Eu tô aqui caramba! - Cap. 4 - O desejo

Um conto erótico de Pedro Henrique
Categoria: Homossexual
Data: 16/03/2018 18:01:50
Nota 10.00

Eu senti que algo tinha despertado dentro da cabeça do Eduardo, algo que até então estava adormecido porque ele mudou o semblante completamente, ficou quieto e meio cabisbaixo, larguei a taça na mesa de apoio e cheguei próximo dele.

Eu: Falei algo que não deveria? Tá tudo bem?

Eduardo: Nada não, só tô pensando em como vai ser na segunda, todo mundo na empresa já vai saber o que aconteceu lá no Gus.

Eu: Mas como saber, tu acha que o Vitor teria a cara de pau de falar algo?

Eduardo: Não, Seu Carlos mandou o Vitor não aparecer na empresa por um bom tempo depois do episódio contigo. O problema é que o garçom que levou o Vitor pra fora lá no Gus é funcionário na concessionária, ele só faz bico de garçom nos finais de semana, e o pior, ele é um fofoqueiro de primeira.

Eu: Calma cara, quem sabe ele nem fale nada.

Eduardo já estava aos prantos, todo aquele sentimento que ele havia sentido no bar voltou com força total. Ele soluçava e parecia desesperado. Eu mais uma vez o abracei forte, mostrando que ele tinha todo o meu apoio e que eu estaria ali para o que ele precisa-se. Mas algo me intrigava, por mais difícil que fosse a situação dele eu sentia que não era só isso.

Eu: Eduardo olha pra mim - me afastei um pouco e peguei no seu queixo o puxando para que ele olhasse pra mim. Tem mais alguma coisa não tem?

Eu percebi que nesse momento ele parou de chorar e congelou, como se eu tivesse descoberto algo que ele não queria falar.

Eduardo: A gente se conhece a menos de 2 dias, e eu sinto que eu te conheço a tanto tempo, mas não acho que esse seja o momento pra te contar essa história. Eu só precisava desabar (é desabar mesmo) pra limpar a minha alma. Obrigado por ser tão aberto e me apoiar.

Eu: Quando tu quiser e precisar, eu vou estar aqui pra te ouvir sem pressão e sem julgamentos.

Nesse momento estávamos tão emocionados e envolvidos, nossos lábios estavam tão próximos um do outro. Em um impulso avancei sobre aquela boca que deseja tanto ser beijada, foi um beijo calmo, terno, nossos lábios se tocavam com uma sintonia ímpar, nossas línguas dançavam freneticamente o mais belo de todo os bales. Que beijo era aquele meu Deus, que lábios macios o Eduardo tinha, um beijo tão delicado mas ao mesmo tempo tão avassalador. O puxei para ainda mais próximo de mim colando ainda mais nossos corpos. O beijo se intensificou, já não era mais aquele beijo calmo, nossas bocas pareciam devorar uma a outra, eu queria sentir cada centímetro daquele homem com as palmas da minha mão.

Falar nisso não comentei sobre como o Eduardo era né. Eduardo tinha por volta de 1,75 de altura, porém devia ter quase a metade do meu peso,no máximo uns 60 kg ele tinha, mas tinha atributos que chamaram minha atenção e muito, como um bunda bem redondinha e também uma senhora mala, bem desenhadas no uniforme social que ele usou naquela reunião mais cedo, tinha cabelos pretos compridos amarrados um coque samurai que o deixava muito bonito e tinha olhos castanhos. Bom já eu tinha 1,85 de altura, na época pesava uns 95 kg, sempre gostei de nadar e na adolescência cheguei a competir em alguns campeonatos. Por conta disso acabei adquirindo o costume de malhar e agora com o crossfit em menos de 1 ano eu tinha praticamente dobrado a minha massa muscular, então eu tinha um peitoral bem formado mas a barriga era normal, os gomos apareciam só quando eu contraia bem a barriga hehehehe, mas era mais branco que cera de vela, tinha olhos verdes herdados de mamãe e cabelo loiro, bem alemão mesmo. bom voltando a história.

Fui delicadamente descendo minha mão pela costas e coloquei minhas duas mãos em sua cintura por dentro da camisa, na hora que eu senti a pele dele todo o meu corpo estremeceu, como se eu tivesse recebido uma descarga elétrica, e por dentro da bermuda fui lentamente descendo minha mão direita e a preenchendo com aquela bunda redonda e bem durinha, quando minha mão estava completamente preenchida a apertei arrancando um gemido deliciosamente e enlouquecedor dele. Meu tesão foi na estratosfera, ele estava me deixando louco de desejo. Segurei ele novamente na cintura e o coloquei a poucos centímetros e falei:

Eu: Vem comigo!

