A viagem à casa de praia dos meus sogros (Parte I)

Um conto erótico de Dani_Morena
Categoria: Heterossexual
Data: 06/04/2018 23:36:00
Nota 10.00

A viagem à casa de praia dos meus sogros (Parte I)

Oi pessoal, tudo bem? Sou a Daniela, esse será o meu terceiro conto aqui no site, sendo continuação dos dois primeiros onde conto um pouco sobre minha relação com meu namorado Bruno e como conheci o Lucas em um site de bate papo e me envolvi com ele em várias fantasias sexuais pelo skype, sugiro que leiam antes desse.

Contando novamente sobre mim: sou morena de pele clara, cabelo comprido liso, 26 anos, moro no RJ, estou no último ano do curso de Educação Física e trabalho em uma academia como ajudante dos professores. Em relação ao meu corpo, tenho 1,65m, 54kg, como frequento a academia desde os 20 anos, tenho um corpo que considero em forma e atraente, não sou musculosa, mas tenho minhas curvas, seios grandes (coloquei silicone) e 90 de quadril.

No final de Setembro, depois que conheci o Lucas minha rotina em casa mudou. Antes, toda sexta feira eu encontrava o Bruno e íamos pra casa dele onde eu dormia e passava o final de semana com ele. Porém comecei a arrumar desculpas para ficar em minha casa de sexta a noite apenas para ficar fantasiando com o Lucas no Skype. Ficávamos horas fantasiando, gozando várias vezes, ele me provocava de um jeito que não dava pra explicar. Eu o imaginava me comendo de todas as formas, me tratando igual uma puta, eu era obediente e ele meu dono safado. Eu ficava cada vez mais viciada em nossas histórias, viramos amantes virtuais e já estávamos fantasiando durante semanas, sem meu namorado saber de nada, claro.

Na última semana de Dezembro de 2017, após terminarmos mais uma de nossas fantasias, eu contei ao Lucas que não poderia brincar com ele na semana seguinte ao revellion pois iria viajar para a casa de praia dos pais de Bruno, seu Luís e dona Júlia, e seria muito arriscado tentar falar com ele lá. Lucas disse que eu não iria aguentar ficar sem brincar com ele e disse para tentar entrar no skype durante a viagem, dizia que eu era a puta dele e que tinha que obedecer. Eu que ainda estava com um pouco de tesão da fantasia acabei dizendo que tentaria, apesar dos riscos. Aquele safado sabia como me manipular.

Ao fazer as malas tive que dar uma desculpa ao Bruno de que iria levar o notebook para ver vídeos de treinamento em academia quando não tivesse nada para fazer.

Chegando na casa de praia, fomos recebidos pelo seu Luís, pai do Bruno. Seu Luís era moreno com o cabelo um pouco grisalho, com uns 1,85m, sempre foi muito atencioso comigo e, apesar de ter mais de 50, aparentava um corpo bem cuidado. Ele nos levou ao nosso quarto e disse para nos arrumarmos que depois iríamos a praia. A casa tinha dois andares, uma piscina e uma churrasqueira nos fundos com um jardim, bem aconchegante para passar a semana com meu namorado e os pais dele, pelo menos seria se não fosse os meus pensamentos ardentes pelo Lucas, hmmm tudo o que eu queria era sentar naquele pau e rebolar no meu macho gostoso. Mas eu precisava me controlar, estava não só com o Bruno por perto, mas os pais dele também, seria muito arriscado tentar fantasiar no skype naquela semana.

Os dois primeiros dias foram tranquilos. Acordávamos cedo, tomávamos café da manhã e íamos para a praia, que por sinal estava bem vazia já que a data de revellion tinha passado. A noite transava com o Bruno, claramente pensando no Lucas, mas não era a mesma intensidade, meu namorado era muito carinhoso e eu queria mesmo era ser tratada como uma puta, queria gritar, gemer, ser xingada e abusada, mas não rolava com ele.

No terceiro dia acordei diferente. Meus corpo tremia, parecia queimar de desejo, a vontade de gozar era intensa, eu precisava do Lucas. Aproveitei que Bruno tinha descido para tomar café, entrei rápido no Skype e deixei uma mensagem para o Lucas dizendo que queria gozar e que tentaria entrar a tarde depois do almoço. Vesti um biquini azul escuro e uma blusinha branca transparente e desci para comer. Assim como nos dias anteriores, Bruno disse que iríamos a praia com os pais dele, mas eu disse que não me sentia muito bem e que preferia ficar descansando na casa e ele poderia ir sem mim. Bruno disse que voltariam a tarde, dei um beijo gostoso nele e me despedi. Do quarto ouvi o carro saindo da garagem.

