Amando Outra Vez 12

Um conto erótico de Bruninhooo
Categoria: Homossexual
Data: 18/04/2018 02:05:10
Nota 10.00

Matheus - Frank?

Frank - Matheus? Tio Dani? O que vocês tão fazendo aqui?

Alexandre - Como assim vocês já se conhecem?

Eu - Sim os dois são amigos,estudam na mesma escola.

Frank - Então o Matheus é o meu irmão?

Alexandre - Sim.

Então eles correram na direção um do outro e se abraçaram.

Eu - Como esse mundo é pequeno mesmo.

O Frank e o Matheus já agiam como irmãos um com o outro,antes mesmo de saberem de tudo e parece que eles ficaram bastante felizes com a notícia.

Alexandre Narrando

Meus dois filhos que tinham a mesma idade,estavam ali um do lado do outro,o Matheus era bem parecido com a Anastácia,mas tinha bastante traços meus também,se fosse a alguns anos atrás eu nunca me imaginaria com dois filhos adolescentes no auge dos meus 37 anos.

Flash Back On

Eu era o filho mais velho dos meus pais e como o meu avô Adamastor Alcântara só tinha ao meu pai Fernando de filho,eu era o seu primeiro neto e ele não poderia estar mais feliz,quando eu nasci ele ainda era um coroa saudável e cheio de disposição e tentava manter a alegria mesmo depois da morte da esposa,depois de mim os meus pais Fernando e Lígia tiveram o Arthur,meu irmão do meio e eu nunca nos demos bem,eu tentava me aproximar dele,mas ele estava sempre tramando contra mim,isso desde que nós eramos crianças,mas ele nunca chegou a fazer nada grave e que me prejudicasse de fato,ele reclamava e achava que o nosso avô gostava mais de mim do que dele,o que não era verdade.

Meu avô sempre percebeu que eu tinha tino para os negócios desde cedo e ainda adolescente eu o ajudava na empresa,que era uma das maiores,se não a maior distribuidora de alimentos do país,depois do meu avô o membro da família com quem eu mais tinha admiração é o meu irmão caçula,Fábio,nós sempre fomos unha e carne e ele sofreu muito,quando eu fui fazer faculdade de administração em Nova York aos 17 anos.

Eu estava no aeroporto me despedindo da minha família,enquanto o meu voo estava sendo chamado.

Adamastor - Vai com Deus meu neto,estude e aproveite bastante também.

Fábio - Vou sentir sua falta mano.

Alexandre - Você sabe que pode ir me visitar sempre que quiser.

Fábio - E olha que eu vou mesmo.

Eu dei um abraço apertado nos meus pais e a despedida do Arthur se limitou a um breve aperto de mão.

Chegando em Nova york eu mergulhei de cabeça nos estudos,até que em uma tarde fria de outono eu conheci a Suzana,brasileira assim como eu e filha de uma família tradicional,no começo nós eramos bons amigos,mas dessa amizade foi surgindo um carinho maior e nós engatamos um namoro,porém eu nunca amei a Suzana e acho que ela nunca me amou pra valer também.

Algumas semanas antes da formatura nós terminamos o nosso namoro e em uma das minhas idas a cozinha,durante o jantar de boas vindas que a minha família havia preparado eu acabei dando de cara com a mulher mais linda da terra,pelo menos aos meus olhos,se existia amor a primeira vista eu estava sentindo aquilo naquele momento e pelo olhar dela eu podia perceber que ela sentia o mesmo.

Durante um mês eu tentei me aproximar dela e ela sempre me evitando,eu sempre deixei claro pra ela que classe social não importava pra mim,mas isso pareceu não convencer ela,até que não aguentavamos mais de tanto desejo e tivemos a nossa primeira e única noite de amor,pois depois disso ela passou a me evitar completamente,poucas semanas depois veio a notícia de que a minha ex namorada,Suzana,estava grávida e a minha mãe queria que eu casasse com ela de todas as formas e por fim eu acabei casando por ser uma gravidez de risco e nós voltamos para os Estados Unidos para que ela fizesse o acompanhamento da gravidez por la´e o nosso pequeno Francisco nasceu em uma manhã de inverno em Nova York.

