O pecado mais sombrio de uma mãe evangélica 2

Um conto erótico de Gustavo
Categoria: Heterossexual
Data: 25/03/2018 10:48:32
Nota 9.80

Um novo dia, não vou mentir a cena dos dois transando na minha mente me rendeu uma punheta das boas, a melhor que eu já havia batido, mas com muita culpa depois de gozar, mas era um novo dia, acordei, tomei banho, saiu junto com a minha mãe, ela para o trabalho e eu para escola, andando no caminho só minha vinha a frase “amanhã aquele almoço gostoso de sempre?”, eu não podia ir para escola, afinal de contas eu saia 13:00, se esse almoço fosse 12:00, matei aula e fiquei escondido de vigia no final da minha rua onde dava visão da minha casa e lá fiquei até as 13:30 foi a hora que meu primo entrou sozinho na minha casa e 10 minutos depois chegou a minha mãe que já foi entrando com o carro na garagem e esperei uns 5 minutos e fui, não estava nem ai, era um medo mas ao mesmo tempo uma sensação boa que me fazia seguir, abri o portão normalmente, lá estava o carro estacionado com os vidros abertos, me aproximei desconfiado e vi a chave na ignição, não pensei duas vezes “Saiu tão doida para fuder que nem fechou o carro”, porta da sala escancarada facilitou a minha entrada, fui direto subindo as escadas e a porta do quarto foi o mesmo, completamente aberta, o que esperar de uma mulher que deixou o carro todo aberto com a chave na ignição, porta aberta em plena luz do dia no Rio de janeiro?

E lá estava Thiago pelado por cima da minha mãe na cama aos beijos, minha mãe com as pernas abertas mais acima da cintura do Thiago, eles se beijavam apaixonadamente, Thiago alternava beijando o pescoço dela mas logo voltava faminto a beijar sua boca e ficavam alternando com uma grande intensidade, apenas ouvia o barulho das respiração entre os beijo, sem pensar muito abri a braguilha da calça e botei o pau para fora e fui me masturbando e me perguntava “Será que o pau dele já tá dentro”, do ângulo que eu estava não dava ver e antes que me perguntasse ainda entre os beijos Thiago empurrava seu corpo contra o dela e começava aquele vai e vem, comecei a ficar impaciente e falar na minha mente “Bora Thiago, soca com força nessa cadela, pera, eu acabei de chamar minha mãe de cadela? Foda-se” e foi aí que eu percebi que eu não aguentaria 1 minuto na cama com aquela mulher, minha mãe... Os dois com os rostos colados no meio daquele sexo cadenciado, estavam um clima muito além da minha compreensão e o que acabou comigo foi minha mãe abrir a boca e começar a gemer bem baixinho com a voz bem arrastada, mas o suficiente para eu ouvir

- AMMM, AAAAH, AMMMMMM

Menos de 1 minuto ouvindo aquele gemido foi o suficiente para gozar, logo que ia gozar sai da frente da porta e foram jatos e mais jatos de porra na parede e na minha mão, voltei e ainda me punhetando com meu pau completamente dormente e todo cheio de porra nele na minha mão, eles ainda estavam na mesma posição em um transe louco, se eu gritasse na porta eles não ligaram, tenho certeza e alguns minutos depois Thiago se arrumou por cima dela e se levantou ficando de joelhos ainda penetrado em sua tia e com as mãos foi abrindo as pernas dela, assustado fiquei olhando, não conseguia nem imaginar que minha mãe tinha tamanha flexibilidade, Thiago segurava nas juntas do joelho dela mantendo as pernas abertas e pressionadas para trás, eu assistindo ali eles de lado já era uma baita visão mas tentava imaginar como era a do Thiago naquele momento e logo fiquei de pau duro mais uma vez, Thiago começou a ir para trás e para frente fazendo o vai e vem, o espelho da cama começou a dar leves batidas contra a parede, os seios de minha mãe acompanhavam o balanço da cama e Thiago foi aumentando o ritmo e tudo foi aumentando, cama contra parede, peitos balançando e gemidos, Thiago largou uma das pernas de sua tia e foi direto para sua buceta onde visivelmente a masturbava enquanto a penetrava, minha mãe foi a loucura, segurou os gemidos para a vizinhança não escutar e seu rosto denunciava isso, seu corpo se contorcia e ela seguia bravamente mordendo os lábios e abafando seus gemidos e Thiago que não era bobo ao perceber aquela situação parou de meter imediatamente e deu um pequeno pulo para trás e caiu de boca naquela buceta, minha mãe parecia tentar o empurrar pela cabeça mas ele continuo com o sexo oral embora ela continuasse a tentar o empurrar mas ela claramente não podia abrir a boca para pedir que ele parasse pois se não sairia um gemido alto o suficiente para a vizinhança ouvir até que suas pernas começaram a tremer e começou a gemer baixo com uma voz tremula e respiração ofegante, minha havia acabado de gozar na boca do sobrinho

