Punheta no carro

Olá, me chamo Denis, moro em uma grande cidade, tenho 1,75 , 83 kg, corpo malhado , 19 cm de pau, adoro me exibir.

Está semana quando finalizei meu trabalho, entrei no carro e estava com Muito tesão, meu pau estava muito duro, minha gata estava se insinuando pra mim, ficava mandando fotos de sexo, mulheres dando o rabo, sendo fodida por dois machos, cheias de porra na boca e cara, estava muito louco de tesao, não via a hora de chegar em casa e foder aquela gostosa, meu pau estava tão duro que me incomodava, estava com uma calça de sarja meio justa, meu carro tem vidros escuros, mas são fracos, retirei o pau pra fora e continuei dirigindo, estava com tanto tesao que comecei a me masturbar ali mesmo, dentro do carro, ficava cuidando quando parava nos semáforos para que ninguém me visse, porém tem um lugar no meu trajeto do trabalho para a casa que passa um trem e geralmente demora uns 15 minutos, às vezes até mais, geralmente corro para passar antes dele, neste dia não teve jeito, o trem estava vindo parei meu carro, continuei me masturbando e olhando aquelas imagens que minha gata havia me enviado, ao meu lado parou um ônibus, parei o que estava fazendo, quando olhei para a janela tinha uma moça novinha de aproximadamente uns 18 aninhos, peguei meu pau que ainda estava duro e continuei a punheta, a moça olhou para dentro do carro e me viu, de onde ela estava conseguia ver meu pau, mas não o meu rosto, e eu conseguia ver aquele rostinho lindo me observando, aí me empolguei, punhetava e balançava meu pau exibindo meu dote para a gatinha, derrepente ela pegou seu celular e começou a filmar, como ela não conseguia ver meu rosto, não me incomodei e até gostei, batia punheta e torcia para o trem demorar para passar, ela era uma safadinha, ficava olhando para dentro do carro e para o celular, estava com muita vontade de gozar para que ela filmasse, peguei uma toalha que sempre carrego no carro, posicionei sobre as minhas pernas e o volante e soltei vários jatos de porra, naquele momento ela chegou a abrir a boca e passar a língua em volta dos lábios, aí o trem acabou de passar, esperei o ônibus sair na minha frente para que não filmasse a placa do meu carro, fiquei atrás do ônibus guardei meu pau, que estava todo melado, cheguei em casa, fui direto para o banho, depois contei pra minha gata o que havia acontecido, fodemos muito aquela noite, achei que não teria mais porra, pois tinha gozado um monte, mas ainda havia sobrado um pouca para minha gata saborear....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
27/03/2018 22:50:02
sensacional