Casa dos Contos Eróticos

Minha feminina namorada Transexual

Categoria: Heterossexual
Data: 03/03/2018 21:44:37
Última revisão: 13/03/2018 02:39:48
Nota 10.00
Ler comentários (12) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá galera, fiz essa conta só pra contar essa história, precisava contar isso pra alguém e infelizmente meus amigos não tem a mente tão aberta assim, galera essa história é 100% real, totalmente Verídica!!! só mudarei os nomes por questão de privacidade. Vamos la então.

Meu nome é Daniel, atualmente tenho 30 anos e essa história começa quando eu tinha meus 25 estava começando uma nova faculdade pois eu já tinha me formado em uma mas não era bem aquilo que eu queria então decidi fazer outro curso, só que tive que acabar mudando de cidade pois onde eu morava a cidade era muito pequena não tinha o curso que eu queria.

Enfim, me mudei, consegui entrar na faculdade que queria, a aula era a noite, era um mundo novo, nunca tinha visto tanto mulher bonita num só lugar, consegui encontrar minha sala com outros calouros, a sala não estava muito cheia e aos poucos outros alunos iam chegando, alguns caras e umas garotas iam se acomodando em seus lugares, de repente entra uma mulher simplesmente maravilhosa, branca com cabelos negros lisos que quase chegava na bunda, cinturinha fina, coxas e bunda malhadas, já notava que aquela gata malhava, ela trajava uma jeans bem justa que destacava suas curvas, tênis esportivo e uma blusinha mais folgada e se sentou a tres fileiras de mim.Ela realmente era gostosa, de todas que foram chegando ela até o momento era a mais gostosa, uma puta duma morena bonita mesmo. Logo o professor chegou dando boas vindas aos alunos calouros e como todo primeiro dia de aula de calouros os alunos meio que se apresentaram, eu só estava esperando aquela morena se apresentar, povo ia se apresentando, uns moleques mimados filhinho de papai, outras meninas bem biscates que seriam sexo fácil na certa, mas eu estava deslumbrado naquela morena, quando chegou na vez dela ela se apresentou, seu nome era Bruna, tinha 22 anos e também era recém chegada na cidade. Que mulher maravilhosa, até os outros caras estavam de olho nela e as outras meninas notoriamente se sentiram ameaçadas pela beleza de Bruna que era uma ótima concorrente. Depois de todos se apresentarem iniciou a aula, aula vai e aula vem deu o intervalo e o pessoal começou a socializar, e ninguém ia la falar com a Bruna, parecia que os caras estavam com medo de ir la e eu era um dos mais velhos. Aproveitei a brecha e fui lá, ela estava indo em direção ao refeitório então fui junto. Meu coração estava a mil, acelerei o passo ate ficar ao lado dela e falei.

- olá tudo bem?

Ela disse.

- oi tudo sim, ei você é da minha sala né?

Respondi.

-sou sim, e a propósito também sou novo na cidade.

Chegamos no refeitório da faculdade a fila não estavam muito grande, ela pediu um salgado e um suco natural. Realmente Bruna era uma mulher que cuidava de sua saúde. Eu a acompanhei com um salgado e um refrigerante.

Continuamos conversando durante o intervalo até que logo tocou o sinal pra retornar a sala. No resto da aula não trocamos mais papo até porque ela se sentava longe de mim. Ao término da aula ela não demorou muito pra juntar as coisas e ir embora, ela não fez muita cerimônia pra se despedir dos outros alunos. Apressei o passo e a alcancei perto do portão e consegui me despedir dela, ela estava um pouco apressada. Não tive coragem de pegar contato com ela até porque ela estava com pressa e eu sabia que teria todos os dias pra encontrar com ela.

Cheguei em casa e não conseguia tirar Bruna da cabeça, aquela mulher era um espetáculo, era a mais bonita da sala, um rostinho de boneca, super feminina. Ela passava muito respeito, uma mulher muito polida e independente.

No dia seguinte cheguei mas não entrei na sala, fiquei perto da sala esperando ela aparecer, quando a vi ja fui pra perto dela dando boa noite, ela correspondeu com um lindo sorriso, Bruna parecia ser muito bem de vida, sempre bem vestida, nem um pouco vulgar. Desse dia em diante comecei a me sentar ao lado dela e nos horários livres da aula nos conversávamos nos conhecendo mais.

