Enterrar o Passado - Claudio- Capitulo XX

Um conto erótico de de Porto alegre
Categoria: Homossexual
Data: 21/03/2018 00:15:13
Nota 10.00

CAPITULO XX

GUS

A Reunião na ex-empresa do pai do Gus prometia, uma por que o Gus tava nervoso e outra porque eu tava louco pra mandar o pai dele pros quintos dos infernos.

Quando entramos na recepção todo mundo ficou nos olhando, o pessoal do conselho já estava avisado, seria uma reunião do Gus com o conselho e os diretores, o pai do Gus não tinha sido informado a meu pedido claro eu contava que ele soubesse, eu sabia que ele ia ficar louco era isso que eu queria.

Nos dirigimos a recepção. Um rapaz bem simpático nos atendeu, cara eu tava precisando de um descanso, quem sabe um cara mais novo, uma noite...para Claudio, não mistura as estações.

- Bom dia, meu nome é Claudio temos uma reunião com o conselho. – o cara ficou me olhando, foco Claudio...foco. -

- Pois não, estão lhe aguardando, seus crachás já estão prontos. – o pessoal da recepção ficou nos olhando, vi que o Gus estava apreensivo, mas eu tinha outras coisas na minha frente, eu não pude deixar de reparar quando o cara passou por nós e nos dirigiu ao elevador, que linda bunda que o cara tinha.

- O Que tu tá fazendo aqui? – Cara eu não podia ter pedido recepção melhor, o pai do Gus tava saindo do elevador com outro homem fiquei observando o Gus, imaginei quem seria o outro homem, mas não tinha certeza. O Pai dele levou um susto quando nos viu. –

- Papai, o que eu estou fazendo aqui? Bem, vim cuidar da administração da minha empresa. Ou o senhor se esqueceu que sou o sócio majoritário agora. – Caralho acho que o Gus estava nervoso, acho melhor deixar ele agir, o pai dele chegou a recuar ... gosto disso. –

-Como assim Luis Antonio? Como eu não estou sabendo disso? – O Homem que estava ao lado dele perguntou, eu tinha que falar com o Gus a sós, esse homem que estava ali deveria ser o pai do Vini, eu não tive tempo de saber mais sobre ele, mas já não gostei do que estava vendo. –

- É que bem... eu ia contar mas achei que.....- O pai do Gus estava nervoso o que estava acontecendo?? Tava na hora de eu acelerar tudo. –

- Bem agora que conversamos vamos subir por que estamos atrasados para a reunião. – Já fui entrando no elevador. -

- Que reunião? – o pai dele tinha que perder essa mania de gritar, o cara da recepção chegou a ficar vermelho olhando para baixo. -

- Bom senhor nos encontramos de novo, do Gustavo com o conselho administrativo, mandei que ficassem a nossa espera. – Já falei pra ele saber quem era que mandava ali agora. –

- Como ninguém me avisou dessa reunião, você não podem....

- Bem é só pra mim mesmo papai o senhor não foi convidado, quero saber como estão as coisas depois do senhor levar essa empresa quase a falência, bem vamos subir Claudio quero que isso termine logo e tu assuma tudo. – O Gus tava perdendo a paciência. -

A porta fechou.

- Bem tu entrou com o pé direito Gustavo, daqui a 5 minutos toda a empresa vai saber que tu está aqui e já brigou com teu pai na recepção. – preciso acalmar o grandão. -

- Mas a culpa não foi minha tu viu, depois precisamos saber o que o pai do Vini tá fazendo aqui....- imaginei. –

- Não tinha certeza que era o Pai do Vini, por que? Ele não costuma visitar teu pai? – isso era interessante, me colocou uma pulga atrás da orelha. -

- Isso não sei, mas ele não tava feliz por que meu pai escondeu que eu sou o novo dono, isso eu sei, conheço aquele homem.

