Novinho se descobrindo Sissy (PARTE 01)

Um conto erótico de AshleySissy
Categoria: Homossexual
Data: 01/04/2018 23:28:02
Nota 9.80

Olá a todos, meu nome é Ashley e sou uma Sissy, e nesse conto inicio um relato sobre minhas primeiras experiências ainda bem novinho. Hoje em dia não assumi por completo esse meu lado em público, mas quando saio com os boys de noite, me visto toda perfeitinha para que ninguém perceba nada, eles adoram isso, faz parte do fetiche. Gosto de meninos e meninas, sem frescura, e faço de tudo (boy/boy, boy/girl, boy-girl-girl...) e nessa vida descobri que tem muita mulher com tesão em Sissy.

Vamos ao relato.

Tudo começou ainda muito novinho, na infância passei por alguns momentos conturbados por causa dessa loucura que é se descobrir na vida. Eu já dava sinais de não ser um Boy, gostava dos brinquedos das meninas, das roupas, da maquiagem ... tudo que estivesse envolvido nesse mundo "cor de rosa", as pessoas ignoravam isso, ou preferiam acreditar que era só uma fase.

Nesse período os meninos e meninas brincavam juntos, as vezes íamos para uma piscina que tinha no quintal de casa, onde todo mundo ficava com pouca roupa e se molhava.

No vai e vem de mãos EM baixo d'água, uma colega pegou minha mão e colocou dentro da própria roupa, foi a primeira vez que senti uma pepeka. Eu adorei aquilo, não sabia direito o que fazer, ficava mexendo os dedos e ela ficava sorrindo, não durou muito tempo e ela tirou. Na época acho que existia uma "maldade inocente", nem sabia o que tava sentindo mas a sensação de descer minha mão entre as pernas dela e sentir sua pele lisinha e macia foi ótimo. Estranhamente aquela menina nunca mais deixou nada acontecer, acho que os pais dela devem ter conversado sobre sexo e sobre as "coisas da vida" rsrsrsrsrsrsr, e essa história ficou para trás.

Um tempo depois achei uns DVD pornô em casa, tinham cenas de lesbo e cenas de sexo hetero, eu achei aquilo incrível, foi o primeiro momento bi da minha vida, e eu queria ser uma menina. O que mais me impressionou foi o fato das mulheres não terem nada na frente, acabei encantado, passei um tempo acreditando que meu pauzinho iria sumir, desaparecer do dia pra noite, ainda mais quando eu lembrava da pepeka da minha colega. Eu queria muito ser como ela, e ter todas aquelas "coisas de meninas". Foi quando passei a pensar em um jeito de cortar meu pauzinho, eu achava que se usa-se uma tesoura não iria doer muito, quanta loucura né, mas acabei superando isso felizmente, adoro meu pau S2.

Mas a vontade de ser menina não fugia de mim, eu pensava principalmente em usar calcinha, achava elas tão lindinhas e delicadas, e no meu bumbum grandinho ia ficar incrível, foi algo que herdei da família. Meu corpo ajudava, hoje vejo pelas fotos que era meio curvilíneo.

Um tempo depois comecei a ter minhas primeiras experiências com meninos, na verdade com um menino em específico, o nome dele é Thiago. Eu estava uma taradinha, acho que meu rabinho já estava querendo ser fodidinho por uma piroca.

Continuando... eu morava em uma vila, eram 5 casas, a minha era a primeira com um quintal de frente, a segunda era da dona da vila, aí tinha um terreno , o qual usávamos para brincar. E depois as outras casas. Todas dividiam o mesmo corredor, mas não era comum a passagem de pessoas de noite. E foi no escurinho da noite, no muro desse quintal, que as coisas iriam acontecer (lembrando disso eu comecei a tocar bem no meu cuzinho agora, delícia, queria alguém lambendo ele todinho).

Um dia eu fiquei em casa sozinho com minha prima mais velha. Ela se arrumou falando que ia no salão e já voltava, eu sabia que iria ficar algum tempo sem ninguém em casa. Fui no armário dos meus pais, peguei um DVD, e pude assistir finalmente um filme pornô por completo. Tive a sorte de achar um focado em ANAL! Pronto fiquei louquinha vendo aquilo (hoje sei que meu CÚ estava piscando muito), e eu queria sentir o que aquelas mulheres estavam sentindo, queria um homem atrás de mim, queria gemer como elas gemiam.

