Casa dos Contos Eróticos

Amor tem Gênero? Cap. 21 - Reunião de Família Parte 2

Categoria: Homossexual
Data: 15/04/2018 01:17:29
Nota 9.17

BERNADETH: Tive que dividir esse cap em duas partes então aqui está a segunda kkkkk, sinto muito pela demora na postagem

VALTERSÓ: Foi preciso kkk

ABDUZEEDO: Todas as respostas para suas perguntas se encontram no capítulo 6. E não, não sou vítima em tudo e nunca me vi assim. Porém estou contando uma fase da minha vida que não estava muito bem e tenho que relatar o que me ocorreu para que vocês não se percam com essa minha vida maluca.

REGI1069: Será? Não darei spoiler kkkkk

**********************************************

Pai: Do que você está falando Kyle? Passou tanto tempo nessa briga e agora vai simplesmente assinar? Do que serviu toda essa birra então?

Percebi que minha mãe não havia contado do meu plano para meu pai, mas decidi dançar conforme a musica.

Eu: Essa minha teimosia só desgastou e separou nossa família, quero resolver isso de uma vez por todas.

Pude notar que todos na sala estavam surpresos com minha decisão, exceto minha tia Cristina. Dr Henrique colocou muitos documentos sobre a mesinha de centro, no topo deles estava o papel que gerou tanta confusão, continha a assinatura de todos exceto a minha. Parando pra pensar eu havia feito aquilo para prejudicar meus tios, mas acabei atingindo pessoas que não mereciam, como minhas primas e minhas irmãs. Peguei a caneta e comecei a assinar aquele documento, sentia como se tivesse tirado um peso nas costas e perdido uma grande arma contra minha família. A verdade é que depois de um tempo eu gostei de ter uma forma de atingir a ferida deles e agora acabou, o documento estava assinado.

Dr Henrique: E com isso temos a assinatura de todos os beneficiados cumprindo assim o desejo do senhor Joaquim. Pois bem, as quantias em dinheiro serão creditadas nas respectivas contas e quanto aos imóveis estou com toda a documentação necessária para a mudança de proprietário. Quanto às ações teremos que fazer a transferência dos pais para os filhos.

Cristina: Dr Henrique a transportadora você deve passar para o nome do Valter e do Marcos.

Dr Henrique: Mas porque?

Valter: Eu e Cristina negociamos, ela me dá 50% de controle da transportadora de Carapicuíba mais R$ 50.000,00 e eu a dou as ações da empresa que seriam de minhas filhas.

Marcos: O mesmo para mim, Marcelo nunca se interessou pela empresa e Cristina saberá administrar.

Cristina: E com as ações de meu filho eu terei 50% das ações da empresa, me tornando sócia majoritária

Eu: Sinto muito te falar isso titia, mas suas contas estão erradas.

Cristina: Do que você está falando?

Eu: Achou mesmo que eu entregaria a unica vantagem que eu tinha sobre vocês assim de bandeja? Dr Henrique por favor explique a ela

Dr. Henrique: Bom, quando o senhor Cristopher... perdão, o senhor Kyle falou comigo ele pediu para que eu preparasse alguns documentos de transferências de ações, 4 para ser mais exato.

Eu: Exato, minhas irmãs me passaram as ações delas, e como as ações de Branndon ficaram com minha mãe ela também me passou.

Cristina: Mas e o quarto documento?

Eu: Engraçado você perguntar isso titia, o quarto documento foi assinado por ninguém menos que seu filho Jonas, ou seja, ele não tem nenhuma ação para você pegar e juntando todas essas ações com as que eu ganhei de herança eu fiquei com 62.5% das ações da empresa, me tornando o sócio majoritário da empresa. Eu sempre soube do seu plano de tomar a presidência da empresa, quem você acha que mandou Jonas te avisar que eu assinaria o testamento?

Eu podia notar a surpresa estampada no rosto de todos da sala exceto dos que sabiam do meu plano desde o inicio. Tudo estava correndo conforme os meus planos, exceto que eu não havia previsto o que viria a seguir.

Cristina: VOCÊ SÓ PODE ESTAR DE BRINCADEIRA! Jonas meu filho como você pôde fazer isso comigo? E José você sabia disso tudo? Seu filho está levando a pagode a empresa de nosso pai. Esse garoto arquitetou tudo isso, ainda acha mesmo que ele não teria sido capaz de provocar a morte do próprio irmão pra ficar com essa casa só pra ele!?

Foi muito rápido, quando dei por mim Kemilly estava em cima de tia Cristina estapeando seu rosto, meu pai e Jonas correm para separá-las.

Kemilly: Lave sua boca antes de falar de meus irmãos seu ser humano desprezível.

