ODEIO PECAR. MAS ADORO PAGAR PENITÊNCIAS! - 5

Depois de ter seu cu muito bem lubrificado, Neto exaurido de tesão, humildemente, solicita a rola filial, bem no centro de seu brioco.

Joãozinho sincero e puro como era, estava adorando aquilo. Divertia-se ao mesmo tempo em que fodia seu pai pra valer, que engatado na jeba do filho, suspirava de tesão e rebolava nela, mais que madrinha de bateria no carnaval.

Para ele, tudo era normal. Além de não ver maldade em nada nem em ninguém., essa era a realidade que vivia todos os dias, pois “ fazia favores” pra todos, incluindo pro patrão de seu pai que as vezes recebia seus favores, até três vezes no mesmo dia.

- Nossa paizim!!!! Hummmm !!!! Que cuzim quentim, só!!!! Tô achano tão bão. cumê seu reguim!!!! Mexe mais, que indá tem mais piru pra intrá nesse buraquim fogoso, qui o sinhô tem!!! Aiiii paizim!!! Isso mês!!!! Agora infiei tudim!!!! Tá tudo dentro desse rabim piscudo!!! Pruveita bem paizim!!!! Hummmm!!!! Que butaozim mais sabroso, só!!!!!

Joãozinho, sem saber, ao dizer para seu pai que ainda tinha mais rola para enfiar-lhe bunda adentro e elogiando o buraco paterno sem parar, deixava o vil sacerdote, cada vez mais irado, que ansioso esperando para ser atolado pela cobra de Neto, começou a acelerar a foda que assistia, pois parecendo estar com sarna no cu de tanto que o bicho coçava e puto da vida com o seu “pecador”, não via hora de sentar sua bundona na napa de Neto .

“ Se eu começar a falar putarias incentivando Joãozinho, com certeza ele ficará mais excitado e logo, logo, resolverá o problema do rabo guloso de Neto. Nunca vi cu tão guloso como desse Neto. O meu além de abençoado e batizado pelo Bispo Armando, - “Que homem, meu Deus”- é tão educadinho e tímido, que quando está em ação nem se percebe. Credo em cruz, nesses caipiras!!! “

“Vou acabar logo com isso, pois quero usar Neto bastante hoje. Para amanhã tenho outros planos. Só precisarei da ajuda de Joãozinho.”

- Joãozinho, meu filho. Como você fode bem, heim? Fale proa esse paizinho aqui. Enfiou tudo no cu desse paizinho aí?

- Tá tudim, dentro do cuzim dele, meu santo, Tudo atoladim, atoladim....

Parabéns , Joãozinho!!! Filho bom é o que ajuda seus pais em qualquer situação. E para ajudar seu pai, a cumprir essa parte da penitência dele, meu filho, precisa lavá-lo bem fundo por dentro com sua porra quente. Isso irá limpar um pouco de seus pecados. Entende filho?

_ Vamos lá, filho. Ajude seu pai. Acabe logo com seu “sofrimento”. Esporre logo, esporre,. Filho!!!! E assim que terminar com seu pai, começa a pagar uma outra etapa da sua penitência, pois pecado imundo igual ao seu, leva muitos dias para conseguir limpar.

- Tão bão santim!!! Tá bão!!! Vô dá uma boa duma lavada no rabim, desse meu outro paizim aqui.

Quem sabe ânsim, ele num limpa logo essis pecadão dele, né!! Lá vai paizim!!! Vou sortá leitim no seu buraquim e lavá o sinhô todim. Se depende deu, seu cuzim vai fica,brianô , brianô. Tá vino paizim. Huuuuummm!!!, Hummmm!!!!!! Nosso Deus. Vêi foi muito leitim, sô!!! Que bão, que tô judanô meu paizim a si purificá, né paizim?

Neto, de tanto tesão, não conseguia responder. Apenas batia uma violenta bronha, achando, que gozaria , com a jeba do filho atolada, no cu, quando o Malvado padre manda-lhe parar de se punhetar, pois tinha que sofrer um pouco para começar a se limpar de sus terríveis pecados.

_ Meu santim!!! Dexa eu, priguntá uma cuisinha pru sinhô. È preu tirá o piru, do cuzim do meu paizim, agora ô naum? Oia a carinha dele, tadim.!!! E achu que o cuzim dele tamém, num que sortá meu piru, naum!! O danadim tá mordenô ele dimais, da conta, só!!!

- Vocês dois, devem tomar cuidado. Ao invés de resmungar , deviam era me agradecer, pois só estou ajudando-os tanto assim, porque sou um homem muito bom. De coração e alma pura!!!! Jurei entregar-me ao Senhor e sempre dediquei minha vida a ajudar, ovelhas perdidas como vocês, a reencontrarem o rebanho da salvação.

