O colega de AP - O trato

Um conto erótico de FerBachell
Categoria: Homossexual
Data: 19/03/2018 21:01:48
Nota 8.33

Eu fiquei estático e não sabia o que fazer ou como agir e por um momento me senti muito envergonhado, mas foi uma surpresa quando o Maurício tomou a frente e disse” Haa Augusto vc não para aqui cara, nem fica sabendo das coisas, eu curti o cara novo, ele me curtiu e a gente deu uns pegas aqui na sacada mesmo, sabe como é o Tesao” e nisso eu já tinha vestido o short e o Maurício ainda Nu com o pintao mole balançando e com uma cara de macho sem vergonha, desses que não tem nenhum problema em ficar Nu em lugares públicos. O Augusto disse em tom mais baixo “Só gostaria que essas putarias fossem feitas no quarto Maurício, isso aqui não é um Bordel” e o Maurício ainda Nu e bem petulante disse “eu to em casa e faço o que eu quiser onde eu quiser, nao sei o que vc quis ficar olhando Augusto, ou vc gostou?!” O Augusto ficou sério e disse “a gente vai ter que conversar e você também Fernando, e não Maurício, não gostei do que vi e não gosto de Viado” virou as costas e saiu. O Maurício ficou puto, queria ir tirar satisfação e eu o segurei, falando pra largar mão, o Augusto tava com a razão, apesar da ofensa.

Mas aquela postura do Maurício me surpreendeu, ele tomou a dianteira e se colocou no mesmo barco que eu, sem se preocupar com o que o Augusto iria pensar, falei pra ele se vestir, ele nem sequer tinha caído em si que ainda estava Nu em pele, ia saindo e ele puxou o meu braço, eu me virei, ele olhou no fundo dos meus olhos e disse “ Foi incrível, foi uma experiência e tanto pra mim, a primeira vez que chupei um cara e to feliz que foi vc Fernando” eu fiquei sem reação, ele me puxou pra perto, me abraçou e do nada me lascou um puta beijo, foi um beijo de ternura e diferente do beijo de antes, que era de tesao puro, este foi mais calmo e igualmente gostoso.

Eu olhei pra ele e sem saber o que dizer, falei em um tom descontraído: ” foi muito bom, apesar de vc ter me seduzido” e Ri, ele riu e vestiu o shorts.

Eu fui entrando pro quarto, precisava de um banho.

No outro dia logo pela manhã bateram na porta, eu fui abrir e era o Augusto, que me disse se podíamos conversar. Ele iniciou bem friamente e foi curto e grosso: “Apesar do nosso contrato, vc sabe que existe a cláusula de (fato grave), e eu penso que o que eu vi foi grave e não faz parte de uma vivência saudável dentro da moralidade que eu quero nesse apartamento, por isso, quero que vc desocupe o quarto” (eu fiquei olhando incrédulo e pensando em como é a vida, onde até há algum tempo atrás eu estava vendo justamente essa brecha no contrato pra poder me mudar e agora o Augusto estava ali na minha frente, pedindo pra eu sair do apartamento... é vida quanta coisa a gente aprende), olhei pra ele e disse “Ok Augusto, sem problemas, também de acordo com o contrato, após o pedido pra desocupar, eu tenho 30 dias pra me mudar, mas pode ficar tranquilo que não pretendo usá-lo, vou sair o mais rápido possível” e ele finalizou ”eu agradeço”.

