FIM DE SEMANA NA PRAIA

Um conto erótico de SHAMIR
Categoria: Heterossexual
Data: 13/04/2018 19:02:52
Nota 10.00

FIM DE SEMANA NA PRAIA.

Estava resolvido, a previsão do tempo era favorável e iríamos todos para a praia passar o fim de semana. Moramos em Blumenau-SC , temos casa em Bombinhas que fica sempre fechada o que é uma grande pena mas quase nunca conseguimos reunir a família para um fim de semana assim.

Eu sou o Igor, tenho cinquenta e dois anos e sou casado com a Ingrid de cinquenta. Estamos casados a mais de trinta anos e temos uma filha, a Regina com vinte e nove, casada e mãe de duas crianças maravilhosas, meus netos, o João e a Maria...Assim mesmo como na estorinha, o menino com quatro anos e a menina com seis... Nicolau, o marido da minha filha, meu genro, tem trinta anos e eles estão casados a nove anos.... Ele é um cara legal, eu gosto dele porque se parece muito comigo, tanto fisicamente como na personalidade. Somos os dois homens grandes, bem maiores que nossas esposas. Usamos barba cerrada, descendência alemã e gostamos de uma discussão, seja política, religiosa ou até sobre futebol. Falamos alto e claro, não somos do tipo de levar desaforo para casa... Sempre percebi a coincidência na escolha da minha filha para marido. Ela escolheu uma cópia do pai e isso lá no meu íntimo me deixou todo orgulhoso como o pai babão e coruja que sempre fui. Mas agora tenho os meus netos para lamber, sou feliz, realizado e levo a vida sem preocupações...

Sexta feira já meio tarde da noite chegamos na casa da praia, prontos para um maravilhoso fim de semana, e eu ainda não tinha ideia do quanto maravilhoso seria...Mas logo ficou claro que apesar de termos vindo com dois carros abarrotados ainda estava faltando muita coisa na dispensa e até alguns medicamentos por prevenção para as crianças. Eu teria que como sempre acontece ao chegar na praia pegar o carro para comprar o que estava faltando. A casa é meio afastada e tudo é longe, apenas o mar é bem perto! E eu agradeço por isso porque eu amo o mar...

Mas não tinha jeito. Eu mesmo cansado pela viagem teria que ir. Minha filha com pena de mim se oferece para companhia, quer ir junto comigo, é bom porque ela pode me ajudar com as compras, nunca sei direito o que comprar e depois tenho que aguentar reclamações por tudo que comprei errado, desde as marcas até as quantidades... Minha esposa está limpando tudo porque a casa esteve fechada muitos dias e está toda empoeirada. O meu genro vai ficar para cuidar das crianças que já dormiram destruídas pela bagunça que fizeram o dia todo, antes, durante e depois da viagem. Mas podem acordar, nunca se sabe.Na verdade ele já está com o "caco" cheio de cerveja então resolveu ficar com a desculpa de cuidar das crianças...

Abro a porta do passageiro da minha grande camionete cabine dupla e faço minha filha entrar, mas o veículo é muito alto e ela não consegue subir, então agarro na bunda dela e empurro. Ela está só de biquíni por baixo. Por cima só jogou uma camisa enorme do marido como se fosse um mini vestido, e as minhas mãos tocam nas partes nuas do traseiro dela...Ela protesta:

-Larga da minha bunda pai! Eu sou casada!!!!

Nos dois rimos muito e eu embarco pelo outro lado, dou partida e vamos procurar um bom mercado aberto. Rodamos muito em direção à um supermercado grande de rede que eu conheço bem mas fica longe, em outro município. Na viagem eu me pego pensando no que não devo pensar. A verdade é que apesar da brincadeira quando peguei na bunda da minha filha e senti ela bem firme e tonificada fiquei um pouco excitado. Ela já é mãe de dois filhos mas está ainda em forma como sempre foi. É gostosa, vá lá...Sou pai mas reconheço nela uma mulher muito interessante. Com esses pensamentos um pouco bizarros começo a perceber os seus seios grandes que se mostram agora quase que totalmente. O sutiã do biquíni é minúsculo e a camisa do meu genro muito larga, já escorregou pelos ombros dela. Escutando um CD sertanejo enquanto varamos a noite na estrada pouco movimentada eu fico distraído pelos seios da minha filha, algumas recordações da infância dela e do nada o meu pau está duro, forçando minhas bermudas folgadas. Descuidadamente estou sem cuecas, costumo fazer isso quando estou na praia, gosto da sensação de liberdade e para mim virou um simbolo pessoal da minha rebeldia tardia... Então de repente percebo minha filha me olhando com um sorriso diabólico. Ela percebeu eu atraído pelos seios dela e pior! Muito pior, viu meu pau duro como pedra levantando uma vergonhosa barraca entre as minhas pernas. Impossível disfarçar agora... Eu criei a minha filha com certa liberdade, então ela não deixa por menos:

-O papai está duro!!!! Rsrsrsrrsrs....Olha só! O velhinho está querendo brincar? Comigo papai? Quer brincar com sua filhinha...Safado!!!!Safadinho!!!! Gostosão....

