Realizei um sonho 3.0

Um conto erótico de luquinha69
Categoria: Homossexual
Data: 14/04/2018 20:09:48
Nota 10.00

Estávamos no sofá aguardando a chegada do meu tio, enquanto isso eu sentia o calor peludo do meu pai em mim, levanto em conta que o tempo estava nublado e um pouco frio, a ocasião era perfeita, eu abraçava meu pai dando alguns beijos esporádicos nele, e em contrapartida ele apertava meu corpo contra o seu, me deixando ofegante enquanto recebia seus carinhos, os beijos eram tão quentes e intensos que mesmo sem fazer nada mais que trocar beijos, nossos corpos estavam começando a suar. Um redemoinho de sentimentos me fazia ainda duvidar se aquilo realmente era real, estávamos tão envolvidos que quase não nos dávamos conta de que a campainha estava sendo tocada, foi então que com muito peso separamos nossos lábios, olhamos para nossos shorts e vimos que os dois estavam de pau duro, tivemos que esperar algum tempo até que nossos parceiros se acalmassem kk, então fomos receber meu tio.

Meu tio era um cara alto magro e também peludo, um pouco mais novo que meu pai. Ele veio até mim primeiro e me abraçou, disse que estava com saudades e depois foi falar com meu pai, os dois se abraçaram e começaram a conversar, enquanto eu apenas observava a situação. Meu tio percebeu meu olhar fixo no meu pai e indagou: o que tanto você olha? Eu meio sem jeito respondi que estava “viajando”. Entramos na casa e meu tio perguntou: onde vou dormir? Eu não havia pensado nisso e na hora achei que ia acabar indo para sofá, foi então que meu pai disse: você vai ficar o quarto do Lucas, e ele vai dormir comigo. Nessa hora eu me contive para não pular de alegria e correr para beijar meu pai, mas meu tio estava lá então eu tratei de disfarçar a euforia.

Meu pai ofereceu algo para meu tio comer, mas ele recusou, estava com olheiras tão profundas que a única coisa que quis foi tomar banho e ir dormir, meu tio roncava tanto que era insuportável ficar no quarto. Voltamos para o sofá e passados alguns minutos começou a chover, eu olhei para o meu pai e disse: vamos? E ele de prontidão disse: vamos, vou aproveitar para fazer algo que eu nunca fiz. Eu perguntei o que seria e ele disse: eu nunca beijei na chuva. Então estávamos indo para fora da casa, eu estava à frente dele, então virei de frente e continuei andando de costas enquanto falava: eu também nunca fiz na chuva...sabe..beijar...E ele respondeu: não faz assim comigo; enquanto apontava para o volume do short que crescia no short.

Antes de chegar na parte onde a chuva caia eu meio que hesitei por conta do frio, foi aí que senti algo duro roçando em minha bunda, vi os braços peludos do meu pai me envolvendo enquanto sentia seu beijo quente no meu pescoço, o que fez meu corpo se mover involuntariamente. Meu pai dizia: nem invente de querer voltar, você que chamou. E deu uma gargalhada tão gostosa que eu comecei a rir também. Ele foi me empurrando até uma bica e me virou de frente para ele, e começou a me beijar, apesar de todo frio que eu sentia, meu pai não parecia estar incomodado, o que fazia sentido já que sentia seu corpo quente me aquecendo. Ele estava mais solto, já foi apalpando minha bunda enquanto dava leves mordidas em meus lábios, mesmo com a roupa fazia movimentos com a ponta do dedo no meu cuzinho o que me fazia querer gemer, tenho um corpo muito sensível ao toque, e mesmo nunca tendo contado ao meu pai parecia que ele sabia muito bem disso, pois estava me deixando cheio de tesão e com o corpo mais sensível ainda.

Estávamos a um bom tempo nos beijando, eu não esperava que passasse de aquilo por conta do meu tio estar na casa, então meu pai parou de me beijar segurou na minha mão e disse: vem! Ele e levou para a parte de trás da casa, então me jogou de costas na parede e voltou a me beijar, eu até tentei falar e ele interrompeu dizendo: não podemos perder tempo, vamos apenas deixar nossos corpos falarem...e em meu ouvido ele disse: mas eu quero você gemendo para o papai. Na mesma hora eu parei de falar e deixei que ele me conduzisse, ele me beijava tão intensamente que as vezes me deixava sem ar. Aos beijos ele conduziu minha mão até o pau dele e me fez acaricia-lo, enquanto colocava as mãos por dentro do meu short e brincava com meu buraquinho, eu não aguentava de tanto tesão e comecei a gemer enquanto ele me beijava, foi então que ele me virou de costas e se ajoelhou, deu uns tapas leves na minha bunda e eu meio sem jeito pedi que ele batesse com mais força, e a resposta foi um tapa forte que fez minha bunda arder ao som de uma palavra vindo dele: safado! Meu pai lambia tão gosto o meu cuzinho que por pouco não me fez gozar.