Fechei a porta antes que ele se virasse para sair, tirei o shorts e deitei na cama pensando em que fazer? pra onde ir? E o Maurício? Será que iria sofrer a mesma penalidade? Eram um turbilhão de perguntas. Mandei um WhatsApp pra ele contando o que o Augusto havia feito e quase que instantaneamente ele estava na minha porta, abri, ele entrou e eu estava apenas de cueca, ele já me abraçou apertado, deu uns beijos no meu pescoço e disse “para onde vamos?” Aquela pergunta caiu como uma bomba, como assim? Ele queria morar comigo?! era isso mesmo que eu tava ouvindo e ele continuou “pra onde vc for, se vc permitir, eu gostaria de ir com você, a gente divide um AP menor e mais barato, mais igualmente bem localizado e vamos seguindo juntos Fernando, não quero perder o contato com você, sinto que vc será e já tá sendo um divisor de águas na minha vida” e novamente me abraçou, deitou a cabeça no meu ombro e eu nem tava crendo naquilo, de repente o Maurício estava se mostrando um cara Xonadão ou tava apenas tentando me comer?! Eu fiquei confuso e pelo momento disse que não sabia, que tínhamos que procurar, mas que sim, ele poderia dividir o AP comigo. Ele ficou alegre e voltou a me abraçar dando beijos de leve no meu pescoço e passando a mão no meu pau, eu já tava durasso, quando ele me empurrou na cama, baixou minha cueca e começou a me chupar, passava a língua na cabeça do meu Pau e me olhava com aqueles olhos verdes, tentava engolir tudo, colocou as bolas inteira na boca a batia uma punha de leve no meu pau, quando senti ele levantando lentamente as minhas pernas e sua língua descendo, quando tocou com a ponta da sua língua a entrada do meu buraco, praticamente levei um choque, ele levantou mais as minhas pernas e eu fiquei completamente exposto e ele começou a linguar com vontade, que tesao, que delicia, meu ânus meio que se abriu diante da língua dentro e senti ele colocar o dedo indicador que entrou fácil, eu tava doido de tesao, foi bom demais a penetração, ele começou a me comer com o dedo e voltava a meter a língua, que incrível a sensação, quando ele volta a mamar no meu pau e ao mesmo tempo metendo agora dois dedos em mim, porra, eu não tava sentindo dor, ele realmente sabe o que fazer, tava muito gostoso, quando ele tira a bermuda e vem pra cima com o Pau Durão, me deu uns beijos e manteve as minhas pernas levantadas, senti aquela cabeçona encostar de leve bem na minha entrada, senti a desproporção daquela tora para o tamanho de onde queria entrar, me assustei, não ia permitir aquilo, forcei a perna pra baixo e recuei ele, que deu uma risada, veio me beijar e disse “libera pra mim, vou fazer com cuidado, vc não vai sentir dor, prometo” eu limitei a dizer “não faça promessas que não pode cumprir ‘champs’” ele riu e voltou a me chupar, eu falei, “ se gostou né?! de mamar no Fernandão aqui....” Ele disse “ demais, é muito bom Fernando, seu pau é uma delicia cara, quero todo dia” dando uns beijos na cabeça do meu pau, olhou novamente pra mim e disse: igual vc quando me sentir todo dentro de vc, vai ficar viciado, vai querer todo dia” e voltou lá pra baixo colocando dois dedos e forçando meio que me comendo com os dedos, confesso que tava bom pra caralho, mas fiquei imaginando que se desse pra ele, não teria volta, aquele Pau faria um estrago, me deixaria aberto demais, imaginando a força que ele meteria depois de tá dentro, eu ficaria como diz alguns ‘Arrombado’, quando pego no pau dele, minha mão fecha com dificuldades, é mais Grosso que meu desodorante, não, definitivamente não rolaria. Falei pra ele, não vai rolar Maurício, não vou dar pra vc, seu pau não vai entrar e forcei a perna pra baixo, ele me olhou com uma cara de incredulidade e meio que amoleceu na hora e caiu do meu lado na cama e falou “ cara, vc é o primeiro Viado que faz jogo duro pra minha pica, todos ficam louco pra ser arrombados por mim e vc nessa frescura” aquelas palavras foram fortes e soaram completamente frias e por um momento veio na cabeça que ele só queria me comer mesmo, aquela coisa do desafio e tal, meu pau amoleceu na hora, falei em um tom alto “ cara, eu sou ativo mano, e na boa, vc é igual a mim, com a diferença que você só quer me comer e eu tava achando que vc tava sendo sincero, quando disse gostar de mim e fui levantando, quando senti uma chave de braço no meu pescoço meio forte, e o corpo dele atrás de mim, na hora eu fiquei imóvel e disse rapidamente e um tom mais sério que um ‘serial Killer’ “o que vc tá fazendo Maurício?” Quando ele me disse com uma voz estranha “eu gosto de vc filho da puta, vc é o único cacete que eu chupo porra, para de drama...” só olhei de rabo de olho pra ele e disse “Me Solta” ele foi soltando devagar, meu pescoço tava dolorido pela força da chave de braço que ele deu, falei bem pausadamente “ Bixo, essa é a primeira e última vez que vc faz isso mano, se ter uma próxima, a gente vai cair na porrada e não queira cair na porrada comigo, vc tá avisado!” falei com o olhar penetrante e muito frio. Ele meio que ficou sério e assustado com minha reação e na hora me pediu desculpas, que havia feito por impulso pq queria meu corpo perto do dele e que tinha ficado com raiva por ter sido rejeitado. Falei pra ele que não o tinha rejeitado, apenas que não iria ser arrombado. Foi quando o fdp fez a proposta mais indecente do mundo... ele vem pra cima de mim, me abraça, começa a me beijar, me elogiando, falando que eu era assustador quando falava daquele jeito e que ele tinha ficado mais excitado ainda, quando se aproxima e diz “ vamos fazer um combinado Fernando, vc tem um pau grande tbm, eu deixo vc me comer, deixo vc colocar pra dentro, tirar minha dignidade e ria, e depois vc me deixa fazer o mesmo com você, com a diferença que eu sei que vc não é mais Virgem” na hora eu olhei pra ele e falei de onde ele tirou que eu não era Virgem e ele disse: “eu senti”. Falei pra ele, vamos fazer outro trato, eu te como, vc gosta, fica louco pra ter pica dentro sempre e a gente segue assim, que tal ?!”

