Casa dos Contos Eróticos

A Proposta cap 4

Autor: Stardust
Categoria: Homossexual
Data: 13/02/2018 00:55:42
Nota 10.00
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá leitores, perdão o sumiço, é época de carnaval e eu curto também, fora que a agitação fica enorme e deixa a pessoa sem tempo até pra postar, mas hoje o capitulo é grande e vai compensar bastante.

Um recadinho rápido pra CDC, não sei o que está acontecendo que meus contos não aparecem juntos aos outros da categoria lésbica. Não sei se o tema está meio pesado ou porque ele não tem sexo toda hora, não é uma reclamação, é apenas um aviso. Pois varias pessoas gostam dos meus contos e muitas delas não recebem a notificação ou encontram na página inicial da categoria lésbica. Já estou no 4º capítulo do conto novo e ainda não aparece, é algo a se resolver certo? Obrigada.

Bora pro conto?

Continuando...

Não mentirei, dormi sim, tranquila talvez, mas com um certo receio. Eu acordei por volta das 8:30 e Yasmim já havia saído, que milagre viu. Fiz as higienes matinais e fui para cozinha, estava o mesmo clima da manhã, D.Maria me prepara aquele famoso misto quente com suco de laranja e percebe meu olhar diferente.

- Está tudo bem Camila?

- Sim, porquê?

- Está com um olhar diferente.

- Diferente?

- Sim, aquele olhar que estava no mesmo dia que teve um pesadelo, só que dessa vez não parece assustada.

- Como assim, você talvez esteja com medo de algo, mas prefere encarar. Está acontecendo algo contigo?

- Impressão sua D.Maria, apenas que 18 anos é uma idade de muitos hormônios, dúvidas, certezas, início da vida eu acho.

- Pode ser, mas que está diferente está. Mas vocês jovens de hoje, são uma explosão de sentimentos kkkkk. – Ela deu aquela risada dócil.

D.Maria parece a tia May do Homem Aranha, senhorinha simpática, a avó que todos gostariam de ter kkkkk.

Beatriz chega na cozinha de roupão e dessa vez com um pijama por baixo, toca meu ombro como sempre e faz os cumprimentos.

- Bom dia, bom dia. Como estão? – Dizia ela calorosa.

- Bom dia D. Beatriz, está toda sorridente hoje, não te vejo assim há algum tempo. – Dizia D.Maria.

- Bom dia. – Respondia eu

- Sabem, eu dormi com os anjos ontem, acordei inspirada, mais feliz, preparada cada dia mais pra vida.

- É ótimo te ver assim novamente. – Dizia D.Maria.

- E você Camila? – Perguntava Beatriz.

- O que tem eu?

- Gosta de sorrir pra vida?

- Claro, quem não gosta. – Respondia sem olhar nos olhos dela.

- Onde está Yasmim, dormindo ainda? – Perguntava ela.

- Não sei, acordei e ela nem estava mais na cama. – Eu ainda não olhava, só comia e mexia no celular.

- Que milagre ela levantar antes das 10 durante as férias kkkkkk. – Gargalhava D.Maria. – Agora deixa eu ir fazer as compras, venho já.

- Tchau D.Maria, a gente se vê qualquer dia.

- Já vai?

- Daqui a pouco, tenho que ajudar meus pais com as coisas da viagem.

- Tá certo, não suma mais viu. – Falou me dando um abraço e saindo.

Na cozinha permaneceu apenas Beatriz e eu, sei que ela notou o fato de eu não encara-la. Acho que estou começando a entender o jogo, só que agora eu quero ditar essas regras, quem sabe consigo fazê-la parar com isso.

- Camila? – Chamava Beatriz.

- Sim?

- Camila?

- Oi... – Ela pega o celular da minha mão.

- Estou falando contigo, pode ao menos me responder?

- Eu estava ouvindo.

- Será que estava?

- Pode me devolver o celular?

- Não antes de saber o que tanto tirava sua atenção de mim. – Ela ficou mexendo até ler umas trocas de mensagens entre mim e a ficante da semana. – Quem é Ester, e como assim você conhece umas brincadeiras legais?

