Ser adulto não tá fácil

Um conto erótico de Jayjay
Categoria: Homossexual
Data: 27/03/2018 01:42:42
Nota 10.00

Era mais um dia, ou melhor, menos um dia. Acordei preguiçoso e o despertador tocara 6 vezes sem que eu sequer me movesse. Era aquela preguicinha gostosa que não nos deixa abrir os olhos. Olhei pela fresta entre as cortinas e já estava claro: era hora de me levantar. Levantei enquanto coçava os olhos e me espreguicei sentindo uma certa pressão é meu pênis ereto, eu estava apertado para ir ao banheiro, mas decidi que o banho talvez ajudasse. Tirei a camiseta e caminhei até o box. Meus olhos ardiam com a claridade do sol que entrava pela janela do banheiro. Bocejei mais uma vez e abrindo o chuveiro senti a água, ainda gelada, escorrer por entre meus dedos. Entrei de uma só vez e logo sentia meus cabelos compridos colados aos meus ombros e aquela temperatura era perfeita. Não queria sair dali.

Escovei meus dentes e enquanto sequer me enxergava no espelho, pois meus pensamentos estavam distantes. Era um ótimo dia!!! Vi-me sorrindo sozinho, estava satisfeito, afinal fui aprovado no concurso que eu tanto queria!

Antes que você pergunte, chamo-me Frederico, Freddy, Frodo para os meus amigos. O dia que acabei de descrever ocorreu quando eu estava no quarto ano de faculdade e que ano! Muita coisa aconteceu, mas vamos por partes.

Fui aprovado no concurso de escrevente do tribunal de justiça o que aconteceu na hora certa, pois meus pais já estavam tendo dificuldade para me ajudar a manter o apartamento. Eu sou do interior de São Paulo, Araraquara, vim para São Paulo após ser aprovado em uma universidade pública. Pois bem, na semana anterior eu descobri que tinha passado no concurso e estava super feliz e ansioso, afinal, eu me mantinha com o salario que recebia estagiando e meus pais me ajudavam pagando o aluguel do meu apartamento. Meus pais sempre me apoiaram em tudo e sou eternamente grato a eles, mas agora preciso voltar à história!

- Freddy, parabéns cara. Caralho, que legal que você conseguiu! Disse Jonas assim que entrei na sala de aula.

- Muito obrigado Jon, eu tava precisando mesmo me encaminhar na vida!

- Pô cara eu queria te fazer uma proposta. Lá na vara o doutor Ivan tá precisando de um novo assistente e ele também se formou aqui. Ele me pediu pra recomendar alguém e eu sei que você se encaixa bem no perfil.

- Caraca, Jon eu vou aceitar hein!

- Então eu converso com o Doutor e te aviso.

- Beleza.

Jonas é meu parceiro desde que entrei na faculdade e moramos juntos por dois anos quando ele resolveu se mudar para morar com a namorada, hoje sua noiva, a Manú. Jon é mais baixo que eu, é ruivo e gordinho, o cara mais gente boa que já conheci, sem exagero. Assistimos às aulas e eu sequer conseguia me concentrar de tão ansioso que estava! Às 22:30 terminava o último período, me juntei a um grupo que saia da faculdade e tomei o metrô, 20 minutos depois estava atravessando o hall do prédio e cruzei com o Fábio. Sim, o Fábio. Ele estudava na mesma faculdade que eu, mas em outro campus. Pensa num cara lindo e perfeito, boa pinta de verdade. Sério, o coração ia a mil. Imagine 1,89, moreno, cabelo raspado, olhos cor de mel e covinhas nas bochechas, um sorriso enorme e branco e um corpo lindo de jogador de rugby. Sério, ele vestia uma camiseta regata e shorts de pijama, e estava de chinelos.

- Oi Freddy. Beleza? Disse Fábio enquanto me abraçava.

- Oi Fábio, tudo tranquilo? Disse eu tentando esconder o rubor que havia no meu rosto, aquele moleque mexia comigo.

