BALADA E PUTARIA...MUITA PUTARIA

Um conto erótico de CASALVEGAS
Categoria: Grupal
Data: 16/03/2018 20:21:47
Nota 10.00

Depois da última loucura, havía tempo que não saíamos para uma balada. Era um sábado. Minha esposa levantou antes de mim e foi para o salão, como de costume. Acordei com uma mensagem em meu celular: Estou ficando linda para aprontarmos hoje à noite! rs

Adorei a mensagem. Ela chegou de cabelos e unhas feitas; linda! O dia passou, descansamos, e quando chegou à noite, fomos nos arrumar. Fazia um pouco de frio. Me arrumei e a esperei na sala. Ela saiu pronta simplesmente estonteante. Se vestiu de uma forma meio underground, deliciosa. Estava com uma meia calça, saia jeans e uma blusa segunda pele escura e transparente, coberta por uma jaqueta de couro vermelha. Completando com um lindo par de salto alto e uma calcinha caleçon de renda e bem cavada atrás. Maquiagem forte e batom. Literalmente um tesão! Escolhemos uma balada e lá fomos nós. Ela mesmo no ar do carro, ela não quis tirar a jaqueta. Já na balada, entendi o por que da jaqueta. Uma surpresa para mim. Estava sem soutien, que se expostos à luz, deixavam seus seios turbinados e com marquinha à mostra. Já acomodados em uma mesa no andar superior, dentro de um camarote, começamos a curtir. Como peguei uma garrafa de uísque, nos colocaram naquele lugar. Quando ela se sentou percebi que usava meias 7/8 e não meia calça. Estava alucinado de tesão. Bagunçamos, curtimos e demos muita risada com minhas palhaças, num clima delicioso de marido e mulher. Tanto que ela me confidenciou estar super excitada e que estava toda melada. Pedi que quando fosse no banheiro me trouxesse sua calcinha para eu atestar sua excitação. Ela topou na hora. Até que já altos pela bebida, ela saiu para ir ao banheiro, que ficava no andar de baixo. Lá a pista estava cheia, apesar de nosso andar, estarmos apenas nós, e um grupo numa mesa distante do outro lado do mezanino. Quando a vi indo pela pista reparei que havia um rapaz muito bonito e de barba por fazer, que não tirava os olhos dela. Sei que ela adora esse biotipo de homem. Ele mexeu com ela, que apenas deu um sorriso para algo que ele falou, mas seguiu o caminho para o banheiro. De repente meu celular vibra. Uma mensagem dela:

- Lembra que disse que estava com tesão? Minha calcinha está ensopada! Posso aprontar um pouquinho com você?

imediatamente respondi que sim.

Então vejo-a saindo do banheiro e novamente aquele rapaz à abordando. Mas para minha surpresa ela parou e começaram a conversar. Reparei que ela me fitou com os olhos com cara de safada certificando-se que eu estava vendo tudo. A conversa continuou animada, até que eles se beijaram ardentemente. Após o longo beijo, ela volta em direção ao banheiro. Momentos depois reaparece e entrega algo para ele, que sai em direção ao mezanino, enquanto ela pega o celular:

- Gostou? estou chapadinha e louca de tesão! E as surpresas estão só começando. Bjs. rsrs

Quando termino de ler a mensagem, me dou conta que o rapaz está ali plantado em minha frente com uma puta cara de safado. Ele se apresenta, e então pergunta se sou o marido da loira da pista. Respondo que sim, então ele me entrega a calcinha dela e diz:

- Ela pediu para te entregar e me dizer se está realmente molhada como você esperava.

Mesmo estando preparado para aquilo, fiquei meio sem graça na hora, mas ele quebrou o clima dizendo para abrir ela que teria uma surpresa. Dei risada, abri, e sim. Sua calcinha estava até empapada de tão melada. Logo vejo ela chegando com carinha de safada e já abraçando ele por trás e dizendo:

- Amor, ele já sabe que você é um corninho safado e vai adorou participar da nossa brincadeira. Serve uma bebida para ele!

