Vamos jogar dados?

Um conto erótico de Almeidinha
Categoria: Grupal
Data: 26/03/2018 19:04:44
Nota 8.67

Meu nome é Almeidinha e já tenho outros contos aqui, portanto algumas pessoas já sabem como sou e o que faço, minha mulher, uma morena gostosíssima se chama Andressa e como vocês se lembram somos experts em “algumas” sacanagens.

Há uns meses atrás estivemos em um casamento de um parente no interior de São Paulo e acabamos por tomar todas lá na festa... as que podiam e as que não podiam... saímos às cinco da manhã quase engatinhando de bêbados... sorte que íamos à pé para a casa de nossos tios que fica pertinho de onde estávamos e o primo da Andressa, o Danilo ia junto com a gente, ele tem a nossa idade, atualmente está separado e não está ficando com ninguém, tem o corpo bem definido mas não é malhadão, é moreno, gostoso e gente boa pra caramba. A casa tinha ficado vazia para quem quisesse, mas, no final fomos só nós e o Danilo mesmo.

Chegando na entrada da casa a Andressa quebrou o salto do sapato e no estado que estávamos já foi motivo para chorarmos de rir... o Danilo disse que a levaria no colo pra dentro e aí que ríamos mais ainda... achamos que fosse cair todo mundo.

Ao pegar a Andressa no colo, ele reparou nos seios maravilhosos da minha esposinha, sem sutiã eles quase saíram pra fora... ele imediatamente comentou: segura os mamões! Foi uma risadaiada só... ela só disse “seu retardado” e mais risos...tudo era brincadeira.

Dentro da casa fomos só tirar a roupa de festa para tomar as saideiras que tínhamos deixado no freezer... e a esta altura estavam trincando....

Aproveitei e preparei uma caipirinha profissional, daquelas que são irresistíveis... de dar água na boca... mas só fiz um copo, com o que tinha sobrado de vodca e levei para a sala.

Lá tive uma ideia ótima, já que estávamos bem bêbados, não resisti e propus uma brincadeirinha safadinha: a caipirinha seria um prêmio. Íamos jogar dados, quem tirasse menos pontos (eram três dados para somar), tirava uma peça de roupa, até o fim. O primeiro a ficar totalmente pelado tomava meio copo, a outra metade era para quem ficasse nu em segundo lugar, ou seja, o último não ficava pelado mas também não tomava caipirinha. Assim não sabíamos se era bom torcer para tomar a caipirinha, mas ficar peladão ou ficar de roupa mas não tomar nenhuma gota daquela delícia.

A Andressa e o Danilo toparam na hora... percebi a excitação de ambos e, logicamente, também eu estava animadíssimo.

Combinamos ficar com o mesmo número de peças de roupa, assim eu e o Danilo ficamos com meia, cueca, shorts e camiseta e a Andressa com shorts, calcinha, sutiã e camiseta... tudo igual.

E começamos. Nas duas primeiras rodadas o Danilo e eu já perdemos as meias... sem problema, até aí de boa.

Na terceira a Andressa ficou sem a camiseta... Nossa! Aquela lingerie já deixava a gente suado de tesão... Só as cervejinhas trincando para aliviar mesmo, mas quanto mais se tomava cerveja mais ansiosos ficávamos.

Rolou mais rodadas. Não é que o Danilo e eu ficamos só de cueca! A Andressa já estava vidrada em nossos “pacotes” ... não vou mentir, eu já estava de pau duro com a situação e com o Danilo não era diferente, mas bêbados, não tínhamos o menor pudor. Acho que na cabeça de todo o mundo o que rolava era: amanhã ninguém vai lembrar mesmo disso, então deixa rolar.