- Mais ou menos. Estourou um cano lá na cozinha e encheu tudo de água. Eu desci correndo pra chamar o seu Expedito, mas pelo jeito ele não tá por aqui.

- Pô Fábio, que bad, man. Acho que ele tá aí sim, acho que na portaria. E se precisar de algo bate lá em casa, sério mesmo.

- Ô Frodo valeu cara. Disse ele enquanto segurava meu ombro. Eu nem conseguia respirar.

- Bom, tou subindo. Falou.

- Falou, Frodo.

Passei a chave e entrei e o Sr. Mews veio correndo e passou entre minhas pernas. O Sr. Mews é o meu gato. Eu o encontrei nas imediações do prédio. Era um filhote com pelo rajado preto laranja e branco que estava bem machucado e magro. Quando saía para o estágio escutei um miado fraco vindo detrás de uma caçamba de lixo e lá estava ele com os olhos cheios de remela, não parecia mto seguro levá-lo para casa então o coloquei numa sacola de feira que sempre levava na mochila para fazer compras e o levei ao veterinário. Como o meu horário era flexível não haveria problema. Soube que era apenas um caso de desnutrição e que ele estava bem. Decidi voltar para casa e o ajeitei na sala. O Sr. Mews cresceu e agora era um gato enorme e muito ciumento.

Fechei a porta e arranquei toda roupa ficando de cueca, camiseta e meia. Sentei no sofá e antes que eu pudesse por o pé na mesinha de centro a campainha tocou.

- Frodo. Desculpa incomodar.

- Que isso Fábio, o que manda?

- O meu apartamento tá sem água por causa do vazamento e eu cheguei do treino sem tomar banho, será que…

- Claro Fábio, fica à vontade. Pode entrar. Só não repara na bagunça.

- Que isso, Frodo. Desculpa te incomodar.

Só naquele momento eu lembrei que estava de cueca e camiseta do StarWars. Fábio parecia meio constrangido e evitou olhar nos meus olhos. Rapidamente Sr. Mews veio até mim e passando entre minhas pernas correu para a cozinha.

- Não sabia que você tinha um gato.

- Sr. Mews esse é o Fábio, Fábio esse é o sr. Mews.

- Haha. Muito prazer sr. Mews!

- Vou pegar uma toalha e um pijama pra vc. Vou colocar um colchão para você no meu quarto.

- Frodo, não precisa eu durmo em casa mesmo.

- Imagina. Você está sem água vai dormir aqui sim.

Vendo a minha persistência, Fábio então disse que iria até seu apartamento buscar algumas roupas e provavelmente iria pra aula logo cedo direto do meu apartamento, consenti com a cabeça e fui até a cozinha arranjar algo para comermos. Tirei duas marmitas que tinha feito na semana anterior e deixara no freezer. Tratei de colocá-las no microondas e antes que Fábio chegasse corri para o chuveiro e tomei uma ducha rápida, pus minha calça de pijama e amarrei meus cabelos. Bem, esqueci de me descrever. Tenho uma altura mediana, 1,70 sou loiro, cabelo comprido, tenho olhos azuis e uma barba ruiva falhada que mantenho aparada e um corpo magro, mas com alguns músculos, afinal treino toda semana. Eu realmente sou parecido com o Frodo de o Senhor dos Anéis. Tenho alguns pelos no peito e pernas. Continuando..

Resolvi ler um dos textos para a aula do dia seguinte e logo ouvi Fábio entrando. Ele bateu na porta e foi logo entrando com seu jeito desengonçado e um sorriso enorme no rosto. Que cara lindo. Eu sofri naquele instante.

Me levantei num só movimento deixando o Sr. mews que estava no meu colo assustado, me movo rapidamente pra perto daquele homem e o beijei. Só que não. Eu simplesmente tirei os meus óculos e peguei a toalha que havia separado entregando-a para ele.

- Frodo, valeu mesmo, não sei como eu ia fazer. Ia ter que ir cedo pra academia só pra tomar banho.

- Relaxa, Fabio depois vc me paga com comida, já que você cozinha muito bem!