Não perdi tempo, liguei o note e entrei no skype torcendo para que o Lucas estivesse on. Assim que entrei vi que tinha uma mensagem dele: "Cachorra, sabia que não iria aguentar ficar sem seu macho. Quando entrar me chama." Aquele cachorro convencido, mas o pior era que eu não estava mesmo aguentando ficar sem ele. O status dele aparecia como ausente, mas mesmo assim mandei um "oi" e perguntei se ele estava lá. Prontamente ele respondeu, dizendo que eu era safada em querer falar com ele na casa dos meus sogros. Realmente era um risco que eu estava correndo, mas a vontade estava falando mais alto. Contei para ele que meu namorado tinha ido a praia com os pais dele e que eu estava sozinha na casa. Lucas disse que adoraria estar comigo naquele momento e perguntou como eu estava vestida, disse que usava meu biquininho azul e a blusinha transparente que ia só até minha cintura. Lucas ficou louco ao saber e disse que nossa fantasia seria ali mesmo, na casa dos meus sogros.

E então nós começamos. Não perdemos tempo criando uma história, dessa vez fomos direto para o sexo. Eu abria a porta do meu quarto e lá estava Lucas, apenas de bermuda, louco pra me possuir e eu entregue aquele homem gostoso. Ele entrou já me abraçando forte, me beijando na boca, eu sentia sua língua molhada com a minha, suas mãos apertando minhas costas e descendo até meu bumbum. Meu corpo se contorcia e eu me arrepiava cada vez que sentia seu toque, sua boca hmmm. Ele sentou na beira da cama e eu sentei em seu colo, ainda nos beijando e trocando saliva. Tirei minha blusinha e o deitei, ele segurava meu bumbum com força enquanto eu beijava seu pescoço, seu peito e ia descendo até sua cintura. Seu volume já aparecia na bermuda.

- Você deve ta louca pra mamar ele, né minha cachorra?

- Sim, estou. (respondi com as mãos já em sua bermuda)

- Então vem fazer o que você faz de melhor minha puta.

Abaixei a bermuda com força, seu pau estava duro e apontado para o meu rosto, segurei ele pela base, sentia o cheiro forte, aquele cheiro do meu macho que me deixava louca. Cuspi e fiquei alisando ele todo, deixando ele babado, olhei para o Lucas e disse:

- Eu tava com saudade desse pau.

Comecei a chupar a cabeça, passava a língua devagar aproveitando cada centímetro, sem parar de olhar para Lucas que apenas sorria com aquela cara de cachorro safado. Eu mamava, beijava sua rola toda, o gosto me deixava com mais tesão e me fazia aumentar a velocidade dos movimentos. Lucas segurou meus cabelos fazendo um rabo de cavalo, começou a controlar o ritmo que enfiava seu pau em minha boca. Eu apenas deixava, era sua puta obediente. Ele metia em minha boca como se estivesse comendo minha buceta, meus seios já estavam cobertos de saliva de tanto que escorria pela minha boca.

- Tira a parte de cima do biquíni. Quero ganhar uma espanhola desses peitos. (Dizia ele enquanto segurava meus cabelos)

Eu, sem tirar o pau dele da boca, desamarrava o biquíni e me posicionava para receber aquela rola em meus seios. Era tão quente, ele esfregava e eu pressionava os seios em seu pau enquanto eu beijava a cabeça hmmm que delícia.

Na vida real eu estava exatamente como na fantasia, apenas com a parte de baixo do biquíni, a essa altura já ensopada, eu me tocando e gemendo na cama.

Após ficar "metendo" em meus seios, Lucas me levantou e me deitou na cama. Ele se deitou por cima e voltamos a nos beijar. Eu sentia seu corpo sobre o meu, seu peito esfregando em meus seios, seus dentes mordendo meu pescoço, eu queria gozar ali mesmo. Ele descia com sua língua pelos meus seios, mordia os biquinhos me fazendo gritar de dor e prazer, o safado descia mais me beijando toda. Chegando na cintura ele abriu minhas pernas e tirou a última peça do biquíni e ao ver que eu estava depilada ele não perdeu tempo, caiu de boca em minha buceta e começou a me chupar de forma deliciosa. Eu gemia, segurava sua cabeça e o pressionava contra minha xana enquanto eu gritava de prazer, dizia para ele não parar, que iria gozar, eu precisava gozar.