- Ester é uma menina que conheci e vamos sair. – Falei eu tomando o celular de sua mão.

- Você diz isso assim?

- E tem outro jeito de dizer?

- Nossa, quem te viu quem te vê, até umas horas atrás estava cheia de culpa e de lenga-lenga e etc. – Falava em tom de deboche.

- Pra você ver neh. – Retrucava eu.

- Você acha que isso vai me deixar longe de você? – Ela deu a volta e me prendeu contra o balcão. – Você acha que só porque vai sair com algumazinha, eu vou deixar de ter? Pensou errado. Pode sair com quem quiser, eu não ligo, afinal isso não é um namoro, ou um relacionamento amoroso, isso é um compromisso sexual, ao qual você só sairá dele se eu quiser. – Me roubou um beijo forte sem língua.

- E quem disse que eu vou sair com ela pra te afetar? Em momento algum eu firmei algum compromisso, então não devo nada. – Falava dando aqueles beijos rápidos.

- Deve sim. – E aqueles beijos rápidos rolando. – O que você tem, está agindo diferente desde ontem?

- Aqui é Beatriz Dufour, quando Beatriz mãe voltar eu volto a ter culpa. – E saí do balcão indo em direção a porta.

- Aonde vai?

- Pra casa, tenho coisas a fazer.

- Quero você aqui de novo hoje.

Dei um sorrisinho sacana e disse:

- Querer nem sempre é poder. Faz como eu, arranja alguém pra sair.

- Vamos conversar sobre isso depois...

Fui pra casa com o peito estufado, achando que estava ganhando o jogo, mas a verdade é que quando cheguei eu me tranquei no quarto pra chorar um pouco.

“O que estou fazendo da minha vida, ela é mãe da Yasmim, minha melhor amiga, eu não posso continuar com isso, preciso resolver de uma vez por todas”.

Achava que teria essa coragem, mas não, não tive. O dia da viagem chegou e fomos para o Rio, pra piorar, fomos todos no mesmo voo, minha família, Mimi e claro, Beatriz. Tinha certeza que aquela mulher deu um jeito de conseguir entrar no voo, afinal ele estava esgotado por ser época de férias.

Ao desembarcarmos, meus tios e primos já nos aguardavam. Estavam lá, Pâmela (sempre achei linda, mas é muito séria), a Cris (falou doidice, é com a gente mesmo), e o pequeno Henrique (futuro galã da família kkk).

Fomos recebidos com abraços, carinhos e depois partimos para a casa dos meus tios. Yasmim e sua mãe iriam para um hotel em Copacabana, mas depois marcaríamos de sair. O primeiro dia tiramos pra descansar e ficar em família, na manhã seguinte marcaríamos de ir à praia. Cris e Yasmim se deram bem de primeira, pareciam amigas de anos, é aquela coisa, doidas se entendem kkkkk.

Bela manhã de sábado em plena Copacabana, aquele sol, praia movimentada, pessoas felizes, Cris e eu fomos encontrar Mimi na praia, em seguida chega Pâmela e Henrique pra ficar com a gente. Estava ótimo, só não tinha entrado no mar ainda.

- Cam, tu é vampiro? – Perguntava Cris.

- Depende do momento e quem eu quero chupar. – Fiz carinha de malícia.

- Que escrota kkkkkk. – Dizia ela.

- Vem sua chata, vamos pra água. – Insistia Yasmim.

- Pra que vá? Pra chegar toda dura de sal? Tô bem aqui. – Retrucava eu.

- Ah você vai sim, pega as pernas dela Cris, vamos fazer cadeirinha. – Dizia Yasmim.

As duas tentaram me levar a força, mas acabei caindo na areia.

- Um detalhe pra vocês, precisam malhar mais, parecem duas bonecas kkkk. – Ria eu.

- Idiota. – Diziam ambas.

