Em um Albergue em Lisboa

Um conto erótico de contosdeumcasal
Categoria: Heterossexual
Data: 17/03/2018 21:48:42
Nota 10.00

Essa é uma história verdadeira, aconteceu comigo (A.) e meu namorado (E.) há pouco mais de um ano. Era nossa primeira viagem juntos desde que começamos a namorar. Fomos à Lisboa, Portugal.

Achamos um albergue muito bem localizado, chamado Sunset, no centro de Lisboa, na estação do Cais do Sodré.

Não havia nenhum quarto privado e o melhor quarto era um misto, com banheiro privado, para 6 pessoas. Concordamos que seria a melhor opção.

Chegando na cidade, resolvemos ir direto para o albergue, pois estávamos muito cansados da longa viagem.

Era um albergue bem arrumado, um pouco diferente, por ser dentro de uma estação de trem. Tinha uma área externa com piscina e uma vista muito bonita do rio.

Após conhecer toda a estrutura, fomos direto para nosso quarto, do qual tinha 3 beliches sendo as nossas camas na parte de baixo, em beliches diferentes. O bom é que havia uma cortina em cada cama, que não tampava tudo, mas dava privacidade para poder deitar e dormir.

Era por volta de 14h e o quarto estava cheio, eram 2 americanos e um casal de asiáticos.

Demos um oi para todo mundo e conversamos um pouco, pois fomos os últimos a chegar. Na cama acima da minha, ficava um dos americanos, e na do meu namorado o asiático.

Mesmo afim de conhecer a cidade, estávamos muito cansados e assim decidimos descansar antes de sair. Já que iríamos apenas tirar um cochilo, deitamos na minha cama, e fechamos a cortina. A princípio só para descansar.

Ele logo caiu no sono, pois mal tínhamos dormido no avião, mas mesmo assim, eu não conseguia dormir.

Não sei explicar, mas ficar naquela cama estreita, de conchinha, num quarto cheio de pessoas estranhas em um país que eu tinha acabado de chegar e do qual ninguém me conhecia, me deixou um pouco excitada.

Enquanto ele dormia, me virei, pus minha mão por dentro de sua calça e comecei a masturba-lo. Comecei mais devagar, bem gostoso, que o fez acordar com tesão.

Ele acordou um pouco confuso, mas me lançou um olhar bem safado, um pouco inesperado por aquilo, mas claramente gostando, fazendo-o logo entrar no clima.

Primeiro ele checou as cortinas, tentando fechar ao máximo e logo depois começou a me beijar, tirando a minha roupa. Lembro que estava com um sutiã de renda, azul, que ele amava. Em seguida, tirei a sua roupa também.

Ficamos nos beijando, mas não resisti por muito mais tempo e fui para cima dele. Coloquei meus peitos, rosadinhos, em sua boca para que chupasse. Assim o fez, bem gostoso o que me deixou mais excitada.

Comecei a rebolar em cima do seu grossinho (eu chamo assim pois seu pau é bem grosso), bem devagarinho, sem deixá-lo entrar, para que pudesse sentir o quão molhada eu já estava. (E) não aguentou de tanto tesão e enfiou com tudo na minha lisinha (Por eu ser toda depilada, é assim que chamamos).

Foi quando eu dei uma leve gemida, mas tínhamos que ser cuidadosos para não balançar a cama de cima nem fazer muito barulho para que ninguém percebesse.

Eu mexia devagar, rebolando meu quadril (que ele ama, e até me chama de “minha ancudinha”) em cima dele. Pus uma de suas mãos em minha cinturinha, e a outra na minha boca, para eu chupar e me ajudar a não gemer também.

Enquanto transavamos, ouvimos o americano descer da cama. Ele começou a conversar com seu amigo, não dava para entender muito bem o que falavam, mas sabíamos que estavam muito próximos da nossa cortina.

Meu namorado olhou pelo vão da cortina, conseguindo vê-los, e falou bem baixinho “eles sabem com certeza, então vamos fuder bem gostoso para que fiquem com vontade”. Foi aí que ele começou a me foder mais forte.

Eu chupava seu dedo, depois me inclinei em cima dele, e mordi seu pescoço, ainda na tentativa de não gemer, o que, claro, foi nos dando ainda mais tesão. Eu sentia seu pau inteiro dentro de mim, o que me fez rebolar ainda mais, por um belo tempo, até gozar. Parei de morder seu pescoço e perto do seu ouvido disse: “todo mundo agora sabe o quanto você me fode bem gostoso”. O que o fez ficar com muito mais tesão. Foi quando ele falou que iria gozar.

Sai de cima dele e comecei a chupar o grossinho, com minha boca bem molhada enfiando tudo na minha boca até o fundo da minha garganta.

Até que ele encheu minha boca com sua porra, bem quente e gostosa.

Assim que terminou de gozar, tirei minha boca, para mostrá-lo o quanto tinha gozado (que foi muito) antes de engolir todo o seu gozo.

Só assim, depois de ser fodida bem gostoso, que consegui descansar e recarregar minhas energias para conhecer a cidade lusitana.

Essa foi a nossa primeira transa em portugal, claro que tivemos outras, mas aí são outras histórias.

Espero que gostem e comentem,

Nosso e-mail é: contosdeumcasal@gmail.com,

Beijos,

A. e E.,

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
25/09/2019 15:02:07
Muito bom inicio. Adorei. Aguardo continuação.
07/11/2018 12:05:05
Muito boa nota 10
18/03/2018 00:34:59
Excelente continue