. Sei que Cavalão sabe fazer uma puta ficar aos seus pés. Um viado é muito mais fácil...Sou facinha...mas é tem que se fazer tudo para ter o macho interessado em você... e grana não é tudo. Tem que ter seus segredinhos...mais do isso, ter vocação para puta. Instinto de puta. Isso acredito que tenho. Com o rosto mergulhado no colchão e o bumbum por alto, o cuzinho piscando - e só isso que se pode fazer...deixar o macho se deleitar com o caralho descobrindo o teu interior, a elasticidade de sua CUcetinha, a resistência e até quanto Você aguenta...Com seu cambange negro, duro, cabeçudo nem vai-e-vem lento, atritando e alargando meu íntimo até ficar frenético e alcançar o êxtase total, Cavalão dominava absoluto com seu caibro minha feminilidade, me submetia as suas socadas firmes e poderosas, até que desmoronou sobre meu corpo macio e amaciante com o seu magro e musculoso, grande e pesado, me cobrindo como uma ostra cobre uma pérola. Negro sobre o branco. Dono de tudo, gulosa, bumbum, cucetinha, corpo, pernas e braços... Levei o braço para trás, busquei seu pescoço, acariciei e ele trouxe a cabeça até meu rosto e sussurrou no meu ouvido, "cadela esse cu é uma delícia". Era só o começo... Saiu de cima de mim, se esparramou no meu lado e acendeu um cigarro... en quanto eu acariciava seu corpo magro, seu peitoril largo e firme, seu tanquinho de músculos duro, e cobrindo de beijos... vi o caralho de Cavalão anunciar que queria mais... Cavalão se pôs em pé para reiniciar a farra do prazer... Fiquei de quatro na beira da cama e fiquei feliz de saber que ia receber meu macho mais uma vez... Ele pincelou meu rego com a cabeçorra lubrificada com seu cuspe gelatinoso... Minha cucetinha piscou dando-lhes boas vindas... Cavalão comentou "esse cu quer mais pica... e vai ter..." Ajustou a cabeçorra de seu porrete e começou a cutucar meu anel... de repente a cabeçorra do seu minhocuçu abriu o caminho da felicidade... Minha rosca instigava com piscadelas, mordiscava seu caralho, as paredes do meu reto pressionando para seu varalhão se aprofundar e eu rebolava o bumbum buscando sentir seus pentelhos ásperos pinicando nas minhas nádegas... tinha entrado até o talo... Sabia que aquele caralho agora era meu... Minha cucetinha era tão dona daquele caralho, quanto Cavalão era dono da minha alma, meu corpo e minha vida... Cavalão gemia como macho tesudo em busca do clímax... eu gemia como cadela no cio ainda insatisfeita... Meu bumbum engoliu por inteiro aquele majestoso instrumento de prazer e sonho... Hã..hã...hã... que cu é esse? Meu caralho não quer parar de gozar...Viado esse cu ordenha um caralho melhor do que muita buceta... Levou alguns segundos para que aquele vergalhão amolecesse...minha xoxota estava saciada, meu cu estava feliz, meu instinto de puta satisfeito...Cavalão é meu dono, meu macho, meu cafetão.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
20/04/2018 01:59:01
Delicia