Primeiro contato parte 2

Um conto erótico de Ariel
Categoria: Heterossexual
Data: 26/03/2018 23:01:10
Nota 10.00

Bom se você não leu o primeiro sugiro que leia para contextualizar melhor.

Tudo que ocorreu infelizmente foi na sexta, ou seja passaria dois dias sem vê-lo e sem ser vista. Sábado tudo normal, video-game, pc masturbação, igual todos adolescentes haha.

Domingo tudo estava seguindo na mesma rotina ate que alguem bate na porta, e entra meu vizinho/sonho Marcos, ele foi falando com a minha mãe falando que eram vizinhos a quase um ano e mal avia se apresentado, trouxe carne que ele havia feito e minha mae chamou o para tomar um café da tarde, nem preciso dizer que eu já estava encharcada não é? Felizmente ou infelizmente sempre me editei muito e muito rápido, então já estava quase morrendo sem tirar os olhos do PC, minha mãe chama minha irmã e manda ela por a mesa, quase morri de ciúmes, pois minha irmã é 4 anos mais velha, ou seja, tinha o corpo muito mais desenvolvido, e como falei no outro conto era verão, ela estava de short e um top, inevitável ele não olhar, eu sabia disso porém morri de ciúmes de qualquer forma. Minha irmã terminou e nossa mãe nos chama para comer, sou magrela de ruim alias, minha família é assim porém tava tão nervosa que só tomei suco, minha mãe insistiu para eu comer mais, até que Marcos me olha e fala:

- Você é linda, não vai engordar se comer um pouquinho

Eu fico totalmente vermelha e pego um pão, ele tenta disfarçar e fala:

- Da pra ver que a beleza aqui é algo de família, e a simpatia também

Nós rimos minha mãe seguiu falando com ele enquanto eu mal conseguia levantar a cabeça para olhar pra ele, nem parecia a mesma menina que exibia-se dias antes.

Ele foi embora e falar que eu me masturbei novamente é quase que desnecessário.

Segunda feira a aula foi normal, bullyng clássico com a patinha feia, volta pra casa, entro em casa já contando os minutos para minha irmã sair. Ela sai, fecha a porta e já subo correndo para trocar de roupa e ir me exibir. Vou pro quintal, mas noto que dessa vez ele já está deitado no quarto, finjo não ver, porém dessa vez resolvo arriscar, volto, tiro o sutiã do bikine, coloco uma camiseta e tiro o short, volto pro quintal e começo a me molhar, ele sai na janela e desta vez fica mais próximo do nosso muro, eu como sempre finjo não ver, e molho meus peitinhos, quase inexistentes na época, ele fala:

-Boa tarde menina, já ta com calor?

Sigo sem olhar pra ele e respondo

- Sim, é que venho caminhando da escola e com esse calor chego morta em casa

- Ainda bem que só trabalho a noite

Respondeu ele me olhando

- O senhor não está com calor não? Falei com meu coração na boca e quase gaguejando

- Sim. disse ele, e quase que junto falei

- Tira sua camisa então, eu jogo água em você.

Ele riu e tirou a camisa e eu joguei meio de longe, pegou no peito e no rosto dele, nós rimos e eu falei:

- Vem pra ca que fica mais facil de eu te molhar, ele riu e falou que achava melhor não porque alguém poderia ver e achar que era errado ele comigo sozinho, eu ri e falei que ele já tinha vindo não teria problemas, ele negou, então falei:

Então vc me ajuda a pular o muro e eu te molho ai

Ele pensou e falou, tudo bem e rimos peguei um banco, ele me puxou e quando notei estava la, com o coração muito acelerado, peguei o copo que eu estava com um restinho de água e joguei nele e ri, fingindo não ver a ereção gigante dele, pergunto onde tinha torneira ele aponta, eu vou la e encho o copo, molho meu cabelo fico um pouco mais calma e começo a molhar ele, primeiro apenas jogando agua, depois resolvi passar a mão também, respiro fundo e passo a baixo a mao até seu penis, ele segura ela e fala:

- Menina, melhor não

Eu finjo não ouvir e começo a masturba-lo por cima da calça, como eu via em filmes pornôs, ele desiste de me segurar e apenas gemia com a sua voz rouca bem baixinho, ficamos pouco tempo assim, mas pareceram eternidades, novamente respiro fundo e tomo coragem e falo tira a bermuda, por favor, ele me olha e tenta negar novamente, mas não durou muito, ele não resistiu e tirou e fiquei com aquele monstro na minha frente, continuei a masturbar ele até que coloquei a boca na cabeça do seu pau ele gemeu mais alto, fiquei alucinada com isso e comecei a masturbalo mais rapido e fui passando a lingua nele, meio sem jeito mas com muita vontade, lembrei dos pornôs e comecei a girar a mao ate que ele falou, para menina, ignorei ele me empurrou, eu cai e ele gozou muito sobre minhas coxas e corpo. Ele manda eu ir embora e fui cheia de tesao porém feliz. Depois conto o que rolou no resto da semana

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/03/2018 23:07:03
Muito bom! Anciosa pelo próximo conto!