O Brutamonte do apê 210. XVIII

Um conto erótico de Little Boy
Categoria: Homossexual
Data: 29/03/2018 22:57:18
Nota 9.88

-Amor, cheguei!

Alertei enquanto terminava de fechar a porta de entrada do nosso apê.

-Tô na cozinha!

Ele respondeu.

Fui correndo ao encontro dele e quando o vi parado frente ao fogão com o seu fiel pano de prato no ombro e cozinhando, um sorriso enorme brotou em meus lábios. Como era bom poder estar em casa e tê-lo ali. O abracei por trás e dei varios beijos em sua nuca o deixando todo desconcertado.

-Para! Eu vou me queimar...

Disse ele tentando se desprender de mim.

Atendi seu pedido e olhei para as panelas ali no fogão desejando poder comer naquele mesmo instante. Parecia estar muito bom.

-Amor, o cheiro está maravilhoso. Lá de fora a gente sente o aroma dessa comida.

-Sério?

Ele me perguntou espantado.

-Seríssimo!

Fui até a gaveta e peguei um garfo, eu queria muito poder pelo menos provar um pouquinho da comida. Desde o almoço eu não comi mais nada, eu estava varado de fome. Assim que fiz menção em colocar o garfo na panela para pegar um pouco daquele Yakisoba, a mão violenta do Rafa bateu em mim.

-Hei, tá louco? Só vai comer quando estiver tudo pronto. Saia dessa cozinha, vá!

-Nossa amor, só um pouquinho.

Supliquei.

-NÃO!

Ao ver que sua feição não era boa eu sai dali me desculpando e fui para o meu quarto. Peguei uma cueca e um short leve e segui para o banheiro. Tomei um banho rápido para me livrar do pouco suor que tinha e fiquei esperando no sofá o bendito jantar ficar pronto.

-Já acabou amor?

Perguntei alto pelo fato d’eu estar distante dele.

-Daqui a pouco eu termino. Só estou acabando de fazer o molho agridoce.

Continuei a ver o filme que passava na tevê e intercalava com as mensagens do WhatsApp. Não demorou muito e finalmente o jantar estava pronto.

-E aí, tá bom?

Perguntou Rafa com aqueles olhos verdes lindos que tinha.

-Muito amor. MUITO!

-Que bom que gostou.

Terminamos de comer em silêncio, estávamos os dois com fome e saboreando aquela comida divina.

Eu amava o Rafael por inteiro, mas algumas partes eu amava mais que as outras, e numa escala feita por mim, a segunda melhor parte dele era a forma maravilhosa com que ele cozinhava.

A primeira eu nem preciso dizer a vocês não é? Dica: é sexual.

Terminamos o nosso jantar e eu evidentemente lavei as louças e corri para perto dele no sofá.

-Ah amor, eu fiz torta de limão. Quer?

Disse ele se levantando e indo em direção a geladeira.

-Óbvio que eu quero amor. Nem precisa perguntar. Só manda.

Ele sorriu para mim e cortou duas fatias da torta e trouxe para comermos na sala.

-Porra amor. Isso tá muito bom. Você jura que nunca fez nenhum cursinho de culinária ... seila.

-Nunca fiz. Tudo que sei foi observando minha mãe e minhas tias na cozinha. Eu sempre fui o garoto que ficava mais tempo com as tias do quê com os tios e primos.

-Então não posso esquecer de agradecer a minha sogra quando conhecê-la. O filho dela é um cozinheiro maravilhoso.

Sua boca veio de encontro a minha e querendo me agradecer pelo elogio me deu um beijo doce com gosto de limão. Seus lábios macios me deixavam nas nuvens quando se colava aos meus. Tudo que ele fazia era maravilhoso.

“Ah, como eu amo esse garoto porra!”

-Hum, por falar em sogra... eu tenho que avisar para todo mundo lá na Bahia que estou namorando. Eles vão pirar.

Seu sorriso veio logo em seguida e eu não entendendo perguntei:

-Porque vão pirar?

Ele dei um longo suspiro e me olhou profundamente.

-Eu amo os meus pais e eles são maravilhosos. Mas também são SUPER protetores, foi um sacrifício para eles aceitarem minha mudança e mais ainda dividir uma casa com um estranho. Quando eles souberem que eu to namorando... vão querer vir aqui só pra te conhecer.