Cristina: Sua garota estupida e idiota, você vai pagar por isso.

Eu: JÁ CHEGA! Já estou farto disso tudo, fora Dr Henrique, meus pais e minhas irmãs o restante saia da minha casa agora - olhei para meus tios e sorri- Sim, eu disse MINHA casa. Jonas se quiser pode ficar, senão pode acompanhar sua mãe.

Marcelo: Mas Kyle já está tarde, não temos como conseguir reserva num bom hotel e nosso vôo só está agendado para amanhã.

Eu: Durmam no aeroporto, na rua, debaixo de uma ponte se quiserem.

Pai: Filho você não...

Eu: EU JÁ DISSE QUE NÃO! - foi quando senti um forte tapa em meu rosto

Mãe: PRESTA BASTANTE ATENÇÃO, EU NÃO VOU PERMITIR QUE VOCÊ GRITE COM SEU PAI

Eu: Me desculpa pai, eu sei que errei. Vocês podem passar a noite aqui, perdoem minha falta de educação.

Mãe: Todos menos a Cristina, afinal ela não pode ficar na mesma casa que um assassino não é.

Após isso minha tia Cristina foi embora enxotada por minha mãe, o restante foram para seus respectivos quartos. Após o jantar dei um beijo de boa noite em meus pais e em minhas irmãs e fui para meu quarto. No dia seguinte conversei com minha meus pais e minhas irmãs para não irem embora que eu tinha uma pessoa para apresentar a todos.Contei para minha mãe o que eu planejava fazer, ela ficou um pouco apreensiva mas concordou comigo e disse que ia mandar a empregada preparar um jantar. Fui para o aeroporto e peguei o voo para Juazeiro do Norte, chagando lá fui até a casa de Cadu e toquei a campainha e uma senhora abriu a porta, ela se identificou como a diarista contratada pelo senhor Feliciano e disse que o mesmo se encontrava no quarto de Cadu. Subi as escadas e segui o corredor até chegar em frente ao quarto de Cadu, quando ia bater na porta eu ouvi

Feliciano: Meu filho é perfeito, você namorando com o Kyle ele pode conseguir pra mim um bom cargo na administração da empresa, sem contar que você vai nadar no dinheiro

Cadu: Realmente é um bom plano pai... - então eu abri a porta, ambos se assustaram com minha aparição - amor!? Pensei que estivesse em São Paulo resolvendo uns assuntos de familia

Eu: Eu estava, mas senti sua falta e vim te buscar para ir comigo. Você quer ir?

Cadu: Eu posso ir pai?

Feliciano: Mas é claro meu filho, não precisa nem pedir

Então ajudei o Cadu arrumar algumas roupas para levar e fomos para o aeroporto e pegamos o próximo voo que saia de volta para São Paulo. Durante o vôo o Cadu deitou sua cabeça em meu ombro e uma aeromoça que estava próximo de nós fez cara feia quando viu. Eu a chamei com a mão e ela de mau gosto foi até nós.

Aeromoça: Pois não senhor?

Eu: Nós fizemos algo de errado para você?

Aeromoça: Claro que não senhor

Eu: Então eu gostaria que você arrumasse essa sua cara de limão azedo para comigo e meu namorado, não quero ter de fazer uma reclamação por escrito para a companhia de que eles contratam empregados preconceituosos.

Aeromoça: Desculpe-me senhor, eu sinto muitíssimo por isso, não foi minha intenção ofender o senhor e o seu amigo.

Nessa hora eu puxei o Cadu e lhe dei um beijo.

Eu: Seus amigos fazem isso uns com os outros?

Aeromoça: Não senhor.

Eu: Exato! Ele é meu N-A-M-O-R-A-D-O. Não esqueça disso por favor

Aeromoça: Sim senhor, me desculpe novamente senhor. - e se retirou

Cadu: Amor você não acha que foi muito bruto com ela?

Eu: Sim eu fui, mas eu não vou deixar ninguém te machucar ou te ofender, nunca. Eu te amo Cadu.

Cadu: Também te amo Kyle.

Fomos o restante do vôo conversando e brincando um com o outro, e sempre que a aeromoça passava eu dava um beijo no Cadu que me repreendia rindo.

Chegamos em São Paulo e pegamos um táxi até o shopping Tamboré onde fomos ver um filme no cinema, no final da tarde fomos para a mansão de meu avô que agora era minha casa

Cadu: Nossa isso tudo é seu?

Eu: Bom agora é, meu avô deixou de herança pra mim

Quando entramos minha mãe estava na sala tomando chá e vendo TV, perguntei a ela ondes estavam todos e ela disse que Kemilly e Kiara tinham ido pra casa mas que viriam à noite para o jantar e meu pai estava no quarto dormindo.

