Esposa safada e primo 2

Um conto erótico de Lo Sacana
Categoria: Heterossexual
Data: 12/04/2018 22:11:42
Nota 10.00

O dias se passaram e Renata e Arnaldo cada vez mais íntimos, e ficavam sempre juntos sempre brincando de pegar um no outro, passadas de mão, uma vez estava em meu quarto quando ouço um gritinho na sala, então vou correndo ver o que se passa, ao chegar na porta da sala, vejo Arnaldo sentando no sofá e Renata encima de seu colo pulando feita uma doida, Arnaldo segurava apertando firme sua bunda e enfiava os dedos por dentro do short de lycra que Renata usava, os dois gargalhavam e Renata repetia "vamos isso meu cavalão estou chegando lá", Arnaldo com seu pau estourando o short e devido ao tamanho de seu membro estava aparecendo a cabeça por cima do elástico de seu short e era constantemente pressionado pela xota de Renata que a cada pulo seu, parecia se amodelar mais a cabeça da pica do meu primo, tanto que esta mesma cabeça já começava a afundar o tecido do short, que pelo que pude perceber era a unica coisa entre o sexo dos dois.

Ao me ver, Renata para de cavalgar de forma brusca fincando-se no colo de Arnaldo, em seguida fala "Oi amor, olha ganhei um cavalo, que cavalão ne", então eu lhe disse "vocês não estão muito crescidos para brincar de cavalinho não", então Arnaldo recolhe as mãos da bunda de Renata e pedi desculpas pela brincadeira, no que Renata retruca "Ai amor deixa de ser chato é so uma brincadeirinha" então ela levanta do colo dele e vejo rapidamente que um pouco alem da cabeça do pau de Arnaldo estava para fora do short dele, mas bem afundado na shortinho dela, para logo ser guardado por ele, ela em seguida puxar o próprio short para fora da xota e sai de cima de Arnaldo lhe puxando pela mão para a cozinha que da para o quintal, vejo os dois saindo da sala onde Arnaldo estava com seu pau duro esticando o short e Renata estava com seu short socado dentro da bunda de forma que aparecia metade das maçãs da bunda para fora do seu shortinho, alem de um pedaço da parte posterior de um dos lábios vaginais.

Eu os sigo e fico os observando do cantinho da janela da cozinha de forma que eles não percebam minha presença, ao chegarem lá, Arnaldo reclama de uma dor na coxa devido a Renata ter ficado pulando em seu colo, Renata então se ajoelha em sua frente e começa a massagear a coxa dele dando também beijinhos na parte interior de sua coxa, ate que o pinto de Arnaldo pelo volume, pega na ponta do nariz de Renata, que fala "que isso cavalão", e com a mão empurra para o lado o pau de Arnaldo, que fica batendo na orelha dela, ela continuava a massagear a coxa de Arnaldo, mas em um determinado momento ela virou a cabeça e cheirou o cacete de Arnaldo por cima do pano do short e disse "nossa como nosso amigo esta cheiroso Arnaldo" e os dois caem na gargalhada.

Estava na cozinha olhando aquela cena já de pau na mão, me masturbando como um verdadeiro corno, Renata continuava massageando a coxa de Arnaldo, e perguntava se ele já se sentia melhor, então ele respondeu que sim, Renata então se levanta usando o pau dele como apoio e da uma coçada na xota usando a mesma mão que se apoiou, em seguida ela da um abraço em Arnaldo, mais reclama, dizendo que o pau dele estava furando sua barriga e a impossibilitando de abraça-lo direito, então ela pega o pau de Arnaldo bem forte com as 2 mão e o ajeita entre as pernas dela de forma que o volume fica a lhe roçar a xereca, então o abraça e lhe da mais um selinho na boca.

