Familia de putas e putos 33

Um conto erótico de gost46
Categoria: Homossexual
Data: 06/04/2018 09:45:58
Nota 10.00

A mulher ficou na área com as crianças e eu mais Sandra, retornamos a nossa foda, onde ela gozou umas duas vezes e eu enchi sua boceta de porra. Ouvimos a fala de Marcelo chegando.

Arrumamos-nos e descemos.

DANDO CONTINUIDADE:

Ficamos mais ou menos uns dois meses no maior amor, sem tocar no assunto e com a mulher, evitando sair novamente para boates e clubes de swing.

Ai veio mais um trabalho fora do país.

Tive que fazer umas mudanças numa unidade da empresa na Jamaica e teria que ficar por 60 dias, como já conhecia bem o país e já tinha muitos contatos por lá, meu cu piscou de alegria, pois iria reencontrar Joe e seu potente primo, Mario. Nesse momento, lembrei-me de tantas vezes que eles me comeram e me fizeram feliz.

Viajei num domingo e na segunda à tarde, cheguei a Kingston. Fui direto para o hotel e já cheguei alucinado de tesão.

Liguei para Mario, que imediatamente, reconheceu minha voz e prontamente, falou de vir no hotel me ver.

Tomei um bom banho e vesti uma camiseta e uma cuequinha box minúscula, onde entrava toda no rego da bunda e coloquei minha rola bem pra baixo, para que marcasse bem a frente, parecendo a testa de uma buceta.

Ele chegou e eu abri a porta, no que ele entrou e me abraçou com força, demonstrando alegria de me ver e de saudades.

Fechei a porta e ele me abraçou novamente e olhando nos meus olhos e me segurando pela bunda, com parte de seus dedos bem no rego, nos beijamos ardentemente. Nem conversamos, ainda abraçados, fomos ate a cama onde cai de costas com ele por cima de mim, num beijo saudoso. Senti a potencia de sua rola encostada no meu púbis e sem uma palavra, ele levantou-se, despiu-se, em seguida tirou minha sunga, no que deitou novamente por cima de mim e me beijando e levantando minhas pernas, passou a esfregar a cabeça de sua rola no meu rego da bunda, aonde ia ficando melado pelo seu liquido e do meu cu. Colocou minhas pernas em seus ombros e encostando a rola na entrada do já pedinte cu, forçou a cabeça bem no esfolado retentor, iniciou a invasão. Sentia centímetro por centímetro, ela escorregando vagarosamente, ate que senti sua pelve encostar-se à minha bunda e senti que aquela maravilha, estava toda dentro.

A excitação era tão grande, que ao iniciar os movimentos de vai e vem, senti meu corpo tremer, iniciando o primeiro orgasmo. Foi forte e alucinante me deixando sem controle, no que puxei seu corpo com mais força e ele me vendo gozando, acelerou de forma violenta as estocadas. À medida que ele aumentava as estocadas, mais eu gozava sem parar, já estava no terceiro gozo quando meu cu explodiu de vez numa sensação que não sentia, desde minhas trepadas com meu amor, Guima.

Sentia aquela rola com seus 25 cm e grossa, entrando e saindo alucinadamente, quando desliguei por completo ao sentir já no quarto gozo consecutivo, os primeiros jatos de porra nas minhas entranhas, onde a mistura de sua porra quentinha com meu gozo, escorriam em abundancia pelas laterais do meu preenchido cu. Ele parou ofegante e eu fui tornando aos poucos a realidade, sentindo meu cu piscando com aquela rola maravilhosa ainda pulsando e despejando as ultimas gotas de desejo.

Ficamos por mais de 5 minutos imóveis, abraçados com ele ainda por cima de mim.

Beijamos-nos fervorosamente e colocamos as novidades em dia. Depois pedi a copa umas cervejas, no que por coincidência, veio o mesmo rapaz que sempre nos atendia na piscina quando da ultima vez que estive no hotel.

Ele me cumprimentou com um sorriso largo e também ao Mario, no que colocando as cervejas na geladeira, viu ele deitado na cama ainda nu, mesmo com o lençol cobrindo apenas as partes intimas e eu que tinha apenas me limpado retirando o excesso de porra do cu, estava só de cuequinha e com o local do rego melado, mostrando que meu cu tinha levado uma boa quantidade de leite.

Ele me entregou a comanda para assinar, coloquei em cima da mesa e me curvei, no que senti sua mão passar alisando minha bunda e entrando pelo rego.

Assinei e, ao me despedir dele, o beijei carinhosamente num selinho mais ousado.

Voltei para a cama e ficamos bebendo e conversando, ate que nos acendeu novamente a excitação e tivemos relações sexuais mais uma vez, só que agora, com mais calma.

No dia seguinte, acordei com ele me penetrando de ladinho, e como o cu estava bem alargado e melado de tanta rola a noite toda, entrou facilmente e iniciamos mais uma foda deliciosa. Não fui pela manha para o escritório, preferi colocar meu tesão em dia, levando rola de todas as formas e posições. Estava feliz e completamente feminina, me entregando aos braços de Mario e sua potente e deliciosa rola.

Assim foi a semana toda, com Mario vindo sempre no final do expediente, já que Joe tinha sido transferido para outra unidade companhia e que só vinha duas vezes no ano. Não me importei muito, pois tinha Mario a minha disposição todos os dias. Marcamos no final de semana, iríamos a uma praia bem frequentada e que tem uns bares com musica de reggae, onde a excitação predomina e tem um bar conhecido como ponto de encontro para pegantes, tanto feminino como masculino.

Na Jamaica GAY é tratado com muito rigor pelo estado, são proibidas por lei, relações homossexuais. Mas talvez por isso, em o estado interferir nos costumes da sociedade as relações homo são escondidas, mas é fácil você ser cantado, ter alguém oferecendo acompanhantes tanto para homens como mulheres. Seja onde for, tem sempre alguém te cantando ou oferecendo uma boa rola, cu ou buceta.

No sábado saímos por volta das 10 horas, onde fiz antes de sair, uma boa depilação nas partes intimas e uma limpeza retal mais apurada, pois estava com uma sunga minúscula e sem forro, completamente provocante.

Chegamos uma localidade linda, Fort Clarence com praias cristalinas e com bares e restaurantes bem ornamentados e coloridos.

Fomos para um clube particular, com bar na praia, onde se fica mais a vontade, sem a especulação das autoridades por ser particular.

Cada vez que eu ia ao mar banhar, na volta tinha sempre muitos olhos a me secar, pois além de colar mais ainda a sunguinha, a transparência mostrava tudo, mesmo com minha rola virada bem para baixo e para trás.

Saímos da praia já tarde e chegamos ao hotel já anoitecendo, no que fomos para a piscina do hotel e como nesse ambiente tem muitos turistas de todas as nacionalidades, tem muitos casais com acompanhantes e solteiros também. No hotel por ter esse ambiente mais reservado, é fácil você levar cantada dos hospedes, garçons, serviços de copa e etc.

Depois subimos ao apartamento, no que fizemos sexo de todas as formas, uma maravilha. E assim foi o fim de semana todo, levando rola de manhã a tarde e a noite.

Depois de 45 dias, a companhia, resolveu que eu voltaria a Fortalesa e passaria somente uma semana, pois participaria, de uma conveção extraordinária em Berlim e ficaria por 15 dias.

Voltei num domingo e nos despedimos, com três gozadas seguidas, e muito.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/04/2018 12:40:13
PENA QUE A JAMAICA PROIBA AS RELAÇÕES HOMOAFETIVAS. MAS TUDO QUE É PROIBIDO É MAIS GOSTOSO...