Ficamos rindo um pouco próximo ao mar, mas ainda não entrava, do nada a cara delas olhando pra trás como se viesse alguém importante. Me viro e é a Beatriz, uma bela tanga, um biquíni estampado e exibindo sua barriga de tanquinho, com peitos e bunda me durinhos, praticamente uma modelo. A praia toda parou pra olhar aquela mulher, ou babar.

Até eu fiquei babando, mas como disse, ficarei na minha e vou fingir que não é isso tudo, mas a quem eu quero enganar, ela tá gostosa, minha nossa. Ela foi nos cumprimentar e sendo simpática.

- Então meninas, o que estão esperando pra entrarem na água? – Perguntava ela.

- A fresca aí deixar de coisa. – Dizia Yasmim apontando pra mim.

- Pensei que gostasse do mar Camila, falou tanto em vir pra cá. – Dizia ela me encarando.

- Mas eu gosto, só que eu hoje não tô afim de pegar bronze ou sair salgada da água. – Dizia eu normalmente.

- É chata viu. – Dizia Cris revirando os olhos.

- Bom banho pra vocês. – Falei dando tchauzinho e a Beatriz me tocou no ombro.

- Meninas vão na frente, vou tentar convencer a amiga de vocês a entrar na água. – Dizia Beatriz.

As duas foram, e nós ficamos conversando.

- Por que não quer entrar? – Perguntava ela.

- Não é que não queira, só não estou com vontade agora.

- No melhor momento de se banhar? Vem, vamos logo, deixa de frescura, não é sempre que posso curtir contigo na praia. – Segurava minha mão enquanto dizia pra tentar me levar.

- Curtir comigo? Aqui você tem centenas, milhares de pessoas pra curtir, não precisa de mim.

- Preciso e quero, agora vamos!

- Agora não, vai lá dar uma de sereia que depois eu vou.

- Não ache que vai fugir de mim, vamos fazer muita coisa aqui no Rio ainda. – Ela dizia com aquele olhar malicioso.

- Eu vim pra curtir com minha família também, você que decidiu vir do nada. Agora vou ficar com pouco sentada com a Pâmela e o Henrique, quando eu sentir vontade, entro no mar.

- Tudo bem, mas lembre-se, no sexo, eu te quero.

Ela foi se banhar com Yasmim e Cris e eu fui me sentar com os primos. Pâmela deu dinheiro pro Henrique ir comprar sorvete e ficamos conversando até que ela solta:

- O que foi aquilo?

- O que? – Perguntei eu sem entender mesmo.

- O jeito como a mãe da sua amiga segurou sua mão e depois te olhou. – Pâmela sempre desconfiada.

- Nada demais, ela só tentou me convencer a entrar no mar agora.

- E por que não foi?

- Sem vontade ainda, e também, depois eu saio dura de sal, vou esperar um pouco.

- Só isso mesmo?

- E tinha que ter algo a mais?

- Camila não sou idiota, o jeito como ela te olhou não foi normal, o que tá acontecendo?

- Nada ué, coisa da sua cabeça.

- Sua amiga pode até não ter notado, mas eu sei que tem algo.

- Pâmela, onde você quer chegar com essas acusações sem cabimento?

- Mas eu não estou acusando de nada, porquê? Tem algo a acusar?

- Affs, você leva seu trabalho até pra vida pessoal, minha nossa, depois fica criando teorias e sei lá o que.

- Ainda vamos conversar, Camila.

- Desde que seja sobre coisas que tenham sentido, tudo bem.

O fofo do Henrique chegou e foi distribuindo os sorvetes, as doidas e a mãe da Yasmim também haviam chego. Ficamos tomando sorvete, rindo um pouco, falando sobre a vida. Beatriz tentava conhecer melhor Pâmela, mas ela só falava o necessário, mas sendo educada, não tinha tom grosso.

A conversa ia fluindo, em seguida chegam uns conhecidos da Cris, dois meninos e uma menina, sendo que um deles era gay e acredito eu que a menina era lésbica, estava me olhando diferente. Um dos meninos até queria chegar na Pâmela, mas ela é jogo duro demais.

