Peguei meu amigo na Punheta e comi seu cú

Um conto erótico de Safadão
Categoria: Homossexual
Data: 26/03/2018 15:59:54
Nota 10.00

Olá, gostaria de contar para vcs o que aconteceu comigo a um bom tempo atrás, morava em uma república com primos e amigos, geralmente chegava em casa perto das 22:00 era véspera de feriado, quase todos da casa tinham viajado, havia ficado somente meu amigo Jean e eu, neste dia cheguei um pouco mais cedo, entrei e fui até meu quarto, a casa era bem grande haviam vários cômodos e cada um tinha seu próprio quarto, no caminho para o meu quarto passei pelo quarto do Jean, e vi que a porta estava fechada, o som estava alto, a luz ligada e escutei uns gemidos, achei que o Jean estava fodendo sua namorada, pois sempre há levava para a casa, fiquei meio curioso e fui verificar pelo buraco da fechadura, tive uma baita surpresa, da fechadura conseguia avistar a cama inteira do Jean e ele estava lá, deitadão todo peladão, tocando uma punheta e mexendo no celular, do seu lado tinha um cacete de silicone vermelho de mais ou menos uns 20 cm, achei que derrepente sua namorada fosse aparecer dentro do quarto, mas ele estava sozinho, derrepente, colocou o celular apoiado na cama para que conseguisse ver o vídeo que estava assistindo, pegou o consolo e começou a chupar, enfiou inteiro na boca, retirava e ficava lambendo a cabeça, enquanto isso tocava uma punheta, depois pegou uma camisinha, colocou no consolo e ficou brincando com ele na porta de seu cú, nunca imaginei que um dia fosse ver aquela cena, logo o Jean, todo musculoso, rato de academia, meio troglodita, o cara que fazia e acontecia, comia um monte de gostosas, sua namorada era uma gata,... Mas ele estava lá, no seu momento mais íntimo, sem saber que estava sendo espionado, enfiou Aquele cacetão no cú, enfiava e retirava, num movimento vai e vem, depois se levantou, grudou o consolo na parede, ficou de quatro na cama e como se estivesse alguém atrás de dele, ficava no movimento vai e vem, confesso que sou hétero, mas senti tesão em ver meu amigo, na sua intimidade, depois ele, retirou o cacete da parede, se deitou na cama e fez uma coisa inusitada, levantou seu quadril como em um movimento de yoga e conseguia lamber a cabeça de seu próprio pau, realmente ele tem um pau grande, mas aquilo requer muito treinamento, fazia este malabarismo com o consolo no cú, lambia seu cacete e ao mesmo tempo batia punheta, derrepente começou a sair um monte de porra do seu cacete, entrou tudo na sua boca e ele engoliu tudo, safado pra caramba, me deu vontade de bater na porta e foder aquele rabão, mas pensei que aquele não era o momento pois ele havia acabado de gozar e com certeza não rolaria mais nada, meu pau estava duro, criei coragem e bati na porta só pra ver o que aconteceria, foi uma barulheira, correria, gaveta fechando e ele dizendo: já vou...fiquei esperando, ele abriu a porta e esteve de bermuda e sem camiseta. Me perguntou: o que foi? E eu respondi: o que você estava fazendo aí, tá um cheiro de porra no seu quarto, estava se masturbando não é?

Ele me respondeu: pior que estava, minha gata foi viajar e fiquei na seca!

Disse pra ele: tem porra no seu queixo! Na realidade não tinha nada, mas ele passou a mão bem rápido e disse que tinha saído pela culatra, dando uma risada...Comentei que também estava na seca e que comeria até um viado se me desse, e ele deu outra risada e me disse: quer comer meu cú!? Fiz de conta que não sabia de nada, sorri e falei que comeria. O cara ainda estava com tesao e seu pauzao estava duro, pediu para que entrasse no seu quarto, na hora respondi: Você está louco, depois vc vai querer me comer e eu não quero dar não!

O Jean disse, nunca dei o rabo pra ninguém, só para meu companheiro, e me mostrou seu consolo que estava dentro da gaveta, concordei, abaixou minha calça e começou a me chupar, dizendo que não era para contar pra ninguém o que aconteceria alí, e não contei, somente estou relatando neste conto, chupou muito meu pau, se virou de quatro e abriu aquele rabão, todo depilado, seu cú estava muito vermelho, pois havia acabado de ser fodido pelo consolo, meu pau entrou com muita facilidade, estava muito bom, quando era mais novo já tinha feito troca, troca, mais ali era diferente, ele pediu para foder com força, pois estava gostando, enfiava meu pau até o talo e retirava quase todo de dentro e depois enfiava de novo, por incrível que pareça estava muito gostoso foder aquele cuzão, ele era todo fortão, do tipo bombado, cheio de músculos, ficava falando que estava uma delícia e que não sabia o que estava perdendo, preferi ficar como ativo, soquei mais forte e ele disse que ia gozar, gozou na mão e lambeu, disse que gostava muito da sua porra, aí perguntei se queria experimentar a minha e ele confirmou que queria muito, saquei o cacete de seu rabo, ele se virou e ficou de joelhos na minha frente e pediu: mando porra, vai! Não pensei duas vezes enchi aquela boca de porra e ele abria bem para que tudo entrasse, gozei pra caramba, depois tomamos um banho juntos e ele pediu mais uma vez para que não contasse pra ninguém e que um dia iria me dar de novo....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/05/2018 15:50:23
Nossa gostei
27/03/2018 18:16:15
Gostei parabens sou como vc sou casado mais adoro uma rola dura
27/03/2018 14:24:35
Que bom que gostaram, adoro ver os comentários.!!!!
27/03/2018 07:50:59
Amei e quero ler todos outros, adoro filmar e fotografar esses melhores momentos. Caso interessar é só retornar: fotografoliberal@yahoo.com.br
26/03/2018 23:58:41
Gostosa sua narrativa: curta e grossa.
26/03/2018 21:49:02
ESSES ENRUSTIDOS. MUITO COMPICADO ISSO. FICAM COM NAMORADAAS MAS SAEM POR AI DANDO O RABO. LAMENTÁVEL.