Amando Outra Vez 8

Um conto erótico de Bruninhooo
Categoria: Homossexual
Data: 09/04/2018 15:01:42
Nota 9.50

Norberto - Você não percebe mesmo né?

Eu - Perceber o que?

Norberto - Isso. Disse me beijando

Ele segurava a minha nuca com força,enquanto sua língua invadia a minha boca,quando eu me soltei assustado e acertei um tapa na cara dele.

Eu - Você ficou louco!

Eu estava super irritado com aquilo e ele parecia estar envergonhado.

Norberto - Desculpa Daniel,isso não vai mais acontecer.

Eu - O nosso contato não deve passar do profissional.

Norberto - Mas o que eu sinto por você vai muito além disso.

Eu - Como que você pode sentir alguma coisa por mim,nós mal nos conhecemos e além do mais eu acabei de ficar viúvo,não tô com cabeça pra essas coisas...

Norberto - Peraí você é viúvo? Perguntou surpreso.

Eu - Sou sim,faz alguns meses.

Como nós estavamos presos naquele elevador e sem previsão de quando iríamos sair,eu decidi contar resumidamente a minha história com o Anderson pra ele.

Norberto - Nossa...agora eu tô me sentindo mais babaca ainda.Desculpa mesmo.

Eu - Vamos botar uma pedra nesse assunto,é o melhor que podemos fazer.

Norberto - Tem razão...então...bons amigos? Perguntou estendendo a mão pra mim.

Eu - Claro,bons amigos.

Então finalmente o elevador voltou a descer e depois daquele climão chato eu desisti de almoçar.

Depois do trabalho eu busquei o Angel na creche e fui para o meu lar doce lar,curtir a presença dos meus filhos.Uma coisa que ainda me preocupava era a investigação sobre o assassinato do Anderson,as coisas estavam muito paradas,como se alguém estivesse impedindo que as informações chegassem na mão da polícia.Até agora a única prova era uma imagem de uma câmera de segurança que mostrava a moto que estacionou ao lado do carro do Anderson e o executou,mas as imagens não nos deixava saber se aquilo se tratava de uma execução de fato ou um assalto que acabou mal,mas eu não iria desistir,até que o assassino fosse pêgo.

Eu estava na cozinnha preparando um bolo de laranja que as crianças adoravam e estranhei a ausência do Frank,pois ele sempre costumava passar as tardes na minha casa.

Eu - O Frank não quis vir hoje?

Matheus - O pai dele voltou daquela longa temporada de trabalho no exterior e eles estão passando um tempo juntos agora.

Eu - Nossa que notícia boa,eu percebia que ele sentia falta do pai mesmo.

Assim que o bolo ficou pronto eu retirei ele do forno e deixei em cima da bancada esfriando.

Eu - Agora é só esperar um pouco e daqui a pouco podemos comer.

No dia seguinte eu passei a manhã no meu escritório e a minha amiga Gabriela estava lá eufórica.Eu já tinha percebido que ela e o Paulo tinham interesse um no outro,tanto que a Gabi deixou que eu desse o número pessoal dela para o Paulo.

Eu - Que cara é essa paresse até que viu um passarinho verde?

Gabriela - Bem se esse passarinho for um moreno,alto e lindo eu ví sim rsrs.

Eu - Já até sei né.Tá falando do Paulo.

Gabriela - Nós vamos sair juntos nesse sexta.

Eu - Quem diria hein,logo você que dizia que não queria saber de homem.

Gabriela - Pra você ver como as coisas são...mas e você,me conta as novidades.

Eu - Você acredita que ontem o louco do Norberto me beijou a força?

Gabriela - A força?

Eu - Por reflexo eu acabei dando um tapa na cara dele.

Gabriela - Se fosse comigo eu dava logo um soco.

Eu - Falando nele,já deu a hora e eu tenho que ir até lá.

Gabriela - Boa sorte hein.

Eu - Eu acho que eu vou precisar mesmo.

Eu dirigia em direção a sede da fábrica de plásticos,torcendo para não encontrar o Norberto por lá,se antes por alguma razão eu já não me sentia confortável perto dele,depois daquele beijo forçado,enquanto estávamos presos no elevador a coisa piorou.O pio de tudo é que tirando a parte do beijo ele semrpre foi muito gentil comigo e eu não entendia o porque eu não me sentia bem perto dele desde o princípio.

Autor Narrando

No fim daquela tarde depois de ter beijado Daniel a força Norberto estava com raiva do fato do seu plano ter dado errado,na verdade foi o próprio Norberto que armou para ficar preso no elevador com Daniel.

Norberto - Já que o plano A deu errado,melhor partirmos pro B. Disse ao tirar uma espécie de alucinógeno do bolso.