A menina era linda, sabem a Erika Januza? Então, parecida, linda daquele jeito. Eu me ofereci pra pegar água de coco e ela foi comigo, enquanto esperávamos, conversamos um pouquinho.

- Olha, você é muito legal como sua prima. – Dizia a Estela.

- Você também.

- Sabe que vai ter um luau amanhã a noite neh?

- Sim sei, venho com as meninas.

- Gosto bastante de curtir.

- Eu também.

- Então não vai se importar se eu curtir contigo agora neh? Amanhã eu quero aproveitar com outras pessoas e não quero que leve a mal.

- Tá esperando autorização? Ah já sei, o impulso.

Dei um beijo nela ali mesmo, como a fila ainda estava grande, curtimos um pouco e paramos. Essa é das minhas, fica sem compromisso e tá tudo certo. De longe a Cris fazia questão de dizer a todos que estávamos nos beijando.

- Ih gente, a Camila é ligeira viu, já está beijando a Estela. – Dizia a Cris.

- Cam não perde tempo kkkk. – Ria Yasmim.

- Quando crescer quero ser igual a Camila pra beijar tanta menina linda assim. – Dizia Henrique.

- HENRIQUE! – Repreendia Pâmela e Cris.

- O que foi? Tô mentindo é? Camila fica com mais meninas do que os ex-namorados de vocês duas juntas kkkkkkk. – Henrique falava como todo garoto que ainda estava pra entrar na puberdade.

Beatriz nada dizia, só encarava de longe e Pâmela percebeu, mas não falou nada, ela aguardava pra conversar comigo depois. Prima CSI é essa.

Depois que Estela e eu terminamos de ficar e pegamos os cocos, fomos nos sentar novamente as pessoas. Os conhecidos da Cris não demoraram muito e saíram, iam para uma have num lugarzinho mais afastado, até nos chamaram, mas preferimos não ir. Henrique brincava comigo, queria ser como eu, mas a verdade é que ele sonhava pelo primeiro beijo mesmo kkkkk.

- Henrique, você nem criou pelos nas axilas, modera ai. – Dizia Pâmela.

- Mas maninha, eu quero ser igual a Camila, ela beija muito.

- Camila você é uma ótima influência kkkk. – Ria Beatriz.

- Até minha mãe acha graça de você Cam kkk. – Ria Yasmim também.

- Agora deu. – Falei revirando os olhos. – Henrique, só tenho a dizer o seguinte, se for pra beijar muito, você descobre no futuro, até lá, aproveite bastante sua infância. Agora vem, vamos curtir a praia, bora nadar. – Falei estendendo a mão.

- Ah, agora que vai pro mar neh? – Dizia a Cris.

- Com certeza, priminho Henrique é a pessoa mais agradável e menos chata daqui, com licença. – Dizia eu com tom de deboche e engraçado.

- Idiota. – Dizia Yasmim. – Aproveite o tempo que chego já lá pra te perturbar.

- Ah ia esquecendo, não vou de shortinho e camisa branca neh?

- Ia dizer a mesma coisa. – Dizia Cris.

Tirei a roupa e o óculos de sol, ficando apenas de biquíni e exibindo minha barriga chapada. A Beatriz apesar de estar de óculos ficou babando, mas disfarçou pra todos, menos pra Pâmela que sacou na hora, mas fingiu não saber.

- Fiu fiu em. – Dizia Yasmim com palhaçada. – Já peguei desse produto e foi bom.

- Eu também já. – Prosseguia Cris.

- Eu não... – Dizia Pâmela cortando o clima.

- Estão vendo? Sigam o exemplo de Pâmela, a pessoa mais educada daqui, que não fica constrangendo ninguém e muito menos falando da privacidade alheia.

Fui pro mar brincar com o Henrique, ele é um amorzinho, muito fofo. Depois chegaram todos e ficamos até umas 14:00, queríamos voltar cedo pra não ficar um cansaço, a Yasmim queria que eu ficasse com ela no hotel aquele dia, já que o namorado não pôde ir e claro, ela ama minha companhia. Até chamou todos meus primos, mas não podíamos ir, tínhamos que voltar.