Dei uma risada amarela, com um puta frio na barriga, num misto de ciúmes e tesão, e enquanto servia a bebida, ele novamente quebrou o gelo, elogiando que eramos um casal sensacional por fazermos nossas loucuras juntos, e que minha esposa era maravilhosa. Bebemos um pouco e batemos um papo rápido, e logo os dois já estavam se pegando de novo. Desta vez com uma volúpia louca. Ele apertava a bunda dela, enquanto ia subindo sua saia. Quando me dei conta, pois meu coração parecia estar na boca, ela estava com a saia totalmente levantada, que parecia um sinto. Sua deliciosa e grande bunda toda de fora, com ele apertando com as mãos. Num pausa da pegação, comentei que o segurança poderia encrencar. Eles deram risada e disseram que não iria, pois ele havia dado dinheiro para o segurança que ficava na beira da escada controlando o acesso ao camarote, nos deixasse a vontade. Então de certa forma relaxei, se é que posso dizer isso. Mas no sentindo que não teríamos problemas, até por que de baixo e nem a turma do outro lado conseguiam nos ver. E eles não tinham acesso à nós por ser outro camarote. Os dois voltaram a se pegar num tesão louco. Ela ali de pernas abertas, exposta aos meus olhos,enquanto se beijam, e ele já explora sua bucetinha com uma das mãos. Vejo ela abrindo a calça dele, e seca o pau do rapaz para fora. Quando ela segura ele, me olha com uma cara de puta safada e solta um sonoro UAUUU!!! abafado pelo barulho do lugar. Ele então a vira de frente para mim, e ela conduzindo a situação, com as pernas abertas para ser explorada, oferece seu pescoço á ele. Enquanto ele suga o pescoço de minha delicia, vai dedilhando sua bucetinha, e ela me olhando com carinha de puta, enquanto começa a se contorcer de tesão. Então ela faz sinal com os dedos para que eu me sente no sofá. Atendo seu pedido, se senta bem ao meu lado com uma das pernas passando por cima de meu colo deixando sua buceta bem aberta, enquanto segura o enorme cacete do rapaz. Sem se fazer de rogada, passa a língua na cabeça do pau dele e começa a chupá-lo. Quase endoido com a cena, e começo a masturbá-la. Nunca havia visto ela tão molhada. O sofá que era de couro, já começava a fazer uma poça de seu mel. Depois de muito chupá-lo, ela se virou para mim, me deu um beijo molhado com gosto de rola, e falou no meu ouvido:

- Tá gostando meu corninho? Coloca meu peito para fora que vou chupar bem babado e continua me tocando que estou a ponto de gosar alucinadamente.

atendi seu pedido, e ela voltou a mamar o amigo, agora se babando toda sobre seus seios, e eu já a masturbava novamente. Não demorou para ela começar a se contorcer toda e mandou que eu não parasse que ia gosar, enquanto batia com a tora dele em seu rosto. Acelerei o ritmo e ela tbm das batida do cacete dele em seu rosto, até que gemeu alto gosando muito forte. Deu mais uma boa chupada no pau dele, sugou suas bolas e me beijou novamente. Então se levantou e pediu que eu ficasse de pé. Me mostrou o estado em que ficará o sofá. Uma verdadeira poça de mel de buceta! Se virou para mim, e me beijou, deixando seu rabão exposto à tora do rapaz. E me beijando, senti ele se aproximando e encaixando nela. Nesse momento ela solta um forte gemido, abafado por nosso beijo enquanto seu corpo vem de encontro ao meu. Sim, ele havia a penetrado ali mesmo no camarote da balada. Começo a sentir os trancos em seu corpo, enquanto ela apoiada em meu ombros, geme forte e pede para ele devorá-la. Ela soca cada vez mais fortes e os trancos em meu corpo aumentam. Quando vou colocar a mão em seus seios, sinto as mãos dele apertando forte seus deliciosos melões. Ele continuam assim até que ela apóia um dos pés no sofá, deixando sua buceta bem exposta, e pede para ele enfiar bem devagar. Nisso ela se volta para mim, me puxa para o sofá me fazendo sentar bem de frente à sua buceta, e me provoca:

- Tá olhando esse pauzão me abrindo toda bem no meio da balada corninho safado??? Olha de pertinho e me chupa vai!!!

Não me contenho e diante de meus olhos, vendo aquela bucetinha toda melada e totalmente aberta com aquela tora socada nela, comecei a chupar seu clitóris, que estava duro feito pedra, enquanto sentia o pau dele enterrando até o fundo e saindo. Seu tesão era tanto que ela escorria pelas pernas, e logo tem outro violento orgasmo que chega desaba por cima de mim, caindo de quatro no sofá, pois suas pernas bambearam e começaram a tremer. Foi um convite ao amigo, que se posicionou e a penetrou novamente, enfiando até o fundo. Minha safada gemia, pedia para ser devorada, e me falava que o pau dele era enorme, grosso e delicioso. E quanto mais ele socava mais ela gemia, e falava ao meu ouvido que ele estava arrombando ela todinha e que ela estava escorrendo de tanto tesão. Depois de ser devidamente devorada, ela pediu para mudarem de posição, num tom dominador. Ela empurrou o rapaz no sofá, se virou de frente para mim, segurou a tora do amigo. Enquanto me olhava com cara de safada, encaixou e foi escorrendo o pau dele que foi sumindo inteiro dentro de sua buceta que ia se abrindo. Quando chegou ao fundo, começou a pular naquele pau, como uma cadela no cio. E eu ali na frente, apreciando o jeito safado que ela me olhava enquanto seus seios balançavam ao ritmo das quicadas que ela dava e fazia o pau do rapaz sumir inteiro em sua xota. Percebendo meu êxtase na situação, ela colocou um pé sobre o sofá, deixando sua buceta ainda mais exposta, e exclamou:

- Chupa sua puta enquanto ele me devora vem!!!!