Eu fiquei meio envergonhado é claro, a reação dela parecia de brincadeira, mas eu vi algo diferente em seus olhos e logo confirmei minha impressão...Ela então simplesmente força o sutiã para baixo e seus lindos peitos saltam livres para fora:

-Veja papai!!! Diga se os meus peitos são bonitos, seus netinhos mamaram aqui e eles ainda estão muito bem...Não acha??? Eu quero que você me diga papai... Meus peitos são bonitos? Você gosta deles??

Eu quase meto o pé no freio com tudo, mesmo porque quase passamos da entrada do mercado. Fico pasmo, mas só até certo ponto, porque a minha filha é do barulho mesmo e quando adolescente já me deu muita dor de cabeça neste quesito, o sexo! Consigo controlar o carro, reduzir marcha e entrar no estacionamento do supermercado mesmo cantando os pneus e isso tudo sem tirar os olhos dos peitões hipnotizantes da minha filha safada! O lugar está bem iluminado, tem algum movimento de pessoas e carros então eu mando minha filha se cobrir, mas ela está rindo com a minha aflição e há muito tempo não me obedece mais...Só me resta estacionar a camionete um pouco afastada em um canto menos iluminado do estacionamento. Então minha filhinha se mostra realmente diabólica:

-Você já viu meus peitos papai...E também pegou na minha bunda! Agora tenho direito de ver esse pintão que me parece muito mal educado!!! Eu quero ver o pintão do papai!!! Rsrsrsrsrsr!!!!

Meu genro é um filho da puta mesmo, deve ter depravado minha menina um pouco mais do que ela já era, muito mais na verdade...É o estranho pensamento que eu tive no delicado momento, mas foi o que me lembro de ter pensado enquanto procurava controlar meu nervosismo e os meus olhos escaneavam rapidamente o estacionamento para ver se alguém estava por perto. Felizmente estávamos despercebidos naquele canto. Então antes que eu pudesse pensar em algo as mãozinhas travessas da minha filha entraram em ação. Ela se deitou no banco e ficou com a cabeça entre as minhas pernas, suas mãos foram desabotoando minha bermuda e o meu pau vergonhosamente duro, inchado e com a cabeça parecendo prestes a explodir está nas mãos dela em poucos segundos... Imediatamente ela comenta:

-Nossa pai! Como a mãe aguenta isso? É maior que o do Nico!!!

Então ela fecha a mão e aperta firme o meu pau, esfrega nos próprios seios me provocando e se excitando toda, eu penso que vou gozar ali mesmo naquele estacionamento e nos peitos da minha filha!!!! Me controlo mas não posso evitar a grande quantidade do líquido espesso que sai da fenda na cabeça do meu cacete. A Rê sem pudor algum imediatamente dá um beijo naquela ameixa madura e saboreia com prazer o licor de pecado. Então como alguém que eu não nem conheço mais:

-Eu quero essa pintão na minha xoxota pai! Quero sentir ele bem dentro de mim!!!

E já vai subindo no meu colo, pernas bem abertas enquanto ela mesma afasta a calcinha do biquíni para o lado e começa já esfregando a boceta na cabeça do meu pau. Eu tento resistir, é verdade, acreditem, tento colocar um pouco de bom senso naquela loucura que eu nem sei como começou, no entanto sob pressão muitas vezes nossa boca diz uma coisa e nossas mãos fazem o oposto... Eu então não percebendo o que estava fazendo afastei o banco do motorista todo para trás dando espaço para nós dois, então meu argumento já nasceu morto:

-Regina!!!! Não podemos fazer isso. Sua mãe! Seu marido!!!! SEUS FILHOS????

Ela então me dá uma lição de libertinagem. Minha menininha mudou muito depois de casada:

-PORRA PAI!!!! Conhecendo a mamãe e o Nico ele já deve estar com o pau enterrado até as bolas no rabo dela!!!! Você não percebeu nada não? E os filhos??? O que tem isso...Que eu saiba são crianças e não sabem de nada!

Quando ela acabou de falar isso já tinha apontado o meu pau bem para a sua entradinha e simplesmente se deixou cair em cima. Aquilo entrou rasgando, rompendo seu próprio caminho para dentro da minha filha enquanto a boceta dela se dividia em duas, se abria sem muita dificuldade pois percebi que ela estava muito bem lubrificada. Ela estava muito excitada! Morrendo de tesão, eu conheço muito bem ela e isso era cristalino para mim, estava dominada pelo tesão. Ela pegou tudo, engoliu meu cacete grosso com a sua boceta faminta e eu não sou pouca coisa não! Então estando com seu rosto quase encostado ao meu, olho no olho apenas disse com uma voz rouca:

-Agora me fode papai! Eu esperei muito por isso....

Ela estava um pouco mais séria agora, juro que me olhava com amor e pude ler muita emoção nos olhos dela.