- Minha boca é o instrumento usado pelos céus, para ensinar-lhes o caminho do bem, e meus pensamentos são tão inocentes, quanto olhar de um anjo. Portanto acho que deveriam me obedecer em tudo, tudo, começando por agora. Tire esse pau, do rabo de seu pai, já, seu Joãozinho teimoso, corra até a casa do patrão de seu pai e avise a ele que o espero aqui amanhã sem falta, as 14:00 para ouvir sua confissão. Depois ao invés de retornar para cá, deve ir dormir em sua casa. Só volte amanhã, depois de almoçado, entendeu? Avise sua mãe que eu pai, precisará ficar por aqui esta noite afim de terminar de limpar sua alma, que ainda está numa sujeira, só. Agora vá. Vá logo, moleque!!!

_Vô sim, meu santim. Sua bênça, meu santue discurpá quorquer cois. Vô agurinha mêss, avisá o patrãozim do paizim e apostu quêle vai vim na hora certinha que meu santim , marcô. Bênça tamém paizim e faiz tudo que o santim manda, viu?

Assim que o pecaminoso sacerdote, confirmou que Joãozinho já havia ido embora, voltou para seu quarto, olhou bem para o caralho de Neto, que permanecera calado, com medo de contrariar o “santo padreco” perdendo assim, seu lugar no céu.

Naquele momento, o que o Sr. Neto mais temia era a situação em que se encontrava, pois por mais que quisesse, sua rola não baixava de jeito nenhum e Padre Paulo, ainda não havia se manifestado a respeito de sua ereção cavalar.

O pior para ele, era que devido ao tamanho de seu instrumento, por mais que lutava para esconder sua tora gigante do padre , não obtinha sucesso, pois mesmo com as duas mãos em volta do bicho, quando conseguia cobrir a base da jiboia, a cabeça, ficava de fora e quando tentava cobrir a cabeça, a base ficava totalmente exposta. Por mais que ele quisesse, claro que não conseguiria cobrir seu talo frondoso e extenso. Mais ele não desistia, mesmo assim, continuava a perder seu tempo;

Padre Paulo, depois de muito olhar, pensar e analisar a jebona de Neto, foi até seu armário, pegou uma fita métrica e uma lata lotada de vaselina. Sentou-se na cama onde Neto ainda tentava esconder sua baita, retirou as duas mãos do dotadão da trolha e perguntou-lhe:

- Neto, meu querido!! Sabe quanto mede seu... seu.... seu..... é ...é.... é , vamos dizeeeeeeeerrrrrr... esse... esse... seu... “ NEGÓCIO” ai?

_ Sei não sinhô. Tamém num sei com baxá o bicho não. Meu santo!!! Já fiz de tudo prele descê, mas o temoso, num me obedece.

- E quem é que disse, que é pra ele descer, Neto? Pelo contrário, agora quero que faça ele ficar tinindo de duro, pois como não sabe seu tamanho, preciso medi-lo pra darmos sequência ao pagamento de sua penitência. Tá uma boa punhetada no bicho ai, pra vermos até onde ele vai!!!!

- Tá bão, vó socá um punhetão nele, agora mesmo. Mas antes, meu santo preciso sabe. Posso gozá agora, ou ainda não?

- De jeito nenhum , poderá gozar, agora!!! Só poderá esporrar e despejar seu leite, dentro de meu buraquinho, pois ao lavar-me por dentro como Joãozinho o lavou, estará retribuindo, retribuindo a GALAquer dizer... é...é...é....A GRAÇA, que recebeu de seu filho, entendeu?

- Mas isso é pra daqui a pouco. E aí , o bicho j´q t´q no ponto? Posso medi-lo, agora?

_ Olha só, meu santo!! O danado tá querenò inté exprodi de tão inchadu que tá. Nunca vi o danado tão duro ânsim. Pode midi sem medo, meu santo, mais que isso ele istôra.

_ Espere!!!Deixe-me ver... vinte e dois, vinnnnteeee e trê...... Meu Deus do Céu!!! Vinnttttteeeeee e quuaaaaaaaatrroooooooo centímetros e meio!! ! Neto, numa outra vida, com certeza você era um jegue, viu!!!!

- Uai Padre, o sinhô crêdita nôtras vida? Isso num é coisa dos espiritismo?

- Me respeite, homem!! Esso foi, apenas meu jeito de falar. Em nome do pai, do filho e do espírito santo. Amém, nessa sua boco, que acaba de cometer outro pecado enorme. Santo Deus!! Um homem como eu, servo do senhor. Católico, Apostólico, Romano por opção, nem de longe passei perto de um terreiro. Quem conhece esses lugares, nunca conseguem se purificar e estão condenados ao inferno!!! Imagine!!!! Se eu, uma pessoa santa, que segundo Bispo Armando, sou um forte candidato a canonização, após minha morte, poderia pensar os absurdos que essas criaturas de terreiros, pensam?