Como já estávamos nos aproximando decidi que seria a hora de pedir o contato de Bruna, ela meio sem jeito passou seu número do whats. Bruna não gostava muito intimidade, parecia ser muito reservada. Mas ja era uma vitória pois nenhum outro cara teve coragem de ir falar com ela. Em casa mais tarde ja tinha o numero dela adicionado, ela usava uma foto linda em seu perfil, sei nem como explicar cara, ela era simplesmente maravilhosa. Não demorou muito e ela ficou online, na hora mandei um oi. Nossa não sabia oque estava rolando comigo, Bruna gelava meu estômago e me suava as mãos. Quando ela respondeu eu parecia ter 14 anos de tão animado que fiquei. Bruna escrevia tudo tão certinho, não abreviava nada. Conversamos bastante durante a noite, Bruna não se abria com tanta facilidade mas o pouco que se abria me encantava mais nela.

Durante os dias seguintes não mudou muito coisa em nossa rotina, conversávamos oque dava na aula, quando ela não ficava conversando com outras garotas ela passava o intervalo comigo e a noite conversávamos pelo whats. Em um desses intervalos numa sexta feira estávamos juntos no refeitório e tomei a coragem de chamar Bruna pra ir ao shopping, foi o convite mais difícil da minha vida. De início ela não achou uma boa idéia ela ficávamos olhando em volta preocupada como se as pessoas estivessem encomodadas. Falando bem baixinho ela aceitou e que depois a gente combinava tudo direitinho, nisso ela se levantou e foi em direção a sala. Na hora fiquei confuso mas feliz por ela ter aceitado.

Deu sábado acordei cedo, nem consegui dormir direito naquela noite, combinamos que eu buscaria ela as 17:00. Não estava acreditando que iria encontrar ela fora da faculdade. Deu a hora fui pro endereço dela, cheguei era um prédio muito bonito, Bruna morava num bairro caro. Avistei ela de longe vindo em direção a meu carro, nossa ela estava deslumbrante. Como aquela mulher conseguia ser tão linda. Ela estava com um vestido azul escuro até o meio da coxa, salto alto e cabelos soltos. Ela entrou e nos cumprimentamos,o caminho todo não conseguia tirar os olhos daquelas pernas grossas. Bruna além de bonita era muito gostosa, nenhuma das minhas ex era tão bonita e gostosa. Chegamos no shopping e fomos comer alguma coisa, ela estava muito tensa e não entendia o porque. Perguntei

- você está bem? Parece tensa

Ela disse.

- estou sim me desculpa. É que não costumo receber esse tipo de convite.

Respondi

- oque como assim??? Desculpa falar assim mas você é uma mulher muito bonita

Ela disse.

- é difícil explicar. Você esta sendo tão legal comigo que eu nao quero estragar tudo.

Não quis forçar ela porque ela já estava desconfortável, tentei mudar de assunto falamos da faculdade e logo depois fomos dar uma volta pelo shopping. Bruna realmente chamava a atenção até os caras acompanhados olhavam pra ela. Chegamos no centro do shopping aonde tinha um chafariz e um banquinhos e demos um tempo ali, falei pra ela.

- posso fazer uma coisa que já estou querendo fazer a muito tempo?

Ela disse.

- depende, oque?

Falei.

- segurar sua mão.

Ela ficou surpresa parecia esperar outra coisa de mim mas deixou, quando segurei sua mão delirei, nossa que pele macia ela tinha. Fiquei fazendo carinho em seus dedos enquanto conversávamos vira e volta ela correspondia a meus carinhos mexendo os dedos de volta. Mas ela continuava desconcertada, ela parecia se preocupar tanto com os outros. o cenário estava ótimo pra gente se aproximar mais que na faculdade, tirando a tensão de Bruna. O tempo foi passando e meio que foi dando a hora pois não combinamos cinema nem nada do tipo, o tempo que ficamos conversando fez o tempo voar e nem vimos. Fomos para o estacionamento pra ir embora e de mãos dadas. Realmente pareciamos um casal, enquanto andávamos nos via nos reflexos das vitrines, eu com aquela mulher maravilhosa. Até me gabei por um momento.

Já voltando pro apartamento dela eu dirigia e quando podia segurava a mão dela no câmbio do carro, queria arriscar acariciar a perna dela mas Bruna era uma pouco fechada e eu não queria por a carroagem a frente dos bois. Quando chegamos vi que Bruna estava mais aliviada por não estar mais em público.

Ela disse.

- me desculpa por ter estragado nossa saída..

Respondi.

- oque?? Jamais, Bruna eu amei sair com você me desculpa eu se fiz algo de errado.