Eu: Mãe esse é o Cadu, meu namorado.

Nessa hora Cadu ficou completamente vermelho, ele estava tão fofo que tive de me segurar pra não pular nele ali mesmo.

Cadu: Mu... muito p... pr... prazer

Minha se levantou do sofá seria, foi até o Cadu e abriu um grande sorriso e o abraçou.

Mãe: Já nos conhecemos seu besta, você ia sempre ver ele no hospital quando estava em coma. Olha se você fizer meu menino sofrer eu te capo viu, e o mesmo vale pra você Kyle. Cuide bem desse rapaz, queria eu ter sabido escolher como você meu filho. E então, vocês já fizeram?

Eu: MÃE

Mãe: Ficou vermelho, então já. Usem camisinha viu, homem não engravida mas proteção é sempre bom.

Eu: Vem Cadu, se dermos corda ela vai falar besteira até amanhã.

Subimos as escadas enquanto minha mãe dava altas gargalhadas na sala, levei ele até meu quarto.

Cadu: Nossa que quarto grande, é o seu?

Eu: Esse era o meu quarto que meu irmão ficava, mas agora ele é nosso.

Cadu: Não sabia que você tinha irmão

Eu: Minha mãe teve 4 filhos, eu sou o mais novo.

Cadu: E cadê seus irmãos?

Eu: Falamos disso depois.

Empurrei ele na cama e comecei a beijá-lo com desejo, nos despimos e fizemos amor. Logo após tomamos um banho juntos e ficamos deitados na cama conversando.

Cadu: Kyle sobre a conversa que você ouviu hoje lá em casa, não é o que parece. Meu pai chegou com essa ideia maluca de aproveitar nosso namoro pra ganhar dinheiro de você, mas eu não concordei. Quando me apaixonei por você eu nem sabia que você tinha dinheiro, até porque você estava dando aula em escola publica não é. O que eu quero dizer é que mesmo que você vá morar debaixo de uma ponte eu irei de amar e irei junto com você

Eu: Ta querendo me fazer chorar? Eu te amo tanto meu birrento.

Começamos um beijo selvagem cheio de caricias quando alguém bate na porta. Era a empregada avisando que todos já estavam à mesa e minha mãe mandou me chamar. Chamei o Cadu para descermos, eu estava nervoso. Tinha medo da reação de minha família.

Entramos na sala de jantar e todos estranharam a presença de Cadu (exceto minha mãe).

Eu: Boa noite família, antes de começarmos o jantar eu queria apresentar alguém muito especial para vocês. -Peguei na mão de Cadu e apertei para me dar forças - Esse é o Carlos Eduardo, o meu namorado.

CONTINUA...

Comentários

15/04/2018 23:00:24
GT no início o Cadu nem sabia, e outra as vezes a gente concorda com tudo que os pais dizem só pra eles calarem a boca.Quem nunca fez isso
15/04/2018 18:58:28
Tô com um pé atrás com esse Cadu... Gosto dele mas me parece falso
15/04/2018 13:28:28
O dinheiro é um mau do mundo o pai do Cadu aceitou numa Boa o relacionamento com kyle qdo soube que ele era rico e agora quer tirar proveito. Agora achei muito estranha a atitude de Cadu em concordar com o pai o dinheiro pode muitas vezes corromper as pessoas será que Cadu foi corrompido tbm?
15/04/2018 08:52:02
Kyle como sempre com um timing perfeito. Reparei que ele sempre chega na hora certa, escutando a coisa certa. E quanto a aeromoça, me recuso a acreditar que ela tenha agido dessa forma. Comissários de bordo são treinados pra sorrir até quando o avião ta caindo! Além do mais, o qual ofensivo é uma cara feia? Que showzinho desnecessário...
15/04/2018 02:41:24
acho Cadu um falso do caramba
15/04/2018 02:32:05
NÃO ENTENDI MUITO BEM UMA COISA. KYLE OUVIU A CONVERSA DE CADU COM O PAI. AMBOS FALAVAM EM USUFRUIR DO DINHEIRO DE KYLE. E MESMO ASSIM KYLE NÃO TOMOU NENHUMA ATITUDE? MUITO ESTRANHO ISSO. FIQUEI MEIO SEM ENTENDER. SERIA KYLE TÃO BABACA ASSIM? OU ESTÁ TRAMANDO ALGO? E CADU? QUE BABACA EM CONCORDAR COM O PAI. E ESSE PAI QUE IDIOTA INTERESSEIRO. DETESTEI ISSO.
15/04/2018 02:21:16
😮😮😮😮😮

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.