Casa dos Contos Eróticos

Pescaria na ilha I

Um conto erótico de Velho safado
Categoria: Grupal
Data: 18/01/2018 18:25:49
Nota 9.58

Chamo-me Cássio e minha esposa Dani. Tínhamos: 44/36 anos quando isso aconteceu. Ambos morenos-claros e somos bem eróticos, gostamos sempre de fantasiar nossas transas mas nunca tínhamos tido a oportunidade e coragem de pô-las em prática, mas que quando pintasse oportunidade deveríamos deixar rolar. Um dia ela disse que seu desejo era que eu a dividisse com mais um ou dois homens. Nós dois gostamos de muita sacanagem, até que um dia aconteceu… Estava eu trabalhando quando três colegas convidaram-me para uma pescaria numa ilha de um deles, e eu que gosto demais de pescar aceitei. Um deles disse que era para eu levar minha esposa porque eles levariam as suas também. Conversei com a Dani e ela aceitou. Então marcamos e fomos… Chegamos lá às 8h00 e somente quem esperava no local marcado era o Carlos… Ele disse que os outro tinham ido antes para preparar a recepção para nós… Eles estavam à nossa espera. Nós poderíamos desistir ou ir estava para nós decidirmos o que queríamos fazer. Minha esposa ficou com dó de mim, porque ela sabe que eu gosto muito de pescar, e ela não iria estragar minha vontade… então fomos. Chegando lá por volta das 10h00, os dois já estavam nos esperando com um gostoso lanche por eles preparados. Lanchamos e fomos pescar. Dani ficou preparando o almoço. Pescamos um pouco e à tarde, por volta das 14h00 regressamos na cabana para almoçar o que fizemos com muito prazer. Colocamos um cd para tocar deitamos no chão para descansar. Minha esposa estava sentada entre eu e Paulo, na frente estava o Carlos e o André. Em dado momento vi que o Carlos e o André não tirava os olhos das coxas de Dani que, pelo jeito eles estava vendo algo mais… pedi licença e disse que ia ao banheiro, escondi-me e fiquei olhando o que ia acontecer… Não deu outra, Carlos se levanta com a bermuda feito circo, ficou bem próximo ao rosto da minha esposa e tirou-a para dançar ela se levantou e começou a dançar com o Carlos que não esperou e passou a mão em sua bunda levantando a saia. Os outros vendo também alisaram ela e tiraram sua calcinha… que sem vergonha, Não demorou muito ela já estava sem calcinha e o Paulo tendo aquela visão maravilhosa passou a mão na bunda de Dani. Eu fiz um pouco de barulho e cheguei, eles ficaram meio desbundados porque seus caralhos estavam duros e fazendo volume na bermuda. Eu disse: O que vocês estavam fazendo? Minha esposa disse: “__Estávamos dançando”… E pararam por que? “__Porque você nos assustou, podemos continuar?” Pode sim, respondi, enquanto vocês se divertem vou pegar uma cervejinha pra nós. Ao sair, o Paulo que é o mais ousado levantou-se e tirou minha mulher para dançar, ela foi e ele meteu a mão por baixo do seu vestido encontrando uma bocetinha toda molhada de tesão. André e Carlos, um de cada lado levantou o vestido dela e alisava a bundinha gostosa de Dani. Ela se deliciava segurando aqueles cassetes duros em suas delicadas mãos. Eu voltei e eles estavam tão intertidos na sacanagem que nem perceberam a minha presença. Peguei a calcinha da Dani e vi que eles já não podiam se controlar mais. Ao me verem ficaram sem jeito e ela abaixando o vestido disse: “__Amor, não é nada disso que você está pensando.” Não, respondi, não estou pensando, estou vendo. Inclusive aqui está sua calcinha Ninguém está se controlando mais… Se você quer ser puta então vai ser. Me dê o seu vestido… Até o final do feriado você só vai andar pelada Já que você liberou então libera geral. Você terá que aguentar com os quatro. Ela, com uma cara de cadelinha no cio disse: “__Quero ver se os quatro vão aguentar comigo”. E foi em direção do quarto e nós tiramos as roupas também e fomos atrás dela. Ela deitou-se na cama e se abriu toda e disse: “__Já que o meu marido liberou, façam de mim tudo que desejarem!” Tudo? Disse eu, ela respondeu: “__Tudo que passar na cabeça de vocês. Depois se dirigiu a mim e disse: “__Você não disse que eu sou uma puta e cadela? Então você vai ver o que uma cadela faz. Estou aqui para ser um objeto, saibam usar bem”. Quem ia ficar esperando alguma coisa a mais ?, voamos em cima dela e tocamos em todo seu corpo e ela só ria e levantava as pernas mostrando tudo sem vergonha nenhuma. Nós fazíamos cócegas para que ela se mexesse todinha. Estava uma delícia… ela se abria todinha mostrando aquela rachinha linda e aquele buraquinho de fazer