Na rodada seguinte a Andressinha perdeu e tirou o shorts... oba!!! Tá ficando bom! Mais uma e... que 10! Ela perdeu de novo! ... ficou meio assim, se fazendo de inocente, mas sabia que estava louca para mostrar seus peitos lindos pra nós. Desabotoou o sutiã e revelou aqueles peitos deliciosos, naturais, grandes e certinhos, feito uma atriz pornô... chegamos a bater palmas... foi só risos... até pra aliviar o tesão que já estava no topo.

Próxima rodada... eu perdi! Cacete! Não deu outra, tirei minha cueca e mostrei sem medo meu pau duríssimo!!! Aliás, toda vez que tirávamos uma peça tínhamos que levantar e servir mais cerveja... cheguei perto da Andressa e ela toda atrevida comentou: que delícia... hoje tem hein! O Danilão já soltou: Êita! Que o negócio tá bom demais!!!

Como só faltava a cueca do Danilo ou a calcinha da Andressa fiz uma nova proposta na sublime condição de primeiro perdedor de roupa e ganhador de caipirinha: pra ninguém ficar sem a espetacular, maravilhosa e única mega-caipirinha, vocês tiram tudo e repartem o prêmio!

Foram só palmas... Eeee!!! Todo mundo gostou. Mas só pra ver como seria se o jogo tivesse continuado, topamos fazer uma última rodada de brincadeira só pra ver quem ficaria por último: dados na mesa... Não é que a Andressa tiraria a calcinha e ganharia a caipirinha...

Pra não ficar chato combinamos de tirar a calcinha e a cueca juntos... um, dois, três e já: que gostoso... a Andressa despontou aquela buceta gostosa, não muito depilada, linda, cheirosa, com lábios aparentes e molhada de tesão e o Danilo nos brindou com um cacete de um deus grego... duro feito pedra, com belas veias e uma cabeça bem formada... que visão tínhamos de nossos corpos... era puro tesão!

Pedi então, já cheio de más intenções que eles tomassem a caipirinha juntos, ou seja, com as bocas praticamente unidas iam virando o copo e tomando em conjunto... enquanto eles foram virando, quase num beijo involuntário... levei minha boca sedenta até o peito gostoso da Andressa e suguei com desejo, ouvindo seu tímido gemido enquanto ela aproveitava a bebida e a boca encostada na sua.

Quando o Danilo se desprendeu do copo e olhou, ele não acreditava no que estava vendo, eu me deliciando naquele seio espetacular, volumoso, gostoso e a Andressa de olhos fechados aproveitando a mamada com gemidinhos excitantes...

Olhei pra ele e fiz sinal pra ir no outro seio... ele deu um sorrisinho safado e abaixou sua cabeça e com sua língua grossa e quente foi bem no biquinho já duro pelo tesão do momento... nesse instante a Andressa abriu seus olhos e olhando aqueles dois machos em seus seios, abriu um sorriso de contentamento e tombou sua cabeça pra trás segurando em nossos pescoços contra seu corpo quente e trêmulo...

Depois de chupar deliciosamente seus seios, inclusive sugando o Danilo e eu o mesmo mamilo, com nossas línguas se encontrando sem qualquer constrangimento, puxei a Andressa para o sofá, abrindo suas pernas e deixando sua bucetinha arreganhada para nosso imenso prazer... ajoelhamos juntos e passamos a experimentar o gosto daquela delícia que estava escorrendo de tesão, todo aquele cheiro, aquele salgadinho, aquela carne mijada, suada e altamente excitada nos colocava mais bêbados ainda, mais de prazer do que de bebida... mais uma vez nossas línguas passavam juntas na buceta dela... AH! A Andressa simplesmente urrava de tesão... gemia como uma vadia... e só tirávamos a boca para falar besteirinhas de sexo: que gostosa! Que buceta boa da caralho! Que delícia de buceta! E ela não deixava por menos: Chupa gostoso! Chupa essa buceta vai! Enfia “essas língua gostosa” na minha xana, “meus macho gostoso”!!!