Ela disse.

- bobo você não fez nada, foi muito gentil rsrs....

(Ela tinha um sorriso lindo)

...obrigada mesmo pela noite.

Respondi.

- eu que agradeço, e claro, adoraria sair com você novamente rsrsrs.

Bruna sorriu dando a entender uma confirmação e antes de ela sair um silêncio nos calou, ficamos nos olhando uns 3 segundos que mais pareciam meia hora. Parecia que nem existia mais mundo fora do carro, só nos dois ali, quando menos percebo nossos rostos se aproximam e começamos a nos beijar, caraca nem podia acreditar que estava beijando aquela gostosa da faculdade, a boca de Bruna era muito macia e seu rosto e pescoço cheirosos. Ela interrompe e diz.

- Daniel me desculpa, é melhor você ir.

Ela me abraçou e saiu do carro. Porra fiquei sem entender nada, ainda estava com aquele sabor doce a boca enquanto via aquela mulher se afastar e ir embora. Fui pra casa. Durante a noite Bruna nem ficou online no whats. Comecei a ficar preocupado. Mas não conseguia parar de pensar naquele beijo, rebobinava aquela cena várias e várias vezes em minha cabeça. Vi que ela não iria entrar então acabei adormecendo, mas dormi pensando naquele beijo, quando acordo tenho uma nova mensagem.

- "Daniel me desculpa ter saído daquele jeito, você tem sido tão legal comigo e eu tenho medo de estragar oque tá acontecendo, eu nao quero mentir pra você mas também tenho medo de ter dizer a verdade..."

Juro que quando li aquilo não conseguia mesmo entender sobre oque Bruna estava falando, só não queria perder ela, disse que ela não precisava se forçar a nada e que quando sentisse segurança podia me contar tudo que quisesse.

Não demorou muito e ela responde

- "só não quero te enganar, mas muito obrigada por ser tão compreensível"

Naquele dia conversamos o dia inteiro, estava apaixonado naquela mulher, eu não me sentia assim desde a época do Colégio.

Na semana seguinte não via a hora de ir pra faculdade, quando cheguei procurava ela em todos os cantos. Cheguei na sala ela não estava, coloquei minha mochila na carteira da frente pra marcar lugar, logo ela chegou, meu coração foi na boca. Acenei pra ela e ela veio, tirei a mochila e ela se sentou, o pessoal ja ficava murmurando quando nos via juntos, ja no intervalo andamos de mãos dadas mas ela ficava sem graça e as vezes soltava minha mão,nem reclamei, tudo a seu tempo. E o tempo foi passando ficávamos cada vez mais juntos mas não saíamos dos beijos oque já estava me enlouquecendo, durante nossos beijos meu pau só faltava explodir na calça de tão duro, nossos beijos estavam ficando mais quentes mas quando começava a esquentar mesmo ela parava. Nunca briguei ou forcei nada, Bruna era a mulher mais bonita que tinha aparecido na minha vida, durante a aula trocávamos SMS quentes do tipo, "se pudesse te agarrava aqui no meio da aula" trocávamos olhares safadinhos. Pouco a pouco ficávamos mais íntimos. Era difícil fazer Bruna se soltar mas aos poucos ela ia se soltando, mas ela nunca aceitava ir la em casa e nem deixava ir na casa dela, nunca tivemos um momento de privacidade, sempre em público, parece que ela evitava esses momentos. Tinha medo de cobrar e Bruna se sentir pressionada e acabar com tudo. Continuávamos com nossos passeios e sempre com muitos beijos. Um certo dia estávamos de chamego trocando uns amassos quando sinto a mãozinha dela em minha coxa se aproximando do meu pau, aquilo estava torturante, Bruna tinha as mãos muito macias, finalmente pela primeira vez ela pegou no meu pau mesmo que por cima da calça, que a essa altura já estava todo babado. Aproveitei a oportunidade e falei no ouvido dela.

- como eu queria fazer amor com você.

Bruna de repente me olha com um misto de paixão e tristeza, na hora já pensei que dei mancada em falar aquilo, minha relação com Bruna era como pisar em ovos e eu nem entendia porque mas aceitava pois estava realmente amando aquela mulher. Abrir mão dela não estava em cogitação. Nossa relação foi se mantendo assim até que chegou as férias do meio do ano, um dia marcamos de ir ao parque mas antes de eu chegar ao apartamento dela começou um puta duma chuva, um tempestade mesmo. Parei lá embaixo e liguei pra ela avisando que havia chegado.então ela diz

- ah não amor ta chovendo tanto, atrapalhou nosso passeio.