O Rapaz da bunda bonita nos acompanhou até uma secretária que nos encaminhou a uma grande sala de reunião, vi que o Gus estava olhando para todos os lados, devia ter algumas lembranças dele por aqui. –

Quando abriu a porta muita gente já estava nos esperando, tinha pedido ao conselho que reunisse toda a diretoria, não gosto de ficar falando aos poucos se era pra resolver que seja tudo de uma vez só. –

- Bom dia senhores, espero que não tenhamos nos atrasado muito. – Vamos lá que tô com pressa. –

- Não senhores, a recepção já tinha nos avisado da sua chegada. – ele era o presidente do conselho pelos documentos era amigo da dona Dafne. –

- Bem vamos sentar gostaria de apresentar aos senhores a diretoria da empresa. – Tomou a palavra o diretor Executivo, quer dizer por enquanto. –

Eu já tinha visto o relatório sobre todos eles mas não sabia quem era a mulher, ela era nova no conselho. Ela não tirava os olhos do Gus, eu não gosto de surpresas, será que era amiga do pai do Gus? Estava bem arrumada, cabelos curtos e óculos de grau. Vi que o Gus começou a reparar nela. –

- Essa então é a nova conselheira e nossa atual diretora de RH, senhora Veronica Linck. – Acho que o diretor não gostava muito dela. -

- Tia Nika??? – o Gus gritou, todo mundo ficou olhando assustado, tia nika? quem era essa, o Gus só tinha uma tia. -

- Achei que não ia lembrar. – ela sorriu pra ele, o Gus levantou e se dirigiu a ela, acho que minhas preocupações estavam resolvidas, mas eu ia ficar de olho nela, e depois conversaria com o Gus sobre tudo. -

- Quando a senhora voltou? Eu não soube de nada, não vi a senhora no velório. – Notei que a senhora ficou triste e emocionada. –

- Eu não sabia de nada querido, ela me visitava regularmente, bem tu não sabe de muita coisa, mas eu não queria mais voltar pra cá, ela não me avisou eu teria voltado correndo, cheguei muito tarde e.... – ela parou de falar quando viu que todos escutávamos a conversa deles. -

- Bem desculpe gente, é que fazia muito tempo que eu não via meu bebê. – Bom começamos a rir ... um bebe de 2 metros mas tudo bem... –

Os relatórios financeiros foram lidos e debatidos, isso me interessava comecei a questionar tudo e claro o Gus tava longe, acho que o foco dele agora era a tia Nika, bem típico dele, quando começávamos a falar em finanças ele ficava em outro mundo. Eu nunca ia entender isso, ele não se preocupava com o patrimônio dele, isso era uma coisa estranha mas eu já tinha me acostumado. –

- Bem e a gora com a expansão nosso faturamento deve aumentar exponencialmente.

- Que expansão?? Não recebi nenhum relatório de expansão. – do que eles estavam falando isso era novidade e eu não gosto de novidades. –

- Deve ser por que as negociações ainda não estão concluídas, estamos na fundação da nova fábrica. – o diretor falou, mas eu deveria ter sido avisado disso olhei pro presidente do conselho eu ia ter que conversar bem de perto com eles. -

- Onde está esse relatório? – comecei a ficar ansioso eu não gosto de surpresas ainda mais quando o pai do Gus estava envolvido na situação –

- Bem vou pedir que providenciem pro senhor. – ele falou -

- Eu quero agora. – Gritei, tá eu sou grosso mas não gosto de ser o último a saber das coisas. –

- Alguém aqui pode me dizer o que está acontecendo aqui?? – puta que merda o pai dele agora, que inferno. -

- Senhor Luís, nós estamos explicando pro seu filho, ou melhor para o seu Gustavo como nossa empresa está em excelentes condições. – sim até esta mas eu quero saber dessa expansão cadê a mulher que não vem com o meu relatório. –

- E por que eu não estou nessa reunião, aliás como vocês vem em uma reunião que eu não convoquei? Bem já sei.....desculpe sou apenas o Dono dessa Empresa, vocês não acham que nada deve acontecer seu eu estar sabendo?? – cara tô com dor de cabeça, cadê essa mulher com o meu relatório. -

- Bem senhor Luís, o Conselho nos orientou e...

- Bem essa reunião terminou pode sair todo mundo. – Olhei pro Gus era melhor ele tomar uma atitude, era o que se esperava dele, os diretores precisavam de uma demonstração de força dele. Afinal ele era o Dono de tudo. –

- Senta todo mundo. – O Gus gritou na hora todos sentaram, ótimo agora ia ficar bom, a senhora me olhou e sorriu, pisquei pra ela. –

- Como tu tem coragem de me desautorizar dentro a minha empresa.

