conquistando a tia

Um conto erótico de ricardo
Categoria: Heterossexual
Data: 06/04/2018 14:36:42
Nota 9.73

Me chamo Ricardo, tenho 30 anos e vou tentar contar como conquistei a minha tia

Quando era adolescente e comecei a descobrir o corpo e o prazer comecei a olhar para as mulheres de outra maneira, olhava para tudo, peitos, bunda e tentava ver alguma boceta…

Quando comecei a reparar na minha tia Bia, ela já com um namorado a algum tempo e ainda sem filhos, vi uma mulher gostosa, linda e com uma mente muito aberta, falava de tudo como sexo, o que mais gostava e que não queria, etc. com a minha mãe, eu ficava escondido ouvindo tudo aquilo e me masturbando imaginando fazendo aquelas coisas com ela

Comecei a me interessar por ela, e ainda hoje gosto de mulheres mais velhas.

Quando tinha 17 anos ela já estava com 31, mas eu sentia muito tesão por ela e as vezes parecia que estava apaixonado, mas era puro tesão por aquela mulher com bunda e peitos grandes, coxas grossas e lábios grossos, sempre que podia ficava perto dela para apreciar melhor aquele corpo delicioso!

Um dia fomos na praia e quando a vi com um bikini bem pequeno fiquei logo duro e nem conseguia esconder o tesão que estava a sentir, sempre de olhos nela e nos seios deliciosos, os meus olhos mexiam e eu seguia o movimento dos peitões para acima e para baixo…

Estava a dar muita bandeira e tentei ser mais discreto, sabia que tinha poucas hipóteses com ela, tinha 1,74 era magro e um pau com pouco mais de 15cm, imaginava que uma gostosa daquelas só queria caras fortes e musculosos com paus com mais de 20cm! E ela já tinha namorado nessa altura.

Ao chegar a casa fomos todos na minha avó onde tinha um pátio que a gente se podia lavar a vontade sem sujar nada porque ficava fora da casa, esperei que ela fosse e rezei para o cara dela não ir, rsr, e felizmente foi o que aconteceu, ele ficou a fumar e ela foi sozinha, aproveitei e fui atrás dela e cheio de vontade de lhe dizer o que sentia, quando aproximei ouvi a água a correr e fui mais devagar, lá estava ela, sem a parte de cima com aquelas mamas todas de fora para mim, que delicia.

Parecia um sonho, as tetas que tanto desejava ali tão perto e ao mesmo tempo tão longe!

Me aproximei ela ao se aperceber virou para ver quem era e assustou quando me viu, tentou com as mãos tampar as mamas, mas apenas conseguia os bicos, disse para eu ir que ela já ia terminar, olhei nos olhos dela e desviei o meu olhar para o meu pau, ela seguiu os meus olhos e falou para eu ir embora. Falei tudo o que sentia, que achava ela linda, que era uma mulher muito gostosa que eu tinha muito tesão por ela e que a desejava muito e fazia o que ela quisesse para ficar ali com ela.

Ela não falou nada, pegou a parte de cima do bikini colocou passou por mim e foi embora, fiquei sem reação, a pensar que ela ia dizer tudo aos meus pais e que eu ia ficar de castigo o resto da vida! Fiquei a olhar ela saindo e fiquei olhando a porta a espera que entrasse alguém para xingar de tudo…

Fiquei assim 1 ou 2 min. E quando sai do transe fiquei com vergonha, arrependido e comecei a dar tapas na minha cara de como tinha sido um estúpido pensar que ela ia aceitar aquilo normalmente.

Depois de me lavar entrei em casa com a cara no chão e ouvi algumas pessoas falando, mas não estava lá a minha tia! Tentei perceber o que tinha acontecido e me falaram que ela tinha passado por ali rápido e ido embora com o namorado sem dizer nada!

, ninguém entendia o que tinha acontecido, no fim do dia fomos embora e ao chegar a casa fiquei também um pouco aliviado por ela não ter contado nada, mas depois lembrei que no dia seguinte o namorado dela me ia pegar na rua e me dar tanta porrada que ia ficar com os ossos todos partidos.