Depois foi a vez da Andressa chupar nosso pau... ambos estavam babando de tesão: ela começou pegando um e depois outro... chupava com sensualidade... com vontade... depois pegava os dois, esfregava um no outro, as duas cabeças babadas uma na outra e lambia as duas juntas, chupou tudo que pode e nós, só aproveitando aquela maravilha... A Andressa é top em chupar... adora um pau e dois então, estava em êxtase...

Chegou a hora da verdade: ela ficou de quatro e enfiei sem piedade meu pau na sua bucetinha... que gemido lindo... aí que empinou mais ainda aquele bunda maravilhosa... parecia uma potranca no cio... enquanto dava estocadas, ela engolia todo o cacete do Danilo... ele parecia estar num sonho... sua cara era de quem estava realizando o maior sonho da vida... Aí trocamos de posição... o Danilão veio com aquele pau de pedra, colocou uma camisinha que tirou de sua carteira e meteu com gosto... Apesar de ter laceado bem, aquele cacete ainda teve força de alargar ainda mais a deliciosa buceta da Andressa.

A próxima iniciativa foi da própria Andressa... Já estava à vontade: deitou o Danilo no tapete da sala, que era deleitoso, macio, denso... Montou em cima, colocando aquela vara toda na sua bucetinha e deitou sobre ele num beijo de língua fascinante e olhou pra trás como me chamando a meter minha rola no seu cuzinho que praticamente me convidava com suas piscadinhas... Nossa!!! Passei o dedo na boca, pegando um pouco de lubrificante natural e acariciei aquele buraquinho, entrando e saindo pra abrir caminho pro meu membro possante...

Ao perceber que já era possível forçar a entrada, me posicionei e coloquei o cabeção na porta, quando forcei de verdade e começou a entrar, a Andressa gemeu e segurou com suas unhas o peito do Danilo... ele, mostrando solidariedade, a abraçou com firmeza e carinho e eu, finalmente, coloquei meu pau duríssimo todo no seu cuzinho... Passamos a movimentar em sincronia... o Danilo naquela buceta de ouro e eu no cuzinho maravilhoso da minha mulherzinha amada... Seguiam gemidos de todos nesse momento... Pra completar o Danilo passou a sugar os seios da Andressa e ela com os olhos fechados aproveitava cada instante para gozar ao máximo... Sentimos seu gozo ao extremo... sua buceta apertando o pau do Danilo e seu cuzinho abraçando meu pau com energia e seus gemidos já na condição de grito de prazer... era música para os nossos ouvidos.

Saímos de cima dela e nos posicionamos para gozar em seus peitos... ela de joelho esperava ansiosamente pelo leitinho quente que iríamos jorrar... Acho que nunca gozamos tanto... nossa porra quente voou na sua boca e nos seus seios a ponto de escorrer pela barriga e chegar lá em baixo em sua buceta como se tivéssemos gozado lá...

Terminamos num beijo a três... ela passava a mão naquela porra toda e lambuzava todo o corpo... e saiu para o banho... nem voltou para a sala, foi direto para o nosso quarto... Danilo e eu buscamos uma última cerveja, geladíssima, e tomamos como se toma água no deserto... Nos despedimos com um abraço de melhores amigos do mundo...

No outro dia acordamos como se nada tivesse acontecido. Nos desejamos bom dia, tomamos café da manhã, pois nossos tios chegaram, trouxeram pães, queijos... Ficamos para o almoço e depois viajamos como combinado. Não falamos mais com o Danilo.

Fomos recentemente convidados para o aniversário de casamento de nossos tios, lá no interior. Já avisei a Andressa: vou caprichar na caipirinha!!!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
28/03/2018 23:55:53
E delicioso repartir nossas esposas com outros machos
27/03/2018 06:46:11
Amei e quero ler todos outros, adoro filmar e fotografar esses melhores momentos. Caso interessar é só retornar: fotografoliberal@yahoo.com.br
26/03/2018 22:04:57
Que delicia de conto!