- Tá na hora de acabar com essa palhaçada, Ex empresa papai, EX, isso aqui não é mais seu, é meu, tudo é meu, será que o senhor não entendeu ainda, não tem mais nada, eu estou aqui, eu sou o DONO, e por enquanto estou pedindo que saia dessa reunião nesse momento. – Ótimo, o Gus era um gigante quando ficava nervoso vi que todos os diretores e conselheiros começaram a prestar mais atenção nele. -

- Tu não tem esse direito, tu e esse te...que nojo...teu homem, acham que podem entrar aqui e mandar na empresa que eu construí, na minha empresa, eu tenho 40% tenho todo o direto de ficar aqui. – que ladainha meu Deus tá a gente é gay e daí ... se acostumem com isso, caralho que homem pé no saco, vou adorar dar um jeito nele. O Gus levantou e segurou ele pelo braço, hummm, grandão calma, vi que o velho se assustou não esperava essa reação do Gus. -

- Pois eu lhe garanto que eu posso fazer o que eu quiser, ou o senhor sai ou eu o expulso pra fora da sala, aliás acho que tá na hora de eu saber como o senhor se sentiu batendo e expulsando um garoto que não podia se defender, deve ter gostado. – o Pai dele olhava pra ele apavorado. Caralho ... pipoca pelo amor de Deus. –

- Sai agora, não quero mais te ver na minha frente.

- Eu vou entrar na justiça, eu vou trancar todos os teus movimentos, tu não vai conseguir fazer nada.

- Faz o que tu quiser, mas faz fora daqui, essa empresa foi construída pelo meu avô, tu não é capaz de construir nada, não tem capacidade pra isso, e quanto a tua ameaça papai, tenta me trancar, eu vendo essa empresa que o senhor ama tanto, peça a peça, eu levo o senhor a falência, a banca rota, quero ver quanto vão valer suas ações depois do que eu vou fazer aqui.

- Gustavo, não podemos....- fui obrigado a segurar o grandão, não que a gente não pudesse fazer isso mas os diretores estavam assustados e agora não era o melhor momento ... deixa isso pra mim, tu tem que ser o querido e eu o malvado. –

- Podemos sim Claudio, qualquer movimento desse senhor contra mim, e eu destruo tudo o que ele um dia imaginou ter, eu dou de presente pro seu Daniel a distribuidora, dou essa empresa de presente pros funcionários, quero ver o que ele vai fazer sem a sua querida empresa, eu não preciso disso aqui, eu não preciso de nada que esse senhor pensa que tem, quando eu terminar com tudo, não vai sobrar nada pra ele, nenhum tijolo pra ele dizer que é dele. – acho que o pai dele tava passando mal saiu escoltado pelos seguranças que nem ousaram chegar perto do Gus. –

Pedi um coffe breack de 15 min, o grandão precisava se acalmar, merda cadê meu relatório, daqui a pouco eu mesmo busco. -

- Gus toma esse chá, vai ficar tudo bem, se acalma, ele realmente precisava ouvir o que tu disse. – A Tia Nika ia cuidar de tudo. Finalmente a secretaria me trouxe o relatório, foco e disciplina Claudio. Isso não era bom, quem redigiu esse contrato de criação dessa empresa? Isso não é uma filial de nada, isso não se parece com expansão de nada, preciso explicações maiores e agora cacete. Olhei pra mulher que tava parada na minha frente. –

- Eu quero os advogados da empresa aqui agora. – ela saiu correndo...ótimo. –

NICOLAS

Queria conversar com o Nicolas já tinha na mão tudo que eu precisava.

Tínhamos acabado de voltar de São Paulo, adorei a cidade, era agitada e rápida como eu, acho que morar lá seria muito interessante, fui a trabalho na quinta feira e ele no sábado para sairmos. O Nicolas era um guia fantástico conhecia muito bem a cidade, saímos para o teatro, jantar, musicais, era realmente uma grande cidade.

Entrei em casa, eu realmente já me sentia em casa ficava mais tempo ali do que com as meninas, ele estava na rua era o local preferido do Nicolas. Junto com ele estava a Elisa e um homem moreno, quando fui encontrar com eles notei que o homem e o Nicolas ficaram tensos. O que estava acontecendo?