Quando acordei lembrei o que tinha acontecido e fiquei triste ao saber que não ia ter nenhuma oportunidade com a gostosa da minha tia, comecei a lembrar dela e das confissões dela com a minha mãe, e lembrei que ela falou um dia que se um homem fosse pedir desculpa a ela e não levasse alguma coisa como uma joia ou flor nem entrava na porta!

Não tinha dinheiro para comprar joias nem flores, mas podia apanhar uma do jardim da vizinha que eram bonitas e ir pedir desculpa.

Foi o que fiz, peguei uma flor e corri para ninguém ver o que tinha feito chegando lá bati a porta, não ouvi ninguém e bati de novo, tentei não pensar em safadezas para não ficar de pau duro, mas ao lembrar dela com as mamas de fora no dia anterior era impossível não ficar excitado! Estava a pensar nisso e a porta abriu, era ela e quando me viu ia fechar logo a porta eu disse para ela esperar e coloquei o pé para a não fechar.

Comecei a me explicar e pedir desculpa, ela não falava só ouvia e olhava para o lado, estiquei a mão para ela e ela viu a flor, abriu um sorriso e falou para eu entrar.

Ela estava com uma camisola de manga curta e umas calças bem coladas no corpo, daquelas elásticas, um tesão!

Eu a segui até a cozinha ela me falou que aquilo era proibido, que eu era sobrinho dela e que ela tinha mais 14 anos do que eu. Eu ouvia o sermão olhando para ela, mas não conseguia evitar desviar o olhar para o peito dela e me lembrar do dia anterior onde vi aquelas tetas branquinhas enormes que desejava demais.

Ela parece que percebeu e foi buscar algo para colocar a flor, pegou num copo grande e encheu de água com a flor lá dentro, estava de costas para mim e olhando aquela bunda não consegui e já estava de pau duríssimo!

Ela agradeceu a flor e se esticou para pôr numa prateleira que ficava mais alta por cima do balcão, eu perguntei se queria ajuda e me aproximei dela ficando um pouco atrás ao lado, mas perto daquele corpo muito gostoso, fiquei hipnotizado com aquela bunda e como estava bem colado no corpo dela as calças, via bem a marca da calcinha, todo o homem fica louco e tesudo vendo uma cena assim, aproximei mais um pouco dela e não pensando em mais nada falei desculpa, ela pensou que tinha sido por dia anterior e quando ela ia falar me coloquei por trás dela segurando a barriga com os meus braços e a abraçando com força enconchando o meu pau no meio daquele bundão ela começou a gritar a tentar desapertar os meus braços mais eu apertava cada vez mais o meu pau naquela bunda enconchando ela com toda a força, ela só me xingava e eu imaginava que tava comendo aquele cu não ouvia nem via nada, só queria foder aquela mulher. Até que ouvi ela a dizer para parar quase chorando, aí caiu a ficha e eu a soltei recuei um passo e fiquei a olhar a espera o que ela ia fazer, estava sem reação e ela me deu com a força que ainda lhe restava um tapa na cara que deixou a mão dela bem marcada na minha face.

Correu para fora da cozinha e se trancou no quarto, tentei ir atrás dela, mas só ouvi um choroso vai embora, sai da minha casa, vai embora!!

Mas eu não fui me , sentei e sem saber porque as lágrimas também me vieram aos olhos e pensei no que estava a fazer, estava a provocar sofrimento numa mulher, que ainda por cima era minha tia, não podia continuar a fazer isto. Abri a porta da casa e sem dizer nada fui embora.

Cheguei a casa e falei com a minha mãe e pedi para passar uns dias em casa dos meus tios da parte do meu pai, ela estranhou que sabia que eu não gostava, mas concordou. Era melhor eu me afastar dali ou ainda ia fazer algo muito mau para mim e para a minha tia.

Duas semanas depois voltei para casa, quando estava a contar a minha mãe o que tinha acontecido nos meus tios perguntei pela tia Bia, e foi quando soube que o namorado dela tinha ido embora e que ela estava muito triste e desanimada, n]ao sei como nem porque, mas só me lembro de ter levantado e ir ter com ela, precisava de a confortar nesta hora ela de certeza precisa de carinho e apoio. Ao chegar lá ela estava a porta de casa e quando me viu teve uma expressão de surpresa e eu ao olhar o meu coração começou a bater forte, senti as mãos a transpirar e a garganta seca… continuei a andar na direção dela e ao chegar perto falei que já sabia o que tinha acontecido e se ela estava bem. Ela falou que sim e que se ele foi embora era que não gostava dela. Essa era a minha tia, uma mulher segura e que sabia o que fazer, como fazer e como reagir mesmo as coisas mais complicadas.