- Vai me roubar a Cam esses dias Cris, não é justo.

- Own Yasmim, você passa mais tempo com ela eu só a vejo nas férias, então ela é toda minha agora, depois devolvo kkk.

- Nossa, virei objeto agora, quando não estou com uma, estou com todas. Só digo o seguinte, não sou de ninguém, só do chuveiro e cama que me esperam lá na casa dos tios kkkkk.

Nos despedimos e voltamos pra casa dos meus tios. Tomei um banho e fui relaxar. O sábado passou rápido e no dia seguinte teríamos um luau pra ir, a maior surpresa pra mim foi saber que Beatriz iria conosco.

- Beatriz, a senh... digo, você, irá conosco? – Perguntava eu sem entender.

- O que foi Cam, mamis é jovem, merece curtir.

- Concordo, ela é um mulherão. – Concordava Cris.

- Não tô dizendo isso, é que eu sempre achei que não curtisse muito esse tipo de festa.

- Camila, eu acho que isso pode ser uma boa experiência pra mim, afinal, ainda sou e tenho espírito de jovem. – Ela praticamente me deu uma cortada de raiva e se vitimizou.

- U.u – Diziam Cris e Yasmim.

Fomos pro luau, estava muito lindo, música boa, galera do bem e animada. Ficamos dançando juntas e depois fomos pegar alguns drinks, curtimos, até que começa a tocar uma música bem animada e o pessoal começa a pular e dançar ao mesmo tempo. Do nada Yasmim fala:

- Não acredito! Passada...

- Sua mãe é poderosa Yasmim. – Dizia a Cris.

- O que foi gente? – Perguntei sem entender e me virei. – Não creio...

Beatriz estava beijando a menina mais gata do luau, a pessoa que dei uma piscada assim que cheguei. Eu não fiquei surpresa por Beatriz beijar uma garota, fiquei surpresa pela atitude na frente de todos e da Yasmim. Ai ela termina de ficar com a menina lá e volta pra onde estávamos.

- Mamis e...eu não acredito... – Mimi procurava as palavras ainda.

- Arrasou Beatriz, gostei da atitude. – Dizia Cris.

“Eu não falei nada”

- O que foi Yasmim? Não posso curtir também? – Perguntava ela.

- Não é isso mãe, é que você tem passado esses últimos meses sozinha e eu não esperava, só isso.

- Isso é um incomodo pra você?

- De forma alguma, estou até feliz, surpresa, mas feliz. Eu não sabia que curtia garotas e que bom que está voltando mais a vida, espero que se divirta muito.

- E você Camila, não irá dizer nada? – Perguntava ela pra mim.

- Eu? Tenho nada a declarar, divirta-se, aproveite e que bom que está mais feliz. – Eu saí pra pista e depois caminhar na praia.

- Ué, o que deu nela? – Perguntava Cris.

- Acho que a garota que eu fiquei, era a que a Camila queria ficar quando chegou, acho que por isso a reação. Acho que está chateada.

- Vou falar com ela. – Dizia Yasmim.

- Deixa que eu vou. – Falou Beatriz. – Vocês duas fiquem juntas até eu voltar, mas vão dançando pra se divertir.

Caminhei até umas pedras que ficam um pouquinho afastadas do luau, lugar onde muitas pessoas vão pra se pegar, mas por incrível que pareça estava vazia. Fiquei pensando no nível de provocação daquela mulher, eu não estou com ciúmes, mas raiva, ela sabia que eu queria ficar com a guria lá que devia ter seus 22, ela jogou comigo e eu caí. Percebi então, que ela não brinca no que fala, mas eu também não tenho medo, foda-se.

Em meios ao meus pensamentos, meu celular toca é a Pâmela.

- Oi Pâmela, aconteceu algo? – Dizia eu.

- Não, só pra saber que horas vocês saem do luau.

- Por que?