- Boa noite a todos, Nic... – Esperei ele dizer alguma coisa não sabia quem era o cara a ...o Nicolas me cumprimentou como sempre. -

- Claudio que bom que chegou, estávamos aqui te esperando pra sair e comer alguma coisa. - O Nicolas levantou e me beijou come sempre, mas vi que ele tava nervoso, não era o normal dele, sentei do lado dele como sempre e ele colocou a mão sobre a minha. Vi que ele precisava de um certo apoio por isso segurei a mão dele firme

- Querido quero te apresentar o Rubens filho da Elisa, nos conhecemos a anos, mas ele não tem vindo muito pra cá. Lembra tinha falado do meu afilhado, pois então ainda bem que não puxou ao pai. – Notei que todos sorriram da piada, mas tava tudo muito forçado. -

Cumprimentei ele, tinha uma perto de mão forte, me olhava muito sério, me avaliou dos pés à cabeça, e eu claro...me fudendo pra ele. Vai ficar me cuidando agora...sei.

- Prazer já ouvi falar muito em ti. - o cara tava sorrindo, mas sabe aquele sorriso que não chega nas orelhas completamente forçado. Ele tinha perto da minha altura alguns centímetros mais baixo, era moreno cabelos e olhos escuros, era um homem interessante mas nada de mais, tinha um corpo legal mas nada de academia, devia fazer algum esforço braçal pra manter o corpo ou correr ... vai saber, tinha braços e ombros largos e um rosto interessante, bem masculino. -

- Espero que tenha sido coisas boas. -

- Com certeza seu Claudio. - A mãe dele falou, já tinha pedido pra ela parar de me chamar de "Seu", acho que ela não notava ou não queria notar a tensão no ar, bem vamos deixar as coisas acontecerem.

Sentamos e eles ficaram conversando sobre a infância deles, e me colocando a par dos assuntos, cara eu não tava nem ai pra isso, minha preocupação era a mão do Nicolas que apertava a minha, ele não tava confortável com tudo isso, eu precisava saber o que estava acontecendo.

....

Quando entramos no quarto eu fui direto pro banho tava cansado e a janta tinha sido bem meia boca, não por causa da comida mas sim da situação, enquanto a agua corria pelo meu corpo o Nicolas entrou, ele tava muito silencioso não era o normal dele, peguei a bucha e o sabonete líquido e comecei a passar no corpo dele, ele só me olhava não falava nada era melhor esperar por ele. Saímos do banho e deitamos me recostei no travesseiro e ...

- Vai me contar o que tá acontecendo? E principalmente.....Foi esse cara que te machucou??

Ele ficou me olhando e me abraçou vi que as lagrimas começaram a escorrer do rosto dele eu nunca tinha visto o Nicolas assim...já tinha vontade de achar esse cara e quebrar acara dele.

- Claudio só não me diz que vai embora ...

Abracei ele.

- Não foi ele na realidade foi a situação. Mas isso não tem nada a ver com a gente eu ... – ele tava nervoso. –

- Calma eu tô aqui está tudo bem, não vou a lugar nenhum ..- ele me olhou, cara não gosto de ver ele assimNós éramos novos estávamos descobrindo tudo, ele é meu amigo de infância crescemos juntos, tivemos um relacionamento se é que se pode chamar disso o tempo que passamos juntos ... eu era apaixonado por ele, saíamos com mulheres e acabou acontecendo, foi tudo muito complicado da parte dele, eu por mim assumia tudo mas ele não teve coragem e no final nos separamos, ele acabou conhecendo a atual mulher dele, tivemos algumas recaídas na época mas eu não achei justo a situação, nem com a mulher dele e nem comigo...terminamos tudo como amigos é claro mas eu ainda tenho uma certa magoa dele, ou melhor ainda temos uma coisa estranha as vezes eu acho que ele tem algo pra me falar mas ele sempre foi muito covarde em relação a ser gay, a família deles, a mãe, todos são do interior não aceitariam isso dele, mas enfim....é isso...por isso estou assim. – tem muita coisa embaixo de tudo isso, ele não estaria assim e o cara não estaria daquele jeito a noite toda se tudo já tivesse resolvido entre eles. -

- Mas tu ainda gosta dele? - eu sabia que ele não ia me mentir.-

- Tenho um carinho ... não sei te explicar...ele tem um espaço em mim, no meu pensamento, como algo que não foi resolvido. Só não quero que tu ache que isso vai atrapalhar nossa vida, no que eu sinto por ti, o que temos é muito diferente, eu estou bem contigo não quero que fique achando que ele pode nos atrapalhar...- o Nicolas não sabia mas isso já estava nos atrapalhando, mas vamos deixar as coisas acontecerem. -

- Olha eu sei o que eu quero Nicolas ...mas se tu acha que ainda tem algo com ele e quer tentar eu...