E ela estava mais linda que nunca, olhei de cima a baixo e vi os olhos dela de reprovação pelo que eu estava a fazer, dei um sorriso de canto de boca e pedi desculpa, ela colocou o braço por cima dos meus ombros e falou que eu tinha era que arrumar uma menina da minha idade e que ela era muito velha para mim, mas que ficava orgulhosa mesmo assim porque um garoto lindo como eu estava apaixonado por ela. Ficamos os dois conversando e eu falei que não sabia como é que tinha acontecido, mas gostava muito dela. Depois de algum tempo entramos em casa e ela disse que tinha obras para acabar se eu não queria dar uma ajuda e que servia como maneira dela me desculpar pelo que tinha feito, disse logo que sim, aquilo tudo o que ela tinha falado era verdade, mas não tinha perdido a esperança de a ter para mim.

E foi graças a estas obras que o ex dela tinha deixado a meio que começamos a nos aproximar mais, depois das aulas ia sempre para lá ajudar. Admirava aquele corpo gostoso a raspar a tinta da parede de bunda para cima, via aqueles mamões todos os dias e ia metendo conversa com ela, falamos de quase tudo, o tema sexo estava sempre presente nas conversas embora ela tentasse sempre não falar sobre isso.

Terminamos passado 3 semanas de muito trabalho, até fizemos um bom trabalho, ficou uma sala praticamente nova! E orgulhosos do trabalho ficamos sentados cansados um ao lado do outro, coloquei a mão na perna dela e falei que fazíamos uma boa dupla, ela não tentou tirar a mão e eu continuei acariciando aquela perna gostosa, estávamos os dois sozinhos e eu já estava com a mão na coxa, com um pouco de medo subi um pouco para ficar mais perto da bocetinha e ela não dizia para eu parar, nenhum de nós dizia nada, já sentia o meu pau a ficar meia bomba no calção, foi quando senti a mão dela na minha, olhei para ela e vi um olhar diferente, parecia que queria que eu continuasse, os dedos dela faziam caricias na minha mão e continuei até chegar no meio das pernas, mesmo na boceta, parecia um sonho mas era bem real, mesmo que fosse por cima das calças estar a mexer ali onde fica aquela delicia era bom demais, arrisquei mais um pouco e coloquei a outra mão no braço dela que estava já com uma respiração mais rápida e fui subindo pelo braço até ao ombro, olhei para ela mas ela estava com o olhar na minha mão que estava acariciando a bocetinha dela por cima das calças, a outra mão foi descendo do ombro e comecei devagar a tocar na mama, com um movimento devagar aproximei a minha boca da sua cara para tentar lhe dar um beijo foi quando ela levantou a cabeça e encostamos os lábios e iniciamos um beijo… mas de repente ela dá um salto e fala não, que não pode ser, somos família , sou sobrinho e ela não pode, era melhor ir embora, um pouco frustrado levantei e fui na direção dela falei que queríamos os dois a mesma coisa, porque não podia acontecer, aproximei dela e segurei lançando o meu braço a volta dela e beijando o pescoço como ela dizia a minha mãe naqueles segredo que gostava que um homem chegasse junto dela a segurasse forte e a beijasse no pescoço, e vi que era verdade, ela gostava muito disso e ficamos ali de pé, eu a segurando por trás já com a minha pica dura, pressionando na bunda dela e beijando aquele pescoço lindo, ela se afastou e falou novamente não, foi para a cozinha buscar um copo com [agua, fui atrás dela, foi quando ela falou para eu ir lá jantar, que tínhamos de inaugurar a sala nova! E abriu um sorriso para mim, aí sim posso dizer que fiquei apaixonado rsr.