-Ah, que venham então.

Respondi em seguida.

-Hum, que confiante!

Ele me respondeu surpreso.

Dei mais um beijo em sua boca e colei meu corpo ao lado dele. Estávamos nos divertindo com o filme de comédia que passava, Rafael era um bobão, ria de todas as piadas do filme. Eu também estava achando o filme engraçado, mas o Rafa parecia estar vendo a melhor comédia da vida dele.

Assim que terminamos de ver o filme eu desliguei as luzes do apê e segui para o banheiro. Assim que Rafa saiu eu entrei.

-Vamos dormir no seu quarto ou no meu?

Perguntou Rafa.

-Não sei, tanto faz.

Ele deu de ombros e seguiu para o meu quarto, tratei logo de terminar meu asseio para me juntar a ele na cama.

-Obrigado por esse jantar maravilhoso amor.

-Não tem de quê.

Ele me respondeu risonho deitado frente a mim naquela cama. Demos um selinho rápido e ele se virou na cama ficando de costas para mim.

-Amor...

-Oi.

Disse ele ainda virado.

-Eu acho que o efeito afrodisíaco do amendoim tá fazendo efeito.

Ué, eu tinha que tentar. Como diz o ditado: “Quem não chora, não mama”. No meu caso: quem não chora, não transa.

-Que pena amor, parece que o efeito está só em você.

Disse ele dando baixos risos.

-Oh vida... por favor!

Ele se virou ficando frente à mim e num sorriso falou:

-Uma rapidinha.

-Tá. Uma rapidinha então.

“Melhor do quê nada”, eu pensei. Ali mesmo debaixo das cobertas nós nos despimos. Ele se sentou em cima de mim e eu pude sentir o calor de sua bunda em cima do meu pau e nossa... como aquilo era gostoso, não via a hora de poder sentir o verdadeiro prazer que aquela bunda podia me dar.

Ele rebolava em cima do meu pau e sua boca estava colada na minha, vez ou outra eu sentia o seu membro duro de tesão encostar em minha barriga. Rafael me dava um prazer indescritível, mas eu sabia que causava nele o mesmo prazer. E a prova disso era o seu tesão aparente combinados com a entrega que ele tinha quando eu o fodia.

-Quero sentir minha pica todinha dentro de você.

Eu confessei sorrindo para ele.

O quarto estava escuro pela noite, mas a luz da lua estava tão vívida que eu podia enxergar com clareza todos os contornos do corpo de Rafa sobre mim e vê-lo daquela forma só atiçava ainda mais o meu desejo por ele.

Seu sorriso malicioso estava em seus lábios que logo colou-se aos meus num beijo quente. Eu apalpava cada centímetro daquela pele macia que ele tinha. Era tão bom toca-lo. O seu cheiro natural era um veneno para mim, quando mais eu beijava o seu corpo mais eu queria beijar. Os gemidos que dávamos eram as provas de quê tínhamos nascido para ficarmos juntos e transarmos juntos.

Com rapidez ele desceu pela cama e eu senti o calor molhado da sua boca em minha vara. QUE DELÍCIA DE BOCA QUE ELE TINHA. Os seus lábios grossos e rosados desciam e subiam por toda a minha rola e sua língua brincava com a cabeça do meu pau. Ele era um puto quando queria e eu amava isso nele.

-Iss...

Eu gemia enquanto sua boca tentava engolir a minha vara.

Num movimento rápido seus lábios se descolaram da minha rola fazendo um barulho de vácuo e ele pegou o lubrificante no criado mudo. Suas mãos firmes massageavam o meu pau espalhando por toda a extensão dele o gel lubrificante e aquilo era ótimo, mas eu queria logo era senti-lo por dentro.

Novamente ele sentou-se em cima de mim e direcionou a minha vara ao encontro do seu cuzinho, respirando profundamente ele tentava relaxar o seu músculo anal para que eu pudesse me enfiar dentro dele. Aos poucos minha rola tomava espaço por entre suas pregas e os gemidinhos que ele soltava ao tentar sentar em minha vara só aumentava ainda mais o prazer que eu sentia.

-Isso... senta vai!

Eu dizia de olhos fechados sentindo pouco a pouco o calor que o cu dele transmitia para mim. Era delicioso sentir o meu pau romper aquelas pregas apertadas que o Rafa tinha.

