Casa dos Contos Eróticos

AMOR DE PESO 2 - 02X06 - AULAS DE NOVO

Um conto erótico de Escrevo Amor
Categoria: Homossexual
Data: 14/04/2018 22:23:42
Nota 10.00

Pai e mãe,

Tive dois ótimos dias de férias, mas infelizmente, a rotina de exercícios e provas vai voltar. Não posso negar que tive um ótimo mês. Está dando tudo certo, espero que vocês estejam orgulhosos de mim.

Acorde cedo, meu relógio biológico é o pior de todos, estou acostumado a acordar cedo, mas cara, sério? Levantei e fiquei sentado por uns três minutos. Fora do meu quarto, o desespero tomava conta de todos, a minha tia era a pessoa mais atrasada que já vi, e meus irmãos não colaboravam. Tomei banho, desci, fiz café e eles ainda estavam enrolando.

Giovanna: - Não acho a minha presilha cor de chiclete. (olhando na mochila)

Richard: (de baixo da mesa) – Alguém viu a Romilda?

Olívia: - Não vou nem perguntar o que é isso. (guardando alguns documentos na bolsa) – Vamos, Richard e Giovanna. Agora. (saindo sem se despedir de Yuri)

Yuri: (colocando café na xícara e olhando no relógio)

Olívia: (voltando) – Ainda não 6h30. Não estamos atrasados.

Yuri: (com um sorriso malicioso) – Café?

Encontrei meus amigos na parada de ônibus, Brutos era o mais preguiçoso de todos, ele estava praticamente dormindo ao nosso lado. Zedu era lindo de qualquer forma, mas ele também parecia estar cansado. As meninas passaram um quilo de maquiagem, afinal, eles queriam chegar abafando no primeiro dia de aula.

Ramona: - Será que colocaram um cartaz na frente da escola? (abrindo os braços e sorrindo) – Bem-vinda, rainha da Escola Dom Pedro I.

Letícia: - Sonhar não custada nada, né? (olhando para Yuri)

Yuri: - Espero que as pessoas tenham esquecido o meu mico na cerimônia. (colocando a mão no rosto)

Zedu: - Não se preocupe. Estaremos do seu lado. Né? (pegando em Brutus)

Brutus: (acordando assustado) – Não, professora.

(Todos rindo)

Quando chegamos na escola parecia que nada tinha mudado, a Tia Ray, nossa zeladora, continuava estressada, brigando com todos no corredor. A gente corria demais, fazia muita zoada, não respeitava regras, eram muitas coisas. Eu já não era mais um estranho na escola, então, algumas pessoas vieram me cumprimentar, a maioria era para saber como eu me sentia ao retornar para lá.

Lucas: - Oi, Yuri.

Yuri: - Lucas?

Zedu: - Alguma coisa errada?

Lucas: - Eu só queria falar com o Yuri, posso?

Yuri: - Tudo bem. Vai indo pra sala. (pegando no ombro do Zedu)

Zedu: - Tem certeza?

Yuri: - Sim.

Zedu: - Tudo bem. (pegando a mochila de Yuri e indo em direção a sala)

Lucas: - Olha, eu sei que eu errei feio. Pensei muito durante essas férias, e… só queria dizer que estou muito arrependido. E queria passar uma borracha em cima de tudo.

Yuri: - Eu entendo. Você fez tudo o aquilo, porque estava apaixonado pelo João. Deve ter sido difícil para você.

Lucas: - Sim. E ele era apaixonado pelo Zedu, então o idiota fui eu. Amando alguém que nunca me amaria de volta.

Yuri: - Eu estou de boa, sério. Pode ficar tranquilo.

Lucas: - E se você precisar de qualquer coisa… bem… estou por aqui.

Tia Ray: - Vocês dois não escutaram o sinal? Entrem.

Yuri: (rindo) – Vamos?

Lucas: - Vamos.

Antes de começar a aula, o professor de Literatura anunciou três novos alunos, e para a nossa surpresa eram: Mundico, Juarez e Kellen. Ficamos nos olhando, quase não acreditando naquilo. Mundico ainda estava com o gesso no pé, e andando com o auxílio de uma muleta. Ajudamos ele a se acomodar na carteira.

Kledson: - Então, vamos falar sobre a grade deste ano…

Zedu: (entregando um papel para Yuri)

Yuri: (abrindo o papel) - “Que viagem. Nunca pensei em estudar com esses dois”. (escrevendo e entregando para Zedu)

Zedu: (lendo o bilhete) - “Estou atônito. Será que eles sabiam que estudávamos aqui?” (olhando para o namorado e dando com os ombros)

Ramona: (conversando baixinho com Letícia) – O que está desqualificada está fazendo aqui?

Letícia: - Gente, estou surpresa. (rindo)

Sim. Teríamos novas companhias nesse semestre. Para alguns seria algo bom, já para outros, era o início do fim. O primeiro dia de aula foi meio pombo, não gostei. Eu e Zedu escrevemos um livro, era legal ter alguém para conversar na escola, antes, o meu namorado vivia grudado na Alicia, e aquilo não era mais um problema.