Fui para casa todo contente e com esperanças renovadas que ia ter aquela gostosa toda para mim, cheguei a casa tomei um banho, bati uma pensando nela e como ia ser gostosa aquela noite, vesti uma roupa que me ficasse bem e fui ter com ela.

Ao chegar bati a porta e ouvi passos, estava muito nervoso e ansioso, quando ela abriu, uau! Que linda! Exclamei, ela sorriu, mas estava mesmo linda e gostosa, vestido longo, mas da cintura para baixo todo com aberturas, um decote não muito grande, mas o suficiente para ver um pouco do peito e do sotia, que também era preto para fazer parelha com a cor do vestido, atrás a bunda ficava bem marcada porque apertava um pouco e dava para perceber uma mini calcinha que marcava bem no vestido. Fiquei de boca aberta a olhar quando ela pergunta com um sorriso se não queria entrar. Engoli em seco e disse claro que sim, fui atrás dela me deliciando com aquele rebolar, ela sabia como seduzir e deixar um homem louco!

Levei uma garrafa de vinho que o meu pai tinha em casa e entreguei, ela olhou e sorriu, disse para eu me sentar que já ia servir o jantar, eu queria era jantar a ela na verdade, rsr

Perguntei se ela queria ajuda e fui a cozinha com ela, disse para eu levar os copos, disse que ela estava muito bonita, ela agradeceu e levou a comida, estava mesmo desejoso por um beijo dela, colocamos tudo em cima da mesa, abri o vinho e servi, aproximei dela e a tentei beijar, e ela me agarrou e me deu um beijo de língua bem gostoso e demorado, nem queria acreditar, ali estávamos nós como eu tinha imaginado e sonhado tantas vezes, as nossas línguas dançavam dentro das bocas, as respirações ficavam ofegantes e a vontade era muita, desta vez não era só eu que queria, ela também e demonstrava isso, percorria as costas dela com as minhas mãos e me perdia naquele beijo delicioso, ela me segurou na cabeça e com a boca dela junto da minha falou que era para irmos devagar, eu concordei, afinal tudo aquilo era mais do que eu alguma vez esperei, e se queria tinha de ir com calma.

