Sex list: Fazer uma DP ✔️

Um conto erótico de Blue
Categoria: Heterossexual
Data: 06/04/2018 19:06:22
Nota 10.00

Como relatei no último conto “Sex list: Foder gostoso na janela”, antes de ir passar o ano novo com meu macho, criamos nossa Sex List. Nela estavam as coisas que queríamos fazer e ainda não tínhamos feito ou que já fizemos e queríamos repetir, desde posições, taras até fantasias sexuais. Então, sempre que víamos algo em vídeos, matérias ou até descrito em contos, enviávamos um pro outro, falávamos sobre o assunto (o que muitas vezes nos fez gozar gostoso) e aquilo estava devidamente inscrito na lista. Um dia, estávamos conversando pelo whatsapp e tivemos a seguinte conversa:

- Quero inserir algo na lista.

- O que, minha puta?

- Quero fazer uma DP.

Quando ia explicar o que tinha em mente, meu telefone tocou. Era uma amiga do trabalho que fala muuuuito e, quando finalmente desliguei, vi que ele já havia visualizado há tempo. Como ele é “ligeiramente” ciumento, fiquei imaginando que ele estava puto comigo, pois obviamente ele deveria ter entendido que queria trepar com ele e com outro (ele diz que não pensou isso, mas não me convenceu).

Ainda assim, sem dar explicações, continuei:

- Quero sentir você dentro de mim junto com um vibrador.

- E você tem um?

Ri um pouco da pergunta inocente e comecei a mostrar fotos dos artigos eróticos que tenho em casa. Não estávamos numa videochamada, mas tenho certeza que ele estava vendo aquilo já imaginando mil coisas e fazendo a cara de safado que ele tem que me enlouquece.

- Tenho dois, mas não um do tipo ideal pra isso. Mas estava para escolher meu presente de natal, agora já sei o que quero.

- Então pode colocar na lista!

Uns dias depois fui num sexy shop com os amigos do trabalho olhar os presentes para nosso amigo secreto (todos pensando em melhorar o clima organizacional, kkkk) e acabei achando o que queria. Comprei um vibrador de 15 cm, 6” e 10 tipos de vibrações, além de um presentinho pro meu macho, um ovinho de silicone.

Como sou ansiosa, logo que cheguei ao nosso cantinho lá em Sampa, já no primeiro dia, falei no ouvido dele que tinha trazido um algo pra ele. Levantei, já nua, e fui buscar na mala. Peguei o ovinho e um lubrificante que esquenta. Comecei a punhetá-lo com aquilo e fiquei toda melada vendo-o se contorcer de tanto tesão até gozar na minha mão.

- Isso é pra você usar pensando em mim.

- Pode deixar, minha puta!

Em seguida ele veio pra cima de mim, beijou e agarrou meu corpo todo, até me fazer gozar na sua boca gostosa. Aqueles foram apenas os primeiros orgasmos dos tantos que tivemos naquela noite e dos tantos outros no feriado inteiro.

Mas o presente principal continuou na mala até o dia 31, pouco antes da virada. Após ter me comido na janela, como relatei no conto anterior, jantamos e ficamos nos agarrando e provocando na cama. Enquanto a grande maioria vestia branco, ou outras cores para dar sorte, e se dirigiam às festas e para a queima de fogos na Avenida Paulista, nós estávamos nus e nossa farra já tinha começado. Sem falar de que não deve ter forma melhor de atrair sorte do que virar o ano fodendo gostoso, né?

Estávamos lá nos esfregando, até que ele pediu para pegar o vibrador. Confesso que meu corpo estremeceu um pouco, dessa vez não só de excitação, mas um pouco de medo mesmo. Não que em algum momento eu tivesse me arrependido da ideia, mas entendam, esse homem não tem pena de mim. Ele é muito carinhoso, curtimos com calma, até que me entrego totalmente a ele, e quando isso acontece, ele acaba comigo! Então se sozinho ele já faz esse estrago, imagine com reforços? Rs Pelo menos essa foi a linha de raciocínio (que mais tarde provou ser bem coerente com a realidade).

Ele me deitou na cama, beijou meu corpo todo, bem devagar, indo em direção à minha boceta. Só isso já basta para me deixar louca, pois ele chupa muito gostoso, mas ele queria mais. Queria me torturar de tanto tesão! Ligou o vibrador e começou a esfregar no meu grelinho. Nossa, explicar o que estava sentindo é praticamente impossível. Eu gemia e me contorcia de tanto prazer, e quando ele via que estava me acostumando com a sensação, mudava o tipo de pulsação. Isso, junto com as chupadas gostosas que ele me dava intercaladamente, me fez ter um dos orgasmos mais fortes que já tive. Ah, acreditem se quiser, gozei exatamente quando os fogos começaram a estourar!

- Feliz ano novo, minha puta!

- Feliz ano novo, meu gostoso!

Rindo da feliz coincidência, desfaleci na cama, sentindo-o chupar meu melzinho. Estava recuperando o fôlego e pensando o que estava me esperando na sequência. Ele se deitou ao meu lado e vendo aquele pau riste, caí de boca. Ah, eu fico louca chupando aquela pica. Saboreio cada centímetro até engolir ela toda sucessivamente. Ver meu macho arfar de tesão e me olhando como quem vai me devorar me dá mais vontade ainda.

