Putona do Aterro

Um conto erótico de BundaoG_calcinha
Categoria: Homossexual
Data: 24/03/2018 23:44:00
Nota 10.00

Olá, me chamam de Jô quando estou montada. Sou um H normal no dia a dia, mas desde os 15 anos (hoje tenho 29), me masturbo com roupas femininas, exploro os prazeres anais e brinco na internet. Minha unica experiencia com outros homens foi minha aventura na sauna do outro conto. Mas faz alguns anos que moro perto do aterro do flamengo e nas noites mais assanhadas passeio de calcinha entre as arvores do aterro. Hoje vou contar a primeira vez que isso levou a um encontro...

Estava drogada, de calcinha, shortinho e sutiã, procurando machos no bate-papo da uol. Depois de algum tempo sem encontrar nada interessante, botei minha bermuda e camisa de menino sobre a calcinha e o sutiã e saí de casa em direção ao aterro. Entre as quadras e a praia havia sempre uma zona escura de árvores. Atravessei a passarela e me meti numa dessas zonas escuras. Tirei a camisa e a bermuda, ficando só de lingerie e comecei a caminhar entre as árvores.. Por muitos metros não vi ninguém, mas chegando ao fim da praia do flamengo vi um cara sentado em uns equipamentos de ginástica.. Era um cara baixinho, musculoso.. Fiquei com medo e andei na direção oposta a dele. Quando ele percebeu isso, assoviou.. Me deu um frio na espinha. Poucas pessoas tinham me visto assim, de calcinha. E esse cara me olhava e me assobiava de longe... depois de uns 30 segundos parada de costas virei e caminhei na sua direção.

Quando me aproximava dos equipamentos e, portanto, da luz sobre eles, parei tremendo ainda na sombra das árvores. O cara sorria sentado alisando o pau por cima da bermuda... 'Que sorte que eu dei, hein, viado.. ' disse ele sorrindo. 'ou melhor, que tu deu, safada, chega mais, porra!' Eu olhei em volta demonstrando meu medo e ele falou mais alto: 'vem logo, puta! saiu assim e tá com medo do monte de rola que vai levar?' Na verdade, pareciamos completamente sozinhos. Andei sob a luz, botei minhas roupas sob meus joelhos e me abaixei no meio das suas pernas... Chupava sua rola com vontade, com a bunda exposta empinada ao máximo e ele fodia com gosto minha cara me xingando de tudo que era nome.. Em algum momento ele segurou minha cabeça chupando fundo seu pau e perguntou: a putinha quer porra na boca ou no cu? Ele tirou a rola pra que eu respondesse e pegando ar eu disse: ' no cu.. fode minha bunda por favor.."

Eu reposicionei minhas roupas pra ficar de quatro no banco do parque. Meu macho musculoso veio por trás e encaixou a rola no meu rabinho. Ele deu só a primeira estocada com calma, mas depois começou a me foder com tanta força, me xingando tanto... que eu comecei a gostar. Gritava, pedia mais, e ele dizendo: 'a piranha tá gostando, é? pede rola, sua puta!' e eu pedia cada vez mais alto... Do meio das árvores três caras negros, magros, com cara de drogados apareceram do nada... Olhavam mais pro meu maxo, segurando suas rolas já duras por dentro das calças em trapos, esperando aprovação... senti meu macho musculoso fudendo com cada vez mais força meu cu e enterrando com força até me inundar de porra...

Eu fiquei zonza por alguns segundos (minutos?) e quando fui tentar achar minhas roupas os três homens já me cercavam com suas rolas muito fedorentas, eu sentada no banco de madeira, olhando com receio pra aquelas rolas e pras caras sedentas daqueles homens tomei a decisão de agrada-los até encontrar uma saída. Peguei duas rolas e comecei a sugar a do meio, revezava, e no fundo da minha cabeça duelava entre a gloria e a vergonha de realizar aquela fantasia. As três rolas restavam duríssimas e eu decidi procurar uma chance para controlar a situação. Avistei um banco sombreado por uma enorme arvore e sugeria que fossemos pra lá, pra não sermos interrompidos. Todo mundo concordou. Enquanto andava na frente dos três, recebia os comentarios dos três com medo e antecipação. Vendo o estado dos três (drogados, bebados, cansados..) eu poderia sair correndo na frente deles ali agora. Mas eu já estava inebriada pela humilhação, queria mais.

Fiquei de 4 no banco sob a sombra da arvore com o rabo levantado e a calcinha puxada pro lado. Levantei uma camisinha pra trás mas só recebi um tapa na mão. Uma piroca quente logo encostou no meu cuzinho e começou a invadi-lo. Eu adorei. Na minha frente sentava outro dos caras e na frente dele estava em pé o terceiro, recebendo uma punheta. Fui fodida lindamente pelos três, gozada no cu e na boca... Quando cansei cambeleei pelas arvores, me vesti e fui pra casa.

Depois desse dia fui muitas outras vezes no aterro...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/04/2018 22:01:59
Amei... qndo uso uma paradinha tb fico toda assanhada, doida pra ser dominada e arregaçada... amei
27/03/2018 03:34:14
Uaaaaaau!!! Que safadaaaaaa!!! Uiii