A olhei nos olhos e dei um sorriso, ela retribui-o, sentei perto dela e começamos a jantar, falamos de alguma coisas, ela sabia conversar, a voz dela estava doce, calma e muito sexy, ou era eu que estava com muito tesão e soava assim, coloquei a mão no joelho dela através de uma das aberturas do vestido e ela deixou, subi a mão e explorei toda a coxa, que pele gostosa, fina e sedosa, ela me segurou na mão e se aproximou me dando mais um beijo gostoso, as nossas línguas se enrolavam, lutavam para sentir mais o sabor uma da outra, nossas bocas abriam, sentia aqueles lábios grossos pressionando os meus e a vontade já era muito grande para esperar mais tempo, nem terminamos a comida, a mão que antes só explorava a coxa, subiu e já explorava todo o corpo, um arrepio me subiu na coluna quando pela primeira vez consegui tocar naquelas tetas, apalpando a esquerda tentando meter a mão por dentro do vestido, mas a posição não era favorável, já não aguentávamos o tesão e levantei e puxei por ela, segurei nos meus braço e demos mais um beijo, cheio de vontade, cheio de tesão, e até com paixão, comecei a descer as alças do vestido ela só olhava para o que eu estava a fazer sem dizer nada, tirei um dos lados e beijei o ombro, fui beijando passando pelo pescoço, chegando na orelha mordi um pouco o que a fez arrepiar e morder o lábio, a beijei na face chegando novamente a boca, onde mordi um dos seus lábios e ela fez o mesmo com os meus, mais um beijo, e ela me chupou a língua, fazendo o movimento como se fosse um pau, aquilo me excitou demais e apertei contra mim para a fazer sentir o meu pau, continuei a beijar o pescoço e fui tirando a outra alça do vestido o fazendo cair, fiquei louco ao ver sotiã pretinho de rendas, calcinha fio dental toda com rendas e apenas um pouco na frente a esconder a boceta, nem sabia como reagir, o que dizer ou o que fazer, era inexperiente nunca tinha ficado com meninas, só tinha rolado beijos e apalpões, ela me abraçou forte, puxou a minha camisola para a tirar e eu ajudei, ela me beijava o pescoço descia e beijava o peito, estava com tanto tesão que o pau dava dores, não acreditava, finalmente o que sonhava estava a acontecer, foi quando a puxei para mim tirei o sotiã e mamei, mamei muito naquelas mamas deliciosas, ela sussurrou vamos para o quarto e fomos sempre nos beijando, chegando lá tirei a minha roupa ficando só de boxers, ela só estava de calcinha e passei a mão naquelas mamas outra vez e chupei o bico mordi , ela gritava e me apertava cheia de tesão, me jogou para a cama e veio por cima, dizendo que ia me comer todo que agora a tia vai mostrar o que é foder a sério e que eu me ia arrepender de ter ido ter com ela, só falei vem cá me beijou todo, desceu com a boca me lambendo o peito, a barriga e puxou o boxer para baixo, meteu o pau na boca fazendo uma mamada deliciosa me levando a loucura, lambeu o saco, meteu as bolas na boca e mamava muito, eu só gritava de prazer, que loucura era aquilo, que tesão ela subiu e me beijou, que bom é era sentir aqueles lábios grossos e macios nos meus, aquela língua molhada e incansável em busca da minha, estava sem reação, sem ouvir nem conseguia falar, só sentia o meu coração bater a mil a hora, foi um beijo longo e muito molhado cheio de paixão, quando ela disse que ia ser toda minha, que me ia entregar tudo, sentia a calcinha roçar o meu pau, toda molhada de prazer, a busca de sexo, do meu sexo, segurei forte e falei que era virgem que me tinha guardado para ela, ficou séria e me olhou abrindo bem aqueles olhos castanhos, confesso que fiquei um pouco assustado com o olhar dela, talvez ficasse admirada por eu ainda ser virgem, mas sempre quis a ela e nunca senti muita vontade de ter outra mulher. Ela me beijou com mais vontade ainda virou para o lado e ficou deitada de barriga para cima, eu subi nela e fui beijando o corpo todo, fiquei muito tempo nos peitos lambendo, beijando e mordendo ela gritava e pedia mais, dizia para eu mamar, fazia força na minha cabeça para baixo e eu adorava, comecei a descer e beijei a barriga e fui até baixo onde encontrei uma calcinha já toda ensopada de gozo e passei a língua para sentir aquele sabor, achei delicioso, comecei a descer devagar e olhei aquela delicia de bocetinha com alguns pelos olhava para a cara da minha tia e para a boceta subi e a beijei fervorosamente, desci outra vez e beijei a boceta, falei que se fizesse alguma coisa que a machucasse para ela dizer, enfiei a língua e comecei a chupar e a lamber aquela delicia, cada vez sentia mais vontade e prazer em fazer aquilo e os gemidos dela só me davam mais gosto ainda, estava no paraíso e não queria outra coisa, quando ela tremeu e ficou estática senti um líquido sair e senti que era o maior macho do mundo que tinha feito gozar a mulher mais gostosa do planeta!

Subi nela e senti a respiração ofegante dela, junto com a minha fazia um som que nunca mais vou esquecer, esperei um pouco e senti ela colocar a mão no meu pau e começar a punhetar, já tinha gozado, mas com os nervos nem senti bem, a primeira vez é sempre complicada, não foi difícil ficar bem duro outra vez e fui na direção daquela grutinha molhadinha, estava pronto para a minha primeira foda, coloquei na entra Dinha e nem lembrei de camisinha nem de nada, nem eu nem ela! Meti com toda a vontade, com todo o tesão acumulado daqueles anos todos de punhetas pensando e imaginando esse dia, estava a fazer tudo muito rápido até ela me puxar para ela e dizer para ter calma, com os lábios dela colados nos meus, estava muito cansado mas queria muito aquilo, queria que fosse perfeito, fiz mais um pouco de vai e vem com mais calma, mas só queria era meter tudo nela sentir aquele prazer que estava ali a sentir para sempre, senti que ia gozar, tentei evitar para durar mais, mas não consegui e enchi ela de leitinho, todo o meu leite dentro da minha tia, era tudo o que imaginei mas com muito mais prazer.