Em seguida, montei nele, o olhei nos olhos, dei uma tapa forte no seu rosto e estampei no meu um sorriso safado. Adoro provocar e aquilo foi certeiro! Logo ele já me puxava pelos cabelos me fazendo cavalgar gostoso. Sem parar, peguei o vibrador e deixei-o recostado no meu clitóris. Logo ele tomou o controle e sempre que queria que eu ficasse mais descontrolada montando nele, ele mudava a frequência da vibração. Sentar naquela pica grossa com o vibrador roçando no meu grelinho foi enlouquecedor. Quando senti sua pica ficando ainda mais dura por estar prestes a gozar, não aguentei, gozei junto com o meu macho.

Foi muito forte para nós dois, mas principalmente porque gozei pela vagina e pelo clitóris ao mesmo tempo. Não sei se todos tem noção do que é isso, mas é D-E-L-I-C-I-O-S-O!!!!! Depois dessa, a tão esperada DP ficou para depois, mas não muito... Rs

Acordamos um pouco tarde no dia primeiro. Não era de se estranhar, depois de toda energia que gastamos nos três dias anteriores, estarmos vivos que foi a grande surpresa. Como é de nosso costume, ficamos na cama trocando carícias, conversando baixinho... Pouco depois, essas ficaram mais intensas, tornando-se apertos da parte dele, e arranhões do meu, sem falar dos meus gemidos em seu ouvido.

Nossos corpos mal tinham se recuperado da maratona da virada e lá estávamos nós de novo. Ele mexia gostoso na minha boceta enquanto eu o punhetava. Fazíamos isso nos olhando nos olhos com os rostos colados. Dava para sentir a excitação do outro pelo olhar, pela expressão, pela respiração e claro, pelo que nossas mãos tocavam.

Como quase sempre, ele me derrubou primeiro. Gozei gostoso na sua mão e fiz questão de chupar todo meu melzinho de seus dedos e depois beijar aquela boca deliciosa. Não sei exatamente porque, mas o “medo” que senti na noite anterior parecia ter desaparecido. Acho que acordei destemida, rs ou a excitação e a vontade de enlouquecê-lo falaram mais alto.

- Se eu te pedir uma coisa você faz?

- Qualquer coisa, minha puta!

- Passa lubrificante no meu cuzinho?

Quem leu os contos em que narrei nossas aventuras juntos sabe que sempre que a palavra cu é mencionada, meu macho enlouquece de tesão. Os olhos dele brilham e uma expressão feroz toma seu rosto. Ele se levantou e apanhou o lubrificante ice, trazendo junto o vibrador. Quando vi aquilo, respirei fundo, não tinha como escapar.

Ele passava o lubrificante devagar pelo meu rabo, rodeando a entrada do meu cu. Sentir ele espalhando, aliada com a sensação de frescor, foi deixando aquilo muito gostoso. Em segundos eu já estava rebolando, sentindo seu dedo deflagrando meu buraquinho. Continuei deitada de bruços e ele afastou uma de minhas pernas e foi enterrando aquela pica no meu rabo. Mesmo ainda apertadinho, eu estava tão excitada e relaxada que ele cedeu fácil. Fui rebolando devagar, sentido ele entrar cada vez mais, enquanto gemia e me contorcia de tesão.

Depois que ele meteu todinho e viu que eu tava toda abertinha pra ele, pegou o vibrador e enfiou na minha boceta. A sensação de ser duplamente preenchida é incrível. É como se as duas zonas erógenas se tornassem uma só. A vibração que sentia na boceta chegava até meu cu, e as enfiadas no meu rabo faziam o vibrador entrar e sair no mesmo ritmo, fazendo-me ficar completamente extasiada.

Rebolava, gemia e pedia mais. Ele puxava meus cabelos, batia na minha bunda e me xingava enquanto metia cada vez mais forte. Os dois estavam completamente enlouquecidos de tanto tensão. Quando senti que seu gozo estava chegando, o olhei nos olhos e pedi para que enchesse meu cuzinho de porra e nooossa... Acho que acordei todos os vizinhos ressacados do réveillon com meus gemidos!!!!

Definitivamente inserir a DP na lista foi uma excelente ideia. Como os outros itens já experenciados, não cortamos, apenas demos um “check”. Acredito que terei outros contos relatando nossas safadezas com nossos brinquedos e a realização de outros itens da lista.

Espero que tenham gostado, pois eu amei!

Beijos, Blue!

Babyblue.contos@gmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/12/2018 17:29:32
Antes de tudo, obrigada por estar lendo meus contos e por me dar essa devolutiva. Quanto ao menage, é minha grande fantasia não realizada. Quem sabe um dia?
09/12/2018 13:36:39
Ótimo conto! Não lembro com qual conto conheci seu perfil, mas estou lendo todos em ordem cronológica e adorando. Não sei se pra frente terá algum conto assim, mas você nunca teve vontade de realizar essa fantasia na real, num ménage, por exemplo? Na verdade a dúvida é mais ampla, uma vez que você se relacionou tanto com homens quanto com mulheres, nunca teve a fantasia do sexo a três? Vc demonstra um tesão por algumas qualidades específicas, seja intelectuais ou algum trejeito que despertou a sua atenção, geralmente é singular, mas o trio nunca passou pela sua cabeça?
07/04/2018 01:43:08
Excelente conto
06/04/2018 19:47:36
Delicia