Renata apertava o pauzão de Arnaldo entre as coxa tão forte que ele reclama de dor e após ter dado o selinho em minha esposa, Renata com uma risadinha safada lhe fala "Oww machuquei nosso amigo tadinho" e começa a alisar o pinto de Arnaldo por cima da bermuda, Renata ajoelha novamente de frente para Arnaldo e passa a cheirar o membro dele por cima da roupa, logo ela fala baixinho "desculpe amigo, não fiz por mau", ela tira o pau dele do short e começa a massagear vagarosamente, e fala "esse amigo só tem tamanho mais é super sensível", e começa a dar selinhos em toda a extensão do caralho de Arnaldo, que a chama de safada e começa a bater na cara dela com o pau, de dentro da cozinha consigo ouvir o barulho das porradinhas do pau de Arnaldo na língua de Renata, então ela levanta faceira levanta a blusinha expondo os seios e sai puxando Arnaldo pelo pinto em direção ao quarto deles, e fala "já sei o que dar para o nosso amigo melhorar", então eles entram no quarto e fecham a porta.

Nesse momento sai correndo pelo quintal e diante da porta, vejo pelo buraquinho da fechadura Arnaldo deitado e Renata namorando o pinto dele, ela o beijava e lambia da cabeça ate a base por completo, se babava lambendo seu saco e falava "que pintão é esse isso não é deste mundo" e Arnaldo se deliciava com tudo que vinha de sua boca e ria extasiado.

Então Renata abre seu bocão e engole o pau de Arnaldo forçando a garganta até o talo, e começou um vai e vem com a cabeça cadenciado, mas rápido, Arnaldo revirava os olhos e mexia os dedos de forma compulsiva em quanto a chamava de vadia, repetindo "isso vagabunda, mama no pau do seu cavalão, mama puta que isso esta uma delicia", ficaram nisso por uns 20 minutos, de repente Arnaldo segura Renata pelo cabelo e pelo queixo, cravando-lhe a rola na garganta de minha esposa, fazendo-a arregalar os olhos e goza louco afundando a rola na goela de Renata e enchendo seu estomago, fazendo ela beber do seu suco de virilidade, da umas 4 bombadas na garganta de minha mulher e a solta, no que ele a solta, ela sai tossindo e o pau dele ainda solta alguns espirros de porra sujando seus cabelos, rosto e peitos, Renata se senta na cama ainda tossindo um pouco e com as veias dos olhos saltadas deixando meio vermelho, mas ela vai ate o pau dele e passa a limpa-lo com a língua repetindo para ele "que leite gostoso cavalão", então ela se limpa com uma toalha de rosto de Arnaldo, ai percebo que ela vai sair do quarto, saiu correndo para meu quarto, e fiquei deitado na cama vendo TV, logo Renata entra no quarto ainda limpando o rosto com a mão e segue para o nosso banheiro, apos um banho ela sai e veste um vestido curtinho soltinho e não poe roupa de baixo, então pergunto sobre o jantar, ela me reponde que já era tarde e me pede para ir buscar duas pizzas em quanto ela prepara a mesa para nos três, então saio para buscar as pizzas, mais como a pizzaria estava cheia, demorei bastante para retornar, ao chegar ouço uma musica de funk vindo da sala, então vou até a janela e vejo do vão da cortina, que a putaria e a criatividade de Renata e Arnaldo não tinha limites, ela estava virada para ele com o vestido arrido até a cintura com a bundona de fora e Arnaldo com o pau pra fora esfregando toda sua extensão no xinim dela indo para frente e para trás segurando-a pela cintura em quanto mordia sua orelha no ritmo da musica, em quanto ela rebola sem parar, deixando o pau dele todo babado com seus líquidos, então faço barulho na cozinha e deixo as pizzas na mesa e vou até a sala onde eles continuavam dançando so que agora de forma mais comportada e vestida, mas ele continuava a encocha-la, Renata ao me ver fala "você demorou querido, botamos uma musica aqui e Arnaldo estava me ensinando uns passos", peço a eles para desligarem o som para comermos, na mesa eu sento na ponta da mesa e Arnaldo se senta coladinho a Renata, então começamos a comer, mas eles sempre brincando em uma safadeza disfarçada, ao acabarmos Renata fala que ira passar um filme muito legal e o convida para assistir, então falo que estou cansando e que vou dormir, Arnaldo aceita o convite, então vou para meu quarto e os deixo na sala para assistir o tal filme, passado uns 30 minutos vou até a porta da sala sem fazer barulho, e ouço barulho de lábios e beijos, então penso comigo mesmos "sera que eles estão se beijando", porem ao chegar na porta da sala tive um surpresa ao ver Renata aos beijos com as bolas e o pau de Arnaldo, que estava sentando no sofá com as pernas e a calça arrida até as canelas e Renata ajoelhada no chão de frente para ele dando um beijo de língua em seu caralho e chupando seus ovos apaixonadamente.

