Contos da sauna III - O forasteiro gostosão

Contos da sauna III - O forasteiro gostosão

Apesar de eu ter tido sorte em alguns dias que fui à sauna, na maioria das minhas visitas, a reação era a que eu já estava acostumado: rejeição. Mas eu já não me importava com isso há muito tempo, nem ligava mais. Nos dias que dava sorte de encontrar um chaser, ótimo! Mas se não encontrasse, bem também! Curtia minha sauna, batia minha punheta e pronto. Mas aquele dia já mostrava que havia algo de diferente no ar…

Logo que me troquei e passei pelo bar, percebi que o lugar estava bem mais agitado do que o comum para uma quarta-feira… A casa estava cheia de caras com o mesmo biotipo: magros, musculosos, sarados… E claro, interessados nos caras igualmente gostosos, sarados, malhados. Mas estavam todos circulando pra lá e pra cá. Isso não era mto normal, pois geralmente faziam isso entre as salas de banho seca e a vapor e não ali perto do bar. Parei para pedir uma coca-cola e comentei com o barman sobre o que eu observava e ele confirmou: havia um cara de fora, alto, muito bonito, peludo que estava recusando a aproximação de todos que haviam tentado. E estavam todos doidos para saber qual era a do cara. Em resumo, carne nova! E pelo que me disseram, da melhor qualidade! Eu ri alto e comentei com ele que se eu ja não era bem quisto pelos frequentadores “normais”, imagine por um forasteiro gostosão e disputado. “Eu vou é fazer minha sauna e bater minha punheta que eu ganho mais!”, saí e fui fazer o que eu disse.

Entrei na sauna a vapor, me acomodei nos degraus, abri minha toalha, fechei os olhos e comecei a me punhetar tranquilamente. Os três caras que estavam la dentro logo saíram, me deixando sozinho, como de praxe. Enquanto isso, o que eu não sabia e vim a descobrir depois de umas duas semanas após o ocorrido, era que o forasteiro tão cobiçado havia descido e pedido uma água tônica no bar. Aproveitou a oportunidade e perguntou se não havia um dia dedicado aos ursos, gordos e afins. O barman explicou que não, mas que às vezes apareciam um ursos e uns gordos e perguntou se ele gostava de gordos ao que ele respondeu dizendo “amo! quanto mais gordo melhor!” .Então ele completou dizendo que havia chegado um gordinho que geralmente aparecia às sextas, mas que havia passado lá para a sauna há uns dez minutos. Nesse minuto, eu saí da sauna e fui tomar uma ducha e fui imediatamente apontado por ele. Ele olhou e disse em voz alta para todos ao redor ouvirem “caralho, que delicia de homem!” e levantou-se imediatamente indo em direção às duchas.