Norberto - Agora eu só tenho que te convencer a sair comigo,um jantar de desculpas hahaha. Dizia ele sozinho.

Norberto - Depois que isso aqui estiver na sua bebeda,você vai deixar essa pose de santinho na mesma hora e vai ficar louquinho pra dar pra mim hahaha!

Norberto era um homem extremamente inteligente e em sua cabeça ele já armava uma trama para Daniel pensar que estava interessado nele.

Notberto - Você vai ser meu Daniel.

Daniel Narrando

Eu cheguei na sede da empresa do Norberto e fui recepcionado pelo secretário dele,Breno.

Breno - Olá Daniel,deseja um café,uma água,você chegou cedo hoje.

Eu - Sim,eu preciso terminar esse trabalho o mais rápido possível,mas eu aceito um café sim.

Eu tomei um café rapidamente e comecei o meu trabalho e por volta das 13 horas eu fui almoçar sozinho.

Eu optei apenas por um peixe grelhado com salada,desde que as crianças vieram morar comigo eu engordei um pouco,pois criança adora comer uma besteira,quem tem filho sabe bem disso.

Enquanto eu comia distraidamente e via algumas mensagens no celular,eu senti que alguém estava se aproximando de mim e ao olhar pra cima eu dei de cara com o Norberto.

Eu - Norberto? Você aqui?

Norberto - Que coincidência,eu vim aqui te almoçar e te encontrei.

Eu - Senta ai,eu comecei a comer agora mesmo.

Ele se sentou e pediu o prato dele.

Norberto - Eu ainda tô um pouco envergonhado por causa daquilo que eu fiz no elevador.

Eu - Não precisa se preocupar com isso.

Norberto - Você aceita jantar lá em casa amanhã como um pedido de desculpa?

Eu - Olha...realmente eu não sei se é uma boa ideia.

Norberto - Eu não vou fazer nada que você não queira,aceita vai...

Como eu ainda iria ficar algumas semanas trabalhando com ele e não queria que ficasse um clima chato entre nós,além do mais ele não iria me violentar ou nada do tipo.

Eu - Tudo bem,eu aceito sim.

No dia seguinte eu deixei as crianças sozinhas em casa,o Matheus já tinha 14 anos e já poderia muito bem tomar conta do Angel,de 3,por algumas horas.Mas mesmo assim eu pedi para o Renato dar uma olhada nele de vez em quando,já que o apartamento dele ficava de frente pro meu.

Renato - Isso ai tá me cheirando a encontro hein.

Eu - Não é encontro nenhum e provavelmente a gente vai falar mais de trabalho do que de tudo.

O Norberto me buscou na em frente ao meu prédio e me levou até o apartamento dele que ficava em frente a praia do Leblon e era uma cobertura super luxuosa.

Eu - Lindo o seu apartamento.

Norberto - Obrigado.Pode ficar avontade.

Nós nos sentamos para tomar um vinho e começamos falando de trabalho e depois a conversa foi mudando de rumo e nós já estávamos falando da nossa vida pessoal como se fôssemos velhos conhecidos e aquela sensação de desconforto que eu sentia quando estava perto do Norberto foi sumindo e eu senti que ele realmente poderia se tornar um amigo ou pelo menos conhecido.

Antes de irmos para a sala de jantar para comer eu fuin até o banheiro e me sentei a mesa.

Norberto - Eu pedi de um restaurante ainda pouco,espero que goste.

Então eu dei mais um gole na taça de vinho e...

Eu acordei com a luz do sol batendo no meu rosto e eu me assustei ao ver que eu estava em um quarto desconhecido e eu estava com uma dor de cabeça daquelas.

Eu - Que lugar é esse? O que eu tô fazendo aqui? Disse confuso.

Então a minha mente foi clareando e ai que eu me dei conta que eu estava na casa do Norberto.

Eu - Porque eu dormi aqui?

Foi ai que eu senti um certo incomodo e ao colocar a mão no meu ânus eu vi que ele estava bem sensível e tinha esperma saindo de dentro dele e foi ai que eu me desperei.

CONTINUA...

Muito obrigado a todos que estão lendo a história e conto com a opinião de vocês nos comentários.Foi difícil pra mim terminar de escrever esse capítulo,pois acabei de perder um bichinho de estimação muito querido e estou chorando até agora.

Valtersó: O Renato não disse que o Daniel deveria tirar o Matheus da escola,apenas que ele deveria colocá-lo em um colégio mais barato,pois a renda mensal do Daniel diminuiu bastante e o nível de intimidade deles permite que o Renato se intrometa em algumas coisas.

Geomateus: Verdade,segredos são revelados um dia.