- Discurpa, Meu Santo!! As vezes, sou que nem o Joãozinho, quando vi, já falei. Vem cá, santíssimo padre, dexá eu bejá suas mão!! Perdôa eu, perdôa, Santinho!!!! Vô lavá essa minha bocona com gasulina, quando sai daqui. Ôôôhhhhhh, si vÔ!!!!

_ Depois pagará por isso, Neto. Blasfemou feio!!!! Mas como só pode pagar uma penitência de cada vez... Onde estávamos mesmo? AAAHHHHHHH, SIIIMMMMM!!!! Lembrei!!! No seu dote de 24 cm e meio. Precisamos começar imediatamente a purificá-lo, Meu filho. Deite-se com o MONSTRO... quero dizer, com o MASTRO pra cima e ensope-o com essa vaselina aqui, enquanto vou ali no banheiro fazer uma coisinha, tá? E, Neto, por favor não pare de alisar nosso instrumento purificador meu filho, pois precisamos da verdade em nossas vidas. E a verdade é que vou adorar senta...., digo vou andar no sentido correto, É... é...é... quero dizer mo caminho da luz a fim de ajuda-lo em sua peregrinação, em busca da purificação. É por isso minha ovelha desgarrada, que farei o “enorme” sacrifício de encarar seus 24 cm e mei.... digo, é por isso que farei o “ ENORME” sacrifício de encarar a “verdade”, meu filho. A verdade enorme, revelado pela santa fita métrica, que cumprindo sua missão de medidora, revelou-me onde devemos estar nas próximas horas.

_ O sinhô é mesmo um home santo!!! Pra mim isso ai é só um pedaço de pano véi, com uns numero que amostra o tamanho das coisa. Mais se o sinhô diz que a tár fita, falô com o sinhô, então não só criditô como pregunto tamém pro santo:

_ Onde ela mandô, nois passá as próxima hora, santinho?

Começando a se enervar com Neto, pela sua esperteza, mas controlando-se para que nada desse errado naquela noite, pois estava diante de uma raridade. Rola igual aquela, o padreco tinha medo que seu cuzão peludo, faminto e insaciável, nunca mais encontrasse. Consciente daquela realidade, o padre fingindo se paciente, respondeu:

- Eu, cavalgando e você montando. Sacrificarei meu corpo, cavalgando seus “24 CENTÍMETROS E MEIO” e você montando-me , pois ao montar-me imediatamente será transformado no cowboy lutador., que lutará bravamente contra o mal, que nada mais é que seu imenso pecado, meu filho.

_ Meu santo!! Só num intendi uma coisa. O sinhô vai guentá, ficá sentado, num trem desse tamanhão? E ainda por cima, dexanô eu montá seu lombim, meu santo? Descurpa Santinho, mais se o sinhô guentá isso tudo dentro da bunda, isso que o sinhô tem ai atráis, num e um cuzim não. É uma grotona, sem fundo!!! Vai tê rabo largo ansim, lá em casa, só!!!!E só tô falanô isso, por que cumcerteza, vô istorá sua bundinha toda, meu santo. Magina, eu machucano um homê, santo que nem o sinhô!!! De jeito manêra, que vô fazê isso. Num vô mesmo, Santinho!!!! Será que nóis num pode rumá ôtro jeitinho, menos sufrido pro sinhô, pra nóis pagá essas pinitença, não, meu santo?

“Pronto, vou ficar mais calado a partir de agora. Olha só o que fui arrumar. Convencer essa roceiro, sem poder dizer a verdade, vai me talhar o sangue. Gostaria mesmo era de rasgar logo o verbo edizer-lhe, que o que mais quero é que ele acabe mesmo com o resto de pregas, se eu ainda as tiver e que mesmo se tiver que fazer a plástica do século nesse cu, essa oportunidade, não perco. Mas acho que sei como resolver, isso sem me estressar mais ainda. Vou deixa-lo continuar, e fingir que estou recebendo uma orientação celestial.”, pensava Padre Paulo, enquanto neto, não parava um só minuto de falar:

Um homê tão bão, tão milagrero, que nem o sinhô, santinho e que pode inté tê um butãozão reganhado dimais, no meio dessas nádiga gorda, vai perde o toba, preu pagá meus pecado? Além deu num acho isso certo, meu santo, o sinhô inda precisa lembrá que tamém usa seu cuzim, pra fazer suas necessidade, né? Mais acomodá meu piruzão, no seu cuzão, nessa hora, é doidiçe homê de Deus!!! De noite, pur aqui, nem tem hospitár aberto, pra mode custura o rabo, do padre, naum!!! Nois precisá dissiti disso, meu santo.

Padre Paulo, maldoso como era, mais uma vez armara um plano ridículo, para conquistar seus maquiavélicos objetivos.