Yuri: - Vai querer lanchar?

Zedu: - Vou jogar futebol com os meninos.

Yuri: - Tudo bem. Vou lanchar e depois volto para a sala. (piscando para Zedu)

Encontrei o Mundico sentado no refeitório. Ele contou que havia conseguido uma vaga, mas por causa do pai não pode estudar no primeiro semestre. O Mundico continuava muito triste por causa do acidente.

Mundico: - Sei lá. Nada mais importa, sabe?

Yuri: - Mundico. (pegando no ombro do amigo) – Não fica assim.

Mundico: - Yuri, cara. A minha vida acabou. A única coisa que eu amava era dançar… não sei o que fazer…

Yuri: - Precisa achar outra atividade, sei que não deve ser a mesma coisa, mas pode ajudar.

Mundico: - Será?

Yuri: - Não custa tentar.

Juarez: - Estou atrapalhando?

Mundico e Yuri: - Não.

Juarez: - Precisa de alguma coisa Mundico?

Mundico: - Não, Juarez. Obrigado, estou bem.

Juarez: - Tudo bem, com licença. (saindo)

Mundico: - Esse menino tá birutinha. Ele se declarou para mim.

Yuri: - Olha só, arrasando corações. (rindo)

Mundico: - Ele não faz muito meu tipo.

Yuri: - Ele é exigente, é? (fazendo uma voz estranha)

Mundico: - Para. Bobo.

O Zedu me encontrou e estava todo suadinho, a gente sabia que todos eram cientes do nosso relacionamento, mas tentávamos evitar chamar a atenção, afinal não queria o mesmo drama do último ano. A Giovanna, e sua amiga, Carla, queriam montar um coral no colégio, a minha irmã é do tipo de pessoa que quando coloca uma coisa na cabeça ninguém pode tirar.

Vieira: - Olha Giovana, não temos verba para montar um coral na escola.

Giovanna: - Mas quem disse que seria de graça? Os membros do coral vão pagar. Podemos criar um tipo de mensalidade para os equipamentos. Eu pensei em tudo, diretor, por favor. (piscando os olhos)

Carla: - Verdade, diretor. Nos ajude.

Vieira: - Vou escolher um professor, mas quero que vocês sejam a responsável por tudo.

Giovanna: - Seremos, sim. Pode deixar.

Já Richard, bem, o Richar aprontava. Ele conseguiu a proeza de encher o banheiro das meninas com minhocas. Ele havia feito alguns amigos, mas muitos não gostavam de participar de suas loucuras. Todas as coleguinhas dele saíram correndo do banheiro, quer dizer, menos uma.

Linda: (com várias minhocas na mão) – Você vai se chamar Penelope, você Teresa….

Richard: - Ei, garota.

Linda: - Você Keila e…

Richard: (pegando no ombro da menina)

Linda: (jogando as minhocas no chão, e dando um golpe de judô em Richard que cai no chão) – Quem é você?

Richard: - Me, me, me…

Linda: - Mememe?

Richard: - Me chamo Richard. (levantando) – Posso saber o motivo de você não ter fugido das minhocas?

Linda: - Essas criaturas fofas? (juntando as minhocas) – Jamais. Elas vão ser alimento para a Suzana.

Richard: - Suzana?

Linda: - Sim. A minha lagarta de estimação.

Richard: (com a boca aberta)

Sim. O Richard teve sua primeira paixonite, mas será que isso seria bom para ele? Quem sabe. A paixão não tem idade, Carlos e a minha tia se gostavam a cada dia. Eles gostavam de fazer coisas chatas, mas que os dois curtiam. Eles estavam planejando uma viagem romântica, e tia Olivia queria que fosse perfeito.

Olívia: - Nada pode dar errado.

Carlos: (comendo)

Olívia: - E se acontecer alguma coisa com os meninos?

Carlos: (comendo)

Olívia: - Acho que vou pagar uma babá.

Carlos: - Amor. O seu almoço vai esfriar.

Olívia: - Como você pode ser tão calmo. O mundo desabando na minha cabeça e…

Carlos: - Calma. A viagem vai ser ótima, temos tempo para planejar tudo. E o Yuri vai conseguir se virar sozinho.

Olívia: - Tudo bem. (respirando fundo)

Sim, a minha tia estava feliz, o Carlos deixava ela nos eixos. Naquela tarde segui para o estágio e seria o dia de editar fotos. O George era muito rápido, gostava de ver a agilidade dele na edição. A fotografia realmente me chamava, eu odiava aparecer em fotos, mas sentia prazer em fazer os registros.

George: - Yuri. Você está feliz com o Zedu?

Yuri: - Sim, demais.

George: - Engraçado. Eu demorei a me assumir. E você aos 17 anos. Tão novinho.

Yuri: - A gente não se assumiu, né? Fomos jogados para fora do armário.

George: - Sim. Verdade. Mas tudo deu certo, né?

Yuri: - Graça a Deus.

Zedu chegou em casa e sua mãe já esperava com um belo almoço. Ele comeu como se o mundo fosse acabar. A dona Tereza ficou olhando para o filho, e lembrou de quando ele era uma criança, e lá estava ele, todo independente e comendo por cinco pessoas.