Agora éramos um homem e uma mulher.Eu não me importava mais onde estávamos, se alguém estava se aproximando ou não. Minha filha depois de receber meu cacete até o talo esperou um pouco gemendo baixinho e falando de amor:

-Ahh papai... Eu te amo muito papai! Sempre amei você desde os meus quatorze anos pai... Eu te desejei muito pai, sofri muito em silêncio amando sem poder te falar nada. Por favor papai...Faça amor comigo, sua garotinha está pedindo...Eu preciso do teu amor pai!

Confesso! Fiquei emocionado, mas ela me assustou falando assim, me lembro de quando menina ela só me dando dor de cabeça e me fazendo castigá-la quase que diariamente. Foi difícil conviver com ela na adolescência, acho que começo entender só agora o porque...

Então ela usando as suas pernas fortes começou um movimento vertical violento. Ela colocou os braços para trás, segurou firme no volante do carro e cavalgou meu cacete grosso que não é pouca coisa com uma habilidade que eu nunca imaginei ver nela. Ela se erguia deixando meu pau mais de metade para fora, fazia uma pequena pausa e depois se deixava cair de vez engolindo meu pau inteiro até as bolas. A cada vez ela gemia forte e foi bastante verbal:

-AHHIIIAHH!!! AAAAHHHHIIIiiii..... Que gostoso pai! Que pau grosso papai!!!! Você está me fodendo tão gostoso! AIHHHAIIII!!!! Eu vou gozar papai, eu acho que vou gozar agora!

Então ela muda de posição, larga o volante do carro, chega para bem junto de mim, enrola seus braços em volta do meu pescoço e juro que fazendo uma voz imitando ela mesma quando era mais jovem, bem mais jovem:

-Po...Posso gozar no teu pau papaizinho...Eu posso?

Meu deus!!! Eu não podia acreditar. Minha filha passou anos desejando aquele momento tão íntimo, pessoal e proibido, me amando em silêncio... Eu então sofri pensando em quanto tempo perdemos...

Quando ela gozou eu pude sentir a força com que a xoxota dela apertou meu pau como que querendo abraçá-lo e manter ele para sempre ali dentro... Eu pude sentir os seus licores mais íntimos, tépidos e pecaminosos banhando meu cacete, estabelecendo um vínculo eterno entre nós. Algo muito superior a simples relação entre pai e filha normal... O que seria normal??? Éramos agora uma coisa só, ao menos naquele momento tão especial. Eu gozei junto, não me lembro de descarregar tão profundamente meus testículos antes na vida. Perdi a conta dos jatos fortes e fizeram minha filha tremer toda a cada golpe. Ela apenas gemia e balbuciava palavras soltas:

-Papai...Amor...Paizinho....Querido...Amor...Bem dentro de mim!

Depois pareceu desfalecer, ficou toda mole em meu colo, meu pau ainda dentro dela e só então fui me localizando e o sentimento de urgência e o delicado da situação foram me trazendo de volta para o presente. Eu estava no estacionamento, então meus olhos voltaram a varrer o local, cuidando preocupado, mas não! Felizmente não tinha ninguém por perto, na verdade estava deserto agora... O mercado já tinha fechado!!!!

Sem opções nós dois nos recompomos na medida do possível. Houve um silêncio um pouco constrangedor por alguns quilômetros na estrada de volta. Mas aos poucos a minha filha foi agindo de maneira mais natural, ou ao menos o natural dela, já estava rindo e fazendo piadinhas. Eu bastante preocupado:

-Humm.... Sabe filha...Bom... Aquilo que você falou sobre o Nico e a tua mãe?

Ela me olhou incrédula:

-PORRA PAI!!! Eu estava brincando!!!! Queria te provocar só para conseguir o que eu queria, eu sempre fiz isso com você, desde que eu era novinha. Se o meu marido pegar a mamãe eu capo ele, pico em pedaços e dou para os cachorros!!!! Daí você se separa da mamãe e vamos viver juntos só nós dois e fodendo direto!!! Rsrsrsrsrssr!!!!!

Depois ela permaneceu alegre e comunicativa até chegarmos em Bombinhas. Voltamos para casa então sem nada, sem as compras e com muitas desculpas esfarrapadas. Eu cheio de preocupações e a minha filha parecendo mais feliz do que nunca, era apenas uma pilha de sorrisos despreocupada. Mas eu ainda tinha uma pulguinha atrás da orelha, esse sou eu...Fazer o que?

Meu genro estava desmaiado, contei oito latinhas de cerveja...Minha esposa nem se importou com a falta dos mantimentos. A Ingrid apenas disse sem muito interesse:

-Bobagem, amanhã logo cedo podemos comprar todo o necessário com mais calma.

Ainda naquela noite, assim que momentaneamente ficamos a sós, eu e a minha filhinha, ela foi bem do jeito que era quando mais jovem, audaz e provocante:

-Ainda quero o teu pauzão no meu traseiro papai...Disso você não escapa!

Disse isso com uma mão firme e sacana entre as minhas pernas!!!

Eu imaginei problemas pela frente, sérios problemas enquanto meu pau levantava devagar...Achei melhor passar a usar cueca de agora em diante. Mesmo na praia...Rsrsrsrsr....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/04/2018 21:02:28
Parabéns. Ótimo conto.
13/04/2018 19:40:48
Maravilha! Espero continuação.