Eu estava de costas e não vi ele se aproximar. Estava de olhos fechados gostando da água fria batendo no meu corpo. Escutei a ducha ao lado abrir e me virei lentamente para ver quem era. E que surpresa! O homem era branco, mais alto do que eu - estimei que tivesse 1,90m, cabelos pretos, sobrancelhas grossas sem exageros, peito e abdome cobertos de pêlos escuros que contrastavam com a pele branca. A bunda era grande, redonda e firme, coxas e pernas grossas e peludas, um pau de tamanho medio, mas grosso. Braços musculosos, peitoral grande e uma barriguinha saliente deliciosa, ainda mais coberta de pêlos. Ele me olhou e sorriu. Sorriso perfeito, olhos escuros e muito charmosos. Me olhou da cabeça aos pés e disse “oi! tudo bem?”. A voz era de um tom agradável, grave, de macho. Eu - ainda sem saber que ele era um chaser ferrenho - olhei aquele monumento da cabeça aos pés e respondi “Tudo ótimo! Melhor agora! Nossa…” Ele sorriu e disse “você é um gordo lindo, sabia?”. Eu achei que tinha escutado errado, pois estava prestando atenção nos caras que passavam pelas duchas em direção às duas salas de banho ou sentavam-se nos bancos ao redor da piscina, de onde podiam olhar aquele homem lindo. Finalmente eu disse “oi? desculpa, acho que não escutei direito…” e ele repetiu “você é um gordo lindo! Perfeito na verdade” e eu respondi de forma grosseira “Tu estás tirando onda com minha cara? Ta de sacanagem?” Ele gargalhou alto e completou “não, não estou de sacanagem. Voce é um tesao. Eu poderia até mentir, mas meu pau não deixaria… olha o que voce está fazendo com ele” e olhou para baixo. Segui o olhar e vi aquele pau rosado, ornado por pentelhos escuros, ensopados com a água que corria da ducha, ficando duro, ja começando a apontar pra cima. Eu só consegui exclamar “caralho!” e olhei pro rosto lindo daquele homem. Ele me encarou e deu um passo em minha direção. Não esperei mais agarrei o pau dele. Imediatamente ele veio para cima de mim, me abraçou e enfiou a língua na minha boca. Caralho! Aquilo era surreal!! Sabe aqueles homens que voce vê em filmes e fotos na internet? Pois é! Era aquele homem! E senti-lo me beijando e abraçando com tanto desejo, era como um sonho! Ele então me puxou pela mão e entramos na sauna seca. Fomos seguidos por uns três ou quatro caras. Sentei no degrau mais alto e ele ja veio me beijando de novo e logo desceu chupando meus mamilos, apertando meu peito, minha barriga. Aliás, ele beijou minha barriga inteira, apertou as gorduras da cintura e ficava dizendo que eu era delicioso, perfeito, que tinha tudo como ele gostava… e não falava baixinho, não! Falava alto, pra todos escutarem! E chegou então ao meu pau, que estava duro como rocha. Não hesitou em cair de boca e me chupar com muita vontade. Uma das chupadas mais gostosas que ja levei na vida! De onde eu estava, eu não conseguia ver, mas pela reação dos outros caras, ele estava se masturbando. Um dos caras - bonito por sinal - se aproximou e colocou a mão na bunda dele. Ele afastou a mão do cara gentilmente, parou de me chupar e disse “desculpa cara, se voce fosse gordinho pelo menos, até rolava” e voltou a me mamar. Eu nem preciso dizer que me senti desejado como nunca. Quando eu o puxei pelo braço para um beijo, ele levantou e ficou de pé bem na minha frente. O pau dele estava 100% duro. Era rosado, não circuncidado, de tamanho médio, grosso e apontava pra cima. Naquele momento, pulsava de tesão. Os caras ao meu lado, exclamaram alguma coisa. E ele ficou ali, me olhando inteiro e finalmente disse “caralho, mano… voce é simplesmente perfeito! Eu quero voce!” Nessa hora, olhei pros caras e eles estavam de boca aberta, meio paralisados, como se não entendessem o que ele estava vendo em mim.