Arnaldo fala para Renata que não aguenta mais e quer comer sua xereca, Renata então levanta e senta em seu colo de frente para ele, Arnaldo segura sua cintura e soca aquele pauzão com violência na xereca de Renata que da um gritinho agudo, franze suas sobrancelhas abri a boca e com uma expressão irreconhecível para mim em seu rosto passa a gemer alto, com o tempo o tom do gemido se torna mais felino e agora ela pede para ele socar com força, ouço ela falando "soca essa tora cavalão, isso, isso rasga minha buceta", Arnaldo então põe Renata de quatro no sofá e passa a socar com mais brutalidade, o barulho da pele da coxa de Arnaldo batendo na bunda de Renata é alto e de quebra Arnaldo ainda urra de tesão, passado uns minutos Arnaldo grunhi gozando dentro da vagina de minha mulher, ao sentir sua xota sendo lavada de porra, minha esposa geme um gemido sonoro nunca testemunhado por mim e ao que parece ela tem um orgasmo. logo Arnaldo cai em cima de Renata ainda ejaculando dentro da buceta dela, vejo Renata com um sorriso largo em baixo do peito dele depois se beijam e parecem cair num sono.

Então eu regresso ao meu quarto, me deito e apos uma punheta muito gostosa onde me melequei todo, caio no sono, porem passado um tempo não sei ao certo quanto volto a ouvir barulhos e gemidos, mais como estou com muito sono apago e só acordo no outro dia, ao me deparar com a ausência de Renata na cama, vou até a sala e encontro os dois dormindo completamente nus no sofá da sala com Arnaldo em cima de minha mulher e seu pau ainda dentro da vagina dela, ambos dormindo com um sorriso de satisfação de uma trepada bem dada, então volto até o quarto e faço barulho, com isso os dois acordão com o susto e se vestem rapidamente, Arnaldo vai para o seu quarto, Então minha mulher aparece toda descabelada e fala que apagou na sala vendo o filme, eu apenas movo a cabeça em um gesto de entendimento e vou me troco para o trabalho.

Ao sair Arnaldo estava a minha espera, dou lhe um bom dia e pergunto se dormiu bem, ele me fala que estava todo quebrado, pois dormiu no chão da sala vendo o filme, mais eu sabia muito bem o motivo para ele estar tão quebrado, então apenas dei uma risada e partimos para o trabalho.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
02/08/2018 20:46:46
Cornooo. O pior não é ser corno, é ter q ficar na punheta e não participar
19/04/2018 01:42:19
Me identifiquei muito bom os contos!!!
13/04/2018 23:50:03
Muito bom seu conto,que delicia!
13/04/2018 10:44:31
que da hora eu queria tanto conhecer um mansinho assim !!! amigos que curtam ver suas esposas se deliciar em otro cara por favor entre em contato e me de esta oputunidade ok abraço ao casal jusce.vitor@gmail.com
13/04/2018 08:43:27
Bem mansinho vc amigo. Nota 10...
13/04/2018 08:42:37
Maravilhoso gatas vamos tc chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS, NOVE, NOVE, SETE, TRÊS, SEIS, NOVE,NOVE MARCOS BJS NAS PEPECAS..
13/04/2018 07:24:42
O corno é bem mansinho