O levei para a varanda da casa, a noite estava linda, o céu estrelado e a lua iluminando cada pedaço dos nossos corpos, ficamos ali olhando para o céu e admirando toda aquela beleza. Eduardo virou então pra mim e falou:

Eduardo: Queres me matar do coração né.

Sem nem deixar tempo para a resposta ele me puxou para mais um de nossos beijos quentes e cheios de tesão, nossos corpos colados com nossos volumes já duros como rocha, só evidenciavam ainda mais o quanto de tesão um tinha pelo outro. Sem nem pensar 2 vezes tirei minha camiseta, o que acabou deixando ele um pouco envergonhado, pois com o luar e a luz que vinham da sala, ele não sentia a vontade de tirar a dele também. Eu já tava bem leve do champagne e bem ousado fui lentamente dando selinhos em sua boca e puxando sua camiseta até retira-lá por completo, Eduardo ficou bastante envergonhado e tentava esconder com o braços, o que o deixou mais fofo ainda.

Eu: Ei não precisa ter vergonha do teu corpo, tu é lindo demais e vou te confessar que tu é uma delícia, sempre curti caras mais magros assim como tu, então pra mim tu é perfeito.

Eduardo: Sei lá, sou todo magrelo tenho vergonha.

Eu: Pois não tenha, porque desde o momento que eu te vi lá na Lagoinha eu já fiquei morrendo de tesão pra ter nos meus braços.

Nos atracamos mais uma vez naquele beijo, meu palpite sobre aquele malão realmente estava certissimo, cada vez que meu corpo colava no dele eu sentia um membro grande e que parecia ser bem grosso encostando no meu, mais uma vez coloquei minha mão na sua cintura, mas agora o objetivo era outro: tirar aquela bermuda. E assim o fiz sem que houvesse nenhuma resistência dele, fiz questão de me abaixar e leva-la até o chão (já pensando na subida) após tirar toda a bermuda me deparei com um mastro duro dentro da cueca que chegava quase até na lateral da sua cintura.

Eu: Caraaalho que pauzão da porra hein! - Ele sorriu envergonhado.

Confesso que já tinha tido parceiros dotados, mas o Eduardo era descomunal, e era um pau grosso, minha boca salivava loucamente, dei leves mordidas por cima da cueca até que ele me puxou pra cima e me beijou. Nosso beijo era selvagem, cheio de tesão. Eduardo abriu o botão da minha calça, e em um só movimento preencheu sua mão com meu membro soltando um gemido de tesão que me fez pirar. Eduardo me punhetava de leve e com a outra mão começou a abaixar minha calça. Depois de ficar completamente pelado em sua frente ele me ordenou que sentasse no sofá que tinha na varanda, ele agora tinha assumido o controle da situação, e eu prontamente atendi o seu pedido. Eduardo se ajoelhou na minha frente e sem nem pensar muito abocanhou de uma só vez meu membro de 19 cm. Soltei um gemido seguido da frase:

Eu: P U T A Q U E P A R I U, que delicia mano.

Eduardo: Tu gosta é? Deixa eu mamar gostoso esse pauzão?

Eu: Faz o que tu quiser comigo seu puto!

Nossa que boca quente e macia ele tinha, ele sugava meu pau com tesão mesmo, e o colocava inteiro em sua boca, ele dominava muito a arte da garganta profunda, parecia ter bastante experiência o que me deixou com tesão, porém pensativo. Curti cada segundo daquele boquete maravilhoso como se fosse o último momento da minha vida, Eduardo fazia coisas com a língua que eu nem sabia que podiam ser feitas. Ele parecia não querer parar então eu falei o puxando pra cima:

Eu: Vem cá deixa eu sentir o gosto do meu pau na tua boca.

Nos beijamos por longos minutos, ele ali deitado em cima de mim, eu percorrendo seu corpo com as minha mãos, reconhecendo cada centímetro, cada detalhe do seu corpo até chegar naquela bunda, meu Deus que bunda. O tesão já respondia sozinho por mim, fechei a mão e dei um tapa na bunda dele, só escutei um gemido alto e ele com a boca cerrada falando:

Eduardo: Ahhhh que delícia, bate mais forte porra.

Confesso que me assustei um pouco porque eu já tinha batido com uma certa força.

Eu: Mais forte?

Eduardo: É porra, bate igual a macho caralho.

Juntei minhas energias e agora com a mão aberta bati no outro lado da bunda.

Eu: Assim?!

Eduardo: Isso porra, que delícia bate de novo vai, tô quase gozando.

Eu fiquei muito assustado porque eu nem tava tocando no pau dele, mas envolvido pelo tesão bati mais uma vezes e em um desses tapas ele soltou um gemido em voz grossa e bem alto:

Eduardo: Ahhhhhh vou gozar, caraaaaaaalho. - Ele se contorcia todo e eu olhei em direção ao seu pau e a cueca realmente estava encharcada.

