Comi Alana e Samanta na praia particular

Um conto erótico de Clownmimic
Categoria: Heterossexual
Data: 14/03/2018 14:20:29
Nota 10.00

Bom pessoal, continuando com os relatos que ocorrem entre minha irmã Alana e eu, nossa relação ficaram mais picantes, pôs minha irmã não me via mais só como seu irmão, e sim como seu macho Alfa.

Tudo começou na sexta-feira antes de viajamos para o litoral para a casa de nosso tio, fazia tempo que meus pais não iam para lá, eu lembro que tínhamos uma prima da mesma idade que eu chamada Samanta.

Era de manha, eu ainda estava em meu quarto dormindo quando sinto uma sensação maravilhosa, e vinha debaixo do meu lençol, tirei o coberto de cima de mim e lá estava Alana, ela tinha aproveitado que estava dormindo, veio tirou minha cueca e estava chupando meu pau, então ela olha para mim e diz:

- Bom dia maninho.

Eu levantei meio rápido, pois nossos pais estavam em casa e falei:

- Você esta louca se o pai ou a mãe nos pegar aqui!

Ela tira meu pau de sua boca e diz:

- Calma bobinho eles saíram para fazer as compra para a viagem.

Levantei-me, agarrei suas pernas e abri, comecei a chupar sua bucetinha que estava toda molhada, Alana gemia e meu tensão aumentava, meu pau estava duro que nem rocha, coloquei ela de quatro e iria arregaçar suas pregas, pois minha irmã era virgem ainda e tinha jurado perde a virgindade com seu irmãozinho e antes de colocar o meu pau nela, ouvimos o barulho do caro, ela correu para seu quarto e eu fui para o banheiro liguei o chuveiro e fingi tomar banho.

Estava puto da vida, pois faltava pouco, para que eu penetrar-se aquela buceta gostosa.

No dia seguinte estávamos chegando à casa de nosso tio, era uma casa grande que dava de fundo com uma mata, a praia era 2 ruas ao lado da casa, meu tio nos cumprimentou e disse :

- Vem cá rapaz.

- Quanto tempo que não te vejo você ainda era um guri e olha só o rapaz que viro.

Falei, “que isso tio continuo o mesmo guri” e rimos, ele vira de costa e chama Samanta venha cá, ela desce as escadas e minha nossa não lembrava que minha prima era tão gata, ela corre ate Alana as duas ficam pulando eufóricas, depois se aproxima de mim e me cumprimenta com um abraço e beijo no rosto, meu tio fala vai lá mostra a cidade e a praia para seus primos.

Samanta diz:

- Vamos nos trocar, vou mostra o quarto.

Chegando lá percebi que estávamos em seu quarto e que lá havia uma beliche, Alana e Samanta entram no banheiro para se trocar, eu então visto minha sunga, as duas saem do banheiro, olhei para Samanta com aquele biquíni e imaginei como seria sua bucetinha e comecei a fica excitado, percebi que Samanta estava me olhando, chegando na praia estava cheio de gente, quase não dava para andar então Samanta fala que tem um lugar especial, uma praia que era escondida e ficava atrás da casa dela mais que teríamos que passar pela mata.

Como queríamos entrar na praia, concordamos e fomos em direção à praia, para chegamos lá tinha que passar pelas pedras e as duas não conseguiam subir, eu como um grande cavaleiro kkk (risos) disse:

- Vou ajuda – lá, primeiro você Samanta.

Ergui-a e empurrei ela pela bunda nossa que bunda durinha e comecei a ficar duro, depois foi à vez da Alana, na hora que ia erguendo ela de sacanagem mais com descrição de nossa prima lambi sua bunda, olhei para ela e ela estava me olhando com um semblante matador e me fala:

- Isso vai ter volta tá maninho.

Chegamos à praia era linda e não tinha ninguém parecia praia particular, Samanta nos diz que essa praia só da pra chega pela mata da casa dela e que ela já tinha explorado para ter certeza, Samanta nos diz:

- Pronto já podemos relaxar.