Respondi.

-quer que eu vá embora?

(Ela levou uns segundos pra responder enquanto eu ouvia sua respiração)

Ela disse.

-estaciona e sobe

Agi normal, estacionei numa vaga do prédio mesmo e fui em direção a entrada do prédio e o porteiro ja abriu a porta, acho que Bruna já tinha deixado avisado, subi até seu andar e então toquei a campainha. Ela me recebeu toda linda, não como sempre, mas como nunca, Bruna parecia cada dia mais bonita e gostosa. Ela morava num apartamento de luxo, só a minha casa cabia na sala de dela, tudo muito bem arrumado. Me senti meio mal confesso, oque é bobagem pois também fiquei feliz por ela não passar por dificuldades. Ficamos na sala conversando quando penso que não a chuva vai simplesmente acabando, oque achei muita sacanagem do destino. Acabamos que saímos mesmo assim. Mas não fiquei com raiva, eu estava amando aquela mulher. As férias iam passando e um certo dia estáva em casa de molho e recebo um SMS dela dizendo.

- "olha pela janela"

La estava ela toda linda de vestido e sandália me esperando. Não fiz cerimônia e a convidei pra entrar, minha casa era mais simples que a de Bruna mas era bem completa, nunca me faltou nada. Fiz pipoca pra gente e fomos ver um filme, bem coisa de casal mesmo, antes de Bruna eu nem ligava pra essas coisas, não queria compromisso sério nem nada. Bruna mudou minha vida. Não demorou muito e nossos carinhos começaram e logo começamos a nós beijar, era impossível enjoar do beijo daquela mulher. As coisas começaram a esquentar mesmo, nos esfregavamos como dois adolescentes no cio. Quando finalmente ia pegar em sua bucetinha ela segura minha mão bem assustada mesmo dizendo.

- Não!! Espera

Respondi.

- amor calma eu não vou te machucar

Voltei a beija-la, beijava seu pescoço e Bruna aos poucos ia se entregando de novo, estavamos na sala, a peguei no colo ainda a beijando e a levei pro meu quarto, Bruna às vezes resistia mas ao mesmo tempo se entregava. Consegui finalmente liberar os seios dela, era simplesmente maravilhosos, perfeitos. Mamava aqueles seios enquanto Bruna gemia e se contorcia. Com calma fui indo até a calcinha dela, abaixei, Bruna até tentou segurar a calcinha mas se distraiu com minha mamada no peito dela, só que quando abaixo sua calcinha surge algo que eu nunca imaginaria, um Pênis, Bruna tinha um penisinho entre suas pernas, nisso passou um filme em minha cabeça de todo os nossos momentos e agora tudo fazia sentido. Não sei explicar oque se passou na minha cabeça. Parece que minha cabeça na hora deu tela azul erro 404. Fiquei paralisado. Bruna escondeu seu segredo com as mãos e começou a chorar. Como assim Bruna era um homem? Ela era uma mulher em todos os aspectos, rosto angelical, voz de mulher, era baixinha e muito gostosa, mas muito Gostosa mesmo, coxas torneadas e uma bunda que parecia que ia rasgar a jeans que ela usava na facul. Perante ao meu silêncio Bruna chorando começou a se vestir pra ir embora, nessa hora meu corpo voltou a si, corri atrás dela e a segurei pelo braço, ela chorava muito e quando a segurei ela ficou extremamente assustada e implorava soluçando

- por favor não me bate, eu nao queria te enganar, eu só queria que você me conhecesse antes de eu contar isso. eu Juro que não conto pra ninguém sobre a gente e nunca mais te procuro, só me deixa ir embora por favor.

É lógico que eu não iria bater nela mas as palavras dela mexeram comigo, ela estava ali toda desprotegida e se fosse um cara diferente ali ela poderia até ser morta, pensar nisso me fez agir na hora, a puxei pra mim e lhe dei um abraço forte, Bruna tremia igual uma vara verde. Então falei em seu ouvido.

- eu te amo.

Bruna dessa vez chorava de uma forma diferente que até suas pernas ficaram moles, a agarrei novamente em meus braços e comecei a beija-la. Bruna não lembrava em nada um homem, suas curvas eram femininas, sua pele era macia, nunca gostei de homem e Bruna não se parecia em nada com um homem. A levei de volta a meu quarto e a beijava como nunca, seu beijo agora estava salgado devido suas lágrimas mas via que seu medo aos poucos ia passando, enquanto a beijava passava mil coisas em minha cabeça, a barra que é pra Bruna de ter que viver com medo de nossa sociedade primitiva, preconceituosa e violenta. Naquele momento tomei uma decisão, interrompi nosso beijo e olhei pra ela é falei.