Com o nosso filho a convivência,Suzana e eu fomos aprendendo a nos amar,até que 8 anos após o nascimento do nosso filho ela morreu de um câncer avasalador e poucos meses depois o meu avô morreu também e lá estava eu com um filho para criar sozinho e as minhas duas válvulas de escape daquele sofriemento eram justamente o meu filho e o trababalho,pois o meu avô havia deixado 80% da empresa nas minhas mãos,dentro de poucos anos eu consegui triplicar o valor da empresa,tudo isso graças ao meu trabalho duro e noites mal dormidas,mesmo com toda essa rotina de trabalho eu não deixava de dar atenção ao meu filho,pois de todos os bens ele sempre será o mais precioso e foi muito dolorido ter que ficar tantos meses sem vê-lo devido aos negócios que eu tinha que fechar na América Do Norte,Europa e Ásia e um outro golpe duro que a vida me deu foi a morte da minha mãe,quando o Frank já tinha 12 anos de idade,mas eu tinha que me manter forte.

Depois de tanto tempo fora eu estava de volta ao Brazil,é claro que primeiro eu tirei uma semana inteira de volga para descansar e curtir o meu filhão e ao aparar a minha barba em frente ao espelho eu nem imaginava que naquele dia eu estava prestes a saber da existência de um outro filho.

Eu me arrumei com o meu terno preto e ao descer para a cozinha o Frank já estava tomando café da manhã.

Eu - Bom dia filho. Disse dando um beijo na testa dele.

Eu - Bom dia Mariazinha. Disse abraçando ela por trás.

Mariazinha - Ou para de graça menino haha.

A Mariazinha era a minha babá desde que eu era um bebê e trabalhou por anos na casa dos meus pais e depois que o Frank nasceu eu levei ela pra minha casa para tomar conta dele e hoje em dia ela é governanta da minha casa.

Mariazinha - Fiz tudo que você gosta,até aquela porcaria de wheey sei lá o que.

Eu - Kkkk wheey protein Mariazinha.

Desde adolescente que eu malho e gosto de esportes,já o Frank era mais ligado em tecnologia e cad um tem seu jeito.

Eu - Vamos? Disse depois de ter tomado café.

Eu deixei ele na escola e depois fui até a minha empresa e antes que eu entrasse na minha sala a minha secretária,Patrícia,me abordou.

Patrícia - Bom dia Alexandre.

Eu - Bom dia.

Patrícia - O presidente daquela marca japonesa ligou,eles querem fechar o contrato o quanto antes.

Eu - E quando eles vem pra cá?

Patrícia - Acho que semana que vem.

A Patrícia era uma excelente secretária,era uma menina bastante bonita,mas vivia se escondendo embaixo de roupas largas por ser muito tímida.

Eu entrei na minha sala e já fui organizando tudo que eu tinha que fazer,como presidente da empresa e dono de 80% das ações eu tinha muito trabalho sempre,o meu pai,Fernando,tinha 10% das ações e era o diretor geral da empresa,já os meus irmãos Fábio e Arthur tinham 5% das ações cada um,o Fábio era delegado de polícia e não ligava muito para a empresa,já Arthur era formado em direito e diretor da área jurídica da empresa e raramente assumia casos como advogado que não fossem relacionados a empresa.

O vice-presidente da "Alcântara" que é o nome da nossa empresa é o meu melhor amigo Vicente,como a escolha do vice ficava ao cargo do próprio presidente eu escolhi o Vicente,pois sempre pensamos muito parecido,o Arthur ficou furioso,porque ele achava que ele devia ser escolhido,mas seria impossível presidir a empresa ao lado dele.Enquanto eu organizava uns papéis eu ouvi uma batida na minha porta e o Vicente entrou por ela.

Vicente - E ai campeão.

Eu - Conseguiu sobreviver na minha ausência? Rsrs

Vicente - Ainda sabe falar português depois de tanto tempo fora? Kkkk.

O Vicente era um cara bem divertido,mas também era bastante focado e trabalhava duro,já estava próximo dos 40 anos e era um cara boa pinta,magro com músculos definidos,cabelo preto cortado bem curto e barba por fazer e tinha cerca de 1,85 de altura e estava divorciado da esposa.O motivo? ele queria ter filhos e ela não,ele suportou isso por um tempo e chegou a propor adoção,barriga de aluguel e outros meios,mas ela foi irredutível,o que resultou no divórcio dos dois.

Eu - Como anda a vida de divorciado?

Vicente - Melhor do que a de casado concerteza hahaha.

Eu - Hahaha!

Vicente - E você vai continuar o solteirão do pedaço?

Eu - De preferência sim kkk.

Nós botamos o papo em dia e depois de alguns minutos ele voltou para a sua sala.Ainda naquela manhã a minha secretária,Patrícia,veio até a minha sala e disse.

Patrícia - Tem um homem ai fora querendo falar com o senhor.

Eu - Eu não lembro de ter marcado nada com ninguém e eu tô muito ocupado agora também.

Patrícia - Foi exatamente o que eu disse pra ele e ele me pediu pra te dizer que o assunto era sobre uma tal de Anastácia.

