Familia de putas e putos 35

Um conto erótico de gost46
Categoria: Homossexual
Data: 06/04/2018 09:48:58
Nota 10.00

Eu ainda tremia abraçado a ele, beijava com carinho e amor. Lembrei-me do meu medico que tomasse cuidado em gozar continuamente, para não perder os sentidos, mas como eu conseguiria isso com quem sou feliz, com quem me sinto puta, me sinto mulher?

DANDO CONTINUIDADE:

Na terça a noite, fomos numa sauna na Augusta, pois ele nunca tinha ido a uma e nem imaginava, que rola de tudo,

Chegamos e ficamos de toalha e fomos para sauna a vapor. Estava bem frequentada e quando Guima levantou-se para se molhar no chuveiro que tem dentro da sauna, todos olharam para a ferramenta dele, pois sem duvida nenhuma, humilhava o mais dotado que tivesse no recinto. Fui ao seu encontro e pegando na sua rola e puxando ate onde tem o lugar para sentar, iniciei uma bela chupada, mostrando a todos, que ele era meu.

Saímos e fomos para sala de TV, onde tinha vários homens se punhetando e outros chupando rola. Ficamos um pouco e fomos para a sala conde tem uma cama enorme redonda e onde já tinha um rapaz de quatro levando pica e todos ao redor olhando.

Guima ficou logo de pau duro e eu estava excitadíssimo, com o cu já todo melado de tesão e ele pediu para me comer ali na frente de todos, lembrando de quando me comeu La em Angola e o casal parente dele ficou olhando. Lógico que aceitei, ele estirou a toalha numa parte da cama e com aquele mastro apontado pra cima, chamou a atenção de todos, inclusive, do rapaz que estava sendo enrabado. Amigos deu inveja a todos que estavam lá e daria também inveja ate ao Kid Bengala, pois é humilhante a diferença de rola. Como meu cu já estava melado de tesão, foi só montar e colocar a cabeçona na boca do cu e deixar o corpo pesar em cima. Juntou o pessoal bem atrás de nós e olharam com atenção e espanto, meu cu abrindo e a rolona escorregando pra dentro. Tinha já comentários entre a plateia, como eu conseguia receber aquela tora toda, e senti até uma mão pegando no que ainda estava de fora e sentindo como meu cu estava esticado. Ai colou minha bunda na pélvis de Guima e para delírio de todos, viram aquela estaca terminar seu curso mostrando que estava toda atolada dentro de minha alma.

Cavalguei inicialmente bem lento e à medida que a excitação ia aumentando, a velocidade da foda também aumentava. Depois de um tempinho, Guima me posicionou de quatro e em pé atrás de mim, enterrou a estaca ate o talo e ai a plateia pode ver melhor o entra e sai da rola no meu esfolado e pidão cu. As estocadas foram aumentando e eu já iniciando o primeiro gozo, onde uma onda de prazer foi irradiando pelo corpo todo. Tinha uns seis caras se punhetando e o rapaz que estava trepando ao lado, se posicionou para ficar vendo minha entrega. Gozei uma, duas e já estava na terceira gozada, quando Guima tremeu e senti sua rola aumentar ainda mais de calibre e despejar, farta quantidade de porra, no que me deu o ultimo choque e cai deitado com ele acoplado na minha bunda por cima de mim.

Depois de um tempinho, sua rola foi diminuindo e saindo vagarosamente, deixando para trás, um vazio enorme e um rio de porra a escorrer. Saímos sob olhares de aprovação e satisfação em me ver andando e a porra escorrendo pelas pernas, e Guima com sua rola em repouso, maior que muitas duras que estavam na sala. Ele estava radiante, pois achou tudo um espetáculo, pois não imaginava que existia um lugar assim, onde todos faziam sexo sem se preocupar com ninguém.

Depois de me lavar no chuveiro e com os olhares de aprovação dos que assistiram meu desempenho no salto na vara, a alegria de ter um macho potente como o Guima, é realmente de dar orgulho e inveja a quem gosta de dar o cu, como eu. Só sabe o que é maravilhoso sentir uma tora dentro de você e sentir o abraço de um macho comedor, quem já sentiu essa experiência. Hummm....delicioso!!!

Fomos para o bar e ficamos tomando umas cervejinhas e com os olhares e comentários elogiosos a nosso respeito. Teve ate alguns que se dirigiram a nós e fizeram alguns comentários que nos deixou envaidecidos, como: “ ummm...nunca tinha visto um pau desse tamanho, acho que eu não aguentaria” ou “ nossa amigo, você é de mais em agasalhar uma pica desse tamanho, uma delicia!”

É lógico que ficamos bem alegres e também, com mais excitação, pois foi a hora que uns boys da casa iniciaram o dance de Streep, onde as rolas eram realmente grandes para o padrão normal, mas se comparar com Guima, era covardia.

Depois de um tempo, fomos para um quarto onde tem uma cadeira erótica e que eu estava louco para usar com ele. Entramos e nem fechei a porta, pois estava a fim de que algum dos frequentadores, desse uma de curioso e olhasse eu escancarado dando. Nessas horas, parece que seu pensamento é captado, como telepatia.