Cai de boca e voltei a chupar seu clitóris enquanto ele socava. Não conseguia mais distinguir o que era orgasmo dela ou não. Ela gemia descontrolada, suas pernas tremiam enquanto seu mel vertia de sua xota. Enquanto chupava ela nesta posição, de rabo de olho, percebi o segurança ao fundo, sentando em um sofá nos observando e com um cacete cavalar na mão se masturbando. Acho que ela percebeu meu olhar e o viu também. Pensei que ela iria parar a brincadeira por conta do intruso, quando ela se levantou e em meu ouvido falou:

- Pergunta para ele se ele deixou alguém lá embaixo de guarda. Caso positivo, trás ele aqui!

Estava tão atordoado com a situação que nem questionei. Fui em direção à ele, que até tentou se recompor, mas dei risada e falei para ele relaxar. Ele respondeu afirmativamente à minha pergunta, então chamei ele para vir. Quando chegamos ao sofá, ela estava distada sob os cotovelos, com uma perna apoiada no chão e outra em cima do encosto do sofá, enquanto o amigo socava com muita intensidade. Ela olhou para o segurança e o chamou para perto. Se o pau do rapaz era grande, o do segurança era descomunal. Devia estar trabalhando em filmes e não como segurança. Mas cabia na mão de minha safada que já o masturbava enquanto ele apertava seu seio. Minha putinha estava tão possuída que puxou o segurança para baixo, se ajoelhando, e ficou com seu cacete na direção da boquinha dela, que sem a menor cerimônia passou a mamar o rapaz, com aquele monstro que mal cabia em sua boca. O outro continuava a foder sua boceta impulsivamente. O tesão do segurança na situação e em minha esposa era tão grande, que ele logo começou a se contorcer anunciando que iria gosar. Minha safada abriu a boca com a lingua para fora e começou a masturbá-lo freneticamente. Ele começou a esguichar jatos e mais jatos de porra. Era tanto tesão acumulado que ele não parava. Após encher a boquinha dela, ela direcionou os jatos aos seus seios, que logo foram ficando totalmente cobertos. O amigo, como se quisesse apreciar toda cena, colocava e tirava em sua buceta bem devagar. Quando finalmente cessaram os jatos, ela chupou o pau dele até deixá-lo limpinho. Eu ali inerte, com meu pau querendo explodir, vendo minha amada, com um pau enorme na buceta, outro na boca, e com o rosto, cabelo, seios e roupa todo lambuzados de porra do outro, e isso tudo no meio de uma balada. Que fique claro, que não era um clube liberal ou casa de swing, o que aumentava ainda mais toda excitação de tudo aquilo. Assim que terminou, ela olhou para ele, e ordenou que voltasse a fazer guarda. Então me olhou com carinha de ordinária:

- Vem corno!!! Limpa sua esposa vem! Agora safado!

Os olhos do amigo e meu se arregalaram juntos. e como que por inercia, me abaixei e comecei a chupar seus seios e limpar com a lingua todo aquele mar de porra que os cobriam. Parecia que meu pau ia explodir. O amigo estava em êxtase. Se movimentava ainda mais devagar dentro dela para não perder nenhum lance de minha boca percorrendo seus seios inundados sendo limpos por minha boca. Quando percebeu que eu estava com a boca bem cheia me puxou para um beijo apaixonado. Ai o garoto endoidou. Senti os trancos aumentarem e ele voltou a socar feito louco. Foi a conta para o rapaz explodir em minha esposa enquanto ela gemia compulsiva e pedia para ele encher sua buceta com porra. Quando terminou e começou a tirar bem devagar, ela me olhou e disse:

- Já sabe né corninho! Deixa ela bem limpinha para ele ver como sua esposa gosta!

quando ele saiu e ela já me puxou com as pernas bem abertas, novamente tive aquela visão! Sua buceta toda aberta, usada e vermelha, com os lábios muito inchado, e começando a verter outro mar de porra. Cai de boca a passei a língua por toda ela, engolindo muita porra, e sentindo o calor que ela emanava, com aquele gosto de sexo e gosos misturados.