Assim que eu senti a pele macia da sua bunda tocar o meu quadril deixando claro que ele tinha conseguido engolir toda a minha vara com sua bunda, eu agarrei sua cintura com a minhas mãos e dali em diante eu conduziria aquele sexo.

Minhas estocadas começaram lentas, Rafa tinha os olhos fechados e ainda sentando sobre mim suas mãos apertavam o meu peito. Ele gemia tão gostoso sentindo minha vara ora o preenchendo e ora o deixando vazio. E eu o observava com deleite o prazer que causava naquele garoto.

Minha metidas agora estavam rápidas e fortes, meu quadril se movia imponente para que a minha vara não saísse daquele rabão.

O nosso sexo estava num nível tão alto que nós não ligávamos para mais nada. Era como se o mundo se resumisse a mim e ao Rafa transando loucamente. Nossos suores se misturavam em uma perfeita composição e o barulho que o meu quadril causava ao se chocar a bunda dele era tão alto quanto os gemidos que nós dois dávamos naquele quarto.

Senti o seu corpo ferver sob mim, Rafa agora estava gemendo um pouco mais alto e suas mãos me apertavam com mais força. No alto do seu prazer eu senti o seu pau pulsar e expelir varios jatos de porra que melaram a minha barriga. O mais intrigante foi que eu não o toquei, ele gozou apenas com o prazer que eu o causava. Aquilo tinha sido tão novo e tão sexy, eu me sentia maravilhoso por causar aquilo nele. Já ele, em contra partida, se deliciava com a sensação que tinha ao atingir o seu orgasmo e como resposta ele rebolava em minha vara cada vez mais com uma maior intensidade. Parecia que ele queria que eu sentisse também todo o prazer que ele sentia.

Minhas metidas em seu cu se chocava com as sentadas que ele dava em minha vara e sem demorar muito o meu pau pulsou dentro dele tirando de mim não só porra, mas também, altos gemidos de prazer.

-Que delícia te foder, caralho!

Confessei enquanto ele sentava lentamente em minha rola engolindo para si cada milímetro de esperma que saia de mim.

-Eu te amo.

Disse ele se jogando exausto ao meu lado na cama.

-Eu te amo mais.

O respondi.

Seguimos juntos para o banheiro, era como um rito, sempre que transavamos, tomávamos banho juntos.

Voltamos para o quarto e eu apaguei ao lado dele na cama. Aquele dia tinha sido muito bom, apesar do trabalho ter sido puxado. Eu tinha me acertado com meus amigos e tinha acabado de fazer um amor tão gostoso com o meu pequeno... Eu me sentia pleno, por isso tinha sido tão fácil dormir.

Continua...

⚜️⚜️⚜️⚜️⚜️⚜️

Olá leitores. Mais um capítulo aí pra vocês queridos(as). Espero que tenham gostado. Pode estar curtinho, mas é porque eu quis finalizar essa narrativa feita por Hugo. Quis dar continuidade e um fim. Espero que tenham gostado e até o próximo.

Valterso: Muito obrigado por acompanhar querido. Um beijo!

Arrow: Pois é, espero que ele não apronte muito. Muito obrigado por acompanhar querido.

Bruninhooo: Espero que Fernando não crie muitos problemas. Muito obrigado por acompanhar querido. Um beijão!

Healer: Rapaaaaz, te digo que breve Rafa irá ser atv com Hugo, mas deixa isso em off por enquanto. Muito obrigado por acompanhar querido.

Geomateus: Muito. Espero que ele não apronte muito. Muito obrigado por acompanhar querido.

Guigo: Muito obrigado por acompanhar querido. É um prazer.

Guardian: Eu tbm vejo nessa ótica amigo. Não vejo Fernando ainda como um vilão. Apenas foi um chefe. Vamos aguardar o desenrolar para vermos. MUITO OBRIGADO POR SEMPRE ESTAR AQUI. ❤️

Alex: Muito obrigado por ter lido. Fique tranquilo que irei por o fim no outro conto. E agradeço MUITO por vc estar sempre presente.

Nayarah: É isso aí, Hugo mostrou que pode. Muito obrigado por acompanhar querida. Um beijão!