- AAAAAH.... AAAAAAAAH... AAAAAH

Thiago parou ajoelhado de frente a ela e se masturbava observando sua tia gozar e pela primeira vez pude ver o pau de Thiago que logo me causou estranhamento e inevitavelmente aumentou o meu tesão, diferente de ontem hoje ele estava sem camisinha então escuto minha mãe falando alguma coisa que eu não consigo entender, mas ela repetia a mesma coisa até que sua voz foi normalizando após o orgasmo

- me come, me come vai…

Enquanto ela repetia foi se levantando e virando de costas para Thiago ainda deitada e se levantou empinando a bunda de uma forma fenomenal seu peito e seu rosto ficavam encostados no colchão e suas pernas levemente abertas beirava a perfeição e Thiago que não é bobo nem nada engatou entre as pernas dela e com a mão foi guiando seu pau na entrada da buceta dela e foi enfiando lentamente, conforme foi entrando Thiago foi levando uma de suas mãos na bunda dela e a outra nas costas ao enfiar tudo Thiago levantou a cabeça e abriu a boca olhando para o teto, parecia tentar se controlar para não gozar, Thiago respirou fundo e voltou a olhar para minha mãe toda empinada e logo olhou para baixo e parecia curtir a vista de sua rola completamente atolada naquela buceta, Thiago se arrumou, colocou suas duas mãos na cintura dela e repentinamente começou a socar com uma velocidade e uma força que eu jamais havia visto, o estalo de seu corpo batendo no da minha mãe era muito alto, um atrás do outro, a cama batia contra a parede com uma violência incrível, dava para ver a onda de choque do corpo dele batendo contra a bunda da minha mãe fazendo a tremer, minha mãe gemia com o rosto no colchão abafando seus gemidos, Thiago alucinado alternava olhando para seu pau entrando e saindo e para o corpo da minha mãe entregue a ele e eu me masturbava freneticamente e pensava “Ele vai acabar com ela”, “Isso acaba com ela” e ele parecia atender meus pensamentos e acelerou mais ainda de um ritmo que eu já pensava que era o seu máximo até que ele tira seu pau e praticamente o jogou em cima da bunda dela, poucos segundos depois sem que ele encostasse começou a gozar, jatos e mais jatos despejados nas costas e até mesmo atingindo seu cabelo, dali onde eu estava era possível ver os jatos brancos com muita clareza, era incrível a quantidade que ele gozava, seu pau subia e descia batendo na bunda a cada gozada sem que Thiago encostasse até que Thiago caiu ao lado da minha na cama e aos poucos minha mãe foi relaxando e de fato se deitou ali de bruços e eu mais uma vez gozei e lambuzei todo o chão, por sorte eu não gozava que nem Thiago, me escondi e encostei na parede recuperando o folego enquanto eles faziam o mesmo.

Durante uns 5 minutos eu continuava espiando eles, que continuaram deitados exaustos, apenas ouvia suas respirações até que escuto a voz do Thiago

- Vai voltar pro trabalho?

- Infelizmente sim...

- Que pena, dava pra rolar um segundo round depois de um pequeno descanso

- Sexta-feira e Sábado são dois dias inteiros de amor, Gugu vai pro retiro da igreja, esqueceu?

Então escutou barulho deles se mexendo na cama, olho rapidamente e vejo minha mãe e Thiago se levantando, me escondo e vou saindo, enquanto saia escuto Thiago falando em alto e bom som

- Fazer uma oração para ter mais retiros – e ambos caem na gargalhada

Desci as escadas com uma mistura de sentimentos, completamente satisfeito após gozar, com culpa por me masturbar para minha mãe, raiva por meu primo fazer aquilo e raiva por ela me obrigar a ir para o maldito retiro da igreja, eu não era fã de igreja, mas minha me obrigava e agora eu sabia o real motivo, pelo menos do retiro...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/08/2018 00:23:39
Muito bom
31/03/2018 04:09:57
Muito bom!
28/03/2018 07:55:33
Muito bom!!!
25/03/2018 14:16:04
Este babaca nao vai se manifestar e comer a mae dele nao! Ou vai ficar so na punheta...e vendo o primo comer!!!
25/03/2018 12:53:50
Muito bom, a religiao e a maior putaria prejudicial para humanidade.
25/03/2018 12:34:51
Esperando a próxima parte!
25/03/2018 12:11:26
excelente continue
25/03/2018 11:04:02
Delicia gozei gostoso, espero que continue.