inveja. Demos um delicioso banho de língua e sempre ela tinha um cassete na boca e chupava com vontade e maestria. Doidinha para dar dizia: “__Quero os quatro de uma só vez. Não quero ninguém fora de mim. Quero que me chamem de puta, cadela, vagabunda, vaca e muito mais, quero que batam na minha bunda e na minha buceta até eu aprender a obedecer totalmente todos vocês”. Haja pau para uma mulher assim. Paulo deitou na cama e ela pulou encima dele atarracando toda aquela vara em sua deliciosa buceta. André por sua vez, veio por trás e encheu seu cuzinho completando uma gostosa dupla penetração. Eu dei meu pau para ela chupar e só sobrou o Carlos que era punhetado resmungava doido da vida… E eu, dizia ela é mesmo uma puta… ela tirou meu pau da boca e disse a ele; “__Tenta enfiar em mim também arranje um espaçozinho dentro de um dos buracos e enfia também”. Eu, sinceramente nem acreditava o que ouvia só sei que até tripla penetração saiu ali. Assim revezávamos pela tarde toda. Gozamos feitos loucos e de todas as formas. Depois fomos os quatro para o chuveiro e ela lavava cada um com muito carinho depois nós quatro a lavamos não deixando nenhum centímetro do seu corpo sem ser tocado. A partir daquela hora, ninguém mais usou roupa e ninguém quis saber mais de pescar… Só ela pegava as varas. Cada vez que ela passava perto de algum tarado este lhe já passava a mão, dava tapinha em sua bunda etc. Depois fomos descansar um pouco e dormimos gostoso. De madrugada acordei e ouvi barulho na sala, a Dani não estava no quarto, mas os quatro estavam… Levantei e fui até a sala Dani estava assistindo TV eu disse: Você não vem dormir? Não tenho sono, disse ela. Eu fiz companhia para ela e ficamos batendo um papo. Como nós fomos loucos, parecemos uns depravados. “Parecemos não, somos”. Mas como você está? perguntei. “Muito bem”, respondeu ela, e vc? Eu estou ótimo. Dani, eu não sabia que você era tão puta assim. Você é a maior cadela que eu encontrei em toda minha vida. “__O que você sentiu quando me viu no maior dos amassos? com eles?” Perguntou ela… Eu senti um tesão muito grande descobri que sou corno. Eu fotografei dois metendo no seu cuzinho… agora já é um cuzão. Ela disse: “__O que vai ser de nós quando voltarmos?”. Sei lá, respondi, depois veremos. No próximo conto vocês saberão o que aconteceu depois desta louca aventura. Votem no meu conto e escreva para nós. Meu email: cj9036135@gmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/07/2018 15:33:50
Passei para avisar que estou com um novo conto aqui. Aproveitei e reli este. Meu marido se parece contigo, nessa de se excitar em ver a esposa com outro. Aliás, no teu caso foram outros nessa pescaria. Rs. Deixo outra nota dez. Bjs babados.
03/06/2018 18:16:08
Gostei muito do seu conto você liberou bem a sua esposa e ela aproveitou em grande.
31/05/2018 17:58:07
Com uma mulher assim você vai estar sempre em cima.
25/02/2018 17:56:59
Conto delicioso, querido. A campeã da pescaria foi a Dani que pegou todos os peixões. Rs. Gostei da narrativa. Sou garota de programa e já servi de cafetina para duas casadas, com autorização dos maridos. Narrei aqui e se puder, dá uma lida nos relatos. Nota dez e beijocas.
16/02/2018 13:27:44
Deliciosamente afrodisiaco seu conto eita mulher arretada.
29/01/2018 22:45:32
Delicia de conto!!! Que bom vc ter uma esposinha que gosta da coisa e não se faz de rogada para viver boas aventuras.
27/01/2018 21:45:34
Show de conto, Cassio. Vc e a Dani iniciaram na vida liberal em alto estilo. Ela já tendo outros três para junto com vc, revezarem dando o máximo de prazer a ela. Me lembrou a vez que dei conta de seis rapazes e mais meu marido. Rs. A nota só pode ser dez! Bjs, Val.
26/01/2018 08:35:44
Com dizem, sorte de uns, azar de outros. Sorte teve essa tua Dani, com um marido liberal e cúmplice. Ah, se o meu marido fosse como vc. Viver aventuras como essa assim às claras, tendo vários assim para me satisfazer. Agradeço tua leitura no meu. Bjs.
24/01/2018 16:30:38
Que delicia de conto, Cassio. Com certeza nessa pescaria, ninguém pegou nenhum peixe. Em compensação, a tua Dani se esbaldou, com quatro machos à disposição para satisfazê-la. Muito excitante este relato. Parabéns. Beijos.
20/01/2018 18:08:41
Publicado a continuação Leiam, votem e comentem
19/01/2018 10:51:03
emp.adv.ba2@gmail.com
19/01/2018 10:42:50
Muito bom. quero encontrar uma mulher assim...
19/01/2018 07:20:27
Muito bom. Continua!!!
19/01/2018 02:09:26
Continuaaaaaa!!! Mt bom