Cap 1 Verdade ou Consequência

Um conto erótico de Serie
Categoria: Heterossexual
Data: 16/03/2018 23:55:35
Nota 9.67

Bom la vamos nós... esse será o primeiro conto de toda uma seria da minha trajetória sexual. Da minha adolescência virgem, ate minha juventude depravada!

Me chamo Cass(meu nome será fictício para me preserva, mas todos os outros nomes e as histórias são reias), tenho 25 anos, 1,69m de altura, moreno, magro de cabelos pretos longos.

O contos que vou contar aconteceu quando eu tinha 13 anos de idade. Eu morava em um bairro bem tranquilo e era uma época boa. Nostalgia total dauele tempo em que minha preocupa era apenas ir pra escola e tirar boas notas. Vivia jogando bola na rua de casa com os amigos, e assistia dragon ball Z...punheta? Nem sabia o que era isso... ó tempo bom!

Certo dia jogando bola na rua com os amigos, um caminhão chegou na rua de casa, eu e os meninos paramos para ver quem estava chegando. Logo de cara desce uma garota angelical, me apaixonei na hora. Ela tinha cabelos castanhos claros, branquinha, de olhos verdes magrinha, mas tinha um belo bumbum. Na hora eu e meus amigosnos entre olhamos e ficamos todos sem reação, ate comentavamos que ira ficar com ela. Logo em seguida os pais dela vieram em outro carro, e com eles veio tbm a irmã dela. Essa se chamava Rayanne( a outra se chamava Paula). Rayanne era a mais velha, tinha 15 anos, morena dos cabelos pretos lisos e compridos. Tinha uns seus seios bem avantajados. Era gostosa demais. Mas não dei tanta importancia para ela, pensava mais na Paula. Enquanto estamos la com cara de bobo olhando pras meninas, o pai delas olhou pra mim e me chamou.

-Psiu ei menino... - na hora comecei a tremer achei que ele tinha sacado que estamos olhando para as filhas dele.

- Senhor? - respondi eu.

- Pode vim aqui ajudar com a mudança?

- Sim posso sim.

- Chame ai os meninos também. - quando olhei pra trais não vi ninguem comigo, os meninos tinham dado no pé rsrs

Ajudei eles a descarregaram o caminho, assim que terminei seu Marcone o pai das meninas agradeceu pela ajuda e apresentou a família. Primeiro me apresentou a Rayanne, ela estava me encarando, fiquei sem entender. Depois ele me apresentou a Paula, ela tinha 13 anos, a mesma idade que a minha na época. Ela estava tímida. Fiquei sabendo que elas iriam estudar no mesmo colégio que eu estudava, fiquei empolgado. O tempo passou e ganhei muita aproximidade com elas, porque a casa delas era colada com a minha, e o que separava era as nossas casas era um muro baixo um pouco maior que 1,50m de altura. Toda a noite a gente se encontrava pra conversa, as vezes quando o pai delas ia trabalhar(ele era segurança e trapalhava noite sim e noite não) a gente pulava o muro pra ficar mais juntos. Em uma certa noite a gente estava la no muro conversando e esperando o pai delas ir trabalhar.

-Ele ja foi - falou Paula ja pulando o muro pra minha casa junto com a irmã.

-Seus pais não estão em casa hoje cass? - perguntou Rayanne.

Não, eles foram pra igreja. - Respondi eu.

-E você esta sozinho? - continuo perguntando a Rayanne.

-Não, meu irmão ta ai também. Mas acho que ele esta dormindo. -

Huuumm. - As duas suspiraram ao mesmo tempo, e depois começaram a rir. Eu fiquei sem entender nada.

Vamos brincar de verdade ou consequência! - Falou Rayanne ja pegando um pedaço de madeira quebrado no meu quintal e colocando no nosso meio. Na hora fiqei meio tremolo, pq eu sempre via os meninos mais velhos na escola brincando disso com as meninas, eles davam altos beijos de lingua, e pensei logo: “Cara, eu nunca beijei alguem além da minha prima, e quando beijei ela eu tinha uns 11 anos e foram apenas selinhos.” To ferrado pensei!

Paula pegou o pedaço de pau e virou, apontou pra mim.

Verdade ou consequência? - perguntaram as duas, com um cara de quem estavam pensando safadeza.

Respondi verdade(oooh como eu era inocente) vi ate o desanimo na cara de Rayanne.

-Você ja beijou uma menina? - perguntou Paula.

-Sim claro, varias! - Respondi meio acanhado.

- Minha vez! - Falou Rayanne girando a madeira. Novamente caiu em mim. Mas uma vez respondi que queria verdade. Rayanne olhou pra Paula e deu um sorrisinho.

-Qual de nos duas você quer beijar agora? - e ficou me encando. Fiquei nervoso e mal sabia o que responder.

-Vai Cass, diz! Qual da gente tu quer beijar? - Indagou Paula sabendo meu nervosismo.

Respondi meio gaguejando que as duas. Elas se olharam e começaram a gargalha. Fiquei total sem graça e ate bolado. Peguei o pau e rodei. Caiu em Rayanne. Ela ja foi dizendo: Quero consequência!

Meio no nervosismo disse: Quero que você me der um beijo na boca!

Ela sorriu, e pareceu ter gostado da minha atitude. Dando de ombros ela respondeu “ta bom” e me deu um beijo de língua. Cara, eu mal acreditava naquilo, apenas estava sentido a língua quente dela entrar na minha boca. E ficamos nos beijando por um tempinho, ate que Paula disse: Chega! - Pegou o pau e rodou. Novamente caiu em Rayanne.