Desta vez, a vitima era Neto, que ao contrario do terrível sacerdote, estava morrendo de pena da bunda do mesmo, que ao cometer a loucura de engolir sua jiboia gigante, seria vítima de danos de proporções inimagináveis.

Porém o vil sacerdote, estava convencido a bater o recorde de seu cu e por nada deixaria de agasalhar aquele suculento, brilhante e gigantesco palmito. Sem do assim, num silêncio absoluto, estendeu os braços, olhou para “ os céus” e disse em voz alta, definindo sem mais questionamentos o destino de seu brioco, que nem por sonho imaginava o que lhe aconteceria:

_ Tem certeza, anjinho? Não tem mesmo outro jeito? Sim!!! Simm !! Ahhh então depende dele!!! Entendi!!! Sim!!! Simmm!!! Quer dizer então, que esta a única maneira dele garantir seu lugar, no paraíso?? Mas não devo força-lo, se ele não quiser vai direto pro inferno? Mas anjo, não tem mesmo outro jeito!!! Sim, sim!!! Eu também serei punido, meu querido querubim??? Meu Deus então é mais grave, que pensei!!! Santo Cristo!!! É tão pesado assim esse pecado? Não me diga, anjo!!! Seu filho e sua mulher, também!!!! Nossa Senhora da Amargura!!! Sei, sei...!!! Não é isso anjinho, estou disposta a me sacrificar, mas ele não quer mesmo!! O h jeito é aceitar nossos destinos!! Só fico com pena de Joãozinho, coitado!! Tem feito tudo direitinho para acertar as conto as com vocês e agora... Não, não me diga. Ela também nunca poderá se livrar das trevas? É triste, mas infelizmente, não posso fazer nada. Vou comunicar a ele e já que não poso mais ajudar nem a ele nem a Joãozinho, vou mandá-lo imediatamente para casa. Obrigado. Amém!!!!

Neto estava tão aflito e assustado, que naquele momento seus 24 centímetros e meio, não passavam de 2,4 centímetros, E desesperado perguntou ao Padre:

- Meu Santo, pelo amor de Deus!! Misericórdia!!!! O quê que o anjim falô pro sinhô, Santinho? Nossa senhora dos arrepeio!! O quê meu fiôte e minha dona tem avé quisssó. E o sinhô santinho, vai ficá már com as santidade, lá de cima, por causa dêu, meu santo???? Ai, ai, aia, aiaiaaiaia, Jesssuiiiiiissss, Maria José!!!

_ Nem te falo, Neto!!! Seu pecado é tão cabeludo, que só eu e aqui agora, poderia te ajudar a nos salvar e a salvar também, seu filho e sua esposa. Mas fui orientado a não insistir, pelo contrário é você que precisa implorar para me montar, afim de salvar a todos nós, mas acho que deve ir pra casa, pois já deu sua resposta. E olha no que se transformaram seus 24, centímetros e meio???? Por favor, vá embora e avise sues familiares que todos irão queimar no fogo do inferno. Nada que fizerem a partir de agora os livrará das trevas e eu irei embora da cidade e me enfiarei na primeira floresta deserta que encontrar. Agora já sabe nosso destinos, Neto. Vou tomar banho e tornar a arrumar minhas malas para partir amanhã, bem cedo. Adeus Neto. Não se esqueça de bater a porta quando sair.

Terminou a frase deixando neto queimando a cuca e entrou no banheiro, vibrando de alegria, pois com certeza, Neto agora, é que faria tudo para conquistar seu butão, que só parou de piscar quando, de uma só vez, o padreco atolou pela primeira vez, seu imenso e grosso consolo( aquele, que ele queria enfiar em Joãozinho, afim de castiga-lo e machucá-lo. Lembram-se deste episódio?), afim de laceá-lo, o que com certeza ajudaria seu rabo a aguentar a tora de Neto, com menos sofrimento.

Certo de que Neto , não só o aguardava no quarto, mas que se encontrava com os 24 centímetros e meio, talvez 25 (devido ao desespero de sua vítima), estalando de tesos, ele esfregou os olhos com força fingindo ter chorado, abriu a porta e quase morreu. Onde estava Neto? Meu Deus, não é possível, que ....

CONTINUA....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/03/2018 15:27:23
SERÁ QUE NETO NÃO CAIU NO CONTO DO VIGÁRIO??? ESSE VVIGÁRIO SAFADO. ESPERO QUE NÃO. ESPERO QUE APENAS PAI E FILHO CONTINUEM PECANDO SEM A INTERFERÊNCIA DESSE VIGÁRIO PECADOR. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
28/03/2018 19:30:36
kkkkkkkkkkk Um conto maravilhoso, so que com muito dialogo e pouco ação, da uma revisada nisso no proximo conto e não demore por favor.