Descobertas de um filho 5

Um conto erótico de Mrpr2
Categoria: Homossexual
Data: 17/04/2018 18:15:45
Nota 10.00

Descobertas de um filho 5

Como relatei no conto passado finalmente meu desejo estava sendo realizado, safadamente seduzi meu pai, confesso que não foi tão difícil como eu imaginava. Meu pai e eu estávamos em seu quarto. O mais velho de quatro na cama com seu bundão arreganhado e empinado enquanto eu de pe no chão com minhas mãos em sua cintura e meu cacete ate o talo cravado naquele buraco quente delicioso a contrair apertando meu cacete.

Meu pai começou a rebolar me fazendo gemer.

_ Ta gostoso ta? Sentir meu cacete no teu cu?

_ Nossa muito gostoso filhão.

_ Gostando de sentir meus pentelhos?

_ Sim muito!

_ Então o senhor gosta de um peludão hem?

_ Confesso que sentir esses pentelhos em minha bunda é muito bom, mas na boca e na garganta não são nada agradáveis.

_ Então aproveita que eles estão aqui ainda e sente eles.

Comecei fazendo vai e vem, deixando apenas a cabeça do meu pau para fora e socando o resto em meu pai cada vez mais rápido.

_ Isso filho, mete, mete no seu paizão! Mete esse caralho todinho isso!!!!! Haaaa delicia de cacete!

_ Hummm, isso Pai, assim que delicia de cu! Rebola na minha rola, rebola!

Nossa que delicia essa troca de putaria enquanto eu metia em meu pai, íamos falando coisas, pedindo mais, elogiando e isso ia dando ainda mais tesão. Minha respiração acelerou novamente junto com meu coração e meu cacete duro feito rocha, meu pai então disse:

_ Lembra o que te ensinei agora faz você sozinho e trava o gozo.

Tirei uma das mãos da cintura de meu pai e apertei meu perimeo como meu pai tinha feito comigo antes.

_ Isso filhão, controla a respiração. Outra coisa que pode fazer e apertar a musculatura pélvica isso ajuda, claro que você terá que fortalecer essa musculatura, mas é bom você já ir treinando.

_ Como faço isso pai?

_ Sabe quando você esta querendo mijar e você segura o mijo ou quando esta mijando e você interrompe o fluxo de mijo? È isso que você deve fazer.

_ Hum sim.

Fui respirando parado ate perceber que podia continuar sem perigo de gozar, meu pai então pedi para mudar de posição, meu pai deitou de barriga para cima na cama e eu subi na cama entre suas pernas de joelho coloquei as pernas de meu pai em meus ombros e iniciei a penetração agora olhando as feições do rosto de meu pai. Enquanto eu metia sentia meu suor escorrer pelo meu corpo, isso me fez lembrar de Jorge todo suado metendo em meu pai o que me deu ainda mais tesão me fazendo meter mais rápido e forte fazendo meu pai delirar de prazer.

_ isso filhão mete assim, isso com tudo gostoso! Mete nesse rabão do teu pai! Esta gostoso ta?

_ Muito! Uma delicia!

Vi os mamilos rosados de meu pai espetados e comecei a aperta los meu pai gemeu mais forte, estremeceu o corpo seu pau começou a soluçar e a esporrar muita porra lambusando o meu e o peito dele, enquanto seu cu contraia apertando meu pau me fazendo gozar com muito prazer enchendo o cu do meu pai de porra, muita porra mesmo.

Cai exausto no peitoral do meu pai e fui abraçado por seus braços fortes, um abraço forte carinhoso, meu pai beijou minha testa e ficamos assim abraçadinhos sentindo o coração um do outro ir diminuindo o ritmo sem dizer nada só curtindo o momento.

Depois de um tempo meu pai disse que já estava tarde e que era melhor nos irmos tomar banho para eu ir para casa. Fomos juntos para o banheiro como não fazíamos a anos tomamos banho juntos meu pai me esfregou e eu o esfreguei foi muito bom, meu pai então olhou para mim e disse.

_ Bom agora que eu já satisfiz seu fetiche espero que não fique estranha nossa relação de pai e filho de agora em diante.

_ Por mim não vai ficar estranha, pelo contrario vai ficar ainda mais gostosa!

_ Pretende repetir?

_ Claro e porque não, o senhor não gostou? Porque eu gostei, curti muito cada momento, cada ensinamento aprendi muito hoje e quero aprender mais e mais coisas com o senhor.

_ Tudo bom vamos ver o que acontece. Bom já que fiz o que me pediu bem que você poderia me realizar um pedido também ne?

_ O que?

_ Poderia me dar uma mamada também ne?

_ Acho justo!

Me ajoelho no chão do banheiro pego no cacete branco totalmente depilado do meu pai e o coloco na boca, vou imitando seus movimentos como ele tinha feito comigo e ele como um bom professor novamente vai me orientando como fazer da melhor forma possível. Depois de algum tempo mamando não so o cacete, mas as bolas e a virilha e ate o cu do meu pai, ele segura minha cabeça com seu cacete em minha boca e começa a fazer movimentos socando seu pau la no fundo de minha garganta engasgo algumas vezes mas mesmo assim continuamos, meu pai vai fudendo minha boca ate esporrar dentro dela me levanta e pela primeira vez me da um beijo sentindo o gosto de meus lábios misturado com o sabor de sua porra. Terminamos nosso banho me seco e visto e vou para minha casa todo feliz e orgulhoso pela incrível foda que tinha acabado de rolar com meu próprio pai.

Chego em casa e recebo uma bronca de minha mãe por eu não ter avisado onde estava, digo que meu pai e eu nos entretemos em uma maratona de series e acabamos por esquecer, mas que eu tomaria mais cuidado da próxima vez e estava morrendo de fome. Minha mãe disse que a janta estava no prato dentro do micro-ondas era apenas esquentar já que haviam jantado enquanto eu esquentava a janta ouvi da cozinha minha mãe ligar para meu pai, creio que para confirmar minha historia e para dar uma bronca em meu pai, mas logo ele a acalmou o que foi ótimo porque eu estava cheio de planos e minha mãe embarreirando seria um grande empecilho.

Continua...

Gostaram do conto? Comente, vote participe!

Mrpr2

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/07/2018 18:35:03
quero dar pro filho e pro jorge juntos 10
28/04/2018 17:10:31
Maravilhoso! De pau duro aqui!
18/04/2018 01:29:27
bom
17/04/2018 18:46:17
EITA FILHO E PAI GOSTOSOS. CONTINUEM.
17/04/2018 18:40:25
Adorei seu conto, nego. Bem digitado. História super picante. Admiro sua coragem de ficar com o próprio pai. Mas não sou contra, calma, só não sei se teria tamanha coragem. Conheci meu pai há pouco tempo, ele é lindo, tão novo que parece meu irmão. Às vezes vou na casa dele, o vejo de cueca, no banho, mas nunca tive maldade. Acho que é recíproco. Mas adorei seu conto. E se te faz bem, continue com ele. Continue.