Deitei na cadeira e já coloquei meus pés apoiado no suporte que deixa você, na posição de mulher que vai fazer exame ginecológico e Guima, já nu, encostou a tora na porta do insaciável cu, já enterrando pausadamente, ate encostar sua pélvis na minha bunda. Nessa hora, vi que um cara entreabriu a porta e olhou discretamente, como se pedindo permissão para entrar, no que olhei e com um sorriso, dei a senha para a observação gratuita de sexo explícito.

Ai, foi como abrir a porteira, pois foram espalhando na sauna que tinha essa foda ao vivo, no que trouxe mais de sete machos pra dentro do quarto.

Guima não se intimidou e mandou ver as estocadas no já preenchido cu, no que à medida que ele aumentava a velocidade, eu sentia que naquela posição, estaria ao final da trepada, completamente destruído, pois a rolona ia ate o talo e isso doía quase no estômago, dando uma sensação de desconforto. Mas amigos, à medida que a excitação aumentava, o desconforto foi sumindo e logo comecei a sentir meu corpo entrando em choque e minhas entranhas começaram a tremer, pois minha próstata ficou completamente dormente em espasmos que irradiava por toda parte do meu ser. Explodi num gozo tão forte, que quase caio da cadeira e a rola do Guima escorrega pra fora, no que ele mais do que depressa me segurou com força, enquanto eu gritava e me contorcia sem parar. Os machos que assistiam, ficaram espantados com o que estavam vendo, pois com certeza, nunca tinham visto um homem gozando no cu como se fosse uma mulher.

Guima simplesmente, não parou e nem diminuiu as estocadas, com a plateia se punhetando e olhando atentamente, aquela tora enorme entrando e saindo freneticamente de dentro de mim, e eu naquele transe louco gozando sem parar. Guima começou a se esticar e enterrar o que não tinha mais para enterrar e sua rola inchou ao Maximo, iniciando mais um despejo de porra no já inundado cu, com suco do meu gozo e agora, misturando com a porra de Guima. Ele parou com ela atolada ate o eixo e ficou com meio corpo deitado por cima de mim, enquanto eu dava os últimos espasmos de um gozo fortíssimo, e completamente sem noção de nada ao redor.

Quando nos acalmamos, parte da plateia já estava saindo e ele desacoplou a rola, escorrendo de minhas entranhas, nossa mistura de amor e sexo. Foi uma das melhores gozadas que já senti, pois com o passar do tempo eu gozo mais e mais forte, incrível. Estou realmente, um ninfomaníaco.

Saimos para o banho e em seguida, fomos para a sala de repouso, onde deitei numa espreguiçadeira e ele, deitou-se em cima de mim, onde ficamos abraçados. Ele ficou com sua rola em repouso, entre minhas pernas e dava para sentir, que ela por ser enorme, ficava a cabeça, encostada no rego de minha bunda, mesmo estando com as pernas estiradas, somente abertas, com ele no meio.

Ficamos conversando e nos beijando com carinho e muitos dos caras, passavam e paravam admirados com esse nosso relacionamento descontraído.

Não demorei muito, já estava ficando com vontade de gozar novamente e isso ele notou, quando minha rola foi inchando entre nossas barrigas. Imediatamente, ele olhou nos meus olhos e sem nenhuma palavra, iniciamos uma sessão de beijos carinhosos, que acendeu a anaconda que estava em repouso, entre minhas pernas. Senti imediatamente, que ela já estava durona e estava exatamente na direção do meu ardido, dolorido e desejoso cu, no que apenas levantei as pernas, entrelaçando nas suas costas e assim, ofereci mais uma vez minha caixa de joias, para que ele adentrasse e me fizesse seu.

Nem precisou direcionar ela para o alvo, pois depois de um tempinho ele esfregando a rola no rego da bunda, levantou minhas pernas apoiando em seus ombros, enterrou mais uma vez, ate terminar o percurso. Já estavam todos ao redor olhando atentamente, aquela estaca entrando e saindo ate a metade e mostrando a grande capacidade de acomodação, que eu tenho em dar o cu.

Foi uma trepada forte, mas ao mesmo tempo, calmo, sem atropelos e demorando o suficiente, para que eu gozasse mais uma vez e fiz com que todos vissem, ele terminar gozando numa deliciosa chupada, dando a visão a todos, minha capacidade de chupar uma rola daquele tamanho. Quando ele começou a gozar, o primeiro jato foi nos meus lábios, onde imediatamente a coloquei na minha boca e bebi todo seu néctar, sem desperdiçar nem uma gota. Ai veio mais uma surpresa agradável, os que estavam na hora assistindo, aplaudiram nossa trepada, no que nos deixou orgulhosos.

Saímos da sauna, exaustos e fomos direto para o hotel, onde demos continuidade a essa maravilhosa estadia do Guima no Brasil, mas isso, conto depois.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/04/2018 11:52:35
ÊITA. QUANTO SEXO ENTRE VC E GUIMA. INCANSÁVEL.