chupei tanto ela, que ela não parava de escorrer leite do rapaz, que ainda a fiz gosar novamente em minha boca. O rapaz assistia a cena atônito, tomando um uísque e com seu pau de fora, já duríssimo novamente. Quando ela se deu por satisfeita, se levantou fazendo que outra enorme quantidade de porra vertesse de seu buraquinho e escorresse pelas coxas até para em sua meia. Então ela pediu para servirmos um uísque para ela, e com os seios ainda todo melados, começou a dançar sensualmente e semi nua, nos provocando. E assim ela ficou curtindo a balada semi nua, que quando dava vontade, fazia xixi no carpete ali mesmo, se mostrando para nós, apenas para não precisar ter que se vestir e ir no banheiro. Até que a balada já começava a esvaziar e nosso amigo segurança subiu para nos avisar que jajá fecharíamos. E do jeito que ela estava com os seios de fora e a sia feito um cinto com sua bucetinha usada exposta, ela o recebeu e pediu para ele nos dar mais quinze minutinhos. Ele deu risada, a chamou de safada e perguntou o que ganharia em troca. Na mesma hora ela tirou o pau dele durissimo para fora da calça, se deitou no sofá, e segurando ele, direcionou para sua xota. Ele enfiou de uma vez lhe arrancando um forte gemido e começou a literalmente estuprá-la. Era muito grande. Sua buceta ficava muito, muito aberta para receber aquela tora, que agora não só eu, mas nosso amigo também observava a cena, em êxtase. Não demorou e o segurança inundou sua buceta com leite quente. Ela o puxou, lhe deu um beijo e falou para ele me dar o celular dele e nos dar os quinze minutos prometidos. Ele me passou seu número e saiu extasiado. Quando me dou conta, nosso amigo, chupava a buceta dela, que o segurava pela cabeça contra sua xota. Mas ela queria era rola, o puxou para cima dela e ele a penetrou. E posso afirmar que ele ter experimentado porra em uma buceta também o deixaram no cio, pois ele também a estuprou, tamanho o vigor que socava o pau. E rapidamente, também explodiu, alagando ainda mais minha deliciosa esposa. Eu que já estava de pau para fora, vendo aquele buraco alagado, achando que seria minha vez, vi ela colocando a mão em sua racha e fechando ela, enquanto vestia a calcinha. Olhei meio triste para ela, que percebeu, e olhando para mim, riu e disse:

- Vamos para casa logo amor, que tem muuuuita porra guardada aqui dentro de sua ppk para você se lambuzar de tanto me limpar, do jeito que gosta, e depois vai fuder essa bucetinha arrombada até raiar o dia!

Quase gosei na hora. A calcinha dela, rapidamente ensopou, chegando a pingar. Ela se despediu do rapaz com um beijo molhado, e falou para ele me passar seu número que teria replay. Nem preciso dizer que quando chegamos em casa, quase me afogue em tanta porra, e claro, que chupei muito minha esposa antes de fazermos amor até amanhecer, sentindo minha esposa laceada, usada, latejando e quente! Mas como a melhor esposa do mundo que ela é, gozei como nunca na minha vida, mas no buraquinho que não havia sido laceado na balada...seu cuzinho! E assim dormimos, agarrados, e todo lambuzados. Quando acordei no dia seguinte e a vi dormindo, ainda lambuzada, e por incrivel que parece, com sua xota escorrida e vermelha, fiz algumas fotos dela, guardei a calcinha empapada de lembrança, e fui prepara um café da manhã para homenagear a melhor mulher do mudo, que é minha esposa. Que após o café, para me presentear, ainda passou metade do dia, sem tomar banho só para me provocar, me fazendo sentir, ver em seu corpo e lembrar as marcas do sexo louco da noite anterior. espero que tenham gostado, pois não são raros os momentos que ainda pego aquela calcinha para sentir o cheiro e lembrar daquela noite.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
Get
20/09/2019 21:44:19
Excitante, mais uma vez nota 10.
27/09/2018 12:41:41
Tesão de conto, Sei o quanto é gostoso ver o marido limpando a esposa toda gozada numa deliciosa festinha….e de repente até limpando a foste tambem, bem delicia…Adoro uma festinha com um casal liberal assim. Quem quiser entrar em contato…… lifewklass@gmail.com
07/05/2018 07:06:24
Maravilhoso, parabéns pela esposa q tem, um dia ainda faço igual com a minha, nota 10
24/04/2018 10:57:32
Muito top...imaginei a minha esposa no lugar
19/03/2018 05:35:32
Excelente conto continue
17/03/2018 16:36:08
Amei!!
17/03/2018 05:32:09
Amei seu conto e gostaria de ler todos outros. Adoro também filmar esses melhores momentos. Caso interessar é só retornar. fotografoliberal@yhoo.com.br