Sharon: Espero que ele não faça isso. Muito obrigado por acompanhar querida. ❤️

Regi1069: Espero que Fernando não vire uma pessoa ruim e amarga. Vamos acompanhar. Muito obrigado por acompanhar querido! Um beijão!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
01/04/2018 00:19:05
Mais um, mais um, mais um!!!
31/03/2018 12:33:14
Sem dúvida uma excelente história com desenvolvimento personagens intrínsecamente bem construído
31/03/2018 12:29:36
Mais ainda sinto falta de uma descrição mais consistente
31/03/2018 12:28:54
Acabei de terminar de maratonar
31/03/2018 12:28:12
Tipo um momento de intimidade do casal
31/03/2018 12:27:22
Seria legal ter um flash back do rafa e do hugo de suas respectivas primeiras vezes
31/03/2018 05:01:54
HUMMMMM!!!! A cada capitulo um gostinho de quero mais kkkk, nosssa como é bom poder dividir a vida com alguem assim, quando um completa o outro, por favor querido nao pare, feliz pascoa pra vc e pra todos os demais, bjos que Deus abençoe ricamente a todos nos. Nota mil pra vc .
30/03/2018 22:54:53
Amei
30/03/2018 19:51:43
Muito bom.Concordo com o Guardian em partes,mas a históroa tá muito boa.
30/03/2018 18:01:46
cara a historia ta cada vez melhor continua assim é sempre bom ter o ponto de vista de ambos os protagonistas pq isso dá mas fôlego ao conto volta logo
30/03/2018 13:36:48
sabe algo que eu percebi agora? A gente se esquece fácil que Rafael é baiano. Ele não fala como um. Não li até agora nenhuma gíria ou tique verbal que você espera que baianos tenham. Na verdade ele parece um perfeito paulista. Nem o Hugo fez qualquer menção do sotaque dele em nenhum post da história (que eu me lembre).
30/03/2018 13:04:33
Eu q te agradeço por ser um autor constante q nao nos deixa na mao! Sempre postando a sequencia e nos presenteando com seus contos
30/03/2018 08:31:14
Quando eu falo que brasileiro tem alma novelesca.... comprovo com os coments. Todo mundo "esperando o pior" mas minha impressão é de que o menininho não escreve assim. Claro que gostei, ficou leve, bonito, é muito bom ver eles se acertando cotidianamente. Claro que essa narrativa, se continuar assim pode ficar enfadonha. Não digo que ficaria, só que pode. Não sabia que os pais do Rafa eram super protetores. Acho que esse foi o spoiler dos spoilers. Imagino eles "pegando no pé" do grandão. Seria engraçado mas o Hugo também é tão gente boa. Acho que seria engraçado ver essa situação, mas impossível não ter acerto futuro. Agora tendo em vista a sua forma de escrever, menininho e o encaminhamento do conto... Não tá chegando a hora dos finalmente? Ou de um grande ponto de "convergência/divergência"? #ficaadica. Gosto muito de você, garoto!
30/03/2018 06:04:36
Amor na sua forma de ser..
30/03/2018 03:02:07
Lindo capítulo, apesar de todos os dissabores dos acontecimentos do dia, tiveram um lindo fim de dia.
30/03/2018 02:07:43
Que capítulo adorável de ler. Não me incomodo de ter momentos em que a narrativa seja feita na visão do Hugo. Agora não sei qual dos dois foi mas apetitoso, a transa de Rafael x Hugo ou Yakisoba x Torta de Limão. Que bomba foi essa, só quero ver o Hugo viciar no pau de Rafael, kkkkk.
30/03/2018 01:36:27
Um deleite este capítulo regado a Yakisoba e muito esperma. Ah, antes que esqueça... muito amor: "eu te amo mais."
30/03/2018 01:15:33
Huuum, estou muitodesconfiado do comportamento do Fernando. Por que atulhar a mesa de Hugo do jeito que fez? Quer uma desculpa para despedi-lo? Um abraço carinhoso para ti.
30/03/2018 00:52:13
AINDA NÃO FICOU CLARO AS INTENÇÕES DE FERNANDO AO CONVERSAR COM VC. MAS ESTOU AGUARDANDO. MUITO BOM SEUS AMIGOS T OUVIREM E CONTINUAR SENDO SEUS AMIGOS APÓS A REVELAÇÃO SOBRE SUA SEXUALIDADE. MAS CREIA, NE SEMPRE É ASSIM. VEREMOS COMO SE SEGUE...
29/03/2018 23:14:27
Bom demais.