Zedu: (limpando a boca) – O que foi mãe?

Tereza: - Nada meu amor. Só lembrei de quando você era um bebê.

Zedu: - Dei muito trabalho, né?

Tereza: - Demais. Você foi o mais agitado de todos. O mais amoroso também.

Zedu: - Mãe, acha que o papai vai reagir mal?

Tereza: - Ele é teu pai. Ele vai ter que, pelo menos, entender.

João Lucas: - Boa tarde.

Tereza: - Já almoçou, filho?

João Lucas: - Sim. (sentando) – Mano, tenho uma novidade. Um convite na verdade.

Zedu: - Qual?

João Lucas: - A amiga da Ritinha, a minha ficante, quer te conhecer. Ela viu as tuas fotos na internet e se interessou.

Zedu: (olhando para a mãe)

Tereza: - Agora tá prostituindo os teus irmãos?

João Lucas: - O Zedu terminou com a gostosa da Alicia. Merece seguir em frente.

Tereza: - (olhando para o filho e segurando o riso)

João Lucas: - O que foi?

Zedu: - Nada não, JL, eu estou bem. Não preciso seguir em frente. Estou me dedicando aos estudos.

Tereza: - Isso mesmo filho. Educação em primeiro lugar.

João Lucas: - Quebra essa. Não precisa ficar com a menina, apenas me ajuda.

Tereza: - Olha lá, hein. (saindo da mesa)

João Lucas: - Vai, me ajuda.

Zedu: - Tá. Mas vou logo avisando, não quero ficar com ninguém.

João Lucas: - Valeu. (saindo e rindo maliciosamente)

Mundico pegou carona com Juarez. Eles decidiram se ajudar. Eles chegaram na casa do ex-dançarino e foram fazer alguma coisa para almoçar. Na verdade, nenhum deles cozinhava, então, o resultado foi no mínimo desastroso.

Juarez: - Desculpa. Queria fazer algo especial…

Mundico: - Tudo bem. Eu entendo. Eu não sei cozinhar, mas podemos pedir um lanche.

Juarez: - Pode ajudar. (rindo) – Eu peço.

Mundico: - Posso fazer uma pergunta?

Juarez: - Claro.

Mundico: - O que mudou? Você sempre foi tão esnobe.

Juarez: - Não sei. Se te fiz algum mal, ou se algo que falei te magoou… me perdoa. (pegando na mão de Mundico)

Mundico: (ficando sem graça) – Tudo bem. (rindo) – E conseguiu pedir?

Juarez: - Mandei mensagem para um restaurante maravilhoso. Vai chegar em 30 minutos.

Mundico: - Se quiser… sei lá… podemos jogar?

Juarez: - Seria ótimo.

Sim, um segredo faria muito mal para Mundico, e Juarez sabia que mais cedo ou mais tarde, a verdade aparecia. João Lucas, o irmão de Zedu, estava com ódio. Ele começou a armar maneiras de humilhar o irmão na frente do pai. Até contou para o irmão mais velho.

Fred: - O Zedu, gay? Qual é.

João Lucas: - Eu também não acreditei, principalmente quando vi.

Fred: - Bem. Não vamos tratar ele de forma diferente, né?

João Lucas: (surpreso) – Você concordar com isso? Não vamos ao menos falar com o pai?

Fred: - JL. Isso é uma coisa do Zedu. Se ele for gay, bem, ele vai contar no tempo dele. Enquanto isso, a gente precisa dá suporte.

João Lucas: - E se alguém souber?

Fred: - Isso não diz respeito a nós. Eu vou continuar amando o Zedu. Ele é meu irmãozinho. E se os nossos pais fizerem alguma coisa, vamos ficar do lado dele, né? (olhando para o irmão)

João Lucas: (engolindo seco) – Claro. Vamos sim.

Fred: - Por enquanto, trate ele normalmente. Não toque nesse assunto. Deixe que ele venha até nós, combinado?

João Lucas: (distante)

Fred: - JL? Combinado?

João Lucas: - Claro. Sim. Combinado.

Fred: - Ah, me empresa aquela tua blusa da Adidas?

João Lucas: - Tá em cima da cama.

Fred: - Beleza. (saindo)

João Lucas: - Como assim? Ele está maluco. O que eu faço? Devo acabar com o mal pela raiz. Preciso atingir o gordo. Ele fez isso com o meu irmãozinho.

QUERO AGRADECER AOS LEITORES QUE ACOMPANHAM OS CONTOS. GOSTARIA DE PEDIR, SE VOCÊ É LEITOR, POR FAVOR, COMENTE E DÊ NOTAS PARA A HISTÓRIA. DESDE JÁ AGRADEÇO

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/04/2018 01:15:34
TODO MUNDO TEM UMA PEDRA NO MEIO DO CAMINHO CHAMADA JL. MEU DEUS. ACREDITO QUE KELLEN VAI DESTRUIR A RELAÇÃO DE BRUTUS. SE ELE CAIR NISSO É PORQUE MERECE SER INFELIZ. VEREMOS.