Caí cansado do lado dela e logo senti o seu beijo, gostoso e apaixonado, ficamos alguns instantes agarradinhos, ela com a cabeça no meu peito e me envolvendo com os braços como quem segura um tesouro.

Virou aqueles lindos olhos castanhos brilhantes para mim e falou que nunca pensou em fazer algo assim comigo, que sempre me viu como uma criança, mas não sabia o porquê estava a sentir aquilo, perguntei o que ela sentia, ainda meio atónito com o que tinha acontecido, falou que estava a sentir paz e estava muito calma, parecia estar nas nuvens, falei que sentia o mesmo, não sabia bem o que dizer, fiz mimos no seu cabelo e beijei a testa. Ela me beijou os lábios e falou que isto era errado, mas era gostoso demais para não ser vivido, eu só sorri e retribuí o beijo fazendo uma caricia na sua face.

Ela me beijou o peito e me olhando perguntou e agora?

Fiquei sem saber o que dizer, nunca tinha pensado no que fazer depois disto acontecer, porque nunca imaginei que isto fosse acontecer, falei que íamos namorar se ela quisesse, novo momento de silêncio e caricias, nos beijamos e não falamos mais durante alguns minutos, na verdade estava cheio de sono e cansado e adormeci.

Acordei com um grande beijo e a uma voz doce e sexy dizendo para o belo adormecido acordar, sorri e a abracei beijei, ela falou que já era tarde, que os meus pais iam ficar preocupados e até podiam desconfiar, de facto já era quase meia noite, não ia para casa aquela hora, liguei a minha mãe disse que tinha passado a hora e que ia ficar a dormir na casa da tia. Ela concordou e disse para eu não dar muito trabalho.

Fizemos amor muitas vezes naquela noite e foi aí que me apercebi que além de desejar aquele corpo, amava aquele coração e aquela alma.

,

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/07/2018 18:33:17
Tesudo querido! Muito tesudo. Tenho um sobrinho que é louco por mim e sei como a Bia deve ter sentido. Achei delicioso a forma como tudo aconteceu. Meladona fiquei. Rsss. Fica aqui meu comentário e nota. Sem dúvida dez. Visite meus contos quando quiser. Bjs babados.
02/07/2018 18:01:57
sensacional
18/05/2018 03:05:03
Excelente conto continue
27/04/2018 09:27:27
Ricardo!... Que máximo! Foi muito, muito... gostoso saber como foi que aconteceu as safadezas com essa tia. RsrSrs... Dez pra você. Tenho contos aqui e se você comentar, eu vou ficar bem feliz. Bjs=-)
10/04/2018 09:47:14
Ótimo conto, querido. A narrativa flui e envolve nesse jogo de sedução entre tia e sobrinho. Sempre há relutância em casos assim, dentro da família. Devo parabenizá-lo pelo conto sexy e sensual. Se não tiveres preconceitos, leia o meu com meu filho e como iniciei três garotos virgens de uma só vez. Deixo a nota dez e beijocas.
09/04/2018 12:24:00
Delicia de conto, Ricardo. A tua tia, com certeza, ficou lisonjeada em saber que era desejada por um garotão mais jovem. E como não perdoar, quem vem desculpar com uma flor na mão? Rs. Merece meu dez com louvor. Tenho um relato aqui, onde relutei, mas, acabei dando para um sobrinho. Dá uma olhada lá como foi. Beijos.
09/04/2018 08:55:54
Dizem que entre quatro paredes, havendo consenso, tudo é válido. Ótimo conto, narrando com veracidade como as coisas acontecem no seio familiar. É assim mesmo, devagar, com muita luta para reprimir desejos que julgamos proibidos. Foi super erótico e excitante esta narrativa. Eu mesma, sou amante do meu enteado, além de ter iniciado um irmãozinho. Narrei aqui e adoraria ter tua opinião nesses relatos. Bjs.
07/04/2018 11:33:34
Maravilhoso gatas vamos tc chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS, NOVE, NOVE, SETE, TRÊS, SEIS, NOVE,NOVE MARCOS BJS NAS PEPECAS..
07/04/2018 06:03:43
Isso que é Amor de Tia. Me fez lembrar do dia que Comi minha Tia pela primera vez.
07/04/2018 01:34:40
Maravilhoso