Ele me beijou

- Não Claudio .... fiquei anos sozinho...ou com um ou outro cara...se tivéssemos que ter alguma coisa já teria acontecido...esquece eu tô bem amanhã nós iremos todos almoçar ele vai passar a semana com a mãe e no final de tudo ele vai embora como sempre faz. Só que dessa vez eu não vou ficar sozinho, sei que tu vai estar aqui por mim. – é claro que eu estaria, enquanto ele precisasse de mim, enquanto minha vida não mudasse, enquantoEnquanto tu quiser ou precisar eu vou estar aqui, pode deixar. – abracei ele, o Nicolas precisava se acalmar. -

GUS

- O que houve Claudio??

- Não sei, eu odeio não saber das coisas, tem algo estranho aqui e eu quero saber o que está acontecendo.

- Posso ajudar em uma parte, Gus o teu pai quer fazer uma filial da fábrica em um terreno que fica na divisa da cidade, essa expansão é realmente necessária pelo que eu soube, temos uma demanda maior do que a fábrica é capaz de produzir. – Como necessária? Isso não é uma filial olha esse CNPJ, isso aqui não é uma filial de nada. -

- Teu pai estava negociando esse terreno, o conselho foi contra, queriam um estudo maior. Mas com a doença da Dafne não tinha ninguém pra segurar ele, o conselho não tem poder de veto, só a tua tia, ele se aproveitou disso e acelerou as negociações, eles não tinham o que fazer.

- Assim que cheguei tentei descobrir o que acontecia, mas teu pai é claro nunca fala nada, estou aqui por ordem da Dafne, teu pai pensava que ia ficar com as ações, não contava com a tua aparição aqui. A Alberta me entregou uma carta onde a Dafne me pedia pra cuidar das pessoas da Fábrica, eram no fundo quem realmente importava pra ela, me deixou o cargo por escrito, sem negociações com ninguém, era uma ordem direta dela, ninguém contestava eu só tive que chegar e assumir. Levei muito tempo pra tomar pé de toda a situação tu sabe que são muitos funcionários. Eu ia falar contigo mas era muita coisa pra absorver, tudo muito bagunçado, tive que criar um novo sistema aqui. Mas agora que vocês estão aqui vai ficar melhor tenho certeza.

- Por favor peça pra todos entrarem. - A secretária da diretoria saiu correndo e foi chamar o pessoal que estava tomando café em outra sala. -

Quando todos estavam sentados.

- Eu quero informações sobre essa expansão, quem pode me dizer algo?

Todos ficaram em silencio assustados, eles iam ficar pior se não me falassem nada. Olhei pro Grandão, ele me entendeu. -–

- Bem senhores vejo que não posso contar com essa diretoria, se eu não descobrir o que está acontecendo hoje, amanhã os senhores não precisam mais vir para trabalhar, vou pedir a senhora Nika que pessoalmente prepare a demissão dos senhores, está na hora de escolherem um lado. – ótimo isso ai Gus. -

- Seu Gustavo nós realmente não sabemos muita coisa, o seu pai nunca falou exatamente o que estava acontecendo, nesses últimos dois meses só sabemos que ele acelerou o processo da construção da filial, a prefeitura já liberou o alvará e os papeis da nova filial estão quase prontos. – começaram a cantar, acho que eles não queriam perder os empregos.