Tirei meu shortinho e fiquei só de cuequinha, vi que as meninas no início do filmes usavam calcinha atochadas no cú, foi quando eu tive a ideia de puxar minha cueca para cima, socando ela bem na minha bunda. Aquilo foi uma delícia, quanto mais puxava, mais o pano e o elástico ficava sarrando no meu cúzinho, e eu estava amando . Eu queria muito sentir alguém atrás de mim, queria ser uma putinha (e nem me dei conta). Infelizmente eu sabia que minha prima poderia aparecer a qualquer hora, tirei o filme, deixei a TV ligada, guardei tudo e fui sentar no sofá. Na verdade ela meio que demorou, e enquanto não chegava eu deixei minha cueca toda dentro da minha bundinha, foi muito bom.

Na época eu não tava ligado no que era punheta, não tinha gozava ainda, acho era novo demais para isso, "não dava para me saciar" (aquele relaxamento pós gozada não rolava ainda). Então aquela vontade perdurou por mais um tempo.

O povo da rua apareceu para brincar, e eu acabei me distraindo com isso. A tarde passou e anoiteceu rápido. Por volta das 9H da noite quase todo mundo já tinha ido para casa, só sobrando o Tiago. Ele era um garoto da minha idade, um bom amigo na infância, um menino muito ativo, subia muro, árvore, adorava brincar e também era o garoto que mais me lembrou os boys do filme (claro que não, mas na minha cabeça aquilo ficou montado dessa forma).

Foi quando num "estalo" eu lembrei do filme, meu coração acelerou, só estávamos nós dois, e eu imaginei que poderia ser ele mesmo o homem que me pegaria por trás. Estávamos sozinhos no terreno escuro, ninguém tinha procurado a gente, então achei que não seriamos perturbados. Falei que tinha aprendido uma brincadeira nova, mas que só nós dois poderíamos brincar, e ninguém poderia sabe.

Estávamos sentados no chão, eu levantei, segurei na mão dele, e puxei para ele me seguir. Fomos para o canto mais escuro do terreno, escolhi um lugar que mesmo que alguém olha-se não nos veria, o terreno era irregular. Falei para ele não contar para ninguém que eu também não contaria. Eu só pensava em ter ele por trás de mim, igualzinho nos filmes, "a loka novinha querendo ser fudida, era uma putinha".

Quando chegamos no muro, eu falei para ele que EU iria encostar na parede, e que teria que colar em mim por trás. O safado não falou nada, mas ele já sabia o que fazer. Coloquei minhas e minha barriguinha na parede, achei que estava arrasando, igualzinha as meninas kkkkkkkkk, mas estava muito feliz. O Tiago abaixou o shortinho, e de cuequinha começou a passar o pau no meu bumbum. Eu estava de short então não senti muita coisa, mas finalmente estava sendo uma menina. Ele ficou um tempinho sarrando em mim, e eu as vezes forçava meu bumbum para trás, que tesão. Aquilo estava uma delícia.

Depois de um tempo no "Bem-Bom" ele parou e falou que agora era a vez dele de ficar na frente, confesso que fiquei confusa, mas tá bom. Ele foi para frente, colou no muro e eu fiquei por trás. Pressionava o corpo dele contra parede, meio desengonçada, mas tava conseguindo. Como ele estava só de cueca eu vi seu bumbum tão lindinho. fiquei um tempinho empurrando nele, Amei. Mas eu estava de short, então não tava sentindo muita coisa.

Infelizmente chamaram a gente, ele teve que se vestir rápido, saímos quase correndo, mas ninguém viu nada.

ESSA HISTÓRIA VAI CONTINUAR NO RELATO PARTE 2,

AMO VCS! LOGO LOGO APAREÇO

BJS.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
02/04/2018 12:45:39
maravilhosooooooooo conto,,espero a continuação......
02/04/2018 08:36:32
nossa foi otimo. continua. quantos anos vc tinha quando isso aconteceu?
02/04/2018 03:50:41
esperando ansiosamente a continuação !!!
02/04/2018 01:42:28
Hnmmmmm!!! Achei bem interessante!!! Continue!!!
02/04/2018 01:05:13
INTERESSANTE.