Ele tinha gozado sem nem se tocar. Eu ainda tava tentando assimilar o que tinha acontecido, meio sem entender tudo aquilo o abracei e ele se soltou em cima do meu corpo exausto como se tivéssemos transado por horas. Aquele tinha sido sem sombra de dúvidas a transa mais louca que eu já tinha tido. Percebendo o estado de exaustão dele e mesmo estando de pau duraço o levei até o quarto, mostrei o banheiro e disse que ficasse a vontade.

Enquanto ele tomava um banho coloquei uma roupa leve, me sentei na varanda do quarto no segundo andar da casa e fiquei refletindo sobre o que tinha acontecido minutos antes ali embaixo. Não demorou para que o chuveiro parasse e depois de alguns minutos ele se sentou ao lado meio ressabiado, com vergonha:

Eduardo: Olha só, queria te pedir desculpas por ainda pouco, eu não sei o que deu em mim, eu deixei o tesão falar mais alto, me empolguei e quando dei por mim já estava gozando.

Eu: Só o que falta né Dudu, relaxa cara, eu confesso que me assustei um pouco, mas cada um tem sua maneira de sentir tesão. Já te disse,nunca vou te julgar não precisa ter vergonha de nada. Só da próxima me espera que eu quero gozar também. - Falei em tom de brincadeira, rimos juntos.

Por hoje é isso galera.

Meu foco não é contar as peripécias sexuais do casal, prefiro falar mais sobre os aspectos da vida e o cotidiano, porem alem estar postando a história em um site de contos eroticos, todo romance é sexual. Existe o desejo, a vontade de satisfazer o apetite sexual do parceiro, então contarei em alguns capítulos os encantos e desencantos do sexo na vida dessa galera. Queria saber de vocês se gostariam de saber a história pela visão do Eduardo e do Vitor, que eu colocaria em pequenos trechos durante a série. E também o que acharam desse capítulo mais quente. Agradeço os comentários, a opinião de quem lê é muito importante pra mim.

Beeijo

Little Boy: Não sou novela da Globo mas sempre deixo um gostinho de quero mais pro próximo capitulo. E o Vitor vai se mostrar cada vez pior. =/

Healer: A senhora é a mana da teoria né, calma cocada kkkkkkk, segura a emoção ai que vem bastante bomba pela frente.

Arrow: O que parece as vezes não é hein, ou não kkkkkkkkkk segue ai que tem revelações bombásticas chegando.

VALTERSÓ: O Vitor é um ser dos piores. Champagne é bom em todas as horas bobo. hehehehe

Sharon Martins: Varias teorias sobre qual a relação dos dois. Qual sera a verdadeira né. veja amanha no Globo Repórter.

KayoBS: Fico feliz que estejas gostando. Nós próximos capítulos detalhes serão revelados.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/02/2019 13:37:49
Muito interessante
14/08/2018 23:06:17
Hmmmmm.... Eduardo cheio de segredos e gozando com palmadas, isso tem cheiro de problemas do passado. Ainda estou com aquela pullga atrás da orelha...
19/03/2018 19:44:53
cheio de mistério o Eduardo
17/03/2018 10:52:11
Que delicia manda os dois aqui eu traço fazer um belo menagè sem palavras
17/03/2018 00:31:22
Nossa, me parece que, o que Eduardo tem dentro das calças dá para pular corda?! Hahahaha muito bom o capítulo. Quero a versão do Vítor (O coisa ruim), do Eduardo (vulgo Dudu The Flash) e do que mais tivermos direito. Para teoriza-las e errar todas hahahaha. Muito bom, continua.
16/03/2018 19:14:00
PS: REALMENTE FOI PRAZER UNILATERAL. RUIM ISSO. MAS APENAS CONFIRMA A MINHA FALA DE QUE FOI TUDO RÁPIDO DEMAIS.
16/03/2018 19:12:42
MUITO ESTRANHO. EDUARDO NÃO ESTÁ PREPARADO PRA CONTAR NADA SOBRE SUA VIDA, MAS ESTÁ PREPARADO PARA UMA TRANSA DESSAS. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS O PONTO DE VISTA DE CADA UM É MUITO IMPORTANTE PRA HISTÓRIA NÃO FICAR CAPENGA. MUITO BOM ESSE CAPÍTULO. AINDA ACHANDO QUE FOI TUDO RÁPIDO DEMAIS. SEM UM POUCO DE CLIMA DE ROMANCE, DE SEDUÇÃO. ISSO GERALMENTE LEVA UM TEMPO. SE NÃO É SOMENTE SEXO POR SEXO.
16/03/2018 18:56:25
Sacanagem viu Eduardo ter deixado o Pedro na mão de que adianta ter pauzão se na hora do vamo ver só pensa em si.E sim quero ver os pontos de vista na história de todos os personagens, e também quero uma senhora cena hot,pois essa deixou muito a desejar.