- Bruna você aceita namorar comigo?

Ela meio confusa ainda por toda situação disse.

- você tá falando sério???

Respondi.

- lógico, quero namoro sério, te assumir publicamente e que se foda todo mundo

Depois de tanta tensão e tanto choro Bruna exibia finalmente um sorriso entregando sua resposta, então ela disse.

- eu aceito sim.

Nisso voltamos a nos beijar, Bruna estava só de vestido e sem calcinha agora, ela ficava na ponta do pé pra me beijar. Nossa até o pezinho de Bruna era bonito e delicado. Fomos pro meu quarto, a deitei em minha cama e terminei de tirar seu vestido. Meu Deus que corpo era aquele, durante toda minha vida sempre fui muito mulherengo, Bruna não tinha buceta e era mais gostosa que qual quer ex que já tinha saído, como isso era possível. Bruna estava ali nua com aquele corpo escultural deitada na minha cama, ela escondia com as mãos seu micro pênis. me deitei sobre ela é voltei a beijar sua boca macia, Bruna estava de um jeito que jamais tinha visto, ela estava mais relaxada e tranquila, ao contrário da Bruna tensa que tinha conhecido, agora entendia o porque. Quanto mais eu a beijava mais Bruna ia se animando, mas continuava com a mãozinha ali escondendo o penis dela. Não liguei, estava tudo acontecendo muito rápido, normal ela ficar com vergonha. Comecei a virar ela de costas pra mim e fui beijando sua nuca e aos poucos ia descendo pelas costas dela. Ao ver ela daquele ângulo era difícil acreditar que ela tinha mesmo um penis. Ela tinha as costas lisinha e que seguindo era acompanhada de uma bela e farta bunda. Bruna tinha aquelas pequenas convinhas no final das costas oque a deixava mais linda. Comecei a beijas as nadegas de Bruna e quando me posicionava no meio da bunda ela dava uma leve empinada, não fiz cerimônia e abri aquela bunda exibindo aquele lindo botão rosado, caraca como o cuzinho dela era lindo, tentei manter os ânimos, queria que ela gostasse mais do que eu estava gostando. Com muito carinho lambi o cuzinho dela bem devagar, pude finalmente ouvir o gemido dela, tudo naquela mulher era feminino, chupei o cu dela como se o mundo fosse acabar, não economizei tempo, metia a língua dentro e Bruna se contorcia. Ela então diz.

- calma amor se não eu vou gozar e não quero que acabe agora.

Ela se levantou e me deitou na cama. Na hora entendi oque ela queria, ela tirou minha blusa e começou desabotoar minha calça, a essa altura meu pau estava pra explodir na calça. Ela tirou me deixando somente de cueca ela então começou a massagear meu pau, nossa aquilo me levava a loucura. Não demorou e ela tirou minha cueca fazendo meu pau saltar que a essa altura estava super babado. Com todo jeitinho ela se aproximou do meu pau, começou com pequenos beijinhos e então abocanhou, que boca era aquela. Bruna chupava com maestria, chupava me olhando, sabia exatamente oque estava fazendo. Nossa era como se ela conhecesse cada parte do meu pau. Bruna me mamava de um jeito que nenhuma outra mulher tinha feito antes. Não estava mais aguentando, depois de uma bela mamada puxei Bruna pra cima de mim deixando meu pau bem na bunda dela. Começamos a nos beijar e ela montada começou a guiar meu pau pra entrada de seu orifício. Ao encaixar Bruna rebolava devagarinho fazendo seu cuzinho ceder, na hora ela recuou pois doeu, tirei ela de cima e a deitei de bunda pra cima, mas posicionei atrás dela e comecei a por novamente, Bruna sussurra baixinho.

- vai devagar por favor.