- Meu pai achou que vocês voltando táxi de madrugada não era seguro e pediu pra ir buscar.

- Relaxe, só vamos sair quando o sol raiar eu acho kkkk.

- Vocês viu, jovens.

- Devia vir também, pra curtir um pouquinho, você merece.

- Camila eu não tempo pra essas coisas e minha fase já passou.

- Qual é Pâmela, você fala como se fosse uma idosa, tu só tem 26 anos.

- Você sabe que minha profissão exige cuidado e atenção, não posso me distrair com coisas assim.

- Affs.

- Quando saírem avisem.

- Pâmela, não precisa, até lá já vai estar claro, qualquer coisa dormimos com a Yasmim e depois voltamos.

- Nem invente, ainda quero conversar contigo sobre aquilo.

- Você tá ficando paranoica...

- Não tente me enrolar que você é péssima nisso, agora tchau.

Ela desligou na minha cara, essa minha prima é um “amor, não entendo o porquê dela ser tão amargurada desse jeito. Fiquei pensando um pouco no jeito da Pâmela, nem sempre ela foi assim, será que foi a profissão ou algum relacionamento que não foi bom?

Enquanto distraída, alguém coloca sua mão sob meu ombro, isso mesmo, Beatriz, nem é mais novidade.

- O que foi Beatriz?

- Está com raiva porque peguei a menina mais gata da festa, ou melhor dizendo, aquela que você queira?

- Quer que eu seja sincera?

- Sim.

- Não, não fiquei. Eu saí, mas não foi por sua causa nem dela, foi porque não me senti bem da bebida e precisava respirar. – Menti pra não dar corda.

- Que desculpinha esfarrapada essa. Aposto que não contou isso pra aquela sua ficante de ontem na praia.

- Acredite se quiser. E outra, fico com quem quiser, ela é linda mesmo.

- Prefiro acreditar em outra coisa...

- Devíamos voltar pra festa, antes que as meninas venham nos procurar.

- Não esquente com isso, dá pra aproveitar um pouco.

- Tem várias pessoas na festa que você pode ficar, até garotas, devia tentar, afinal, você já mostrou pra sua filha seu lado bi. Não precisa mais de mim, agora pode ter todas.

- Não é bem assim, eu quero você. – Falava já beijando meu pescoço. – Quero esse seu jeito marrento e ao mesmo tempo quente, o desejo que você me provoca não tem igual.

- Mas eu nunca fiz nada pra chamar sua atenção.

- Você que pensa... Mas depois conversamos, quero sua boca na minha. – Ela queria me beijar, mas eu a encostei nas pedras, ficando mais reservado.

- Nem sempre querer é poder.

- Mas no meu caso sim.

- Só se eu quiser. – Segurava seus braços enquanto chupava seu pescoço.

- Para de me provocar, me solta e me beija.

- Faço o que eu quiser. – Ficava provocando. – O jogo virou neh?. – Eu abria espaço entre suas pernas com meu jeito, e ficava mexendo pra ela ficar excitada.

- Ahhhh. – Ela gemia baixo pra não chamar atenção.

- Agora que está calminha, vou te beijar.

Comecei a beijá-la e depois soltei seus braços e nos agarramos, ela estava em um fogo ao ponto de querer sempre colocar minha mão em sua ppk, mas eu não deixava, pois, poderia chegar alguém. Eu havia descoberto seu ponto fraco, além do controle, ela gosta do desejo, quando provoco e a tenho em controle, ela fica louca.

- Eu quero que você me coma, me foda com força como fez aquele dia. – Ela sussurrava isso em meio ouvido, só por que eu ficava mexendo o joelho em sua ppk e isso a deixava louca.

- Não vou te comer agora, tenho outras pessoas em mente já. – Dei um último beijo e parei.

- O que pensa está fazendo? É pra continuar, não para. – Ela queria tentar me beijar, mas eu desviei.

Do nada aparecem Cris e Yasmim.

- Achamos vocês, sumiram tem um tempo. – Dizia Cris.