- Beleza, pode deixar. Ele abriu outro sorriso e as covinhas pareciam mais fundas. Juro que me pulei e agarrei ele. Haha.

Àquela altura as marmitas estariam quentes. Fui então à cozinha e tirei os potes do microondas e os deixei na pia. Quando olhei pelo reflexo da janela pude ver que ele estava encarando nada mais nada menos que meu… gato, o Sr. Mews. Sim. O que você achou que era? Seu leitor pervertido.

Fui ao quarto e puxei o colchão inflável que eu mantinha embaixo da cama. Desembalei da caixa e usando uma bomba pra pneu da minha bicicleta comecei a enchê-lo. Pude ouvir Fábio cantando no chuveiro e confesso que não pude evitar de pensar nele pelado e molhado a tão poucos metros de mim. Olhei para a porta e vi o Senhor Mews me encarando. Até o gato estava me julgando. Me joguei no colchão inflável e fechei os olhos e com aquele barulho do chuveiro e da água que escorria pelos ombros de Fábio e caía pesada no chão, eu cochilei.

Quando acordei Fábio estava deitado no sofá só de shorts de pijama mandando mensagens e o senhor mews estava deitado em seu colo. Que gato mais assanhado, já se esfregando com o meu convidado. Entrei coçando o olho e vi que dormi muito! Era meia noite e meia. Esquentei novamente as marmitas e trouxe para comermos.

-Opa, Frodo, muito obrigado.

- Que isso.

- Cara, minha namorada não consegue entender que eu não consigo responder ela na hora que ela quer!!

- Pois é… disse eu com um sorriso meio frustrado, afinal durante essa fantasia de ter o Fábio por perto esqueci de detalhes relativamente importantes, por exemplo ele ser hétero.

- Tem hora que eu fico sufocado, a Taís não dá sossego. É muito ciumenta e queria brigar comigo porque eu não fui pra casa dela. Ela disse que eu devia ter avisado do problema com o cano, mas seria o maior rolê, ela mora longe e já era tarde.

- Ah cara é assim mesmo, daqui a pouco ela desencana

- Pra você é mais fácil né, os caras não são tão complicados!!

Depois de uns segundos de silêncio eu respondi:

- Você que pensa, conseguem ser mais complicados ainda.

Fábio sabia de mim, porque eu havia ficado com um dos seus amigos do time, o Rúben. Não tinha sido uma boa ele tocar nesse assunto. Eu tive problemas com o Rúben, e apesar de ter me apaixonado por ele me decepcionei bastante. Ele não podia ser domado, não podia ser de um coração só.

- E você e o Rúben?

- Então cara, não deu muito certo. Acho que ele não tá pronto pra relacionamento, na real ele não é muito adepto de monogamia.

Sério? Fábio fez uma cara de dissimulado, e como eles era melhores amigos eu sabia que Fábio o conhecia muito bem.

Fui salvo pelo gongo e ouvi as notificações do meu celular . Era o Jonas. Aparentemente ele mandou mensagem para o Doutor e ele me pediu para ir às 14 horas ao sei gabinete.

Não preciso dizer que fiquei satisfeito, essa semana estava cada vez melhor.

- Frodo, deixa que eu lavo a louça.

- Okay, vou arrumar sua cama.

Forrei com um lençol florido o colchão inflável e deixei as camas no jeito. Sr. Mews estava todo todo recebendo carinho do Fabio enquanto ele assistia televisão. Enquanto escovava os dentes apoiando as mão no rosto via que um fio de cabelo branco estava próximo à minha testa, lembrei que na semana seguinte seria meu aniversário. Senti falta dos meus pais e enquanto cuspia a pasta na pia Fábio entrava para escovar os dentes.

Deitei e dei boa noite ao Fábio. Em seguida apaguei a luz. Sr. Mews deitou-se aos meus pés como de costume.

- Boa noite, Frodo.

- Boa noite, Fábio.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
27/03/2018 10:22:21
Adorei! Continue... está muito bom.
27/03/2018 10:22:03
Adorei! Continua... quero acompanhar todos os capítulos.
27/03/2018 05:58:30
Amei,continua logo.