Fiquei lendo os relatórios tinha a assinatura de muita gente estranha vi algumas liberações de alvará e documentação mas isso fazia muito pouco tempo, tava muito acelerado isso, nenhuma prefeitura libera essa documentação sem um incentivo. Merda o que está acontecendo. –

- O Material para a construção está sendo comprado, e a fundação já está feita, a maquinário está sendo comprado, deve chegar em alguns dias. – rápido demais...rápido demais, não tô gostando comecei a ler o documento do terreno onde é isso? -

- Espera, com que permissão ele fez tudo isso se minha tia estava de cama? – ótimo Gus nada podia ser feito sem assinatura dela. -

- Bem senhor ele é o diretor executivo e dono da empresa, nós não achávamos que ele precisava de autorização de ninguém, ele sempre mandou em tudo, principalmente por que sua tia estava doente, alguém tinha que resolver as coisas. – que merda bando de gente medrosa. -

- Tá tudo muito estranho, esses papei aqui não dizem muita coisa, é como se tudo estivesse sendo feito rápido demais. Com que dinheiro ele fez tudo isso, não acho que o banco ia liberar dinheiro sem a autorização da tua tia, os bancos não agem assim. – sei bem isso, a burocracia é imensa ainda mais quando era um valor tão alto como eu estava vendo, o engraçado é que eu vi que tinha o nome do pai do Vinicius junto, mas eles não eram sócio nessa empresa? O que tava pegando, comecei a ver os valores, esses imóveis que foram dados como garantia pelo empréstimo no banco não são da empresa e muito menos da tia do Gus isso eu tenho certeza, mas acho que eu conhecia o endereço, pensa Claudio pensa. –

- Com licença senhores, pediram que eu viesse aqui? – era um cara de óculos cabelo engomado e terno, caralho eu ia matar esse cara se eu não tivesse explicações no mínimo razoáveis. -

- Por favor sente-se. - Era o chefe dos advogados da firma. -

- Queremos saber onde estão os verdadeiros relatórios sobre a expansão da empresa esses que me deram não dizem nada – isso aqui me cheira a enrolação tudo aqui é pra esconder algo, isso não tá me caindo bem na garganta....vamos lá carinha fala. –

- Bem senhores isso é confidencial o seu Luis não autorizou que falássemos sobre nada com ninguém. – ok primeiro a ser demitido. -

- O senhor sabe quem eu sou?

- Bem, é o filho dele pelo que estão falando aqui na empresa.

- O que mais sabe sobre mim. – o Gus não tava legal era melhor ele começar a falar, esse nome do dono do terreno não me é estranho. -

- Bem senhor nada, só o que dizem. – ele não me olhava direto, não gosto disso. -

- E o que dizem?

- Que o senhor quer fechar a empresa, e que seu pai está brigando com o senhor na justiça, mas que seu pai não vai deixar. – que merda era essa, tenho que saber sobre isso depois, primeiro ... foco Claudio ...foco. –

- Bem eu vou lhe contar então, e o senhor descobre se pode ou não me falar o que eu quero, eu tenho 60% dessa empresa, os papeis da herança da minha tia estão todos aqui para o senhor ler, e se o senhor não falar tudo que eu quero saber, hoje o senhor vai estar sem emprego e eu farei questão de que ninguém mais contrate o senhor nessa cidade, estamos entendidos? – O Gus estava encarando os conselheiros e a diretoria eles viram que a coisa estava ficando preta ... o Gus levantou. –

- Sim senhor, claramente, bem os documentos estão com o seu pai, mas eu posso mandar pro seu e-mail todas a copias dos contratos e relatórios.

-Agora. - Merda preciso de informações maiores, mas esse nome cacete conheço...isso aqui não é uma filial isso aqui é uma empresa que tem por sócios o pai do Gus e o pai do Vini não gosto disso comecei a ficar nervoso, mas as contas eram pagas pela empresa, como estavam fazendo isso sem a autorização da tia do Gus, eu não vejo o nome dela em nada e como os conselheiros não estava sabendo disso? -

Algo podre está acontecendo peguei o contrato da empresa comecei a ler em voz alta, o Gus precisa acompanhar, é um valor alto isso não tava no caixa da empresa de onde saiu esse dinheiro? ... a menos que...olhei os imóveis que estavam sendo garantia, a casa do pai do Gus, do pai do Vini terrenos no nome dos–

- Ok, mas de onde meu pai conseguiu o dinheiro? Já que sem a autorização da minha tia o banco não ia liberar. – acho que já sei de onde saiu o dinheiro. Mas o dono do terreno não me é estranho, tinha o mesmo nome do Gus mas não era ele. –