- Estão bem? Parecem pálidas. – Perguntava Yasmim.

- Tudo bem sim filha, a Camila que não se sentiu bem por causa de uma das bebidas. Pensei que ela tinha ficado chateada com aquilo, mas não foi.

- E por que iria me chatear? É uma festa, e que bom que está se sentindo pronta pra sair com mais pessoas.

- Me sinto ótima, te conheço relativamente pouco, mas se não fosse a melhor amiga da minha filha até sairia contigo kkkkk. – Ela soltou como um tom de piada em que todos riram, eu ri de nervoso pra disfarçar.

- Não mãe kkkkkkk, Cam é meu amorzinho já. E também ficaria meio estranho neh.

- Estranho como? – Perguntava Beatriz.

- É que ela é minha melhor amiga e sei lá, a gente já ficou, já dormimos e fizemos outras coisas mais salientes. Não tenho nada contra ti Cam, é que realmente ficaria estranho, você e minha mãe. – Dizia olhando pra mim.

- Eu sei filha, entendo, mas saiba que isso não vai acontecer, afinal, ela tem idade pra ser minha filha também. Fique tranquila que Camila e eu só estamos na friendzone como dizem vocês kkkkkkk.

Todas ficamos rindo, voltamos pro luau e depois liguei pra Pâmela pra irmos.

“Que noite, a Beatriz realmente é louca, quase fomos pegas no flagra, e já deu pra sacar que a Yasmim não curtiria a ideia de mim e sua mãe juntas, imagine quando ela souber que temos um caso. Minha vontade é contar tudo, mas agora eu tenho medo de verdade dela saber”.

CONTINUAAAA...

Então leitores, sim, agora leitores, abrangendo a todos. No começo só garotas liam, mas agora eu estou feliz por despertar o interesse de muitos outros. Aos outros escritores saibam que leio muito as vezes, só não comento por não estar logada. Incentivo a outros leitores a comentarem não só o meu, mas os dos outros, afinal escrevemos pra vocês também, então ao fazerem isso, saberemos se estão gostando ou não, se há algo que se identifiquem. Essa semana está um pouco corrida pra mim, por isso esse capítulo longo, caso eu não consiga postar outro essa semana, já deixei um conteúdo publicado. Qualquer coisa, dúvida, ou até mesmo conversa, só ir lá no insta @stardustwriter_01, mais fácil responder lá ou no email: stardustwriter@hotmail.com. Sobre o blogue, pensei bastante e vou restaura-lo, mas ainda não, quero transformar em nossos espaço mais arrumado, mais aberto, com mais interação com o insta. Vocês poderão comentar até em anônimo se não quiserem identificação e muitas outras coisas.

Outro recadinho, em breve eu postarei uma fanfic em outro site que trata melhor sobre isso e deixarei o link pra vocês, espero que também curtam.

Um bom carnaval a todos e até breve, bjs

Comentários

13/03/2018 22:33:00
Continua pfvr
10/03/2018 13:14:31
Continua, por favor
05/03/2018 12:14:52
Otimos contos quando voltas a publicar novos contos.
02/03/2018 14:24:09
Já li e reli todos os seus contos.Estou amando.Mais eu gostaria muito q vc continuasse a historia da Charlo e da Pricila
27/02/2018 17:20:28
Sim realmente não esta aparecendo como novas públicaçoes no tema lésbicas, mas não é só o seu, percebi isso em outros contos :( Estou amando o conto. É intrigante e excitante. Não demora pra continuar. Mandei solicitação no seu Instagram, meu perfil está Day...Eg...Bjinhos
17/02/2018 15:33:58
Ótimo conto, contínua 👏
15/02/2018 13:23:08
Seu relato já tem formato de um romance, com muitas mulheres se curtindo, o que dá uma sensação boa de envolvimento mútuo entre tantas personagens, como num bom filme de Wood Allen. Gostaria de ver um comentário seu em um dos meus contos, embora não tenha muitos da temática que vc adota. Um beijo e até a próxima parte
13/02/2018 13:58:02
❤️

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.