Aos poucos o cuzinho dela começa a ceder de novo e meu pau começa a adentrar sua carne macia, sentia o calor de Bruna envolver meu pau, que sensação maravilhosa era aquela, Bruna se questionava de uma dorzinha e pediu pra eu deixar parado um tempo, obedeci e enquanto isso beijava o pescoço dela tirando arrepios daquela pele macia, de pouco em pouco Bruna começa a rebolar mexendo a bunda com meu pau engatado em sua carne. Comecei a penetrar devagar e Bruna ia gemendo baixinho com o rosto no travesseiro. De pouco em pouco eu ia aumentando a velocidade, Bruna estava entregue, seu cuzinho apertava meu pau fazendo ele pulsar la dentro. Comecei então a bombar naquela bunda. Comia Bruna com vontade, ela empinava a bunda me oferecendo mais de seu lindo cuzinho. Não tenho ideia do tempo que fiquei fodendo a bunda dela. Bruna então fala.

- amor deixa eu tentar montar de novo?

Sai de cima dela e deitei, ela montou, encaixou meu pau em seu cuzinho que dessa vez entrou mais fácil. O penizinho de Bruna estava duro a batia em minha barriga no decorrer que ela montava. O penis dela babava na minha barriga e isso era muito sexy. Bruna então anuncia.

- meu Deus eu vou gozar!!

Sem se masturbar Bruna da uma leitada na minha barriga, ela tremia toda e apertava meu pau a cada contração de seu orgasmo. Nunca tinha sentido aquilo. A sensação foi tão gostosa que induziu meu orgasmo e acabei enchendo o cu dela de porra. Foi o melhor orgasmo da minha vida! Bruna se deitou sobre meu peito totalmente exausta. Ficamos um tempo nos olhando igual dois adolescentes. Naquele mesmo dia transamos novamente. Assumi meu namoro com Bruna oque não foi problema pois parece que ninguém assim como eu nunca tinha desconfiado. Uns caras até invejávam. Aquela mulher era perfeita. Era não. Ela é, Bruna já tinha trocado oficialmente seus documentos na lei oque permitiu que nossa relação fosse mais além, nosso namorou durou mais de um ano e depois acabou, mas pra começar um casamento e uma vida a dois. Acabou que a gente se formou junto, mudamos de cidade e até hoje moramos juntos. Bruna é uma esposa perfeita. Ela não tem buceta mas ela compensa em tudo. Linda, gostosa, não é chata, joga video game e ainda é só passiva. Ela era a mais gostosa da sala e agora divide uma vida comigo. Bom é isso galera espero que tenham gostado de minha história. Dependendo volto pra contar mais aventuras nossas.

Comentem!!!!

Comentários

21/03/2018 11:19:02
Muito bom! !
20/03/2018 23:19:15
Muito bom! Que sonho!
15/03/2018 02:28:02
Excelente,adorei! Ler um conto verídico é outro nível, aliás isso não é um conto, é uma estória. Parabéns por fazer me deleitar nessa estiria.
14/03/2018 09:15:32
Adorei so faltou vc chupar ela tambem
07/03/2018 14:55:21
10!Muito foda! Mano faz uma série como o o namoro de vocês depois desse ocorrido,fala das aventuras,etc(se puder,claro)....muito bom mesmo!!!
07/03/2018 00:55:44
Ameeeeeei!!!! Muito lindoooooo!
05/03/2018 00:31:25
Valeu galera, obrigado pelos comentários, Estudador, Lopes, Lair e todos os outros. Que bom que gostaram de minha história. Mas vou te falar, não é nada fácil namorar uma trans, você é julgado o tempo todo!!! você perde amigos. Mas o bom é você descobre que os amigos que ficam são de verdade. Fora o julgamento da sociedade nosso casamento é perfeito em tudo. Não troco ela por buceta nenhuma.
04/03/2018 11:04:38
Adoro casadas e noivas..Whats ( vinte dois) nove,nove,nove,três ,cinco, um, três , um , três .
04/03/2018 02:38:25
Daniel. Gostei de você tem narrado todos esses detalhes que fazem toda a diferença. Só quem já namorou uma transexual sabe esses detalhes. Gostei do conto. Muito bem escrito.
04/03/2018 01:32:10
Excelente conto!!!
04/03/2018 01:21:44
Gostei do conto, parabéns por ter aceitado ela na sua vida.
03/03/2018 22:42:51
Conto perfeito, romântico, lindo e desperta a fé na sexualidade humana... As meninas transexuais, creiam todos, são extremamente meigas, femininas, cheias de encanto, magia e doçura. quase Todas, decerto, são boas namoradas, companheiras, amigas... E uma coisa importante! Elas tem coração, viu povo? Não pensem que são apenas máquinas de sexo, para satisfazer desejos alheios. Merecem homens românticos, merecem amor, carinho, afeto, empatia, uma vida plena como mulheres plenas, que sem dúvida o são.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.