Ela chama minha irmã e fala no ouvida dela, Alana responde que sim que seria o máximo, Samanta olha pra mim e diz:

- Primo tem algum problema se nós fizéssemos topless.

De maneira nenhuma respondi estava louco pra ver aqueles peitos, enquanto ela soltava o biquíni comecei a fica duro e Alana percebendo minha atenção em nossa prima veio por trás de mim, quando a Samanta vira na minha direção, Alana abaixa minha sunga e meu pau que estava d duro mira em direção a nossa prima, Samanta olha para o meu pau e diz:

- Nossa, que pau lindo você tem primo.

- Já que e assim vou tirar a parte de baixo também.

- Alana! Tira você também a parte de baixo.

Vejo aquela bucetinha linda de minha prima e meu pau enlouquece começa a fica mais duro e a se mexer, Samanta chega perto de mim e fala:

- acho que alguém quer brincar aqui em baixo.

Respondo e como eu quero, ela se ajoelha e começa a chupa meu pau, Alana se ajoelha junto e ajuda sua priminha, as duas revezava uma hora uma chupava a cabeça do meu pau a outra as bolas deitei sobre as toalhas que levamos e comecei a chupa a bucetinha de Samanta que estava transbordando de melado.

Quando de repente Alana me diz:

- Maninho chego a hora que você sempre sonhou.

Fiquei preocupado, pois estamos sem preservativo mais as duas falaram para não me preocupar, pois era um dia seguro.

Ela sobe sobre mim, pega no meu pau e começa a sentar devagar nele dando gemidos de prazer e dor, pois ela era virgem depois começa a cavalgar de vagar aumentando a velocidade sobre ele.

Nossa que sensação fantástica que eu estava tendo com minha irmã, Samanta por sua vez aumenta a sensação de prazer dela e começa a lamber o rego de Alana, nossa minha irmã eu gozamos muito minha porra e a dela se misturava e escoria sobre nossas pernas fomos às alturas, Samanta olha para prima e diz:

- Agora e minha vez mais vai de vagar primo que eu ainda sou virgem também e esse pau vai me arregaçar toda ela começa a chupa me pau melado e limpando ele ao mesmo tempo, nossa quando vejo meu pau já está duro de novo, “Tenho um pau forte”, ela pede para que quando for gozar eu a avisa – se.

Ela então senta e começa a cavalgar devagar também, Alana retribui o favor e começa a lamber o rego de sua priminha.

Depois de um tempo avisei que iria gozar, Samanta pede para que eu goze na cara dela, pois era um fetiche mirei em seu rosto e gozei nele todo, ela passava a mão em seu rosto e lambia fazendo uma cara de satisfação total de prazer.

Pergunte se eu podia comer o cuzinho delas também?

Alana me responde que ainda não que elas iriam se preparar mentalmente e fisicamente para liberar o cuzinho, pois meu pau além de “grande era roliço” palavras delas.

Depois fomos ate a água para nos limparmos, voltando para a casa, Samanta nos fala que não sabia que gostávamos de incesto mais que ela também gostava.

Ela me pergunta se amanhã podíamos fazer novamente, eu a respondo:

- Claro.

Chegamos a casa e meu pai e meu tio nos chama, pensei fodeu, será que eles nos viram, foi quando meu Tio nos diz:

- Gostou daqui, a Samanta cuido bem de vocês.

Eu e Alana dissemos:

- Sim ela foi o máximo.

- E amanhã tem muito mais.

Samanta vira e diz:

- Com muito prazer.

Pessoal nesse primeiro dia de praia foi fantástico não só pra mim, mas para Alana também, no próximo relato irei contar o final dessa trama incestuosa que ocorreu no final de semana e ate lá espero que vocês tenham se excitado tanto quanto eu relembrando todos esses fatos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/08/2018 09:57:49
Cadê a continuação??
20/04/2018 01:00:14
Excelente
19/03/2018 10:06:21
Conto exitante
17/03/2018 15:45:54
Uaaaaau! Delicia! Adorei