Ele me disse: “Eu topo seu trato se vc topar o meu trato” eu fiquei reflexivo e olhando pra ele firmemente, disse calmamente... não topo. Eu curto o que vc quiser, menos te dar. Eu já havia dado uma vez, era verdade que não era mais Virgem e tinha sido muito bom, mas o pau do cara, apesar de grande, era fino, e me deu um tesao inexplicável, sem me deixar arrombado, sei lá, fiquei com isso na cabeça e tinha certeza que com o Maurício não seria bom e eu ficaria com um buraco na Bunda, definitivamente eu não queria aquilo.

Puxei ele pra perto, dei um abraço aperto nele, ele tá tão cheiroso, falei no ouvido dele, vamos fazer isso acontecer sem penetração mano, se vc quiser comer outras pessoas, tudo bem por mim. Quando ele se separou e disse: “mas pra mim não, não consigo nem pensar em vc estar com outro cara, não aceito”. E continuou: “ se vamos morar juntos, eu vou querer sexo, nem que eu tenha que te dar, eu quero sexo. Eu aceito seu trato.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/09/2018 20:26:55
parece que o autor desistiu de continuar;/
09/09/2018 20:24:55
Cadê a continuação????? O conto morreu mesmo??????? :(
09/09/2018 20:24:00
Cadê a continuação? O autor matou o conto na melhor parte :(
21/07/2018 22:50:16
o autor abandonou mesmo esse conto
27/05/2018 18:43:10
Gente!! Que reviravolta, continua!
05/05/2018 11:50:32
Cadê a sequência?? Quando postar novamente será necessário reler tudo
20/04/2018 22:50:29
É pena a demora! O conto prometia, mas assim os leitores esquecem-se do enredo e desinteressam-se da história... Mal empregado o desperdício de talento!
07/04/2018 14:54:37
contínuaa
20/03/2018 19:33:39
inicialmente, o título do conto não me despertou muito interesse pois não sugeria uma sequência de capítulos. Só comecei a ler depois de me aperceber desta. Todas as quatro personagens estão incrivelmente bem caracterizadas e com uma consistência psicológica muito real. Os duelos de afirmação de virilidade são o quotidiano nas abordagens homossexuais centradas apenas na atração sexual entre machos. Só o tempo e o amor é que nos desarmam, permitindo-nos uma reciprocidade de posse e entrega, que só quem nunca amou a pode negar. Parabéns e continue!
20/03/2018 13:19:08
Fer, você demorou a postar, mas a espera foi compensada com este capítulo. Maior tesão. Continue, por favor.
19/03/2018 23:04:02
Dá logo Fernando deixa de drama, vc vai gostar da coisa.kikkkk
19/03/2018 21:56:02
uma reviravolta!será que vão sair mesmo do ap?e o Cássio?muito bom!