Ele me virou de frente para ele, me deu beijos sufocantes e sem perder tempo me fez ajoelhar de frente para ele, disse: tire minha roupa. Eu obedeci e sem esperar uma ordem já cai de boca em seu pau, dessa vez não fui aos poucos, já tentei engolir de uma vez, e ele forçou o seu pau em minha garganta me fazendo engasgar, eu mamava seu pau com fome, estava gostando tanto de tudo aqui que meu pau não amolecia nem por um segundo. Meu pai me fez parar e me levantou, me segurou em seus braços e me beijou, ele me segurava de forma que eu ficava olho a olho com ele, foi então que veio o mais inesperado em todo o que estava acontecendo, a boca dele se movia normalmente, mas eu só consegui assimilar lentamente as palavras que ele proferiu: Eu te amo, sabia?!

Aquilo mexeu comigo de tal forma que eu rapidamente respondi: eu também te amo! Meu pai imediatamente retribuiu com um beijo e perguntou: podemos fazer uma posição diferente hoje? E eu perguntei: qual? Ele imediatamente respondeu: eu quero você de quarto para o papai. Eu falei sorrindo: você está de brincadeira né? E ele respondeu perguntando: não, por que? Eu: é a minha preferida. Meu pai não precisou fazer nenhum esforço, tratei de me soltar e me posicionar de tal forma que minha bunda ficou empinada para meu pai. Sem muito cerimonia ele colocou seu pau na porta do meu cuzinho e começou a forçar devagar, foi aí que eu disse: pode fazer algo por mim? E ele rapidamente sim, pedi que ele me fudesse com força, que esquecesse por um momento que eu sou filho dele, meu pai com um sorriso safado disse: nunca vou esquecer que você eu meu filho, mas se é assim que você quer, vou te fuder de um jeito que você nunca vai esquecer. Senti uma estocada forte abrindo meu cuzinho, foi uma dor tão aguda que cheguei a fraquejar, mas n desisti, aguentei firme enquanto sentia seu pau entrar e sair do meu cuzinho com tanta força que seu saco batia no meu, e aquela sensação de estar de quatro para meu pai, além de sentir seus pelos pubianos ralos na minha bunda me fez gozar intensamente, meu pai continuou metendo forte, virou meu rosto para o lado e me beijou por um tempo, depois foi passando sua barba em meu pescoço até chegar na orelha e dizer: eu te amo, você vai ser pra sempre meu homem. Ele passou mais alguns minutos estocando sem pena no meu cuzinho até que tirou e pediu para que eu me virasse, fiquei de joelhos esperando seu gozo.

Ele disse, nada disso hoje, meu pai me levantou e me prendeu em seus braços e começou a me beijar, e pediu que eu terminasse o serviço com a mão. Eu beijava meu pai enquanto batia uma punheta forte em seu pau, até que senti seu gozo escorrer em minha mão enquanto um jato grosso atingia o chão. Nós nos vestimos e voltamos para a casa, ele me abraçava enquanto caminhávamos para dentro. Antes de entrar definitivamente na casa, ele me parou e olhando nos meus olhos disse: é uma pena que você tenha que voltar amanhã para a casa da sua mãe, mas vamos aproveitar o momento, e nem preciso dizer que quero você aqui nas suas férias né? E eu respondi: eu já estava pensando na desculpa para fazer a mãe me deixar passar um mês todo aqui. Ele novamente mostrou aquele sorriso gostoso e me beijou enquanto me guiava para dentro do quarto dele, nos enxugamos, trancamos a porta e dormimos nus agarradinhos.

Infelizmente o próximo será o último dessa parte da minha vida, por enquanto :’(

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/04/2019 22:57:04
Delicia de conto
07/03/2019 23:51:37
Li de pau duro e com inveja tua de ter um Papi tão gostoso...
17/01/2019 21:32:24
Que delícia!!!!!!
29/11/2018 00:48:58
tesao puro PERFEITO
15/04/2018 22:41:16
Qual é o problema de você ir morar de vez com o teu pai!? Kkkk, na curiosidade do próximo capítulo.
15/04/2018 02:49:59
EXCELENTE. PENA QUE NÃO FOI NO QUARTO. MAS VALEU A PENA. GOSTEI DESSE PAI TRATANTO O FILHO COMO 'MEU MACHO' MESMO COMENDO ELE. INTERESSANTE ISSO.