Quero que você pegue no bingulim de Cass - Falou ela com um sorriso de safada para a irmã. Eu regalei meus olhos para Rayanne, e ela sem pensar duas vezes pegou no meu pau, ficou duro na hora. Ela percebendo falou: Hum, ele ficou animadinho Paula! - E começaram a rir as duas. Eu ja tava começando a gostar da brincadeira, e tava querendo muito que dessa vez o pau apontasse pra Paula. Rayanne girou e dito e feito, caiu em Paula.

-Paula eu quero que você, que você enquanto beija o Cass, acaricie o pau dele por dentro da bermuda!!! - Falou Rayanne olhando seriamente pra Paula. Eu fiquei sem reação total.

-Ai, Rayanne isso ja ta demais, eu posso fazer por cima.

-Nada disso. Vai ser por dentro, e nem venha fugir, começou tem que termina. Não é verdade Cass? - e olhou pra mim com uma cara de safada que me deu muito tesão. Eu nunca tinha batido uma punheta antes, nem sabia como funcionava. Eu nunca tinha gisto um filme porno ou um video. Apenas tinha visto algumas foto de mulheres peladas. Mas nunca tinha feito coisas desse tipo antes.

-Eu nem sei. - respondi meio sem jeito. Mas queria que aquilo acontecesse.

-Olha ai ta vendo, ele não ta nem afim - retrucou Paula.

-Ta afim sim, que eu sentir o pau dele durinho, igual essa madeira - falou Rayanne rindo, ate fazendo que a Paula risse também.

-Vai Paula deixa de frescura!

Paula meio sem jeito me olhou e perguntou:

-Quer que eu faça isso?

-Se você quiser eu quero.

Ela veio para perto de mim, e me deu um beijo enquanto começou a descer com a mão pela minha barriga ate chegar em cima do meu pau. Eu ja estava com ele latejando, um puta tesão, quase explodindo da bermuda.

-Nosso realmente ele ta muito duro! - falou Paula pra Rayanne.

-Eu não disse. Cass, tira ele ai pra gente ver?

-O que??? - perguntei como se não tivesse entendido.

-Coloca ele ai pra fora pra eu e a Paula ver!

Encarei elas por um tempinho, e vi que elas realmente estavam querendo aquilo, a Paula que antes estava meio sem querer, agora tava com cara de quem queria me devorar.

Meio sem jeito abri o botão da bermuda, olhei pro lado e pro outro e coloquei pra fora. Bom confesso que ele não era tão grande, mas também eu tinha 13 anos rrsrs.

-Huum que delícia. - Rayanne falou lambendo a boca enquanto me olhava com cara de safada.

-Vai paula pega nele e bate uma, igual naquele filme que a gente viu. Quando a pau tocou no meu pau, eu fui nas nuvens. Que puta tesão eu estava. Meu pau começou logo a baba. Ela começou com um movimento bem devagar.

-Lembra que tem que cuspir! - Falou Rayanne

-Eca Ray! Eu não vou cuspir não.

- Meu Deus! - Rayanne ja agoniada pegou meu pau da mão de paula e deu uma cuspida. Na hora achei meio nojento, mas depois que ela começou o movimento... não aguente e comecei a gemer de tesão.

-Beija ele enquanto eu fico aqui!- Paula começou a me beijar, enfiava e tirava a língua. Enquanto Rayanne cada vez mais rápida acelerava o movimento. Eu ja não tava mais resistindo, algo dentro de mim estava explodindo. Eu estava sentindo um queimor enorme e uma sensação muito gostosa que nunca tinha sentido. Paula chupava minha língua freneticamente, ate que eu não conseguir mais segurar algo dentro de mim. Gozei! Gozei pela primeira vez. Parecia que tinha explodido uma bomba. Rayanne começou a rir enquanto segurava meu pau. Quando Paula viu também começou a rir. Depois elas ficaram olhando co cara de curiosas. Ele fiquei meio sem entender o que era aquilo.

- O que é isso? - perguntei meio ofegante e sem entender nada.

-Teus espermas. - Falou Rayanne querendo enfiar a mão dela melada na minha cara. Retirei a cara com um pouco de nojo.

-Isso foi muito bom! - Falei querendo mais.

-Serio que tu nunca se masturbou? - Perguntou Rayanne admirada.

-Não, eu nem sabia o que era isso. - Falei sem entender a surpresa dela.

-Meu Deus, bobinho - Disse Rayanne.

Olhei para a Paula, ela não estava muito contente com o que tinha acontecido não. Também parecia assustada.

Nessa hora escutamos o portal se abrindo da minha casa.

-Menino tu precisa se limpar - falou Rayanne

-Eita, e vocês também!! - eu disse

Acho melhor a gente ir Ray - falou Paula ja correndo pra pular o muro. Rayanne foi logo em seguida. Mas depois voltou me deu um selinho e disse: “Vamos fazer isso mais vezes!”

Depois pulou o muro e foi embora.

Naquela noite mal conseguir dormi pensando naquilo. Aquela sensação... confesso que de madrugada me acordei apenas para me masturba outra vez. Pensei apenas na Paula.

Fiquei ansioso para reencontrar as meninas de novo. E brincar mais uma vez de verdade e consequência.

Teríamos longas brincadeiras.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/03/2018 10:40:20
Descoberta do sexo na adolescência.O autor compartilha suas experiências e aguardamos a continuação
17/03/2018 07:07:02
Excelente
17/03/2018 06:23:06
Muito legal. Lembrei da minha primeira punhenta tbm.
17/03/2018 01:13:47
Excelente conto continue
17/03/2018 00:12:53
Relevem os erros ortográficos, irei presta atenção nos próximos!