- Vem minha puta!!! Goza na boca do seu macho!! (dizia ele enquanto enfiava sua língua em mim)

- AAAAAIIII FDP EU VOU GOZAAAAR!!!!! (gritava e me contorcia em sua boca)

- Cachorra!!! que delicia tomar seu mel todinho.

Lucas veio por cima de mim e me beijou, sentia o gosto do meu mel em seus lábios, sua língua toda molhada com meu gozo, hmmm que tesão. Ele me virou me colocando por cima, apertava meu bumbum, dava tapa, xingava, eu me esfregava nele, sentia seu pau roçando minha buceta que estava ensopada. Eu já não aguentava mais, queria sentir meu macho dentro de mim, ajeitei a cabeça do pau de Lucas na entrada da minha buceta, rebolei devagar e fui sentando aos poucos. Meus olhos se reviravam enquanto eu sentava, aquele pau duro e quente me abrindo e entrando aos poucos me deixava louca. Apoiei as mãos em seu peito e começei o ritmo para cavalgar.

- Aaaaiii me fode Lucas, fode sua safada!!! Delíciaaa!! (eu pedia e aumentava o ritmo das cavalgadas)

- Vem minha puta, pula na rola do seu macho, isso, assim cachorra!!!

- Isso!!!! Adorooo, fode sua putaaa!!! Mete!! AAAIIII!!!

Ele apertava meus seios, mordia meus mamilos e metia sem parar em minha buceta. Eu segurava sua cabeça próxima dos meus seios para que ele não parasse de chupa-los enquanto metia em mim. Eu gemia, gritava no quarto, aquela intensidade, aquele tesão que estava no quarto, não aguentamos e gozamos juntos.

Eu estava pelada estirada na cama, me sentia mole e minha buceta ensopada. Disse ao Lucas que tinha adorado, como sempre, e que tentaria entrar de novo. Lucas respondeu que eu era muito safada em fazer aquilo na casa dos pais de Bruno e que era pra eu entrar de novo a noite, respondi que tentaria.

Estava suada, com calor. Dei uma arrumada na cama, coloquei minha blusinha transparente, sem vestir o biquíni, e desci para a cozinha beber uma água. Chegando na cozinha, vejo algumas mensagens do Bruno no celular que fui respondendo sem pressa enquanto tomava água apoiada no balcão, deixando meu bumbum pra cima. Foi quando eu tomei um susto enorme.

- Oi Dani, precisa de algo? (perguntou meu sogro do outro lado da cozinha atrás de mim)

- Seu Luís!!?? Você já chegou? Achei que estava na praia com o Bruno e a dona Júlia!

- Resolvi voltar mais cedo para resolver algumas coisas na casa, cheguei faz um tempinho.

Juro que foi um dos momentos mais assustadores que já tive na vida. Meu corpo ficou gelado, paralisado, meu sogro estava na minha frente, vendo eu praticamente pelada, apenas com aquela blusinha transparente pois não me preocupei em colocar o biquíni já que a casa estaria vazia, e o pior, ele poderia ter escutado tudo que disse para o Lucas durante a fantasia.

Me cobri com as mãos envergonhada, pedi desculpa por andar daquele jeito pela sua casa. Seu Luís disse que eu não precisava me desculpar, que estava quente mesmo aquele dia, ele dizia isso enquanto olhava para mim de um jeito que nunca tinha olhado antes. Havia um sorriso de canto em seu rosto, percebi que não tirava os olhos das minhas pernas, não sei se havia notado que eu ainda estava molhada, e terminou dizendo que estava mais quente do que o normal. Acabei pedindo licença e voltei para o quarto.

Estava desesperada, aflita. Meu sogro me vendo daquele jeito, naquele estado e o pior, e se ele tivesse descoberto meu caso com o Lucas? O que aconteceria comigo? Minha relação com o Bruno? Não sabia o que fazer. Fiquei no quarto tentando me acalmar e evitar meu sogro até a hora do Bruno voltar da praia com minha sogra.

A noite eu já sentia um clima diferente na casa entre eu e o seu Luís. Ele me olhava diferente, como se soubesse de algo. Aquilo me deixava nervosa, preocupada. No jantar ele não parava de olhar o meu decote, estava de regata e shortinho devido ao calor, e sempre com aquele sorriso de canto em seu rosto, disfarçando para o Bruno e a dona Júlia não notarem.

Após o jantar, levei meu prato para a cozinha e enquanto guardava a louça escuto a voz do meu sogro.

- Você está linda vestida assim Dani.

Novamente, assim como da primeira vez, eu me assustei, meu corpo gelava de nervoso. Apenas consegui olhar para trás e responder um "obrigada" com a voz baixa. Seu Luís continuava puxando assunto comigo.