Ao ouvir aquele nome,eu fiquei totalmente paralisado,desde que eu casei com a Suzana eu não tinha mais ouvido falar da Anastácia e derepente alguém chega com informações sobre ela.

Eu - Pode deixar ele entrar.

Então eu fui procurar pela única foto da Anastácia que eu tinha e que eu mantinha guardada na gaveta do meu escritório e ao me virar para olhar eu vi um rapaz loiro,dos olhos verdes profundos,ele tinha uma beleza incrível,não só física,mas ele tinha uma energia boa,os seus cabelos levemente molhados e era possível notar as suas coxas grossas naquela calça apertada e eu logo me repreendi por estar reparando tanto em outro homem.

Ele me entregou uma carta da Anastácia onde ela dizia que teve um filho meu e eu fiquei com ódio ao descobrir que a minha própria mãe tinha se livrado da Anastácia,mandado que a agredissem e me escondido a existência do meu filho,que era o próprio neto dela.

O homem chamado Daniel que estava ali na minha frente,claramente só queria me informar da existência do Matheus a pedido do próprio e se eu tivesse interesse eu poderia conhecê-lo e é claro que eu queria e se ele fosse mesmo o meu filho eu iria querer assumi-lo,eu não pretendia tirar ele do Daniel de maneira alguma,mas eu jamais deixaria um filho meu de lado.

No fim da tarde eu estava quase terminando o meu trabalho no escritório e ai que eu percebi que Daniel e eu nem tinhamos conversado direito e que eu sabia muito pouco sobre o meu possível filho,Matheus,então tomado pelo impulso eu liguei para o Daniel e nós combinamos de jantar juntos,eu acabei conseguindo uma reserva de última hora em um restaurante e para não ter que perder tempo indo pra casa eu tomei banho ali na empresa mesmo.

Por volta das 9 da noite eu já estava em frente ao apartamento do Daniel e ao vê-lo andar em minha direção eu pude reparar no quanto ele era lindo e ele parecia muito jovem para 31 anos,eu diria que ele tinha uns 25 ou 26 anos e logo eu estava me repreendendo de novo por estar reparando tanto em outro cara.

Ao chegarmos no restaurante ele entrou na minha frente e foi impossível não reparar naquela bunda grande se movendo naquele jeans apertado e eu tive que me controlar para não ter uma ereção ali mesmo.Meu Deus o que está acontecendo comigo? Eu nunca nem olhei pra outro homem.

Conforme nós jantavamos,Daniel e eu conversamos bastante e eu pude perceber que ele era um cara bem legal e que sofreu muito também,mas cuidava muito bem dos filhos.Ao deixa-lo em casa nós nos despedimos com um abraço apertado e que durou tempo demais e eu pude sentir o corpo frágil dele nos meus braços e o perfume doce dele.

No dia seguinte eu fui trabalhar e por alguma razão o Daniel sempre vinha a minha cabeça,antes de ir até o apartamento dele eu comprei uns presentes pra eles e depois de conversar com o Matheus nós fomos fazer o exame de dna.

Depois de termos doado o material para fazer o exame eu fui direto para a minha casa e eu deveria contar toda a história para o meu filho Frank.

Frank - Então quer dizer que talvez esse garoto seja o meu irmão?

Eu - Exatamente,assim que tudo for confirmado eu apresento ele pra você.

No começo ele ficou meio estranho com aquela notícia,mas acabou se acostumando com a ideia de ter um irmão.

Durante os 15 dias antes que o exame ficasse pronto eu fui visitar o Matheus algumas vezes e quanto mais eu o visitava,mas eu me apegava a ele e também ao Daniel e ao Angel que era um garotinho muito especial e o resultado positivo do exame veio confirmar aquilo que eu já tinha certeza,mas como a vida é cheia de surpresas o Frank e o Matheus já se conheciam e eram melhores amigos e não paravam de conversar durante o almoço.

Alexandre - Que tal nós darmos uma volta pelo jardim agora. Disse assim que todos haviam terminado de almoçar.

Novamente os meus olhos me trairam indo parar na bunda do Dani que dessa vez estava perfeitamente desenhada em uma bermuda xadrez,por sorte nem o Daniel e nem as crianças notaram as minhas olhadas.

O Matheus estava louco pra entrar na piscina,mas o Daniel só deixou depois de 1 hora após o almoço,eles estavam brincando na água,enquanto o Daniel e eu conversavamos amenidades e riamos um das piadas do outro.

Autor Narrando

Quando deu por volta das 16 horas o Daniel queria ir para a sua casa e pra isso teria que tirar o Matheus da piscina.

Daniel - A tarde foi muito divertida,mas eu tenho que ir embora.