Guardian (Eduardo): Impossível não identificar o Renato no conto kkkk.Realmente o nosso Dani passará por momentos bons e ruins e o nosso herói deve surgir dentro de poucos capítulos.O pai do Frank estava trabalhando fora do país por meses e meses,mas agora ele retornou,por isso o Frank ficava tanto com a família do Matheus.

Atheno: Verdade,mas ele não quis separar o Matheus do Frank.

Arrow: O pai do Frank irá participar do conto dentro de poucos capítulos.

Guigo: Sim,o Norberto ainda vai encomodar bastante.

Esperança: Fico feliz que esteja gostando querida,tô me dedicando ao máximo para entregar o melhor à vocês.

Gabilobs: Também morro de pena do Daniel.O Norberto ainda será um grande problema.

Pandinha67: Muito obrigado pelas palavras,realmente todos os comentários são válidos.Beijão.

Lebrum: Huumm rsrsrs

Vit.will: Realmente o Daniel é um homem muito forte pra seguir em frente depois de tudo.

ABRAÇO A TODOS

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/06/2018 11:49:10
Eu já estou com muita vontade de matar esse Norberto do inferno.....
10/04/2018 17:10:29
Não que Daniel seja culpado pelo estupro que sofreu, mas foi muita inocência da parte dele aceitar jantar com Norberto depois de te lo beijado a força no elevador ainda mais um jantar em sua casa. Norberto merece ser capado
09/04/2018 22:25:12
Amigo, se eu pudesse eu MATAVA esse Noberto. QUE FILHO DA PUTAAAAAAAAAA.
09/04/2018 22:02:36
DE FATO CREIO QUE DANIEL MESMO FOI O RESPONSÁVEL POR ISSO. NÃO DEVERIA TER ACEITO O CONVITE PARA JANTAR NO AP DE NORBERTO. O JANTAR PODERIA TER SIDO NUM RESTAURANTE. MAS O BOM SAMARITANO SE DEU MAL. RELAÇÕES PROFISSIONAIS NÃO DEVEM SER CONFUNDIDAS COM RELAÇÕES PESSOAIS E NORBERTO JÁ HAVIA DADO SINAIS DE QUE NÃO É LÁ CONFIÁVEL. CRETINO NORBERTO, PORÉM BABACA DO DANIEL. SEM CONTAR QUE PASSOU A NOITE FORA E DEIXOU O FILHO DE 3 ANOS A MERCÊ DE UMA OUTRA CRIANÇA. MUITO COMPLICADO ISSO. MATHEUS NÃO É PAI E NEM MÃE DE ANGEL. NÃO PRECISO LEMBRAR QUE POR MAIS QUE O INTROMETIDO RENATO ESTIVESSE PRÓXIMO, ALGO RUIM PODERIA TER OCORRIDO. MAS AINDA BEM QUE O FATO RUIM ACONTECEU COM DANIEL E NÃO COM AS CRIANÇAS. LAMENTÁVEL.
09/04/2018 21:17:42
Indignado!!!
09/04/2018 20:36:39
09/04/2018 20:36:39
Noberto seu cretino
09/04/2018 17:00:33
A canalhice do nalberto não tem fim...
09/04/2018 16:33:52
Se gostei do capítulo? ODIEI. Até entendo, e não vou expor as razões aqui por questões absolutamente pessoais, pontuar sobre estupro no conto. ODEIO ISSO! O Daniel foi estuprado. Realmente, bem sabia que o título para o Nor(bleargh)to... ele me dava e dará eternamente vontade de vomitar é: indizível. Isso aqui feito é indizível. Estou absolutamente entristecido. Não queria ler isso. Não queria sentir o que senti agora. Horroroso. Agora (engraçado porque também senti isso no primeiro conto do Bruno) vou ler o mesmo arrastado. Essa criatura ainda irá querer aprontar muito. Se bem que bem poderia, depois de ter abusado esquecer do nosso herói, como ele faz com o resto da humanidade. Mas isso seria pedir demais. No mínimo "apaixonou" e agora vai querer para si. Credo, me embrulhou o estômago de novo. E a Gabriela se enredando pelo cão Cérbero. Ai que ódio. Ainda não consigo compreender como o Daniel vai "ganhar inimigos". Como isso se dará? Gente, convenhamos Bruno. Você pegou pesado. O cara perde o amor da vida, está tentando a todo custo se reerguer, tentando manter a família e agora é ESTUPRADO. Pegou pesado. Não gostei, não gostei. Já vendi e nem usei. Mas eu deu nota máxima? Como isso? Sempre darei. Por que te admiro, meu querido Bruno. Vamos aguardar o desenrolar. E, no meu caso, aguardar sem expectativas, porque você quando quer tem mão pesada com seus protagonistas. Aff.