Ele me puxou pela mão e saímos da sauna. Subimos e quando ele chegou na sala de video, sentou-se no degrau mais alto. O pau pulsava de tesão. Eu olhei e disse “agora é minha vez” e comecei a beija-lo e fui descendo pelo corpo peludo e perfeito. Chupei os mamilos e ele começou a gemer. Nessa hora, cruzou os braços atrás da cabeça, flexionando os bíceps enormes! Fiquei doido! Subi e lambi o sovaco dele. Ele soltou um grito. “Sério que voce curte fazer isso?? Voce vai me matar de tesão!”. Eu só sorri e caí de boca naquele sovaco peludo, de macho alfa e subi pro bração dele. Beijei, lambi, mordi aquele braço e ele gemia e urrava. Qualquer oportunidade, voltava a me beijar. Com uma das mãos, agarrei o pau dele e lambi o sovaco de novo. Ele soltou outro urro alto e disse “caralho, que delícia! que macho é esse, puta que pariu!”. Voltei a mamar o mamilo e beijar o peito peludo. Eu passava as mãos no corpo dele, parecia querer me certificar que ele era real. E era. Continuei descendo pela barriga beijando e sentindo os pelos dele nos meus lábios. Quando cheguei no pau, me acomodei melhor. E nessa hora reparei que havia uma grande platéia assistindo. Ele pegou gentilmente no meu queixo e disse “Continua, é voce que eu quero”. Eu sorri e olhei para aquela piroca linda, dura, rosada, pulsando e babando, toda melada de pre-gozo, que eu havia acabado de espalhar pela cabeça. O cheiro de macho estava no ar. Dei uma lambida embaixo da cabeça. Ele gemou. Sorri e abocanhei a vara dele. Estava morna e latejando de tanto tesao. De novo ele gemeu alto. Comecei a chupa-lo com vontade. Tava muito bom aquilo e foi quando ele disse “paizão, faz uns dias que não gozo e sendo chupado desse jeito por um macho como voce, eu não vou aguentar mais… ”. Sem parar, olhei pra ele, fiz sinal de ok com o polegar. E ele repetiu “paizão, eu não quero gozar agora, mas… puta que pariu… assim não vou conseguir… ai caralho… aaaaahhhhh…. uuuuhhhhh…. ” e eu senti aquele caralho delicioso jorrando porra na minha boca, aparei e engoli o que eu podia, mas mesmo assim, deixei uns jatos voarem na minha cara. E era muita porra!! Ele gozava como um cavalo, urrando, se contorcendo. Eu não parei. Ele tentou tirar minha mão, mas eu não deixei. Ele gritou e estremeceu inteiro, mas eu estava bem no meio das coxas grossas dele e não ia parar. Quando finalmente limpei a vara dele, ele me puxou pra cima, olhou meu cavanhaque ensopado de gala, sorriu e começou a me beijar, a lamber a própria porra. Ouvi gemidos e ao olhar pro lado, vi dois caras gozando enquanto nos assistiam. Eu sorri e ele também. Nos olhamos e logo ele voltou a me beijar. Os caras que assistiam, desceram e ficamos sós. Foi a minha vez de puxar ele pela mão, antes que aparecesse mais alguém.

Entramos no dark room, encostei ele na parede e beijei. Ele segurou meu pau e disse “que delícia isso, cara! Ah, eu não vou dispensar essa pau durão assim, não!”. Me levou pro colchão de casal que havia ali, me deitou e veio por cima de mim, me beijando todo! Como era mais alto que eu, quando estava me beijando, ja encaixou meu pau na entrada do cu dele e quando se sentou, pressionou um pouco e senti meu pau entrando num cu muito apertado e morno. Ele gemeu e disse “caralho que pau delicioso… hmmmm… olha isso… bate certinho na próstata! que delícia!” E começou a cavalgar. Cara, ver aquele macho rebolando com meu pau enfiado no cu dele era uma visão quase inacreditável. E por incrível que fosse, mesmo tendo acabado de gozar, o pau dele ja estava duro de novo e ele punhetava. Não demorou muito para que eu dissesse a ele que estava pra gozar. Ao invés de parar, ele me disse “paizão, me enche de porra, vai! quero sentir teu leite dentro de mim” e continuou. Bastou duas sentadas e eu explodi numa gozada fenomenal. Não consegui segurar um urro alto. Ele disse quase gritando “caralho, que delícia! Ahhhhhh…!”e esporrou em cima da minha barriga com alguns jatos chegando na minha cara! Quando terminamos, ele caiu sobre mim, ofegante, e me beijou longa e suavemente. Logo, caiu a meu lado e ficou abraçado. Eu sentia os pelos da barriga dele ensopados com a gala dele, já que ele deitou sobre meu corpo logo depois de gozar. Ficamos abraçados, nos beijando e conversando, apesar do entra e sai de caras no dark room. Então ele levantou e me puxou. Era forte de verdade aquele homem. Fomos pro chuveiro la de cima, Tomamos banho juntos. Ele me ensaboou todo. Fiquei de pau duro de novo e ele me chupou outra vez e logo estava de pau duro de novo!! Era insaciável alem de lindo. Mais uma vez, ele me fez gozar mais uma vez e eu o fiz gozar de novo. E sempre tinha alguém observando. Depois, descemos, trocamos telefones e marcamos de nos encontrar fora dali, antes que ele voltasse pra cidade dele.

Mas isso é outra estória…

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
03/04/2018 22:34:48
Sortudo. Sou gordinho e nao costumo ter essa sorte.
01/04/2018 00:11:50
SENSACIONAL. AH, VOLTA PRA CIDADE DELE COM ELE. VC MERECE UM AMOR ASSIM. E PARE DE SE SENTIR DIMINUIDO POR CAUSA DE UMA BALANÇA.