Alexandre - Mas já? Fica mais um pouco.

Daniel - Não vai dar mesmo,vem Matheus sai dessa piscina.

Depois de terem tomado banho no chuveiro da piscina,Frank e Matheus estavam se secando em uma área mais afastada quando o Matheus disse.

Matheus - É imprensão minha ou eu senti um clima entre o seu pai e o meu.

Frank - Eu também senti,mas achei que fosse doideira da minha cabeça eu até vi quando o meu pai deu uma encarada na bunda do seu.

Matheus - Será que eles estão se gostando?

Frank - Claro que estão,só um cego não vê o clima entre eles,mas o meu pai nunca daria o braço a torcer de que ele está gostando de um cara.

Matheus - O meu pai,também é meio lerdo pra essas coisas de paquera,ele nunca teve outro namorado,além do meu pai Anderson.

Frank - E se a gente juntasse os dois?

Matheus -Como assim?

Frank - A gente podia dar um empurãozinho pros dois ficarem juntos,já pensou se os dois casam e nós vamos todos morar na mesma casa que legal ia ser.

Matheus - Quer saber...eu topo.

Frank - Acordo fechado então.

Os dois deram um aperto de mão selando o acordo.

CONTINUA...

Vit.Will: Verdade,a vida é cheia dessas surpresas.

Guigo: Amigos e irmãos

Geomateus: Isso eu posso garantir que não

Guardian: Pois é,eu dei algumas dicas antes da surpresa final kkk.Alexandre é um homão da porra mesmo e tem muito a vir.

Ypii: Fico feliz que esteja gostando,sempre tento postar o mais rápido possível.

Arrow: Romance no ar e Frank e Matheus estão dispostos a colaborar para que isso aconteça.

Abduzeedo: Obrigado pela participação querido,a questão do estupro será tratada mais a frente e o Daniel não tem interesse nenhum na carteira estufada do Alexandre.Beijos.

Regi1069: Ele não só gostou como amou rsrs.

Duduzinhog: Frank e Matheus amigos e irmãos rsrs

Valtersó: Realmente dinheiro é o que menos importa,o Norberto vai pagar pelos seus crimes sim,mas ainda há muito a ser percorrido.

Hyan: Surpresa! Kkkkk.Será que os dois conseguirão juntar Alexandre e Daniel?

Pandinha67: Felicidade a vista,obrigada pelo carinho meu bem,beijão

Alex curte peludo: Fico feliz que tenha gostado do meu conto e peço que comente aqui mais vezes se puder,beijão.

Muito obrigado meus leitores queridos e até o próximo capítulo.

ABRAÇOS

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/06/2018 12:38:23
Uma surpresa atrás da outra.... Como parar de ler?????
18/04/2018 21:05:26
Operação Cupido kkk 😍😍😁 Muito Bom.
18/04/2018 19:09:38
Meu deus operação cupido.Adoroooo
18/04/2018 15:59:23
seu conto é tao gostoso de ler q qdo acaba fica a expectativa da sequencia!!!
18/04/2018 07:42:53
Maravilhoso ver e ler o ponto de vista do Alexandre. Vendo que, apesar de muito focado no trabalho até por esse trabalho ser a maior industria do setor no país, ser uma pessoa tão legal. Beeeem, adoro esses momentos em que as coisas começam a sinal de existência. De novo, o poder da calça apertada. Vou começar a usar o artifício, Brasil. hahahaha. Mentira, já uso, hahahahaha. Agora, a maravilha das maravilhas é a "tramoia" arquitetada pelo Matheus e o Frank. A-D-O-R-E-I. E o Alexandre achando que ninguém reparou nas olhadas dele. Assim como o Daniel achando que ninguém percebe que ele é "baphorenta" . ah, adoro situações assim descritas. Matheus dizendo que o pai é devagar. Oi, Brasil??? Quem é ele na fila do pão? Tem muuuita experiência de relacionamento mesmo. hahahhaha. Tomara que os dois "demorem" pra perceber que ambos estarão "amando outra vez" para a gente ver esses dois adolescentes criando as situações mais estapafúrdias" para juntar os dois. "Irmãos de crime"! Adorooooo. Amei esse capítulo e quase visualizei os dois juntos maquinando a ação "criminosa". Em tempo, como o vice-presidente Vicente tá na pista... Já shippo com a colega de trabalho do Daniel. Sim sou desses porque ela não merece aquilo que está com ela. #ficaadica. E vou infernizar aqui para que isso ocorra.
18/04/2018 07:18:49
Ter os dois pais juntos, será um amor novo?
18/04/2018 03:51:20
Bom demais. Esses dois vão dar cupidos dos bons viu.