- Senhor, o advogado dele é que preparou tudo, mas eu sei que o gerente do banco sabe o que aconteceu por que ele conversava com seu pai. – O advogado da firma falou -

- Tia Nika eu preciso falar com esse Gerente. – comecei a perguntar pros diretores, como esse dinheiro era pago e ninguém sabia de nada, eles ficaram nervosos tudo tinha a ordem do pai do Gus assinada, se tinha merda isso era ótimo, eu poderia culpar ele com essas assinaturas, -

- Bem, o terreno é da propriedade de alguém chamado Gustavo Lessa Porto. – Falei em foz alta eu conhecia esse nome.... –

- Espera repete pra mim. - o Gus falou alto, repeti pra ele. –

- Claudio esse é o Tavinho, o que está acontecendo?

Merda.

FABRICIO

Estava chegando na cidade do Fabricio, fazia tanto tempo que eu não via ele.

Tinha conversado com o Nicolas, ele sempre soube do Fabricio e da minha preocupação com ele e a criança. Minha relação com ele era baseada na verdade, eu realmente gostava do Nicolas ele sabia disso ou eu não estaria com ele, minha cabeça tinha seguimentos e espaços para tudo, assim como meu coração. No meu coração tinha espaço para meus amigos e meus amores, o Nicolas agora ocupava um grande espaço dele, mas ali tinha um cantinho especial pro Fabricio, sempre teria.

Da minha conversa com o Nicolas me veio uma certeza ele era o homem certo para a minha vida nesse momento. Eu sabia que o coração dele tava machucado por algo do passado, sabia ou intuía isso, aprendi que tenho um certo ... Pressentimento vamos dizer assim para saber essas coisas.... Eu ia descobrir tudo, mas agora eu precisava conversar com o Fabricio saber dele, as meninas me deram as coordenadas ele tava trabalhando em uma pequena oficina. Eu tinha o telefone dele, mas achei melhor não ligar eu não sabia se ia ter coragem de falar com ele, achava que só ver o Fabricio e saber que ele tava bem seria o suficiente, era sábado e ele estaria trabalhando, as meninas já tinham vindo visitar ele a meu pedido eu queria saber se ele tava bem, elas me mantinham informado.

Mas meu coração estava acelerado, minha garganta seca.

....

Healer - Tambem acho...o Claudio sempre muda de assunto quando recebe um elogio...concordo contigo...abração

Guigo - Hummm o Edgar vamos trabalhar daqui apouquinho ...abração

Nayara - Daqui a pouco vamos saber dele...rsrsrs abração

Geomateus - SIm ele adora atormentar o povo....rsrsrsr abração

raftxv - Oi querido olha não quero falar nada...rsrsrsr

Suara - Sim agora tudo começa a enrrolar..ficando cada fez mais complicado...bjao guria

pandinha - oi querido - sim amor tudo volta ao normal só temos a prender com essas situações bjao nao desaparece...abraço

Santinha rn - hummm noticias do Fabricio...rsrsrs bjao

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/03/2018 14:24:22
Cap. 10. Cada dia mais interessante a história do Gus contada pela visão do Claudio...Sempre aparece um Ex pra mexer com o sossego do casa e parece q o Nicolas balançou um pouco...Esperando ansiosa o reencontro do Claudio e do Fabricio. Bjs qrdos e bom findi.
22/03/2018 00:00:19
Apesar de saber como é a história do Gus e do Vini, é muito legal ver sobre a ótica de Claudio. De Porto alegre, li todos os teus contos, do Toro, Monte e Bear, e amei todos, e inclusive por ser de pessoas reais, as histórias são lindas, principalmente Leo e Toro.(1) e no wattpad mesmo nick uso como leitor.
21/03/2018 12:56:00
Adorei a atitude do Gus com o pai e os diretores, vc Claudio é bem esperto consegue sentir um clima estranho no ar......
21/03/2018 09:24:52
Abração. Adorando mais e mais.
21/03/2018 01:48:15
Apesar de saber como é a história do Gus e do Vini, é muito legal ver sobre a ótica de Claudio. De Porto alegre, li todos os teus contos, do Toro, Monte e Bear, e amei todos, e inclusive por ser de pessoas reais, as histórias são lindas, principalmente Leo e Toro.