- Você devia estar com muito calor durante a tarde para andar daquele jeito pela casa né? (ele perguntava enquanto me examinava dos pés a cabeça com seu olhar)

- Foi sem querer. Achei que a casa estava vazia. (Respondia tremula)

- Tudo bem Dani. Por mim você podia andar daquele jeito pela casa sempre que quisesse. Meu filho tem sorte de ter uma namorada como você.

Não estava acreditando no que eu ouvia. Meu sogro Luís me falando aquelas coisas e na maior cara de pau me olhando com um sorriso safado em seu rosto. Meu coração batia forte de nervosa e eu não sabia como reagir aquilo, minha sorte foi escutar a dona Júlia chamando o marido e me deixando sair da cozinha.

Subi até o quarto, Bruno estava se ajeitando para dormir dizendo que estava cansado. Me troquei me preparando para dormir também, coloquei uma camisola e um shortinho. Esperei um pouco para ter certeza que Bruno já não estava mais acordado e resolvi entrar no skype pelo meu celular.

Lucas estava online e eu o chamei para conversar. O safado disse que estava me esperando e que queria gozar, porém eu não tinha entrado para fantasiar. Não estava no clima, estava preocupada, meu sogro podia ter descoberto algo e eu não tinha certeza. Contei ao Lucas o que aconteceu, que o pai do meu namorado talvez tenha me escutado fantasiando, que ele me viu semi nua em sua cozinha e que depois disso começou a agir estranho comigo.

Para minha surpresa Lucas não pareceu preocupado, parecia até que tinha gostado de saber aquilo, ele ainda me perguntou se eu achava que o seu Luís queria me comer. Juro que quando li aquilo a cena veio em minha mente. Não sabia o que achar daquilo, eu estava com medo do que seria minha vida dali para frente, era completamente absurdo, mas a imagem da cena era forte na minha cabeça, ainda mais depois de ver o sorriso safado do seu Luís olhando para mim praticamente pelada. Respondi ao Lucas que isso jamais iria acontecer e que seria errado com o Bruno. Lucas disse que já era errado eu estar fantasiando com ele sem meu namorado saber, ele tinha razão nesse ponto, e tentava me provocar para começarmos a brincar. Disse que não estava bem naquele momento e que precisava de um tempo para pensar em tudo aquilo que estava acontecendo.

Estava quase me ajeitando para dormir quando escuto uma voz baixa me chamando na porta do quarto. Abro a porta e vejo meu sogro Luís sem camisa, apenas de bermuda me perguntando se eu precisava de algo para dormir. Fiquei encarando ele, admito que não esperava um físico tão bom para alguém da idade dele. Respondi nervosa que não precisava de nada e nisso ele se aproximou de mim, com aquele sorriso safado no rosto, me desejando boa noite com um beijo na bochecha. Juro que fiquei assustada achando que ele tentaria algo a mais, mas só o beijo na bochecha me fez lembrar da pergunta de Lucas e nisso meu corpo se arrepiou. Disse boa noite para ele e fui para a cama com o corpo quente, foi difícil dormir aquele noite.

Aquilo estava ficando fora de controle, tinha meu caso virtual com o Lucas e agora meu sogro também poderia estar se envolvendo nessa situação e o pior o que o Lucas disse sobre o seu Luís talvez querer transar comigo estava mexendo comigo.

Para não deixar o conto muito extenso vou parar por aqui e continuar em um próximo. Espero que tenham gostado.

Aqueles que tiverem interesse em contar suas histórias vou deixar meu skype, mas eu demoro um pouco para responder.

daniela.maratt@gmail.com

Até a próxima.

Um beijo a todos,

Dani_Morena

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/03/2019 01:35:56
Amei! Vou aos outros...
18/04/2018 05:47:40
Excelente conto
08/04/2018 06:29:58
Excelente, parabéns!
07/04/2018 21:21:18
Nossa como é excitante seu conto!
07/04/2018 11:03:38
Maravilhoso gatas vamos tc chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS, NOVE, NOVE, SETE, TRÊS, SEIS, NOVE,NOVE MARCOS BJS NAS PEPECAS..
07/04/2018 10:07:38
Seu relato se aprofunda e a linha tênue entre a fantasia e a realidade deixa toda a situação num gostoso suspense. Até o próximo, que deve ter novidades pra lá de picantes
07/04/2018 04:48:53
Delicia!!!!
07/04/2018 01:26:16
Whats

Listas em que este conto está presente

Sogro e Nora
Todos os contos de sogro e nora.